ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2017 v26n1 r26102p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Acolhimento com classificação de risco: percepções de usuários de uma unidade de pronto atendimento

João Lucas Campos de Oliveira,1 Ana Paula Gatti,2 Mayckel da Silva Barreto,3 José Aparecido Bellucci Junior,4 Herbert Leopoldo de Freitas Góes,5 Laura Misue Matsuda6
1
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PSE) da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Docente colaborador da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Cascavel, Paraná, Brasil. E-mail: enfjoaolcampos@yahoo.com.br 2Enfermeira. Maringá, Paraná, Brasil. E-mail: paulinhagatti@hotmail.com 3Doutorando do PSE/UEM. Docente da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari. Maringá, Paraná, Brasil. E-mail: mayckelbar@gmail.com 4Doutorando do PSE/UEM. Docente da Universidade Estadual do Norte do Paraná. Maringá, Paraná, Brasil. E-mail: bellucci@uenp.edu.br 5Doutor em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem da UEM. Maringá, Paraná, Brasil. E-mail: hlfgoes@uem.br 6Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem da UEM. Maringá, Paraná, Brasil. E-mail: lmmatsuda@uem.br

Recebido: 26 de maio de 2014
Aprovado: 11 de fevereiro de 2015

 

 

 

Cómo citar este documento

Oliveira, João Lucas Campos de; Gatti, Ana Paula; Barreto, Mayckel da Silva; Junior, José Aparecido Bellucci; Góes, Herbert Leopoldo de Freitas; Matsuda, Laura Misue. Acolhimento com classificação de risco: percepções de usuários de uma unidade de pronto atendimento. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2017, 26(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2017/26102p.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: apreender a percepção de usuários de uma unidade emergencial sobre o atendimento embasado no Acolhimento com Classificação de Risco. Método: estudo descritivo-exploratório, de abordagem qualitativa. Os dados foram coletados junto a 20 usuários por meio de entrevista gravada, norteada pela questão: Fale-me sobre o atendimento inicial, o acolhimento com classificação de risco, que o(a) Sr(a) recebeu nesta unidade. Resultados: realizou-se análise de conteúdo dos dados, modalidade temática, da qual resultaram duas categorias: A classificação de risco como vantagem no atendimento às emergências; e Discordância com a classificação de risco estabelecida pelos profissionais. Apesar de os usuários perceberem o Acolhimento com Classificação de Risco como meio que otimiza o atendimento em emergências, houve quem discordasse da classificação atribuída pelos profissionais. Conclusão: o Acolhimento com Classificação de Risco necessita de maior divulgação de seus objetivos visando a melhor aceitação de seus resultados pela sociedade, pois quando classificados como de menor prioridade, os usuários referem insegurança e insatisfação.
Descritores: Acolhimento/ Triagem/ Serviços médicos de emergência/ Enfermagem.
 

Resumen
Recepción con clasificación de riesgo: percepciones de los usuarios del atención de emergencia

Objetivo: aprehender la percepción de los usuarios de una unidad de emergencia en el Centro de recepción con Calificación de Riesgo. Metodo: estudio exploratorio descriptivo con abordaje cualitativo Se recolectaron datos de 20 usuarios a través de entrevistas grabadas, guiado por la pregunta: Coménteme sobre la recepción inicial con calificación de riesgo, que usted recibió en esta unidad. Resultados: se realizó análisis de contenido con la modalidad temática, lo que resultó en dos categorías: La clasificación de riesgo como una ventaja en la respuesta a emergencias y; desacuerdo con la clasificación de riesgo establecida por los profesionales. Aunque los usuarios percibieron la Recepción con Calificación de Riesgo como un medio para optimizar la atención de emergencia, se identificaron también algunos usuarios que no estuvieron de acuerdo con la calificación otorgada por los profesionales. Conclusión: el Recepción con Calificación de Riesgo requiere una mayor divulgación de sus objetivos con el fin de mejorar la aceptación de sus resultados por parte de la sociedad, porque cuando se ha clasificado con una prioridad más baja, los usuarios refieren inseguridad e insatisfacción.
Descriptores: Acogimiento/ Triaje/ Servicios médicos de urgencia/ Enfermería.
 

Abstract
User embracement with risk classification: perceptions of the service users of an emergency care unit

Objective: to investigate the perception of service users of an emergency unit, regarding attendance based in User Embracement with Risk Classification. Method: his descriptive-exploratory study, with a qualitative approach. The data were collected from 20 service users through an audiorecorded interview, guided by the following question: Tell me about your initial attendance, the user embracement with risk classification, which you received in this unit. Results: content analysis was undertaken with the data in thematic modality, from which two categories resulted: Risk classification as an advantage in attending emergencies; and Disagreement with the risk classification established by the professionals. Although the service users perceived User Embracement with Risk Classification as a measure which optimizes attendance in emergencies, some users disagreed with the classification made by the professionals. Conclusion: the objectives of User Embracement with Risk Classification need to be better publicized, with a view to the better acceptance of its results by society, as when classified as being of lower priority, the service users mention feeling unsafe and dissatisfied.
Descriptors: User embracement/ Triage/ Emergency medical servise/ Nursing.
 

Referências

1. O'Dwyer G, Oliveira SP, Seta MH. Avaliação dos serviços hospitalares de emergência do programa QualiSUS. Cienc Saúde Colet. 2009; 14(5):1881-90.
2. Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 2.648, de 7 de novembro de 2011. Dispõe sobre as diretrizes para implantação do componente Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) e do conjunto de serviços de urgência 24 h da Rede de Atenção às Urgências, em conformidade com a Política de Atenção às Urgências. Brasília. [Internet] 2011 [[cited 2014 Jan 18]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2648_07_11_2011.html
3. Jorge VC, Barreto MS, Ferrer ALM, Santos EAQ, Rikkli HC, Marcon SS. Equipe de enfermagem e detecção de indicadores de agravamento em pacientes de prontosocorro. Esc Anna Nery. 2012; 16(4)767-74.
4. Garlet ER, Lima MADS, Santos JLG, Marques GQ. Organização do trabalho de uma equipe de saúde no atendimento ao usuário em situações de urgência e emergência. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):266-72.
5. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência. Brasília (DF): MS; 2009.
6. Zanellatto DM, Dal Pai D. Práticas de acolhimento no serviço de emergência: a perspectiva dos profissionais de enfermagem. Ciênc Cuid Saúde. 2010; 9(2):358-65.
7. Costa MAR, Cambiriba MS. Acolhimento em enfermagem: a visão do profissional e a expectativa do usuário. Ciênc Cuid Saúde. 2010; 9(3):494-502.
8. Pinto Júnior D, Salgado PO, Chianca TCM. Predictive validity of the Manchester Triage System: evaluation of outcomes of patients admitted to an emergency department. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet] 2012 [cited 2017 Set 29]; 20(6):1041-7. Available from:http://www.scielo.br/pdf/rlae/v20n6/05.pdf
9. Bellucci Junior JA, Matsuda LM. Implantação do Programa Acolhimento com Classificação e Avaliação de Risco e uso do Fluxograma Analisador. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2012 [cited 2014 Jan 18]; 21(1):217-25. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n1/a25v21n1.pdf
10. Nonnenmacher CL, Weiller TH, Oliveira SG. Opiniões de usuários de saúde sobre o acolhimento com classificação de risco. Rev Eletr Enf [Internet]. 2012 [cited 2014 Jan 18]; 14(3):541-9. Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/v14/n3/v14n3a10.htm.
11. Vituri DW, Inoue KC, Bellucci Junior JA, Oliveira CA, Rossi RM, Matsuda LM. Welcoming with risk classification in teaching hospitals: assessment of structure, process and result. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet] 2013 [cited 2014 Jan 18]; 21(5):1179-87. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n5/0104-1169-rlae-21-05-1179.pdf
12. Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo (SP): Edições 70; 2011.
13. Martins HS, RA Brandão Neto, A Scalabrini Neto, I Velasco. Emergências clínicas - abordagem prática. 9ª ed. São Paulo (SP): Manole; 2014.
14. Pena MM, Melleiro MM. Degree of satisfaction of users of private hospital. Acta Paul. Enferm. 2012; 25(2):197-203.
15. Neto GV. Organização e funcionamento dos serviços de saúde - pronto socorro. In: Neto GV, Malik AM. Gestão em saúde. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2012.
16. Ulbrich EM, Mantovani MF, Balduino AF, Reis BK. Protocolo de enfermagem em atendimento emergencial: subsídio para o acolhimento às vítimas. Cogitare Enferm. 2010; 15(2):286-92.
17. Guedes MVC, Henriques ACPT, Lima MMN. Acolhimento em um serviço de emergência: percepção dos usuários. Rev Bras Enferm. 2013; 66(1):31-7.
18. Zem KKS, Montezeli JH, Peres AM. Acolhimento com Classificação de Risco: concepção de enfermeiros de um pronto socorro. Rev Rene. 2012. 13(4):899-908.
19. Coutinho AAP, Cecílio LCO, Mota JAC. Classificação de risco em serviços de emergência: uma discussão da literatura sobre o sistema de triagem de Manchester. Rev Med Minas Gerais. 2012; 22(2):188-98.
20. Fernandes FSL, Lima BS, Ribeiro MN. Welcoming with risk classification in the Hospital São Paulo's emergency department. Acta Paul Enferm. 2012. 25(Spe 2):164-8.
21. Souza RS, Bastos MAR. Acolhimento com classificação de risco: o processo vivenciado por profissional enfermeiro. Rev Min Enferm. 2008; 12(4):581-6.
22. Acosta AM, Duro CLM, Lima MADS. Atividades do enfermeiro nos sistemas de triagem/classificação de risco nos serviços de urgência: revisão integrativa. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(4):181-90.
23. Rossaneis MA, Haddad MCL, Borsato FG, Vannuchi MO, Sentone ADD. Caracterização do atendimento após implantação do acolhimento, avaliação e classificação de risco em hospital público. Rev Eletr Enferm [Internet] 2011 [cited 2014 Jan 18]; 13(4):648-56.
24. Souza CC, Toledo AD, Tadeu LFR, Chianca TCM. Classificação de risco em pronto-socorro: concordância entre um protocolo institucional brasileiro e Manchester. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet] 2011 [cited 2014 Jan 18]; 19(1):[08 telas] Available from: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n1/pt_05.pdf

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería