ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2017 v26n4 r26408p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Reconhecimento em axel honneth: contribuições à pesquisa em saúde

Monika Wernet,1 Débora Falleiros de Mello,2 José Ricardo de Carvalho Mesquita Ayres3
1 Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, São Paulo, Brasil. E-mail: monika.wernet@gmail.com 2 Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. E-mail: defmello@eerp.usp.br 3 Doutor em Medicina. Professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo. São Paulo, São Paulo, Brasil. E-mail: jrcayres@usp.br

Recebido: 24 de fevereiro de 2017
Aprovado: 29 de agosto de 2017

 

 

 

Cómo citar este documento

Wernet, Monika; Mello, Débora Falleiros de; Ayres, José Ricardo de Carvalho Mesquita. Reconhecimento em axel honneth: contribuições à pesquisa em saúde. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2017, 26(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2017/26408p.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: sistematizar as potencialidades e desafios da Teoria do Reconhecimento, de Axel Honneth, e refletir sobre eles como subsídio às pesquisas em saúde. Método: trata-se de artigo de reflexão que toma o potencial da incorporação da categoria reconhecimento na propositura honnethiana para pesquisa, compreensão, exercício e gestão do cuidado em saúde. Resultados: o processo de reconhecimento favorece a exploração e a compreensão das relações de poder e respeito, sobretudo em termos do conflito a elas circunscrito. Dessa forma, indica subsídios para diagnósticos e núcleos estruturantes para a superação de práticas opressivas e desiguais, com desdobramentos para lidar com situações de insegurança, fragilidades na autoestima e vulnerabilidades nas interações entre os sujeitos, que configuram desafios contemporâneos. Conclusão: na exploração científica do cuidado, gestão e políticas públicas em saúde, este referencial teórico pode auxiliar na visibilidade do contexto e seus nós críticos, para favorecer a autonomia e a dignidade humana, relevantes para as relações interpessoais nos processos de cuidado, com contribuições profícuas à qualificação da atenção à saúde.
Descritores: Cuidado em saúde/ Integralidade em saúde/ Reconhecimento social/ Pesquisa/ Medidas, métodos e teorias.
 

Resumen
Reconocimiento en axel honneth: contribuciones a la investigación en salud

Objetivo: sistematizar las potencialidades y desafíos de la Teoría del Reconocimiento, de Axel Honneth, y reflexionar sobre ellos como subsidio a las investigaciones en salud. Método: se trata de un artículo de reflexión que toma el potencial de la incorporación de la categoría reconocimiento en la proposición honnethiana para investigación, comprensión, ejercicio y gestión del cuidado en salud. Resultados: el proceso de reconocimiento favorece la explotación y la comprensión de las relaciones de poder y respeto, sobre todo en términos del conflicto circunscrito. De esta forma, indica subsidios para diagnósticos y núcleos estructurantes para la superación de prácticas opresivas y desiguales, con desdoblamientos para lidiar con situaciones de inseguridad, fragilidades en la autoestima y vulnerabilidades en las interacciones entre los sujetos, que configuran desafíos contemporáneos. Conclusión: en la exploración científica del cuidado, gestión y políticas públicas en salud, este referencial teórico puede auxiliar en la visibilidad del contexto y sus nudos críticos, para favorecer la autonomía y la dignidad humana, relevantes para las relaciones interpersonales en los procesos de cuidado, con contribuciones para la cualificación de la atención a la salud.
Descriptores: Cuidado en salud/ Integralidad en salud/ Reconocimiento social/ Investigación/ Medidas, métodos y teorías.
 

Abstract
Recognition in axel honneth: contributions to research in health care

Objective: to systematize the strengths and challenges of Axel Honneth's Theory of Recognition, and to reflect on these as support for research in health care. Method: this is a reflection article which considers the potential of incorporating the category of recognition in the Honnethian proposition for research, understanding, exercising of practice and management of health care. Results: the process of recognition promotes the exploration and understanding of relations of power and respect, above all in terms of conflict which are ascribed to these. As a result, it indicates support for diagnoses and structuring nuclei for overcoming oppressive and unequal practices, with consequences for dealing with situations of insecurity, weaknesses in self-esteem and vulnerabilities in the interactions between the subjects, which are configured as contemporary challenges. Conclusion: in the scientific exploration of care, management and public policies in health, this theoretical framework can assist in the visibility of the context and in its critical knots, in order to promote autonomy and human dignity, which are relevant for the interpersonal relations in the processes of care, with fruitful contributions to the qualification of the health care.
Descriptors: Health care/ Integrality in health/ Social recognition/ Research/ Measurements, methods and theories.
 

Referências

1. Ayres JRCM. Cuidado e humanização das práticas de saúde. In: Deslandes SF. (Org.). Humanização dos cuidados em saúde: conceitos, dilemas e práticas. 2a reimpressão. 1a. ed. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2011. p. 49-83.
2. Schraiber LB. O médico e suas interações: a crise dos vínculos de confiança. São Paulo: Hucitec; 2008.
3. Paim JS, Silva LMV. Universalidade, integralidade, equidade e SUS. Bol. Inst. Saúde. 2010; 12(2):109-14.
4. Flink M, Öhlén G, Hansagi H, Barach P, Olsson M. Beliefs and experiences can influence patient participation in handover between primary and secondary care-a qualitative study of patient perspectives. BMJ Qual Saf. 2012; 21(Suppl 1):76-83.
5. Honneth A. The I in we: studies in the theory of recognition. Cambridge: Polity Press; 2012.
6. Honneth A. Luta por reconhecimento. A gramática moral dos conflitos sociais. 2.ed. São Paulo: Ed.34; 2009.
7. Carmo LFL. A aplicação conceitual da luta por reconhecimento na saúde. Revista Desenvolvimento Social. 2015;14(1):5-13.
8. Ayres JRCM. Integralidade do cuidado, situações de aprendizagem e o desafio do reconhecimento mútuo. In: Pinheiro R, Lopes TC (Orgs.). Ética, técnica e formação: as razões do cuidado como direito à saúde. Rio de Janeiro: CEPESC/IMS-UERJ/Abrasco; 2010, p. 123-36.
9. Schumacher AA, Puttini RF, Nojimoto T. Vulnerabilidade, reconhecimento e saúde da pessoa idosa: autonomia intersubjetiva e justiça social. Saúde debate. 2013; 37(97):281-93.
10. Mendonça RF. Recognition and social esteem: a case study of the struggles of people affected by leprosy. Political studies. 2011; 59:940-58.
11. Wernet M, Ayres JRCM, Viera CS, Leite AM, Mello DF. Reconhecimento materno na Unidade de Cuidado Intensivo Neonatal. Rev Bras Enferm. 2015; 68(2):228- 34.
12. Mello CHMS. A valorização dos aspectos culturais da população como estratégia para melhorar a adesão da comunidade às ações de promoção de saúde e prevenção de doenças. Revista Aurora. 2012; 5:9-24.
13. Mendonça RF. What if the forms of recognition contradict each other? The case of the struggles of people affected by leprosy in Brazil. Constellations. 2014; 21(1):33-49.
14. Morken T, Alsaker K, Johansen IH. Emergency primary care personnel's perception of professionalpatient ineraction in aggressive incidentes - a qualitative study. BMC Family Practice. 2016;17:54.
15. Carvalho BG, Peduzzi M, Ayres JRCM. Concepções e tipologias de conflitos entre trabalhadores e gerentes no contexto da atenção básica no Sistema Único de Saúde (SUS). Cad. Saúde Publica. 2014; 30(7):1453-62.
16. Mendonça RF. Dimensão intersubjetiva da autorealização. Em defesa da teoria do reconhecimento. RBCS. 2009;24(70):143-54.
17. Ricoeur P. Percurso do reconhecimento. São Paulo: Ed. Loyola; 2006.
18. Saavedra GA; Sobottka EA. Introdução à teoria do reconhecimento de Axel Honneth. Civitas. 2008; 8(1):9-18.
19. Ravagnani HB. Luta por reconhecimento: a filosofia social do jovem Hegel segundo Honneth. Kinesis. 2009;1(1):39-57.
20. Bunchaft ME. Habermas e Honneth: leitores de Mead. Sociologias. 2014; 16(36):144-79.
21. Salvador M. Honneth, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Conjectura. 2011;16(1):189-92.
22. Rosenfield CL, Saavedra GA. Reconhecimento, teoria crítica e sociedade: sobre desenvolvimento da obra de Axel Honneth e os desafios da sua aplicação no Brasil. Sociologias. 2013; 15(33):14-54.
23. Neto Araújo JAC. A filosofia do reconhecimento: as contribuições de Axel Honneth a essa categoria. Kínesis. 2013; 5(9):52-69.
24. Ayres JRCM. Para comprender el sentido práctico de las acciones de salud: contribuciones de la Hermenéutica Filosófica. Salud Colectiva. 2008; 4(2):159-172.
25. Winnicott DW. Natureza humana. Rio de Janeiro: Imago; 1990.
26. Paiva V, Ayres JRCM, Buchalla CM, (organizadores.). Vulnerabilidade e Diretos humanos: prevenção e promoção da saúde. Vol I. Da Doença à cidadania. Curitiba: Juruá, 2012.
27. Gruskin S, Grondin MA, Annas GJ, Marks SP. Perspectives on health and human rights. New York: Routledge; 2005.
28. Ayres JRCM, Paiva V, França Jr. I. From Natural History of Disease to vulnerability: changing concepts and practices in contemporary Public Health. In: Parker R, Sommer M, editors). Routledge Handbook in Global Public Health. New York: Routledge; 2011, p. 98-107.
29. Saletti Fo CS. Cuidado e criatividade no contínuo da vulnerabilidade: contribuições para uma fenomenologia hermenêutica da atenção à saúde [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina; 2007.
30. Bertolozzi MR, Nichiata LYI, Takahashi RF, Ciosak SI, Hino P, Val LF, Guanillo MCTU, Pereira EG. Os conceitos de adesão e vulnerabilidade na Saúde Coletiva. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(Esp 2): 1326-30.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería