ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2016 v25n1 r251022p

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Avaliação do trabalho multiprofissional do núcleo de apoio à saúde da família (NASF)*

Mary Lopes Reis,1 Marcelo Medeiros,2 Leonora Rezende Pacheco,3 Camila Cardoso Caixeta4
1
Doutoranda do PPG-ENF/UFG. Goiânia, Goiás, Brasil. E-mail: marylore6@hotmail.com 2Doutor em Enfermagem. Professor da Faculdade de Enfermagem da UFG. Goiânia, Goiás, Brasil. E-mail: marcelofen@gmail.com 3Mestre em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Tocantins. Palmas, Tocantins, Brasil. E-mail: lerezende@hotmail.com 4Doutora em Enfermagem. Professora da Faculdade de Enfermagem da UFG. Goiânia, Goiás, Brasil. E-mail: camilaccaixeta@uol.com.br

Recebido: 05 de novembro de 2014
Aprovado: 25 de setembro de 2015

 *Este trabalho é parte integrante da tese - A dimensão social do trabalho do enfermeiro na Estratégia de Saúde da Família, em desenvolvimento no Programa de Pós Graduação da Faculdade de Enfermagem (PPG-ENF) da Universidade Federal de Goiás (UFG), financiado pela CAPES

 

 

 

Cómo citar este documento

Reis, Mary Lopes; Medeiros, Marcelo; Pacheco, Leonora Rezende; Caixeta, Camila Cardoso. Avaliação do trabalho multiprofissional do núcleo de apoio à saúde da família (NASF). Texto Contexto Enferm, ene-mar 2016, 25(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2016/251022p.php> Consultado el

 

Resumo

O objetivo do estudo foi compreender os significados atribuídos pelos atores (assistente social, educador físico, farmacêutico, nutricionista e psicólogo) ao trabalho desenvolvido em uma unidade do Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Estudo descritivo de cunho qualitativo, realizado por meio de Grupo Focal, com 14 profissionais de saúde pertencentes ao Núcleo, cujos dados foram analisados por análise de conteúdo modalidade temática. Emergiram três categorias "interdisciplinaridade", "território desconhecido" e "isolamento do Núcleo interprofissional". Os dados apontam que a interdisciplinaridade tem sido perseguida pelos profissionais atuantes na equipe do Núcleo. No entanto, essa atuação diferenciada não se estende às equipes de Saúde da Família vinculadas, salvo em situações específicas de saúde mental, quando há utilização do Apoio Matricial para discussão e condução dos casos apresentados pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família.
Descritores: Saúde da família/ Atenção primária/ Interdisciplinaridade.
 

Abstract
Evaluation of the multiprofessional work of the Family Health Support Center (NASF)

The aim of this study was to understand the meanings attributed by the actors (social assistant, physical educator, pharmacist, nutritionist, and psychologist) to the work developed at a Family Health Support Center. A descriptive study with a qualitative focus was carried out by a focus group with 14 health professionals belonging to the center whose data were analyzed by means of a thematic content analysis. Three categories emerged: "interdisciplinarity", "lack of knowledge of the territory," and the "Support Center's isolation". Through this research it was possible to realize that interdisciplinarity has been sought after by the Support Center's professionals. However, this performance does not include the Family Health teams linked to the center, except in specific situations of mental health when Matrix Support is used for discussing and guiding the cases presented by the Family Health Strategy teams".
Descriptors: Family health/ Primary health care/ Interdisciplinarity.
 

Resumen
Evaluación del trabajo multiprofesional en el núcleo de apoyo a la salud de la família (NASF)

El objetivo del estudio fue comprender los significados de los actores (trabajadores sociales, educadores físicos, farmacéutico, dietista y psicólogo) em su labor em La unidad de lo Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Ha sido desarrollado unestudio descriptivo con enfoque cualitativo, llevado a cabo a través de grupos focalescon 14 profesionales de lasaludenel Núcleo, cuyos datos fueron analizados empleandose el análisis de contenido temático. Los análisis han resultado em três categorías "interdisciplinariedad", "território desconocido" y "aislamiento del núcleo interprofesional". Los datos indican que La interdisciplinariedad ha sido perseguido por los profesionales que trabajam em el Núcleo. Sin embargo, esta actuación diferenciada no abarca el trabajo de los otros equipos de salud, excepto em situaciones específicas de salud mental, cuando se utiliza La herramienta'Apoio Matricial' para La discusión y el manejo de los casos presentados por los equipos de la Estratégia de Saúde da Família.
Descriptores: Salud de la familia/ Atención primaria de salud/ Interdisciplinariedad.
 

Referências

1. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília (DF): MS; 2012.

2. Brasil. Portaria n. 154/GM de 24 de janeiro de 2008: cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, n. 18, 26 jun 2001, Seção 1.

3. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio a Saúde da Família. Série A. Normas e manuais técnicos. Cadernos de Atenção Básica, n. 27. Brasília (DF): MS; 2009.

4. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Autoavaliação para a melhoria do acesso e da qualidade da Atenção Básica: AMAQ. Brasília (DF): MS; 2012.

5. Cameron A, Lart R, Bostock L, Coomber C. Factors that promote and hinder joint and integrated working between health and social care services: a review of research literature. Health Soc Care Community. 2014 May; 22(3):225-33.

6. Contandriopoulos AP, Champagne F, Denis JL, Pineault R. A avaliação na área da saúde: conceitos e métodos. In: Hartz ZMA, organizador. Avaliação em Saúde: dos modelos conceituais à prática na análise da implantação de programas. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 1997. p. 29-47.

7. Felisberto E. Da teoria à formulação de uma Política Nacional de Avaliação em Saúde: reabrindo o debate. Ciênc Saúde Coletiva. 2006; 11(3):553-63.

8. Núcleo Telessaúde da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina. Autoavaliação para melhoria do acesso e da qualidade da Atenção Básica/ NASF SC: AMAQ-NASF SC. Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina; 2012.

9. Minayo MCS, editor. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 31ª ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2012.

10. Bardin L. Análise de conteúdo. 3ª ed Lisboa (PT): 70; 2004.

11. Scherer MDA, Pires DEP, Rémy J. A construção da interdisciplinaridade no trabalho da Equipe de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(11):3203-12.

12. Schultz CR, Walker R, Bessarab D, McMillan F, Macleod J, Marriott R. Interdisciplinary care to enhance mental health and social and emotional wellbeing. In: Dudgeon P, Milroy H, Walker R, organizadores. Working together: aboriginal and torres strait islander mental health and wellbeing principles and practice. barton. Camberra (AU): Australian Government Department of the Prime Minister and Cabinet; 2014.

13. Campos GWS, Domitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad Saúde Pública. 2007; 23(2):399-407.

14. Iliadi P. Accountability and Collaborative Care: How interprofessional education promotes them. Health Science J. 2010; 4(3):129-35.

15. Peduzzi M. Multiprofessional healthcare team: concept and typology. Rev Saúde Pública. 2001; 35(1):103-9.

16. Barwell J, Arnold F, Berry H. How interprofessional learning improves care. Nurs Times. 2013; 109(21):14-6.

17. Campos GWS. Apoio matricial e práticas ampliadas e compartilhadas em redes de atenção. Psicol Rev. 2012; 18(1):148-68.

18. Sala A, Luppi CG, Simões O, Marsiglia RG. Integralidade e Atenção Primária à Saúde: avaliação na perspectiva dos usuários de unidades de saúde do município de São Paulo. Saúde Soc. 2011; 20(4):948-60.

19. Thomas K, Krevers B, Bendtsen P. Implementing healthy lifestyle promotion in primary care: a quasiexperimental cross-sectional study evaluating a team initiative. BMC Health Serv Res. 2015; 15(31): 1-10.

20. Peduzzi M. Mudanças tecnológicas e seu impacto no processo de trabalho em saúde. Trab Educ Saúde. 2003; 1(1):75-91.

21. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Série B. Textos Básicos de Saúde. Política nacional de promoção da saúde. Brasília (DF): MS; 2006.

22. Perekehouskei NA, Benaduce GMC. Geografia da saúde e as concepções sobre o território. Gestão & Regionalidade. 2007; 23 (68): 34-44.

23. Santos AL, Rigotto RM. Território e territorialização: incorporando as relações produção, trabalho, ambiente e saúde na Atenção Básica à Saúde. Trab Educ Saúde. 2010; 8(3):387-406.

24. Gondim GMM, Monken M, Iñiguez Rojas L, Barcellos C, Peiter P, Navarro MBMA et al. O território da saúde: a organização do sistema de saúde e a territorialização. In: Miranda AC, Barcellos C, Moreira JC, Monken M, organizadores. Território, ambiente e saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2008. p. 237-55.

25. Göttems LBD, Pires MRGM. Para além da Atenção Básica: reorganização do SUS por meio da interseção do setor político com o econômico. Saúde Soc. 2009; 18(2):189-98.

26. Almeida NAM, Medeiros M, Souza MR. Perspectives of normal delivery pain of primigravid during the antenatal period. Texto Contexto Enferm. 2012 [acesso 2014 Nov 05]; 21(4):819-27.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072012000400012&script=sci_arttext&tlng=en

27. Petch A. Integration of health and social care. IRISS Insights. 2012; 14: 1-12.

28. Bridges DR, Davidson RA, Odegard PS, Maki IV, Tomkowiak J. Interprofessional collaboration: three best practice models of interprofessional education. Med Educ Online [online]. 2011 [acesso 2014 Nov 05]; 16: 6035-45. Dipsonível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3081249/

29. Martiniano CS, Sampaio J, Magalhães FC, Souza FF, Marcolino EC, Rocha AMO. Review of implementation of the teams of nuclei of support for family health. Rev Enferm UFPE Online [online]. 2013 [acesso 2014 Nov 05]; 7(1):53-61. Dipsonível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/3684/pdf_1808

30. Sampaio J, Sousa CSM, Marcolino EC, Magalhães FC, Souza FF, Rocha AMO, et al. O NASF como dispositivo da gestão: limites e possibilidades. Rev Bras Ciênc Saúde. 2012; 16(3):317-24.

31. Santos SFS, Benedetti TRB. Cenário de implantação do Núcleo de Apoio a Saúde da Família e a inserção do profissional de Educação Física. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2012; 17(3):188-94.

32. Matos E, Pires DEP, Ramos FRS. Expressões da subjetividade no trabalho de equipes interdisciplinares de saúde. REME Rev Min Enferm. 2010; 14(1):56-97.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería