ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r24279

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

"Com um pouco de cuidado a gente vai em frente" vivências de pessoas com estomia*

Sandra Ost Rodrigues Martins Carvalho,1 Maria de Lourdes Denardin Budó,2 Marciele Moreira da Silva,3 Gabriela Fávero Alberti,4 Bruna Sodré Simon5
1Mestre em Enfermagem. Docente da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai das Missões. Santiago, Rio Grande do Sul, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Docente da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 3Mestre em Enfermagem pelo PPGEnf/UFSM, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 4Mestranda em Enfermagem do PPGEnf/UFSM. UFSM, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 5Mestranda em Enfermagem do PPGEnf/UFSM. Docente Substituta do Departamento de Enfermagem da UFSM. Bolsista Capes. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Recebido em 19 de novembro de 2012
Aprovação final em 24 de maio de 2013

Texto Contexto Enferm 24(1): 279-287
*
Artigo originário da dissertação - Rede social de apoio no cuidado às pessoas com estomia: implicações para a enfermagem, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGEnf) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em 2012

 

 

 

Cómo citar este documento

Carvalho, Sandra Ost Rodrigues Martins; Budó, Maria de Lourdes Denardin; Silva, Marciele Moreira da; Alberti, Gabriela Fávero; Simon, Bruna Sodré. "Com um pouco de cuidado a gente vai em frente" vivências de pessoas com estomia. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2015, 24(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2015/24279.php> Consultado el

 

Resumo

O estudo teve como objetivo conhecer o cuidado que permeia as vivências das pessoas com estomia de um município do interior do Rio Grande do Sul. Trata-se de uma pesquisa qualitativa descritiva. Participaram do estudo seis pessoas com estomia intestinal definitiva cadastradas no programa do município. Para a coleta dos dados utilizou-se a entrevista semiestruturada. Os dados obtidos foram submetidos à análise de conteúdo temática da qual emergiram as categorias: "Eu sou muito bem cuidado, todo mundo ajuda"; "É um pouco diferente a minha vida"; e "É preciso andar, parar não dá". O estudo revelou que o cuidado está presente no cotidiano das pessoas com estomia; as alterações em sua vida são evidentes, relacionadas à convivência social, à maneira de cuidar-se e aos hábitos alimentares. Os estomizados aprenderam a conviver com essas mudanças, buscando retornar às atividades diárias e envolvendo-se com afazeres no cotidiano
Descritores: Estomia; Cuidados de enfermagem; Enfermagem

 

Resumen
"Con un poco cuidado vamos adelante" experiencias de personas con estomía

Objetivo: conocer el cuidado que se respira en las experiencias de las personas con estoma de una ciudad del interior de Rio Grande do Sul. Se trata de un salto cualitativo, descriptivo. Los sujetos fueron seis personas con estomía intestinal definitiva registrado en el programa de la municipalidad. Para la recolección de datos se utilizó una entrevista semiestructurada trabajado a través de análisis de contenido temático de las categorías que surgieron: Yo soy muy cuidadoso, todos ayudan; "Es un poco diferente de mi vida"; y "Hay que caminar, no se detiene". El estudio reveló que el cuidado está presente en la vida cotidiana de las personas con estomía, los cambios en su vida son evidentes en relación con su vida social, la forma de cuidar de sí mismo y los hábitos alimentarios. Aprendieron a vivir con estos cambios, tratando de volver a sus actividades diarias y participar en las tareas diarias
Descriptores: Estomía; Enfermería de cuidado; Enfermería

 

Abstract
"With some care, we can go on": experiences of people with ostomy

The aim of this study was to learn how care takes place in the lives of people with ostomy in a municipality in the countryside of the state of Rio Grande do Sul. A qualitative, descriptive study was conducted. Six people with definitive intestinal ostomy, who were registered in the municipality's program, participated in the study. Semi-structured interviews were used for gathering data. The obtained data were subjected to a thematic content analysis, from which the following categories emerged: "I am really well treated, everyone helps"; "My life is a little different"; and "It is necessary to go on, stopping is out of question". The study revealed that care is present in the daily lives of people with ostomy; changes in their lives are clear, related to social interactions, to how they take care of themselves and to eating habits. Ostomized patients learned how to live with these changes, aiming to going back to daily activities and getting involved with chores in their routines
Descriptors: Ostomy; Nursing care; Nursing
 

Referências

1.  Organização Mundial da Saúde. Cuidados inovadores para condições crônicas: componentes estruturais de ação: relatório mundial [online]. Brasília (DF):OMS; 2003 [acesso 2012 Set 11]; Disponível em: http://www.opas.org.br/sistema/arquivos/Manual_final.pdf

2.  Gemelli LMG, Zago MMF. A interpretação do cuidado com o ostomizado na visão do enfermeiro: um estudo de caso. Rev Latino-Am Enfermagem 2002 Jan-Fev; 10(1):34-40.

3.  Cascais AFMV, Martini JG, Almeida PJS. O impacto da ostomia no processo de viver humano. Texto Contexto Enferm. 2007. Jan-Mar; 16(1):163-7.

4.  Waldow V. Visão histórica: evolução humana e o cuidado. In: Waldow V. Cuidado humano: o resgate necessário. Porto Alegre (RS): Sagra Luzatto; 1998. p. 17-43.

5.  Sonobe HM, Barichello E, Zago MMF. A visão do colostomizado sobre o uso da bolsa de colostomia. Rev Bras Cancerol. 2002; 48(3):341-8.

6.  Ardigo FS, Amante LN. Conhecimento do profissional acerca do cuidado de enfermagem à pessoa com estomia intestinal e família. Texto Contexto Enferm [online]. 2013 Out-Dez [acesso 2014 Jul31]; 22(4):1064-71. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072013000400024&script=sci_arttext

7.  Torralba RF. Antropologia do cuidar. Petrópolis (RJ): Vozes; 2009.

8.  Bellato R, Maruyama SAT, Silva CM, Castro P. A condição crônica ostomia e as repercussões que traz para a vida da pessoa e sua família. Rev Ciênc Cuidado Saúde. 2007 Jan-Mar; 6(1):40-50.

9.  Nascimento CMS, Trindade GLB, Luz MHBA, Santiago RF. Vivência do paciente estomizado: uma contribuição para a assistência de enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2011 Jul-Set; 20(3):557-64.

10.  Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

11.  Víctora CG, Knauth DR, Hassen MNA. Pesquisa qualitativa em saúde: uma introdução ao tema. Porto Alegre (RS): Tomo Editorial; 2000

12.  Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução n. 196 de 10 de outubro de 1996: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): MS; 1996.

13.  Souza CF, Brito DC, Branco MZPC. Depois da colostomia...vivências das pessoas portadoras. Enferm em Foco. 2012; 3(1):12-5.

14.  Bellato, R, Pereira WR, Maruyama, SAT, Oliveira PC. A convergência cuidado-educação-politicidade: um desafio a ser enfrentado pelos profissionais na garantia aos direitos à saúde das pessoas portadoras de estomias. Texto Contexto Enferm. 2006 Abr-Jun; 15(2):334-42.

15.  Silva AL, Shimizu HE. A relevância da rede de apoio ao estomizado. Rev Bras Enferm. 2007 Mai-Jun; 60(3):307-11.

16.  Lanzoni GMM, Lessmann JC, Sousa FGM, Erdmann AL, Meirelles BHS. Interações no ambiente de cuidado: explorando publicações de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2011 Mai-Jun; 64(3):580-6.

17.  Menezes LCG, Guedes MVC, Oliveira RM, Oliveira SKP, Meneses LST, Castro ME. Prática de autocuidado de estomizados: contribuições da Teoria de Orem. Rev Rene. 2013; 14(2):301-10.

18.  Sampaio FAA, Aquino PS, Araújo TL, Galvão MTG. Assistência de enfermagem a paciente com colostomia: aplicação da Teoria de Orem. Acta Paul Enferm. 2008; 21(1):94-100.

19.  Paula ES, Nascimento LC, Rocha SMM. Religião e espiritualidade: experiência de famílias de crianças com insuficiência renal crônica. Rev Bras Enferm. 2009 Jan-Fev; 62(1):100-6.

20.  Lima RA, Paulino EFR, Silva VMR, Loureiro AAS. Analisando produções científicas acerca da educação do enfermeiro estomaterapeuta na última década do século XXI. Rev Enferm Profissional. 2014 Jul-Dez; 1(2):462-70.

21.  Silva J, Sonobe HM, Buetto LS, Santos MG, Lima MS, Sasaki VDM. Estratégias de ensino para o autocuidado de estomizados intestinais. Rev Rene. 2014 Jan-Fev; 15(1):166-73.

22.  Silva DG, Bezerra ALQ, Siqueira KM, Paranaguá TTB, Barbosa MA. Influência dos hábitos alimentares na reinserção social de um grupo de estomizados. Rev Eletr Enf [online]. 2010 [acesso 2012 Set 27]; 12(1):56-62 Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n1/v12n1a07.htm

23.  Santana JCB, Dutra BS, Tameirão MA, Silva PF, Moura IC, Campos ACV. O significado de ser colostomizado e participar de um programa de atendimento ao ostomizado. Cogitare Enferm [online]. 2010 [acesso 2012 Fev 26];15(4):631-8. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/cogitare/article/view/20358.

24.  Rodrigues SO, Budó MLD, Simon BS, Gewehr M, Silva DC. As redes sociais de apoio no cuidado às pessoas com estomias: revisão bibliográfica. Rev Saúde. 2013; 39(1) 33-42

25.  Mauricio VC, Souza NVDO, Lisboa MTL. O enfermeiro e sua participação no processo de reabilitação da pessoa com estoma. Esc Anna Nery. 2013 Jul-Set; 17(3):416-22.

26.  Mendes JOS, Leite MMAM, Batista MRFF. Sentimentos vivenciados pelo homem adulto colostomizado. Rev Interd. 2014 Jan-Mar; 7(1): 8-67

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería