ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2016 v25n4 r25429p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Violência De Gênero: Representações Sociais De Familiares

Vanda Palmarella Rodrigues,1 Juliana Costa Machado,2 Washington da Silva Santos,3 Maria de Fátima de Souza Santos,4 Normélia Maria Freire Diniz5
1Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Saúde II da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Jequié, Bahia, Brasil. 2Mestre em Enfermagem e Saúde. Professora do Departamento de Saúde II da UESB. Jequié, Bahia, Brasil. 3Doutorando em Memória: Linguagem e Sociedade. Professor do Departamento de Saúde I da UESB. Jequié, Bahia, Brasil. 4Doutora em Psicologia. Professora da Universidade Federal de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil. 5Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da UFBA. Salvador, Bahia, Brasil

Recebido: 27 de junho de 2015
Aprovado: 08 de dezembro de 2015

*Texto extraído da tese - Representações sociais de familiares sobre a violência de gênero, apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em 2015. Bolsa Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB)

 

 

 

Cómo citar este documento

Rodrigues, Vanda Palmarella; Machado, Juliana Costa; Santos, Washington da Silva; Santos, Maria de Fátima de Souza; Diniz, Normélia Maria Freire. Violência De Gênero: Representações Sociais De Familiares. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2016, 25(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2016/25429p.php> Consultado el

Resumo

Analisou-se as representações sociais de familiares sobre a violência de gênero. Pesquisa qualitativa fundamentada na Teoria das Representações Sociais. Participaram do teste de associação livre de palavras 81 familiares de mulheres em situação de violência de gênero cadastrados em Unidades de Saúde da Família de Jequié, Bahia. Os dados foram submetidos à análise fatorial de correspondência no software Tri deux mots. A representação de familiares sobre a violência de gênero encontra-se ancorada nas relações desiguais de gênero, observadas na hierarquia das relações sociais estabelecidas entre a mulher e o homem, legitimando a violência de gênero. Os familiares mais jovens destacaram atitudes machistas e os de 40 anos ressaltaram o papel cuidador da mulher. As pessoas da religião evangélica enfatizaram a subalternidade da mulher e os de outras religiões, o sofrimento. Ressalta-se a necessidade de implementação de ações dos serviços de saúde no enfrentamento da violência, considerando essas representações.
Descritores: Violência contra a mulher/ Saúde da família/ Gênero e saúde/ Enfermagem.
 

Abstract
Gender Violence: Social Representations Of Relatives

This study aimed at analyzing the social representations of gender violence by family members. A qualitative study based upon the Theory of Social Representations. The free word association test was undertaken by 81 relatives of women who suffered gender violence registered in Family Health Units of Jequié, Bahia. The data were submitted to correspondence factorial analysis in the Tri-deuxmots software. The relatives' representation of gender violence is rooted in unequal gender relations observed in the hierarchy of social relations between the man and the women, which legitimizes gender violence. Younger relatives highlighted the sexist attitudes while those aged 40 years and older highlighted the role of women as caregivers. Evangelical relatives emphasized the subordination of women while relatives who follow other religions emphasized the suffering. We emphasize the need to implement actions to address violence considering these representations in the healthcare services.
Descriptors: Violence against women/ Family health/ Gender and health/ Nursing.
 

Resumen
Violencia De Género: Representaciones Sociales De Los Familiares

Se objetivó analizar las representaciones sociales de familiares sobre la violencia de género. Investigación cualitativa fundamentada en la Teoría de las Representaciones Sociales. Participaron en el test de asociación libre de palabras 81 familiares de mujeres en situación de violencia de género inscritos en Unidades de Salud de la Familia de Jequié, Bahía. Los datos fueron sometidos a análisis factorial de correspondencia en el software Tri deux mots. La representación de familiares sobre la violencia de género se encuentra anclada en las relaciones desiguales de género, observadas en la jerarquía de las relaciones sociales establecidas entre la mujer y el hombre legitimando la violencia de género. Los familiares más jóvenes destacaron actitudes machistas y los de 40 años resaltaron el papel cuidador de la mujer. La gente de la religión evangélica enfatizó el papel subalterno de la mujer y otras religiones, el sufrimiento. Resaltamos la necesidad de implementación de acciones en los servicios de salud no enfrentamiento de la violencia, considerando esas representaciones.
Descriptores: Violencia contra la mujer/ Salud de la familia/ Género y salud/ Enfermería.
 

Referências

1. Bandeira LM. Violência de gênero: a construção de um campo teórico e de investigação. Soc Estado. 2014 Mai-Ago; 29(2):449-69.

2. Stöckl H, Devries K, Rotstein A, Abrahams N, Campbell J, Watts C, et al. The global prevalence of intimate partner homicide: a systematic review. Lancet [Internet]. 2013 [cited 2014 Dec 05]; 382(9895):859-65. Available from: http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(13)61030-2/fulltext

3. Silva MCM, Brito AM, Araujo AL. Caracterização dos casos de violência física, psicológica, sexual e negligências notificados em Recife, Pernambuco, 2012. Epidemiol Serv Saúde. 2013 Jul-Set; 22(3):403-12.

4. Bourdieu P. A dominação masculina. 11ª Rio de Janeiro (RJ): Bertrand Brazil; 2012.

5. Scott J. Gênero: uma categoria útil para a análise histórica. Educ Realidade. 1995 Jul-Dez; 20(2):71-99.

6. Almeida LR, Silva ATMC, Machado LS. O objeto, a finalidade e os instrumentos do processo de trabalho em saúde na atenção à violência de gênero em um serviço de atenção básica. Interface. 2014 Jan-Mar; 18(48):47-59.

7. Rocha-Coutinho ML. Transmissão geracional e família na contemporaneidade. In: Barros ML, organizadora. Família e gerações. Rio de Janeiro (RJ): FGV; 2006.

8. Moscovici S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Trad Pedrinho A Guareschi. 9ª ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2012.

9. Cibois P. L'analyse factorielle. Paris (FR): PUF, Collecion "Que sais-je?"; 1995.

10. Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo (SP): Edições 70; 2011.

11. Silva POM, Trindade ZA, Silva Junior A. As representações sociais de conjugalidade entre casais recasados. Estud Psicol. 2012 Set-Dez; 17(3):435-43.

12. Saffioti HIB. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo (SP): Fundação Perseu Abramo; 2004.

13. Leites GT, Meneghel SN, Hirakata VN. Homicídios femininos no Rio Grande do Sul, Brazil. Rev Bras Epidemiol. 2014 Jul-Set; 17(3):642-53.

14. Silva EB, Padoin SMM, Vianna LAC. Violence against women and care practice in the perception of the health professionals. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2015 Jan-Mar [cited 2015 Dec 18]; 24(1):229-37. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072015000100229&lng=en&nrm=iso&tlng=en

15. Jovchelovitch S. Os contextos do saber: representações, comunidade e cultura. Trad Pedrinho A Guareschi. Petrópolis (RJ): Vozes; 2008.

16. Rodrigues VP, Machado JC, Simões AV, Mendes VMMP, Paiva MS, Diniz, NMF. Prática de trabalhadora(e)s de saúde na atenção às mulheres em situação de violência de gênero. Texto Contexto Enferm. 2014 Jul-Set; 23(3):735-46.

17. Vieira LB, Cortes LF, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC, Terra MG. Abuso de álcool e drogas e violência contra as mulheres: denúncias de vividos. Rev Bras Enferm. 2014 Mai-Jun; 67(3):366-72.

18. Vieira LB, Padoin SMM, Oliveira IES, Paula CC. Intencionalidades de mulheres que decidem denunciar situações de violência. Acta Paul Enferm. 2012 Mai- Jun; 25(3):423-9.

19. Machado JC, Rodrigues VP, Vilela, ABA, Simões AV, Morais RLGL, Rocha EN. Violência intrafamiliar e as estratégias de atuação da Equipe de Saúde da Família. Saúde Soc. 2014 Jul-Set; 23(3):828-40.

20. Vieira EM, Perdona GSC, Santos MA. Fatores associados à violência física por parceiro íntimo em usuárias de serviços de saúde. Rev Saúde Pública. 2011 Ago; 45(4):730-7.

21. Silva ACLG, Coelho EBS, Njaine K. Violência conjugal: as controvérsias no relato dos parceiros íntimos em inquéritos policiais. Ciênc Saúde Coletiva. 2014 Abr; 19(4):1255-62.

22. Acosta DF, Gomes VLO, Fonseca AD, Gomes GC. Violence against women commited by intimate partners:(in)visibility of the problem. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2015 Jan-Mar [cited 2015 Dec 18]; 24(1):121-7. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n1/pt_0104-0707-tce-24-01-00121.pdf

23. Carinhanha JI, Penna LHG, Oliveira DC. Representações sociais sobre famílias em situação de vulnerabilidade: uma revisão da literatura. Rev Enferm UERJ. 2014 Jul-Ago; 22(4):565-70.

24. Oliveira PP, Viegas SMF, Santos WJ, Silveira EAA, Elias SC. Women victims of domestic violence: a phenomenological approach. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2015 Jan-Mar [cited 2015 Dec 18]; 24(1):196-203. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n1/pt_0104-0707-tce-24-01-00196.pdf

25. Correia CM, Gomes NP, Couto TM, Rodrigues AD, Erdmann AL, Diniz NMF. Representations about suicide of women with history of domestic violence and suicide attempt. Texto Contexto Enferm. 2014 Jan- Mar [cited 2015 Dec 18]; 23(1):118-25. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n1/pt_0104-0707-tce-23-01-00118.pdf

26. Almeida GJ. As representações sociais, o imaginário e a construção social da realidade. In: Santos MFS, Almeida LM, organizadores. Diálogos com a teoria das representações sociais. Recife (PE): Editora Universitária da UFPE; 2005.

27. Lettiere A, Nakano MAS, Bittar DB. Violência contra a mulher e suas implicações na saúde materno-infantil. Acta Paul Enferm. 2012 Jul-Ago; 25(4):524-9.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería