ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2016 v25n4 r25407p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Casa de loucos ou casa de presos? a enfermagem em manicômio judiciário*

Dayane de Aguiar Cicolella,1 Maria Henriqueta Luce Kruse2
1
Mestre em Enfermagem. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. 2Doutora em Educação. Professora da Escola de Enfermagem e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFRGS. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Recebido: 13 de março de 2015
Aprovado: 11 de setembro de 2015

 

*Texto extraído da dissertação - Entre o delito e a loucura: a enfermagem em manicômio judiciário, do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 2014

 

 

 

Cómo citar este documento

Cicolella, Dayane de Aguiar; Kruse, Maria Henriqueta Luce. Casa de loucos ou casa de presos? a enfermagem em manicômio judiciário. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2016, 25(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2016/25407p.php> Consultado el

Resumo

Os manicômios judiciários possuem objetivo de custodiar e tratar doentes mentais, sendo uma fusão entre hospital e presídio. Utilizam técnicas e procedimentos disciplinares normalizando loucos criminosos. A pesquisa estuda os dispositivos disciplinares utilizados por profissionais da enfermagem que atuam no Instituto Psiquiátrico Forense, de Porto Alegre, Brasil. O referencial teórico situa-se no campo dos estudos culturais, vertente pós-estruturalista, inspirado em noções de Michael Foucault. Foram utilizados instrumentos de investigação etnográfica: entrevistas gravadas em áudio, observação, análise de documentos e imagens fotográficas. Os resultados foram organizados em unidades: Casa de loucos ou casa de presos?; A organização dos espaços e O controle do tempo. Nesta instituição, a enfermagem carrega heranças do sistema carcerário, manifestadas em rotinas diárias. O modo de cuidar, naturalizado ao longo do tempo, produz profissionais que repetem ensinamentos de carcereiros, "transformando" os pacientes naquilo que é a proposta normalizadora da instituição: organizá-lo e reajustá-lo segundo regras de convívio social.
Descritores: Enfermagem forense/ Pessoas mentalmente doentes/ Criminosos/ Prisões.
 

Abstract
Madhouse Or Prisoners House? Nursing In Judicial Asylum

The forensic psychiatric hospitals have objective to safeguard and treat mental patients, with a fusion between hospital and prison. Use techniques and disciplinary procedures normalizing criminally insane. The research studies the disciplinary measures used by nursing professionals working at Instituto Psiquiátrico Forense de Porto Alegre, Brazil. The theoretical framework lies in the field of cultural studies, post-structuralist strand, inspired by Michael Foucault notions. Ethnographic research instruments were used: interviews recorded in audio, observation, analysis of documents and images. The results were organized in units: Madhouse or house of prisoners?; The organization of spaces and The control of time. In this institution, nursing carries the prison system heritage, manifested in daily routines. The way of caring, naturalized over time, produces professionals who repeat teachings of jailers, "transforming" patients in what is a normative proposal of the institution: organize it and readjust it according to rules of social life.
Descriptors: Forensic nursing/ Mentally ill people/ Criminals/ Prisons.
 

Resumen
¿Casa De Locos O Casa De Presos? La Enfermería En El Manicomio Judicial

Los hospitales psiquiátricos judiciales tienen el objetivo de custodiar y tratar pacientes mentales, siendo una fusión entre el hospital y la cárcel. Ellos utilizan técnicas y procedimientos para normalizar criminales dementes. Esta investigación estudió las medidas utilizadas por los profesionales de enfermería que trabajan en el Instituto Psiquiátrico Forense, de Porto Alegre, Brazil. El marco teórico se encuentra situado en el campo de los estudios culturales, inspirado por las ideas de Michael Foucault. Se utilizaron instrumentos de investigación etnográfica: entrevistas en audio, observación, análisis de documentos e imágenes. Los resultados fueron organizados en unidades: ¿Casas de locos o casa de presos?; La organización de los espacios y El control de tiempo. En esta institución, Enfermería carga las herencias del sistema penitenciario que se manifiestan en las rutinas diarias. La forma de cuidar, naturalizada con el tiempo, produce profesionales que repiten enseñanzas de carceleros, "convirtiendo" a los pacientes en aquello que es propuesto por la normativa de la institución: organizarlo y re-ajustarlo de acuerdo con normas sociales.
Descriptores: Enfermería forense/ Enfermos mentales/ Criminales/ Prisiones.
 

Referências

1. Goffman E. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo (SP): Perspectiva; 1974.

2. Melo E, Renata R. Instituições totais, conceitos básicos: análise institucional [Internet]. 2008 [cited 2013 Set 30]. Available from: http://analiseinstitucional.wordpress.com/2008/12/12/sobre-as-instituicoestotais/

3. Brasil CS, Coelho ER, Brasil RS. Manicômio judiciário: pequeno ensaio sobre as forças que atuam nesse dispositivo. Cad Bras Saude Mental [Internet]. 2009 [cited 2014 Fev 22]; 1(2). Available from: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/1138/1377

4. Foucault M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro (RJ): Graal; 2012.

5. Foucault M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro (RJ): Vozes; 2010.

6. Veiga-Neto A, Lopes M. Inclusão como dominação do outro pelo mesmo. São Paulo: In: Anais do VII Colóquio Internacional Michel Foucault; 2011 [cited 2014 Mar 23]. Available from: http://www.fe.unicamp.br/TEMPORARIOS/veiga-neto-lopesinclusao-como-dominacao.pdf

7. Hoga LA, Barbosa VA. Abordagem etnográfica. In: Matheus M, Fustinoni S, organizador. Pesquisa qualitativa em enfermagem. São Paulo (SP): Livraria Médica Paulista; 2006. p. 53-60.

8. Thomé EGR. Homens doentes renais crônicos em hemodiálise: a vida que poucos vêem [tese]. Porto Alegre (RS): Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós- Graduação em Enfermagem; 2011.

9. Sales SR. Etnografia+netnografia+análise de discurso: articulações metodológicas para pesquisar em educação. In: Meyer D, Paraíso M, organizador. Metodologias de pesquisa pós-críticas em educação. Belo Horizonte (MG): Mazza; 2012. p. 111-32.

10. Neves ACL, Miasso AI. Uma força que atrai: o significado das drogas para usuários de uma ilha de cabo verde. Rev Latino-Am Enfermagem. 2010; 18(Spe):589-97.

11. Fontanella BJB, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saude Publica. 2008; 24(1):17-27.

12. Correia MCB. A observação participante enquanto técnica de investigação. Pensar Enfermagem [Internet]. 2009 [cited 2012 Nov 2005]; 13(2): Available from: http://pensarenfermagem.esel.pt/files/2009_13_2_30-36.pdf

13. Sá-Silva J, Almeida CD, Guindani JF. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Rev Bras Hist Cienc Socias [Internet]. 2009 [cited 2013 Mar 17]; 1(1). Available from: https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/6/pdf

14. Fogliatto D. Vereadores de Porto Alegre visitam IPF e conhecem realidade de pacientes que cumprem medida de segurança. SUL 21 [Internet]. 2014 [cited 2014 Abr 24]. Available from: http://www.sul21.com.br/jornal/vereadores-de-porto-alegre-visitam-ipfe-conhecem-realidade-de-pacientes-que-cumpremmedida-de-seguranca/

15. Balan M, Furmann I. As instituições totais de Erving Goffman e a condição do encarcerado no sistema prisional: uma análise da visão dos interlocutores dos presos no Paraná. In: Gibran S, Tafuri J, organizador. Unicuritiba pesquisando o direito. Justiça e cidadania em debate. Curitiba (PR): Editora Clássica; 2013. p.170-97.

16. Carrara SL. A história esquecida; os manicômios judiciários no Brasil. J. Hum. Growth Dev [Internet]. 2010 [cited 2012 Out 22]; 20(1). Available from: http://www.revistasusp.sibi.usp.br/pdf/rbcdh/v20n1/04.pdf

17. Langer LM. O papel do serviço de enfermagem no IPFMC. In: Souza C, Cardoso C, Cardoso R, organizador. Psiquiatria forense: 80 anos de prática institucional. Porto Alegre (RS): Sulina; 2008. p. 87-95.

18. Sousa N, Meneses A. O poder disciplinar: uma leitura em Vigiar e Punir. Saberes [Internet]. 2010 [cited 2014 Abr 06]; 1(4). Available from: http://www.cchla.ufrn.br/saberes/

19. Foucault M. O poder psiquiátrico. São Paulo (SP): Martins Fonseca; 2006.

20. Dreyfus H, Rabinow P. Michel Foucault: uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro (RJ): Forense Universitária; 1995.

21. Fonseca MA. Michel Foucault e a constituição do sujeito. São Paulo (SP): EDUC; 1995.

22. Oksala J. Como ler Foucault. Rio de Janeiro (RJ): Zahar; 2011.

23. Stumm LK, Hildebrandt LM. Trabalhando com a loucura: a enfermagem no Instituto Psiquiátrico Forense. Rev Contexto Saude. 2006; 6(11):37-46.

24. Miranda C. O parentesco imaginário. Rio de Janeiro (RJ): Editora da Universidade Federal do Rio de Janeiro; 1993.

25. Kruse MHL. Os poderes dos corpos frios: das coisas que ensinam às enfermeiras. Brasília (DF): ABEn; 2004.

26. Ribeiro RG, Kruse MHL. The woman body in review: the imperative of beauty. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2014 [cited 2014 Dez 10]; 23(1). Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n1/pt_0104-0707-tce-23-01-00101.pdf

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería