ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 23656

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

O sentido do trabalho para o ser estomizado*

Vanessa Cristina Mauricio,1 Norma Valéria Dantas de Oliveira Souza,2 Marcia Tereza Luz Lisboa3

1Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem pela UERJ. Enfermeira do Ministério da Saúde e do Hospital de Guarus. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduacão em Enfermagem da UERJ. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Professora associado do Departamento de Enfermagem Fundamental da Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Recebido: 14 de maio de 2013
Aprovado: 02 de dezembro de 2013

Texto Contexto Enferm 23(3): 656-664
*Artigo extraído da dissertação - A pessoa estomizada e o processo de inclusão no trabalho: contribuição para enfermagem, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em 2011

 

 

 

Cómo citar este documento

Mauricio, Vanessa Cristina; Souza, Norma Valéria Dantas de Oliveira; Lisboa, Marcia Tereza Luz. O sentido do trabalho para o ser estomizado. Texto Contexto Enferm, jul-sep 2014, 23(3). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23656.php> Consultado el

 

Resumo

A presente pesquisa, qualitativa e descritivo-exploratória, objetiva tratar do sentido do trabalho para vinte pessoas estomizadas. Os objetivos são: identificar a situação trabalhista dos estomizados; e analisar os significados do trabalho em suas vidas. Utilizou-se a entrevista semiestruturada para coleta de dados em um Instituto de reabilitação no Rio de Janeiro e a Análise Temática de Conteúdo para análise dos dados. Os resultados evidenciaram que os sujeitos apresentam sentimentos dialéticos em relação ao trabalho, considerando que a atividade laboral é fonte de vida, garante subsistência material e significa participação social. No entanto, também consideraram o trabalho como fonte de sofrimento, pois remetem ao sentimento de exclusão e segregação social. Conclui-se que o trabalho, apesar de aludir sentimentos negativos, é majoritariamente sentido como algo positivo e, por isso, os enfermeiros e demais profissionais da saúde e áreas afins, devem estimular e viabilizar a reinserção do estomizado no mundo laboral.
Palavras chave: Saúde do trabalhador/ Estomas cirúrgicos/ Pessoas com deficiência/ Reabilitação/ Previdência social.

Abstract
The meaning of work for the person with a stoma

The present qualitative and descriptive-exploratory study aims to focus on the meaning of work for 20 persons with stomas. Its objectives are: to identify the working situation of the people with stomas; and to analyze the work's meanings in their lives. It used semi-structured interviews for data collection in a Rehabilitation Institute in Rio de Janeiro and Thematic Content Analysis for data analysis. The results evidenced that the subjects present dialectical feelings in relation to the work, considering that work activity is a source of life, ensures material subsistence and signifies social participation. However, they also consider the work as a source of suffering, as they link it to a feeling of exclusion and to social segregation. It is concluded that work, in spite of raising negative feelings, is felt by the majority as something positive and that, because of this, nurses and other professionals from the area of healthcare and similar areas must encourage and viabilize the reinsertion of the person with a stoma into the world of work.
Key-words: Occupational health/ Surgical stomas/ Disabled persons/ Rehabilitation/ Social security.

Resumen
El significado del trabajo para el ser estomizado

El objeto de esta investigación cualitativa y descriptiva exploratoria es abordar el significado del trabajo para veinte personas estomizadas, o sea, determinar la situación laboral de los estomizados y analizar los significados del trabajo en sus vidas. La entrevista semiestructurada recolectó datos en una institución de rehabilitación en Río de Janeiro y utilizó el Análisis Temático de Contenido para el análisis de datos. Los resultados mostraron que los sujetos exhiben sentimientos dialécticos respecto al trabajo, considerándose la actividad laboral como la fuente de vida que garantiza la subsistencia material y la participación activa en la sociedad, sin embargo, también es fuente de sufrimiento, debido al sentimiento de exclusión y segregación social. Se concluye que, aunque el trabajo alude a sentimientos negativo, es sentido como algo más positivo, razón por que los enfermeros, otros profesionales de la salud y afines deben alentar y facilitar la reintegración del estomizado en el mundo laboral.
Palabras clave: Salud ocupacional/ Estomas quirúrgicos/ Personas con discapacidad/ Rehabilitación/ Seguridad social.
 

Referências

1.  Pittman J. Characteristics of the patient with an ostomy. J Wound Ostomy Continence Nurs. 2011 MaI-Jun; 38(3):271-9.

2.  Nascimento CMS, Trindade GLB, Luz MHBA, Santiago RF. Vivência do paciente estomizado: uma contribuição para a assistência de enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2011 Jul-Set; 20(3):557-64.

3.  Nybaek H, Knudsen DB, Laursen TN, Karlsmark T, Jemec GBE. Quality of life assessment among patients with peristomal skin desease. Eur J Gastroenterology Hepatol. 2010 Fev; 22(2):134-43.

4.  Pereira CS, Prette AD, Prette AA. Qual o significado do trabalho para as pessoas com e sem deficiência física? Rev Psico USF. 2008 Jan-Jun; 13(1):105-14.

5.  Wagner J. Os cenários do trabalho no Brasil. Texto Contexto Enferm. 2003 Out; 12(4):451-60.

6.  Silva NG, Gama FA, Dutra RA. Percepção de pacientes com estomia sobre mitos e medos relacionados a esta condição. Rev Estima. 2008 Jan-Mar; 6(1):22-6.

7.  Navarro VL, Padilha V. Dilemas do trabalho no capitalismo contemporâneo. Psicol Soc. 2007; 19(esp):14-20.

8.  Antunes R. Os sentidos do trabalho: ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo (SP): Boitempo; 2009.

9.  Ministério da Saúde (BR). Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador. Brasília (DF): MS; 2004.

10.  Oliveira JM, Araújo JNG, Romagnoli RC. Dificuldades relativas à inclusão social das pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Lat Am J Fundam Psychopathol. 2006 Mai; 6(1):77-89.

11.  Rebelo P. A pessoa com deficiência e o trabalho. Rio de Janeiro (RJ): Qualitymark; 2008.

12. Associação Brasileira dos Ostomizados (ABRASO). Ostomias originadas por trauma. Rev Abraso. 2007; 8(1):12-14.

13.  Luz MHBA, Andrade DS, Amaral HO, Bezerra SMG, Benício CDAV, Leal ACA. Caracterização dos pacientes submetidos a estomas intestinais em um hospital público de Teresina- PI. Texto Contexto Enferm. 2009 Jan-Mar; 18(1):140-6.

14.  Oliveira D. O estigma da marca corporal invisível: estudo sobre o mundo do trabalho das pessoas com estomia intestinal definitiva [tese]. Brasília (DF): Universidade de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas; 2007.

15.  Guedes MC, Araújo C. Desigualdades de gênero, família e trabalho: mudanças e permanências no cenário brasileiro. Rev Gênero. 2011 Jul-Dez; 12(1):61-79.

16.  Mauricio VC, Souza NVDO, Lisboa MTL. O enfermeiro e sua participação no processo de reabilitação da pessoa com estoma. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2013 Jul-Set; 17(3):416-22.

17.  Fernandes R, Narita RDT. Contribuição ao INSS: equilíbrio financeiro e imposto sobre o trabalho. Escola de Administração Fazendária [online]. 2003 [acesso 2010 Out 8]. Disponível em: http://www.anpec.org.br/encontro2005/artigos/A05A055

18.  Nohara JJ, Acevedo CR, Fiametti M. A vida no trabalho: as representações sociais das pessoas com deficiência. In: Carvalho-Freitas MN, Marques AL, organizadoras. Trabalho e Pessoas com Deficiência: pesquisas, práticas e instrumentos de diagnóstico. Curitiba (PR): Juruá; 2009. p. 71-88.

19.  Souza MPD, Santos VR, Vilela BS, Paula MAB. Estoma e vida laborativa. Rev Estima. 2007 Jan-Mar; 5(1):13-20.

20.  Antunes R. Adeus ao trabalho? Ensaios sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo (SP): Cortez; 2008.

21.  Carvalho-Freitas MN, Marques AL. Satisfação das pessoas com deficiência no trabalho. In: Carvalho-Freitas MN, Marques AL, organizadoras. Trabalho e Pessoas com Deficiência: pesquisas, práticas e instrumentos de diagnóstico. Curitiba (PR): Juruá; 2009. p. 265-78.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería