ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2016 v25n4 r25410p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Estratégias Defensivas Do Enfermeiro Frente Ao Sofrimento Na Estratégia Saúde Da Família

Paula Hübner Freitas,1 Carmem Lúcia Colomé Beck,2 Viviani Viero,3 Marcelo Nunes da Silva Fernandes,4 Katiusci Lehnhard Machado5
1 Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 2 Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da UFSM, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 3 Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 4 Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 5 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Recebido: 19 de setembro de 2014
Aprovado: 01 de julho de 2015

 

 

 

Cómo citar este documento

Freitas, Paula Hübner; Beck, Carmem Lúcia Colomé; Viero, Viviani; Fernandes, Marcelo Nunes da Silva; Machado, Katiusci Lehnhard. Estratégias Defensivas Do Enfermeiro Frente Ao Sofrimento Na Estratégia Saúde Da Família. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2016, 25(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2016/25410p.php> Consultado el

Resumo

Este estudo tem como objetivo identificar as estratégias defensivas que os enfermeiros da Estratégia Saúde da Família utilizam frente ao sofrimento para conduzir o seu trabalho. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo estruturado em uma abordagem qualitativa de pesquisa, realizado em Unidades da Estratégia Saúde da Família de um município da região central do Estado do Rio Grande do Sul. Participaram 16 enfermeiros. Utilizou-se de entrevista semiestruturada para coleta dos dados, e análise temática. Os resultados mostraram que a organização, as condições e as relações de trabalho assumem papéis fundamentais no que se refere à origem e intensidade das estratégias defensivas utilizadas no cotidiano desses trabalhadores. Ressalta-se que, a partir das estratégias defensivas, os trabalhadores podem minimizar os danos a sua saúde, destacando-se a necessidade de ampliar ações coletivas que visem à saúde do trabalhador, principalmente junto aos gestores.
Descritores: Enfermagem em saúde comunitária/ Estratégias/ Estratégia saúde da família.
 

Abstract
Defensive Strategies Used By Nurses In The Estratégia Saúde Da Família To Cope With Distress

This study's aim was to identify defensive strategies used by nurses working in the Estratégia Saúde da Família to cope with distress and keep working. This structured descriptive and exploratory study with a qualitative approach was conducted Estratégia Saúde da Família units in a city in the central region of the state of Rio Grande do Sul, Brazil. A total of 16 nurses participated. Semi-structured interviews were used to collect data and thematic analysis was adopted. The results show that the work organization, conditions and relations are essential for the emergence and intensity of defensive strategies used in the workers' routine. By using defensive strategies, workers can minimize damage to their health, however, there is a need to expand collective actions focused on occupational' health, especially among managers.
Descriptors: Community health nursing/ Strategies/ Family health strategy.
 

Resumen
Estrategias Defensivas Del Enfermero Frente Al Sufrimiento En La Estrategia Saúde Da Família

El objetivo de este estudio es identificar las estrategias defensivas que las enfermeras de la Estrategia Saúde Família usan de frente al sufrimiento para llevar a cabo su labor. Se trata de un estudio descriptivo y exploratorio estructurado con un enfoque cualitativo, realizado en las Unidades de la Estrategia Saúde Família de un municipio de la región central del estado de Rio Grande do Sul. Participaron 16 enfermeras. Se utilizaron entrevistas semi-estructuradas para recolectar los datos y, análisis temático. Los resultados mostraron que la organización, las condiciones y las relaciones laborales asumen roles claves con relación al origen y la intensidad de las estrategias defensivas utilizadas en la vida cotidiana de los trabajadores. Cabe señalar que, a partir de las estrategias defensivas, los trabajadores pueden reducir al mínimo los daños a su salud, destacando la necesidad de ampliar las acciones colectivas que visen la salud del trabajador, especialmente junto a los gestores.
Descriptores: Enfermería en salud comunitária/ Estrategias/ Estrategia de salud familiar.
 

Referências

1. Mendes AM. Psicodinâmica do trabalho: teoria, método e pesquisas. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo; 2007.

2. Dejours C. A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: Editora FGV; 2006.

3. Siqueira GFF, Barrêto AJR, Menezes MS, Alves SRP, Freitas FFQ; Trabalho do enfermeiro na atençãoprimária em saúde: conhecimento dos fatores estressores. Rev Ciênc Saúde Nova Esperança. 2013; 11(2):72-85.

4. Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 648/GM de 28 de março de 2006: aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da atenção básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS); 2006 [cited 2015 May 28]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/prtGM648_20060328.pdf

5. Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.355, de 10 de outubro de 2013: altera a fórmula de cálculo do teto máximo das Equipes de Saúde da Família. [cited 2015 Jun 03]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2355_10_10_2013.html

6. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2010.

7. Ministério do Trabalho (BR). Portaria MTPS n.º 510, de 29 de abril de 2016: NR-4, Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. [cited 2015 Jun 08]. Available from: http://www.mtps.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR4.pdf

8. Anchieta VCC, Galinkin AL, Mendes AMB, Neiva ER. Work and risks of illness: a study among policemen. Teoria Pesqu. 2011; 27(2):199-208.

9. Ferreira JB. Análise clínica do trabalho e processo de subjetivação: um olhar da psicodinâmica do trabalho. In: Mendes AM, Merlo ARC, Morrone CF, Facas EP, organizodores. Psicodinâmica e clínica do trabalho: temas, interfaces e casos brasileiros. Curitiba (PR): Juruá Editora; 2010. p. 129-39.

10. Merlo ARC, Mendes AM, Moraes RD. O sujeito no trabalho: entre a saúde e a patologia. Curitiba (PR): Juruá Editora; 2012.

11. David HMSL, Mauro MYC, Silva VG, Pinheiro MAS, Silva FHS. Primary care nurse work organization: an occupational health issue. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):206-14.

12. Molesini JA, Formigli VL, Guimarães MCL, Melo CMM. Programação pactuada integrada e gestão compartilhada do SUS. Rev Baiana Saúde Publica. 2010; 34(3):623-38.

13. Shimizu HE, Couto DT, Merchan-Hamann E. Psychosocial study about the consequences of work in hospital nurses as human resource management. Rev Latino-am Enfermagem. 2011; 21(Spe):61-70.

14. Martins SR, Mendes AM. Espaço coletivo de discussão: a clínica psicodinâmica do trabalho como ação de resistência. Rev Psicol, Organ Trab. 2012; 12(2):171-84.

15. Dejours C. Conferências brasileiras: identidade, reconhecimento e transgressão no trabalho. São Paulo (SP): Fundap; 1999.

16. Dejours C. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo (SP): Cortez- Oboré; 1992.

17. Kessler AI, Krug SBF. Do prazer ao sofrimento no trabalho da enfermagem: o discurso dos trabalhadores. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(1):49-55.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería