ENTRAR            

 


 

R de Pesq: cuidado fundamental Online -Bra- v8n2 2016 r84243

 

 
PESQUISA
 

 Ir a sumario  Acceso al texto completo

Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
[
R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-]
2016 abr-jun; 8(2):
4243-4254

 Recebido em: 13/11/2016
Revisões requeridas: Não
Aprovado em: 08/01/2016
Publicado em: 03/04/2016

Percepção dos usuários sobre os grupos de educação em saúde do pet - vigilância em saúde

 

Bruna Riechel Strehlow,1 Letícia Dahmer,2 Tiago Bittencourt de Oliveira,3 Rosane Teresinha Fontana4

 

(1) Graduada em Enfermagem pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões- campus Santo Ângelo/RS. E-mail: brunariechel@hotmail.com (2) Graduada em Farmácia pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões- campus Santo Ângelo/RS. E-mail: leticia.dahmer@hotmail.com (3) Farmacêutico. Mestre em Farmácia. Departamento Ciências da Saúde. Professor nos cursos de Farmácia e Enfermagem da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, campus Santo Ângelo/RS. E-mail: tiagofarm@gmail.com (4) Doutora em Enfermagem. Professora dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, campus Santo Ângelo/RS. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Enfermagem, Saúde e Educação - URISAN/RS. E-mail: rfontana@santoangelo.uri.br

 

Cómo citar este documento:
Strehlow, Bruna Riechel; Dahmer, Letícia; Oliveira, Tiago Bittencourt de; Fontana, Rosane Teresinha. Percepção dos usuários sobre os grupos de educação em saúde do pet - vigilância em saúde. R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-. 2016 abr-jun, 8(2). En: <http://www.index-f.com/pesquisa/2016/84243.php> Consultado el

 

Resumo

Objetivo: descrever as percepções dos usuários acerca dos grupos de educação em saúde do PET Vigilância em Saúde. Método: os dados foram coletados, durante o primeiro semestre de 2014, mediante entrevistas com usuários hipertensos e/ou diabéticos dos grupos de educação em saúde realizados em um município no Noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Os dados foram analisados por meio de técnica de análise do conteúdo das falas, na modalidade de análise de temática. Os resultados foram agrupados em categorias de análise. Resultados: constatou-se que os participantes avaliam as atividades como boas ou muito boas. Conclusão: a educação em saúde para a prevenção das complicações destas patologias assim como investimentos do setor da saúde em ações para estes usuários são estratégias para alcançar uma melhor qualidade de vida.
Descritores: Educação em saúde/ Hipertensão/ Diabetes mellitus/ Atenção primária à saúde/ Pesquisa qualitativa.
 

Resumen
Percepción de usuarios sobre grupos de educación para la salud pet - vigilancia en salud

Objetivo: describir las percepciones de los usuarios acerca de los grupos de PET educación para la salud. Método: los datos fueron recolectados durante el primer semestre de 2014, a través de entrevistas con los usuarios hipertensos y/o diabéticos de grupos de educación para la salud llevado a cabo en un municipio en el noroeste del estado de Rio Grande do Sul. Los datos fueron analizados utilizando la técnica de análisis del contenido de las intervenciones, en forma de análisis temático. Los resultados se agruparon en categorías para el análisis. Resultados: se encontró que los participantes evalúan las actividades como buenas o muy buenas. Conclusión: la educación sanitaria para la prevención de las complicaciones de estos trastornos, así como las inversiones en las acciones del sector de la salud hacia estos usuarios son las estrategias para lograr una mejor calidad de vida.
Descriptores: Educación para la salud/ Hipertensión/ Diabetes mellitus/ Atención primaria de la salud/ Investigación cualitativa.
 

Abstract
Patients´ perception of groups on health education of pet health surveillance

Objective: to describe the perceptions of patients about groups of health education PET - Health Surveillance. Method: data were collected during the first half of 2014, through interviews with hypertensive and/or diabetics patients from the groups of health education conducted in a municipality in the northwest of the state of Rio Grande do Sul. Data were analyzed using analysis technique of the content of the interventions, by thematic analysis. The results were grouped into categories for analysis. Results: it was found that participants assess the activities as good or excellent. Conclusion: health education for the prevention of the complications of these disorders, as well as investments in the health sector actions toward these users, are strategies for achieving a better quality of life.
Descriptors: Health education/ Hypertension/ Diabetes mellitus/ Primary health care/ Qualitative research.
 

Referências

1. Colome JS, Oliveira DLLC. Educação em saúde: por quem e para quem? A visão de estudantes de graduação em enfermagem. Texto & contexto enferm. 2012; 21(1):177-84.

2. Figueiredo MFS, Rodrigues Neto JF, Leite MTS. Educação em saúde no contexto da Saúde da Família na perspectiva do usuário.Interface comum.saúde educ. 2012; 16(41):315-32.

3. Cervera DPP, Parreira BDM, Goulart BF. Educação em saúde: percepção dos enfermeiros da atenção básica em Uberaba (MG). Ciênc. saúde Coletiva. 2011; 16(1):1547-54.

4. Fontana RT, Brum ZP, Santos AV. Health education as a strategy for healthy sexuality. Rev. pesqui. cuid. fundam. (online). 2013; 5(4):529-36.

5. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Editora Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: < http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_36.pdf>. Acesso em 8 mai. 2013.

6. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Sistema nacional de vigilância em saúde: relatório de situação: Rio Grande do Sul / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. 5. ed. Brasília: Editora Ministério da Saúde, 2011.

7. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Departamento de Hipertensão Arterial. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Rev. bras. hipertens. 2010. 17(1): 1-64.

8. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Editora Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: < http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_37.pdf >.

9. Rodrigues D, Dos Santos VE. A educação em Saúde na Estratégia Saúde da Família: uma revisão bibliográfica das publicações científicas no Brasil. J. Health Sci. Inst. 2010. 28 (4): 321-24.

10. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria Interministerial n. 1.802, de 26 de agosto de 2008. Ministério da Saúde, Brasília, DF, 2008. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/pri1802_26_08_2008.html>.

11. Polit D, Beck CT, Sales DR. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. 7ª ed. Porto Alegre (RS): Artes Médicas; 2011.

12. ¬¬Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2010.

13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Disponível em: <http://censo2010.ibge.gov.br/>.

14. Rena LCCB. Educação em saúde: construindo uma pedagogia do cuidado na escola pública. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo. In: I Congresso Internacional de Pedagogia Social. 2006. Mar. Universidade de São Paulo; São Paulo (SP), Brasil. Disponível em: < http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?pid=MSC0000000092006000100029&script=sci_abstract>.

15. Brandão CR, Círculo de Cultura. In: Streck RD, Redin E, Zitkoski JJ, editores. Dicionário Paulo Freire. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; 2010.

16. Fernandes MCP, Backes VMS. Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde da Família sob a óptica de Paulo Freire. Rev. bras. enferm. 2010. 63(4): 567-73.

17. Lacerda WA, Santiago IMFL. A participação popular na gestão local do Programa Saúde da Família em Campina Grande, Paraíba. Rev. Katálysis. 2007. 10 (2): 197-205.

18. Tavares DMS, Dias FA, Munari DB. Qualidade de vida de idosos e participação em atividades educativas grupais. Acta paul. enferm. 2012. 25 (4): 601-06.

19. Fior CA, Mercuri E. Formação universitária e flexibilidade curricular: importância das atividades obrigatórias e não obrigatórias. Psicol. educ. 2009. 29: 191-215.

20. Torres HC, Franco LJ, Stradioto MA, Hortale VA, Schall VT. Avaliação estratégica de educação em grupo e individual no programa educativo em diabetes. Rev. Saúde Pública, 2009. 43 (2): 291-98.

21. Santos LM, Da Ros MA, Crepaldi MA, Ramos LR. Grupos de promoção à saúde no desenvolvimento da autonomia, condições de vida e saúde. Rev. Saúde Pública. 2006. 40 (2): 346-52.

22. Figueiredo MFS, Rodrigues Neto JF, Leite MTS. Modelos aplicados às atividades de educação em saúde. Rev. bras. enferm. 2010. 63 (1): 117-21.

23. Freire P. Pedagogia do oprimido. 12ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1983.

24. Brum ZP, Fontana RTF. A educação em saúde fundamentada em Paulo Freire: uma reflexão sobre as práticas do enfermeiro. In Anais do XVI Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire. Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, 2014 mai 22-24; Santo Ângelo (RS), Brasil. Rio Grande do Sul; 2014. p. 130-138.

25. Tahan J, Carvalho ACD. Reflexões de idosos participantes de grupos de promoção de saúde acerca do envelhecimento e da qualidade de vida. Saúde Soc. 2010. 19 (4): 878-88.

26. Fernandes MTO, Silva LB, Soares SM. Utilização de tecnologias no trabalho com grupos de diabéticos e hipertensos na Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva. 2011. 16 (1): 1331-40.

27. Monteiro MM, Figueiredo VP, Machado MFAS. Formação do vínculo na implantação do Programa Saúde da Família numa Unidade Básica de Saúde. Rev. esc. enferm. USP. 2009. 43 (2): 358-64.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería