ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2017 v26n1 r26105p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Identidade profissional da enfermagem nos textospublicados na REBEn

Adriana de Lima Pimenta,1 Maria de Lourdes de Souza2
1
Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PEN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. E-mail: adricorpoanalise@hotmail.com 2Doutora em Saúde Pública. Docente do PEN/UFSC. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. E-mail: repensul@uol.com.br

Recebido: 21 de outubro de 2015
Aprovado: 05 de maio de 2016

 

 

 

Cómo citar este documento

Pimenta, Adriana de Lima; Souza, Maria de Lourdes de. Identidade profissional da enfermagem nos textospublicados na REBEn. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2017, 26(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2017/26105p.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: analisar o conteúdo da produção científica publicada na Revista Brasileira de Enfermagem sobre a identidade profissional da enfermagem. Método: Adotou-se metodologia de natureza qualitativa, com análise de conteúdo. O corpus da pesquisa foi constituido por textos publicados na Revista Brasileira de Enfermagem, de 1983 e 2012, resultando em 55 artigos selecionados. Resultados: A análise foi construída tomando-se em consideração proposições teóricas da Sociologia das Profissões, em Eliot Freidson. Conclui-se que os textos publicados na Revista mostram inadequação teórica da matriz analítica da profissão de enfermagem. Conclusão: são necessários estudos teóricos sobre a profissão de enfermagem para subsidiar proposições condizentes com a complexidade de seus conflitos e sua superação.
Descritores: Sociologia/ Ocupações/ Enfermagem/ Autonomia profissional/ Papel do profissional de enfermagem.
 

Resumen
Identidad profesional de enfermerÍa en los textos publicados por la REBEn

Objetivo: analizar la identidad profesional de enfermería en los textos publicados en la Revista Brasileña de Enfermería. Método: Se desarrolló una metodología de naturaleza cualitativo con análisis de contenido. El cuerpo del investigación fue la producción científica publicada en la Revista Brasileña de Enfermería, de 1983 a 2012, com 55 artículos seleccionados. Resultados: El análisis se construyó teniendo en cuenta la Sociología de las Profesíones en Eliot Freidson. Llegamos a la conclusión de que hay textos con una inadecuación teórica en el marco analítico de la profesión de enfermería. Conclusión: son necesarios estudios teóricos sobre la profesión de enfermería para apoyar propuestas acordes con la complejidad de sus conflictos y su superación.
Descriptores: Sociología/ Ocupaciones/ Enfermería/ Autonomía profesional/ Rol de la enfermera.
 

Abstract
The professional identity of nursing in the papers published by REBEn

Objective: to analyze the content of scientific papers published in the Brazilian Journal of Nursing (REBEn) concerning the professional identity of nursing. Method:This qualitative study used content analysis. The study's corpus was composed of scientific papers published in REBEn from 1983 to 2012; 55 papers were selected. Results:The analysis considered the theoretical propositions of Eliot Freidson concerning the Sociology of Professions. Conclusion: The conclusion is that the papers published in REBEn reveal theoretical inadequacy in the analytical matrix of the nursing profession. Therefore, theoretical studies addressing the nursing profession are needed to support propositions consistent with the complexity of conflicts and how to overcome them.
Descriptors: Sociology/ Occupations/ Nursing/ Professional autonomy/ Nurse´s role.
 

Referências

1. Coutinho MC, Krawulski E, Soares DHP. Identidade e trabalho na contemporaneidade: repensando articulações possíveis. Psicol Soc. 2007;19(Esp1): 29-37.
2. Diniz M. Os donos do saber: profissões e monopólios profissionais. Rio de Janeiro (RJ): Revan; 2001.
3. Freidson E. Renascimento do profissionalismo: teoria, profecia e política. São Paulo (SP): Edusp; 1998.
4. Barros SMPF, Araujo MJS. Prática administrativa de enfermagem na rede de serviços de saúde. Rev Bras Enferm [Internet]. 1983 [cited 2013 Dec 13]; 36(3- 4):255-8. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v36n3-4/v36n3-4a05.pdf
5. Angerami ELS, Almeida MCP. De como o enfermeiro está inserido no seu "espaço". Rev Bras Enferm [Internet]. 1983 [cited 2013 Dec 13]; 36(2):123-9. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v36n2/v36n2a02.pdf
6. Coradini SR, Barbiani R. A profissional enfermeira frente as influências da evolução histórica da mulher. Rev Bras Enferm [Internet]. 1983 [cited 2013 Dec 13]; 36(3-4):246-54. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v36n3-4/v36n3-4a04.pdf
7. Barros MFRJ. As habilitações profissionais da área de enfermagem. Rev Bras Enferm [Internet]. 1985 [cited 2013 Dec 13]; 38(1):87-94. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v38n1/v38n1a12.pdf
8. Mendes DC. Assistência de enfermagem & administração de serviços de enfermagem: a ambiguidade funcional do enfermeiro. Rev Bras Enferm [Internet]. 1985 [cited 2013 Dec 13];38(3- 4):257-65. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v38n3-4/v38n3-4a06.pdf
9. Winck DR, Brüggemann OM. A responsabilidade legal do enfermeiro. Rev Bras Enferm [Internet]. 2010 [cited 2013 Dec 13]; 63(3):464-9. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n3/a19v63n3.pdf
10. Vieira TT, Oliva DSR. Novas abordagens no ensino de enfermagem fundamental: experiência docente no ensino da ética profissional. Rev Bras Enferm [Internet]. 1985 [cited 2013 Dec 13]; 38(2):191-6. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v38n2/v38n2a11.pdf
11. Carvalho AC. Associação Brasileira de Enfermagem 1926-1986. Rev Bras Enferm [Internet]. 1986 [cited 2013 Dec 13]; 39(1):7-12. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v39n1/v39n1a02.pdf
12. Oliveira MIR. Ética e legislação na enfermagem: comentários gerais. Rev Bras Enferm [Internet]. 1986 [cited 2013 Dec 13]; 39(1):67-70. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v39n1/v39n1a09.pdf
13. Feijo NM, Gigante RL. A formação do aluno de enfermagem e as atribuições do enfermeiro no programa de assistência à criança. Rev Bras Enferm [Internet]. 1986 [cited 2013 Dec 13]; 39(2-3):103-6. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v39n2-3/v39n2-3a18.pdf
14. Barros S, Forcella HT, Teixeira MB, Arantes EC. Ações de saúde mental do enfermeiro em Unidade Básica de Saúde. Rev Bras Enferm [Internet]. 1987 [cited 2013 Dec 13]; 40(2-3):102-5. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v40n2-3/v40n2-3a04.pdf
15. Bueno SMV, Vietta EP, Freitas DMV. Inserção do enfermeiro na profissão: uma abordagem relacional de sua formação com a vivência profissional. Rev Bras Enferm [Internet]. 1987 [cited 2013 Dec 13]; 40(2-3):157-66. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v40n2-3/v40n2-3a13.pdf
16. Lorenzetti J. A "nova" lei do exercício profissional da enfermagem: uma análise critica. Rev Bras Enferm[Internet]. 1987 [cited 2013 Dec 13]; 40(2-3):167-76. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v40n2-3/v40n2-3a14.pdf
17. Santos I, Souza AMA, Galvao EA. Subsídios para formulação de uma política de profissionalização para o pessoal de enfermagem sem qualificação específica. Rev Bras Enferm [Internet]. 1988 [cited 2013 Dec 13]; 41(1):75-80. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v41n1/v41n1a13.pdf
18. Capella BB, Gelbecke FL. Enfermagem: sua prática e organização. Rev Bras Enferm [Internet]. 1988 [cited 2013 Dec 13]; 41(2):132-9. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v41n2/v41n2a07.pdf
19. Capella BB, Faria EM, Gelbcke FL, Spricigo JS. Profissionalização da enfermagem: uma necessidade social. Rev Bras Enferm [Internet]. 1988 [cited 2013 Dec 13]; 41(2):161-8. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v41n2/v41n2a12.pdf
20. Subsídios para elaboração de uma proposta de currículo mínimo para a formação do enfermeiro. Rev Bras Enferm [Internet].1988 [cited 2013 Dec 13]; 41(3-4):179-82. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v41n3-4/v41n3-4a02.pdf
21. Castro IB. A evolução do setor saúde e a crise da enfermagem brasileira. Rev Bras Enferm [Internet]. 1988 [cited 2013 Dec 13]; 41(3-4):183-9. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v41n3-4/v41n3-4a03.pdf
22. Carvalho NA, Oliveira FVS. A produção do serviço de enfermagem na atual conjuntura de saúde: contribuição ao debate. Rev Bras Enferm [Internet]. 1990 [cited 2013 Dec 13]; 43(1-2-3-4):7-13. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v43n1-2-3-4/v43n1-2-3-4a02.pdf http://www.scielo.br/pdf/reben/v41n1/v41n1a13.pdf
23. Nascimento EMF. A enfermagem profissional moderna brasileira esta doente. Rev Bras Enferm [Internet]. 1991 [cited 2013 Dec 13]; 44(2-3):21-5. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v44n2-3/v44n2-3a04.pdf
24. Angerami CL, Mazzo A. Percepção dos alunos de enfermagem sobre a função administrativa do enfermeiro. Rev Bras Enferm [Internet]. 1991 [cited 2013 Dec 13]; 44(4):31-5. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v44n4/v44n4a06.pdf
25. Vieira ALS. Perfil do nível elementar de enfermagem no estado do Rio de Janeiro: caracterização da demanda para a profissão. Rev Bras Enferm [Internet]. 1992 [cited 2013 Dec 13]; 45(1):15-20. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v45n1/v45n1a04.pdf
26. Barreto TVS, Paulo JFV, Oliveira I, Araujo VAC. A prática de enfermagem em hospitais de Mossoró: da teoria à realidade. Rev Bras Enferm [Internet]. 1992 [cited 2013 Dec 13]; 45(1):60-73.Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v45n1/v45n1a10.pdf
27. Barros SMPF, Silva NF, Ferraz NMF, Castro ME, Silvva JFS, Teixeira C. Projeto político da enfermagem brasileira. Rev Bras Enferm [internet]. 1992 [cited 2013 Dec 13]; 45(2-3):98-104. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v45n2-3/v45n2-3a02.pdf
28. Medeiros LC, Tavares KM. O papel do enfermeiro hoje. Rev Bras Enferm [Internet]. 1997 [cited 2013 Dec 13]; 50(2):275-90. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v50n2/v50n2a11.pdf
29. Padilha MICS, Nazário NO, Moreira MC. A compreensão do ideário da enfermagem para a transformação da prática profissional. Rev Bras Enferm [Internet]. 1997 jul.set.[cited 2013 Dec 13]; 50(3):307-22. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v50n3/v50n3a02.pdf
30. Rodrigues AKC, Chaves CS, Moreira TMM, Varela ZMV. Associação Brasileira de Enfermagem: 70 anos de luta pela vida. Rev Bras Enferm [Internet]. 1997 [cited 2013 Dec 13]; 50(4):599-618. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v50n4/v50n4a14.pdf
31. Bezerra MM, Guerra DR, Guedes MVC. Atendente de enfermagem: por quê? até quando? Rev Bras Enferm [Internet]. 1998 [cited 2013 Dec 13]; 51(1):77-92. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v51n1/v51n1a07.pdf
32. V i e i r a A L S . E n f e r m e i r o s n o M E R C O S U L : regulamentação e controle do exercício profissional. Rev Bras Enferm [Internet]. 1998 [cited 2013 Dec 13]; 51(1):123-38. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v51n1/v51n1a10.pdf
33. Lacerda MR. Enfermagem: uma maneira própria de ser, estar, pensar e fazer. Rev Bras Enferm [Internet]. 1998 [cited 2013 Dec 13]; 51(2):207-16. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v51n2/v51n2a03.pdf
34. Ide CAC, Schneck CA. Desenvolvimento discente e identidade profissional de enfermagem: os sistemas de conceitos como mediadores do aprendizado. Rev Bras Enferm [Internet]. 1998 [cited 2013 Dec 13]; 51(3):403-16. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v51n3/v51n3a06.pdf
35. Dias LPM, Monticelli M, Nazário NO. Editoriais dourados da REBEn. Rev Bras Enferm [Internet]. 1998 [cited 2013 Dec 13]; 51(4):547-60. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v51n4/v51n4a02.pdf
36. Monticelli M. A força de trabalho em enfermagem e sua inserção no sistema de alojamento conjunto. Rev Bras Enferm [Internet]. 2000 [cited 2013 Dec 13]; 53(1):47-62. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v53n1/v53n1a07.pdf
37. Araujo Netto LFS, Ramos FRS. Cultura, identidade e trabalho: inter-relação de conceitos. Rev Bras Enferm [Internet]. 2000 [cited 2013 Dec 13]; 53(2):213-22. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v53n2/v53n2a06.pdf
38. Pires D. Reestruturação produtiva e consequências para o trabalho em saúde. Rev Bras Enferm [Internet]. 2000 [cited 2013 Dec 13]; 53(2):251-63. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v53n2/v53n2a10.pdf
39. Albuquerque GL, Pires DEP. O movimento participação (MP): uma contribuição à história da enfermagem brasileira. Rev Bras Enferm [Internet]. 2001 [cited 2013 Dec 13];54(2):174-84. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v54n2/v54n2a03.pdf
40. Oguisso T. História da legislação do exercício da enfermagem no Brasil. Rev Bras Enferm [Internet]. 2001 [cited 2013 Dec 13];54(2):197-207. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v54n2/v54n2a05.pdf
41. Costa IG, Gomes ELR. Saberes, estratégias, ideologias de enfermagem: reflexão baseada no estudo de Lopes. Rev Bras Enferm [Internet]. 2001 [cited 2013 Dec 13];54(4):645-50. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v54n4/v54n4a13.pdf
42. Barreira LA, Baptista SS. A (re)configuração do campo da enfermagem durante o estado novo (1937-1945). Rev Bras Enferm [Internet]. 2002 [cited 2013 Dec 13];55(2):205-16. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v55n2/v55n2a16.pdf
43. Araújo Netto LFS, Ramos FRS. Para compreender a identidade do enfermeiro: situando o objeto na produção científica da enfermagem. Rev Bras Enferm [Internet]. 2002 [cited 2013 Dec 13];55(5):580-5. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v55n5/v55n5a16.pdf
44. Nascimento ES, Santos GF, Caldeira VP, Teixeira VMN. Formação por competência do enfermeiro: alternância teoria-prática, profissionalização e pensamento complexo. Rev Bras Enferm [Internet]. 2003 [cited 2013 Dec 13]; 56(4):447-52. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v56n4/a30v56n4.pdf
45. Vale EG, Silva MJ. La Federación Panamericana de Profesionales de Enfermería: visión y proyecciones para el siglo XXI. Rev Bras Enferm [Internet]. 2004 [cited 2013 Dec 13];57(1):62-5. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v57n1/a13v57n1.pdf
46. Guimarães C, Carvalho VLS. Entidades representativas da enfermagem no Estado de Goiás: um relato histórico. Rev Bras Enferm [Internet]. 2005 [cited 2013 Dec 13];58(1):105-9. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n1/a21.pdf
47. Trevizan MA, Mendes IAC, Godoy S, Alves LMM, Rodriguez EL. Trajetória do enfermeiro em um hospital universitário em quatro décadas: pressupostos de inovação de seu papel gerencial. Rev Bras Enferm [Internet]. 2005 [cited 2013 Dec 13];58(2):200-2. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n2/a14.pdf
48. Gomes AMT, Oliveira DC. A representação social da autonomia profissional do enfermeiro na saúde pública. Rev Bras Enferm [Internet]. 2005 [cited 2013 Dec 13];58(4):393-8. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n4/a03v58n4.pdf
49. Hahn GV, Acker JIBV, Wagner AP, Trombini QA. Ensino de enfermagem em Lajeado, RS: resgate histórico. Rev Bras Enferm [Internet]. 2006 [cited 2013 Dec 13];59(5):666-74. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n5/v59n5a14.pdf
50. Bueno FMG, Queiroz MS. O enfermeiro e a construção da autonomia profissional no processo de cuidar. Rev Bras Enferm [Internet]. 2006 [cited 2013 Dec 13];59(2):222-7. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n2/a19.pdf
51. Gomes AMT, Oliveira DC. Espaço autônomo e papel próprio: representações de enfermeiros no contexto do binômio saúde coletiva-hospital. Rev Bras Enferm [Internet]. 2008 [cited 2013 Dec 13];61(2):178-85. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n2/a06v61n2.pdf
52. Campos PFS, Oguisso T. A Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo e a reconfiguração da identidade profissional da enfermagem brasileira. Rev Bras Enferm [Internet]. 2008 [cited 2013 Dec 13]; 61(6):892-8. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n6/a17v61n6.pdf
53. Erdmann AL, Fernandes JV, Melo C, Carvalho BR, Menezes Q, Freitas R, et al. A visibilidade da profissão de enfermeiro: reconhecendo conquistas e lacunas. Rev Bras Enferm [Internet]. 2009 [cited 2013 Dec 13]; 62(4):637-43. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n4/25.pdf
54. Pereira MJB, Fortuna CM, Mishima SM, Almeida MCP, Matumoto S. A enfermagem no Brasil no contexto da força de trabalho em saúde: perfil e legislação. Rev Bras Enferm [Internet]. 2009 [cited 2013 Dec 13]; 62(5):771-7. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n5/22.pdf
55. Kletemberg DF, Siqueira MTD, Mantovani MF, Padilha MI, Amante LN, Anders JC. O processo de enfermagem e a lei do exercício profissional. Rev Bras Enferm [Internet]. 2010 [cited 2013 Dec 13];63(1):26-32. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n1/v63n1a05.pdf
56. Borges MS, Silva HCP. Cuidar ou tratar? Busca do campo de competência e identidade profissional da enfermagem. Rev Bras Enferm [Internet]. 2010 [cited 2013 Dec 13]; 63(5):823-9. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n5/21.pdf
57. Almeida MCP, Mishima SM, Pereira MJB, Palha PF, Villa TCS, Fortuna CM, et al. Enfermagem enquanto disciplina: que campo de conhecimento identifica a profissão?. Rev Bras Enferm [Internet]. 2009 [cited 2013 Dec 13];62(5):748-52. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n5/17.pdf
58. Albuquerque GL, Pires D. A construção de uma nova forma de representação profissional: um desafio no "Projeto Político-Profissional da Enfermagem Brasileira". Rev Bras Enferm [Internet]. 2006 [cited 2013 Dec 13]; 59(2):228-32. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n2/a20.pdf
59. Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Ed. Setenta; 2011.
60. Severino AJ. Universidade, ciência e formação acadêmica. In: Severiano AJ, organizador. Metodologia do trabalho científico. 23ª ed. São Paulo: Cortez; 2007. p. 21-36.
61. Pereira EMA. A universidade da modernidade nos tempos atuais. Avaliação (Campinas) [Internet]. 2009 Mar [cited 2013 Dec 13];14(1):29-52. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/aval/v14n1/a03v14n1.pdf
62. Girardi SN, Seixas PH. Dilemas da regulação profissional na área de saúde: questões para um governo democrático e inclusionista. Formação. 2002;(5):30-43.
63. Brasil. Decreto n° 20.109, de 15 de junho de 1931. Regula o Exercício da Enfermagem no Brasil e fixa, as condições para a equiparação das escolas de enfermagem. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, de 15 jun 1931.
64. Brasil. Lei n° 2.604, de 17 de setembro de 1955. Regula o Exercício da Enfermagem Profissional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, de 17 set 1955. p.17.738.
65. Brasil. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, de 26 jun 1986 [cited 2012 Nov 12]. p. 9.273. Available from:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7498.htm
66. Brasil. Lei nº 8.967, de 28 de dezembro de 1994. Altera a redação do parágrafo único do Art. 23 da Lei n.º 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 29 Dec 1994. p. 20.829.
67. Pires DEP, Bellaguarda MLR, Zago AT, Matos E. Consolidação da legislação e ética profissional: Lei do Exercício Profissional. Florianópolis (SC): COREn/ SC/Quorum Comunicação; 2010.
68. Bellaguarda MLR, Padilha MI, Pires DEP. Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (1975- 1986): importância para a profissão. Texto Contexto Enferm [Internet]. [Ahead of print] 2015 [cited 2015 Aug 26] Epub 25-Ago-2015. Available from:
http://www.scielo.br/pdf/tce/2015nahead/pt_0104-0707-tce-2015003750013.pdf

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería