ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2016 v25n4 r25402p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Ensino de enfermagem na época do estado novo: o caso da escola medalha milagrosa

Fatima Maria Da Silva Abrão,1 Tânia Cristina Franco Santos,2 Amanda Regina da Silva Góis,3 Rezilda Rodrigues Oliveira4
1
Doutora em Enfermagem. Professora da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças da Universidade de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil.  2 Doutora em Enfermagem. Bolsista CNPq. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 3 Mestre em Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade de Pernambuco e Universidade Estadual da Paraíba. Recife, Pernambuco, Brasil. 4 Doutora em Ciência Política. Professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil

Recebido: 24 de junho de 2015
Aprovado: 04 de novembro de 2015

 

 

 

 

Cómo citar este documento

Abrão, Fatima Maria Da Silva; Santos, Tânia Cristina Franco; Góis, Amanda Regina da Silva; Oliveira, Rezilda Rodrigues. Ensino de enfermagem na época do estado novo: o caso da escola medalha milagrosa. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2016, 25(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2016/25402p.php> Consultado el

 

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar como ocorreu a criação da Escola de Enfermagem Medalha Milagrosa, em 1945. Trata-se de estudo sócio-histórico que utiliza estratégia de análise ancorada no pensamento de Pierre Bourdieu. Foram utilizadas fontes primárias e secundárias. Como resultado, discute-se a figura central do Estado Novo e sua interpenetração historicamente autoritária na esfera societal e econômica, bem como o processo no qual se configura o campo de forças e de lutas construído pela ação de agentes no movimento de criação dessa escola. No campo organizacional e burocrático são observadas disputas entre o Estado, a Igreja e o meio acadêmico. Há evidências relacionadas à inovação que essa escola significou no campo da saúde e educação, bem como à atuação dos agentes que a criaram nos moldes da enfermagem moderna.
Descritores: História da enfermagem/ Instituições acadêmicas/ Estado.
 

Abstract
Nursing education at the brazilian new state era: the case of the medalha milagrosa school

The aim of this study was to analyze how the creation of the Medalha Milagrosa Nursing School took place in 1945. This is a socio-historical study that uses an analytical strategy anchored in Pierre Bourdieu's thought. Primary and secondary sources were used. As a result, the central role of the New State (Estado Novo) and its historically authoritarian interpenetration in the societal and economic spheres are discussed, as well as the process through which the field of forces and struggles was constructed by the players during the movement to create this school. In the organizational and bureaucratic field, disputes between the State, the Church, and the academic environment are observed. There is evidence related to the innovation that this school meant in the fields of health and education, as well as to actions taken by the players who created it according to the patterns of modern nursing.
Descriptors: History of nursing/ Academic institutions/ State.
 

Resumen
Enseñanza de enfermería en la época del estado novo brasileño: el caso de la escuela medalha milagrosa

Este artículo objetiva analizar cómo se dio la creación de la Escuela de Enfermería Medalha Milagrosa, en 1945. Esto es un estudio socio-histórico que utiliza una estrategia de análisis anclada en el pensamiento de Pierre Bourdieu. Se utilizaron fuentes primarias y secundarias. Como resultado, se discute la figura central del Estado Novo y su interpenetración históricamente autoritaria en la esfera societal y económica, así como el proceso mediante el cual se establece el campo de fuerzas y de luchas construido por la acción de agentes en el movimiento para crear esta escuela. En el campo organizacional y burocrático, se observan disputas entre el Estado y la Iglesia y el ambiente académico. Hay evidencias relacionadas con la innovación que esta escuela significó en el campo de la salud y la educación, así como con la actuación de los agentes que la crearon según los moldes de la enfermería moderna.
Descriptores: Historia de la enfermería/ Instituciones académicas/ Estado.
 

Referências

1. Keinert TMM. Administração pública no Brasil: crises e mudanças de paradigmas. 2ª ed. São Paulo: Annablume; 2007.

2. Bresser-Pereira LC. Sociedade civil: sua democratização para a reforma do Estado. In: Bresser-Pereira LC, Wilheim J, Sola Lourdes S, organizadores. Sociedade e Estado em transformação. São Paulo (SP): Ed. UNESP; 1999. p. 65-72.

3. Bomeny HMB. Três decretos e um ministério: a propósito da educação no Estado Novo. In: Pandolfi D, organizador. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro (RJ): Ed. FGV; 1999. p.137-66.

4. Bourdieu P. O poder simbólico. Rio de Janeiro (RJ): Bertrand Brasil; 1989.

5. Scott WR. Institutions and organizations. Thousand Oaks, CA (US): Sage; 1995.

6. Dimaggio P, Powell W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. In: Powell W, Dimaggio P. The new institutionalism in organizational analysis. Chicago, IL (US): University of Chicago Press; 1991. p. 63-82.

7. Evans P. Predatory, developmental, and other apparatuses: a comparative political economic perspective on the Third World State. Sociological Forum. 1989; 3(4):561-87.

8. Migdal JS. Strong States, weak States: power and accommodation. In: Weiner M, Huntington SP, organizadores. Understanding political development. Boston, MA (US): Little Brow; 1987. p. 391-434.

9. Skocpol T. Bringing the State back. In: Evans M, Skocpol T, organizadores. Strategies of analysis in current research. Cambridge (UK): Cambridge University Press; 1985. p. 3-35.

10. Mann M. The autonomous power of the State: its origins, mechanisms and results. European J Sociol. 1984; 25(2):185-213.

11. Souza, MCC. Estado e partidos políticos no Brasil (1930 a 1964). São Paulo (SP): Alfa-Omega; 1990.

12. D'Araújo MC. O Estado Novo. Rio de Janeiro(RJ): Jorge Zahar; 2000.

13. Naiff DGM, Sá CP, Naiff LAM. A memória social do Estado Novo em duas gerações. Psicol Ciênc Prof [Internet]. 2008 [cited 2015 May 13]; 28(1):110-21. Available from: http://www.scielo.br/pdf/pcp/v28n1/v28n1a09.pdf

14. Santos TCF, Barreira IA, Almeida Filho AJ, Oliveira AB. The Franco and Vargas dictatorships: implications of the consecration of maternity for nursing. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2010 [cited 2015 Oct 23]; 19(2):317-24. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072010000200013

15. Camargo A. Carisma e personalidade: da conciliação ao maquiavelismo. In: D'Araújo MC, organizador. As instituições brasileiras da Era Vargas. Rio de Janeiro (RJ): Ed. FGV; 1999. p. 13-33.

16. Pandolphi D, organizador. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro (RJ): Ed. FGV; 1999.

17. Hochaman G. Reformas, instituições e políticas de saúde no Brasil (1930-1945). Educar [Internet]. 2005 [cited 2015 Oct 23]; 25:127-41. Available from: http://www.scielo.br/pdf/er/n25/n25a09.pdf

18. Santos LAC. O pensamento sanitarista na Primeira República: uma ideologia de construção da nacionalidade. Rev Ciênc Sociais. 1985; 28(2):193-210.

19. Abrão FMS, Almeida MCP. Primórdios da enfermagem em Pernambuco: raízes da pré-institucionalização da formação do campo organizacional (1922-1938). Recife (PE): Ed. UPE; 2007.

20. Fundação Getulio Vargas. Relatório de atividades do MEC (1930-1935) por Gustavo Capanema. Rio de Janeiro (RJ): Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil; 1946.

21. Baptista SS, Barreira IA. Anna Nava, baluarte da Escola Anna Nery (anos 1940/1970). Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2009 [cited 2015 Oct 23]; 13(3):543-51. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ean/v13n3/v13n3a13

22. Barros JDA. História comparada. Petrópolis (RJ): Vozes; 2014.

23. Barros JDA. História comparada: da contribuição de Marc Bloch à constituição de um moderno campo historiográfico. História Social [Internet]. 2007 [cited 2015 Oct 23]; 13(1):7-21. Available from: www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/rhs/article/download/207/199

24. Theml N, Bustamante RMC. História comparada: olhares plurais. Rev História Comparada [Internet]. 2007 [cited 2015 Oct 23]; 1(1):1-23. Available from: http://www.hcomparada.historia.ufrj.br/revistahc/artigos/volume001_Num001_artigo003.pdf

25. Universidade de Pernambuco. Histórico FENSG (etapa 1945-1947). Recife (PE): Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças; 1947.

26. Tolbert PS, Zucker LG. A institucionalização da teoria institucional. In: Cleg S, Hardy C, Walter R, organizadores. Handbook de estudos organizacionais. São Paulo (SP): Ed. 34; 1998. p. 196-219.

27. Abrão FMS, Almeida MCP. Raízes da préinstitucionalização da formação do campo organizacional (1922-1938). Rev Bras Enferm. 2007; 60(1):26-31.

28. Ramos HP. Subsídios para a história da enfermagem em Pernambuco: primeiras pioneiras da enfermagem. Recife (PE): Academia de Medicina; 1977.

29. Barreira IA. Os primórdios da enfermagem moderna no Brasil. Esc Anna Nery Rev Enferm. 1997; 1(1):161-76.

30. Barreira IA. A prática de enfermagem no Brasil: a enfermagem de saúde pública dos anos 20. Texto Contexto Enferm. 1998; 7(1):42-57.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería