ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2016 v25n2 r25220p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Índice de perfuração de luvas de procedimento/cirúrgica utilizadas por trabalhadores do expurgo de um centro de material e esterilização

Júnnia Pires de Amorim Trindade,1 Joyce Rutyelle da Serra,2 Anaclara Ferreira Veiga Tipple3
1Mestranda do Programa de Pós-graduação de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, Goiás, Brasil 2Enfermeira. Graduada em Enfermagem pela UFG. Goiânia, Goiás, Brasil 3Doutora em Enfermagem. Professora Associada da Faculdade de Enfermagem da UFG. Goiânia, Goiás, Brasil

Recebido: 06 de Abril de 2014
Aceito: 03 de Novembro de 2015

 

 

 

 

Cómo citar este documento

Trindade, Júnnia Pires de Amorim; Serra, Joyce Rutyelle da; Tipple, Anaclara Ferreira Veiga. Índice de perfuração de luvas de procedimento/cirúrgica utilizadas por trabalhadores do expurgo de um centro de material e esterilização. Texto Contexto Enferm, abr-jun 2016, 25(2). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2016/25220p.php> Consultado el

 

Resumo

Os objetivos foram identificar os tipos de luvas utilizadas pela equipe de enfermagem para a limpeza manual de produtos para a saúde e identificar os índices de perfurações em luvas de procedimento/cirúrgicas utilizadas para esta atividade. Estudo transversal e descritivo, com abordagem quantitativa, realizado em um hospital de grande porte em Goiânia, Goiás, Brasil. Foram avaliadas 300 luvas de procedimento/cirúrgicas (grupo A), 100 luvas de procedimento e 100 cirúrgicas novas (grupo B) e seis luvas nitrílicas (grupo C). Entre as luvas do grupo A, 135 (45,0%) estavam perfuradas. Sobreposições de luvas não impediram as perfurações e quanto maior o tempo de uso, maior o índice de perfuração (p<0,05). Não houve perfurações no grupo B e no C identificou-se quatro perfurações em 48 horas de uso. O estudo reforça que as luvas cirúrgicas/procedimento são inadequadas para o processo de limpeza manual de produtos para a saúde, constituindo uma barreira ineficaz na segurança dos trabalhadores.
Palavras chave: Esterilização/ Riscos ocupacionais/ Luvas cirúrgicas.
 

Resumen
Índice de perforación de guantes de procedimento/ quirúrgico utilizado por los trabajadores de purga de un centro de material y esterilización

Se objetivó identificar los tipos de guantes utilizados por el equipo de enfermería para limpieza manual de productos para la salud y los índices de perforaciones en guantes de procedimiento/quirúrgicos utilizados en esta actividad. Estudio transversal, descriptivo, cuantitativo, realizado en hospital de gran porte de Goiânia, Goiás, Brazil. Fueron evaluados 300 guantes de procedimiento/quirúrgicos (grupo A), 100 guantes de procedimiento y 100 quirúrgicos nuevos (Grupo B) y seis guantes de nitrilo (Grupo C). Entre los guantes del grupo A, 135 (45,0%) estaban perforados. La superposición de guantes no impidió las perforaciones; y a mayor tiempo de uso, mayor resultó el índice de perforación (p<0,05). No hubo perforaciones en el grupo B. En el C se identificaron cuatro perforaciones en 48 horas de uso. El estudio refuerza que los guantes de procedimiento/quirúrgicos son inadecuados para el proceso de limpieza manual de productos para la salud, constituyendo una barrera ineficaz para la seguridad del trabajador.
Palabras clave: Esterilización/ Riesgos laborales/ Guantes quirúrgicos.
 

Abstract
Index of perforation of procedure/surgical gloves used by workers in the purging of a material and sterilization center

The objectives of this study were to identify the types of gloves the nursing team uses for the manual cleaning of health products and to identify the perforation rates in procedure/surgical gloves used for this purpose. Cross-sectional and descriptive, descriptive study with quantitative approach was developed at a large hospital in Goiânia, Goiás, Brazil. In total, 300 procedure/surgical gloves (Group A), 100 procedure and 100 new surgical gloves (Group B), and six nitrile gloves (Group C) were analyzed. Among the gloves in Group A, 135 (45.0%) were perforated. Superposition of gloves did not prevent perforations and, the longer they were used, the higher the index of perforation (p<0.05). No perforations were identified in Group B, whereas there were four perforations in 48 hours of use in Group C. This study reinforces the idea that procedure/surgical gloves are inappropriate for cleaning health products, representing an ineffective barrier for the safety of workers.
Key-words: Sterilization/ Occupational risks/ Surgical gloves.
 

Referências

1. Sarquis LMM, Felli VEA. Recomendações em saúde aos trabalhadores expostos a fluidos biológicos. REME. 2008; 12(3):381-9.

2. Monteiro CM, Benatti MCC, Rodrigues RCM. Occupational accidents and health-related quality of life:a study in three hospitals. Rev Latino-Am Enfermagem. 2009; 17(1):101-7.

3. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas estratégicas: exposição a materiais biológicos, Brasília (DF): MS; 2006

4. Tarantola A, Abiteboul D, Rachline A. Infection risks following accidental exposure to blood or body fluids in health care workers: A review of pathogens transmitted in published cases. Am J Infect Control. 2006; 34(6):367-75.

5. Ministério da Saúde (BR). Recomendações para atendimento e acompanhamento de exposição ocupacional a material biológico: HIV e Hepatites B e C. Brasília (DF): MS; 2010.

6. Valim MD, Marziale MPHP. Avaliação da exposição ocupacional a material biológico em serviços de saúde. Texto Contexto Enferm. 2011; 20(Esp):138-46.

7. Ministério da Saúde (BR). Agência de Vigilância Sanitária. RDC nº 15, de 15 de março de 2012. Dispõe sobre requisitos de boas práticas para o processamento de produtos para saúde e dá outras providências. Brasília (DF): MS; 2012.

8. Sociedade Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização. Práticas recomendadas. 6ª ed. São Paulo (SP): SOBECC; 2013.

9. Pinto MB, Vilas-Boas VA, Freitas MIP. Validação do processo de limpeza de artigos odonto-médico-hospitalares: uma revisão integrativa. Rev SOBECC. 2013; 18(1):64-72.

10. Association of Operating Room Nurses. Sterilization & desinfection. Denver (US): AORN; 2013.

11. Psaltikidis EM, Ribeiro SMPC. Recepção e limpeza dos materiais. In: Graziano KU, Silva A, Psaltikidis EM, editors. Enfermagem em Centro de Material e Esterilização. São Paulo (SP): Manole; 2011. p. 62-91.

12. Ribeiro SMCP. Limpeza. In: Padoveze MC, Graziano KU. Limpeza, desinfecção e esterilização de artigos em serviços de saúde. São Paulo (SP): Associação Paulista de Epidemiologia e Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde; 2013. p. 57.

13. Ministério do Trabalho e Emprego (BR). Portaria nº 485, de 11 de novembro de 2005. NR 32 - Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 16 nov 2005 [cited 2013 Ago 02]. Available from: http://www.mte.gov.br/legislaçao/normas_regulamentadoras/nr_32.pdf

14. Tipple AFV, Souza ACS, Almeida ANG, Souza SB, Siqueira KM. Acidente com material biológico entre trabalhadores da área de expurgo em centros de material esterilização. Acta Scientiarum. 2004; 26(2):271-8.

15. Tipple AFV, Aguliari HT, Souza ACS, Severino M, Mendonça ACC, Silveira C. Equipamentos de proteção em centros de material e esterilização: disponibilidade, uso e fatores intervenientes à adesão. Cienc Cuid Saude. 2007; 6(4):441-8.

16. Canalli RTC, Moriya TM, Hayashida M. Acidentes com material biológico entre estudantes de Enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2010; 18(2):254-69.

17. Machado E. Avaliação dos testes empregados para detecção de perfurações em luvas cirúrgicas. Arq Catarin Med. 2008; 37(3):4-8.

18. Solda SC, Assef JC, Parreira JG, Perlingeiro JAG, Candelária PAP, Cury MP, et al. Perfurações não detectadas de luvas em procedimentos de urgência. Rev Assoc Med Bras. 2009; 55(5):597-600.

19. Serratine ACP, Pacheco E, Miero M. Avaliação da integridade das luvas cirúrgicas após a utilização em cirurgias odontológicas. Arq Catarin Med. 2007; 36(1):85-9.

20. Murta EFC, Silva CS, Ferreira NAFD. Perfuração de luvas durante cirurgias ginecológicas. Rev Bras Ginecol Obstet. 2000; 22(4):225-8.

21. Lopes N, Prates N, Rabelo R, Cruz, JFW. Análise da permeabilidade das luvas de látex para procedimento mais utilizadas por alunos da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia. Rev Ci Méd Biol. 2009 Mai-Ago; 8(2):206-12.

22. Palermo VM, Zimbaldi AM, Martão FF, Teixeira LC, Silva C, Soza A. Evaluation of integrity of procedure gloves used by dentistry students. Rev Gaucha Odontol. 2012; 60(4): 431-36.

23. Palermo VM, Zimbaldi AM, Martão FF, Teixeira LC, Silva C, Soza A. Avaliação da integridade das luvas de procedimento usadas por alunos de odontologia. RGO. 2012; 60(4): 431-36.

24. Partechke LI, Goerdt AM, Langner I, Jaeger B, Assadian O, Heidecke CD et al. Incidence of microperforation for surgical gloves dependson duration of wear infect Control Hosp Epidemiol. 2009. 30(5):409-14.

25. Misteli H, Weber WP, Reck S, Rosenthal R, Zwahlen M, Fueglistaler P, et al. Surgical glove perforation and the risk of surgical site infection. Arch Surg. 2009 Jun; 144(6):553-8.

26. Germaine RLS, Hanson J, Gara CJ. Double gloving and practice attitudes among surgeons. Am J Surg. 2003; 185(2):141-5.

27. Naver LPS, Gottrup F. Incidence of glove perforations in gastrointestinal surgery and the protective effect of double gloves: a prospective, randomised controlled study. Eur J Surg. 2000; 166(4):293-5.

28. Thomas S, Agarwal M, Mehta G. Intraoperative glove perforation-single versus double gloving in protection against skin contamination. Postgrad Med J. 2001; 77: 558-60.

29. Na'aya HU, Madziga AG, Eni UE. Prospective randomized assessment of single versus double-gloving for general surgical procedures. Niger J Med. 2009; 18(1):73-4.

30. Mansouri M, Tidley M, Sanati KA, Roberts C. Comparison of blood transmission through latex and nitrile glove materials. Occup Med. 2010; 60(3):205-10.

31. Harnob JC, Partecke LI, Heidecke CD, Hübner NO, Kramer A, Assadian O. Concentration of bacteria passing through puncture holes in surgical gloves. Am J Infect Control. 2010; 38(2):154-8.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería