ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r24154

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

A escuta terapêutica no cuidado clínico de enfermagem em saúde mental

Deivson Wendell da Costa Lima,1 Alcivan Nunes Vieira,2 Lia Carneiro Silveira3
1Mestre em Cuidados Clínicos em Saúde. Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte e da Universidade Potiguar. Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil. 2Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Fortaleza, Ceará, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Docente do Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Fortaleza, Ceará, Brasil

Recebido em 28 de agosto de 2013
Aprovação final em 27 de janeiro de 2014

Texto Contexto Enferm 24(1): 154-160

 

 

 

Cómo citar este documento

Lima, Deivson Wendell da Costa; Vieira, Alcivan Nunes; Silveira, Lia Carneiro. A escuta terapêutica no cuidado clínico de enfermagem em saúde mental. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2015, 24(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2015/24154.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa que visou compreender a concepção da escuta terapêutica no cuidado clínico de enfermagem em saúde mental. Estudo de abordagem qualitativa, realizado com nove enfermeiros inseridos nos serviços de saúde mental. Os dados foram produzidos através de entrevistas semiestruturadas e analisados pela análise do discurso de Michel Pechêux. Identificou-se que a escuta está destituída do seu potencial terapêutico; é concebida como meio para se obter informações sobre o sujeito em sofrimento psíquico que, em síntese, correspondem aos sinais e sintomas objetificados no corpo. Em alguns momentos, essa prática é norteada pelo referencial psicossocial. A prática da escuta destoa dos princípios da Reforma Psiquiátrica, pois não possibilita a inserção do sujeito no processo de cuidar e desconsidera a sua fala enquanto expressão da sua existência-sofrimento. Apesar de conter elementos do referencial psicossocial, na prática, a escuta se limita a abordar o sofrimento psíquico sem reconhecer o sujeito que sofre
Descritores: Enfermagem; Saúde mental; Serviços de saúde mental

 

Resumen
Terapia de la escucha en cuidados de enfermería clínica en salud mental

Investigación destinada a comprender el diseño de la atención clínica de escucha terapéutica en enfermería de salud mental. Un estudio cualitativo realizado con nueve enfermeras insertados en los servicios de salud mental. Los datos se han generado a través de entrevistas semi-estructuradas y analizados por el análisis del discurso de Michel Pechêux. Se identificó que escucha está desprovista de su potencial terapéutico, se concibe como un medio para obtener información sobre el tema en los trastornos psicológicos que, en definitiva, corresponde a los signos y síntomas del cuerpo objetivado. En un momento esta práctica se guía por referencia psicosocial. La práctica de escuchar los enfrentamientos con los principios de la reforma de la salud, por lo tanto, no permite la inserción del sujeto en el proceso de atención, e incluso hacer caso omiso de su discurso como una expresión de su existencia-sufrimiento. Aunque contiene elementos del marco psicosocial en la práctica la escucha se limita a abordar el sufrimiento mental sin reconocer a la persona que sufre
Descriptores: Enfermería; Salud mental; Servicios de salud mental

 

Abstract
Therapeutic listening in clinical mental health care nursing

Research with the aim to understand the conception of therapeutic listening in clinical mental health care nursing. Qualitative study carried out with nine nurses inserted into mental health services. Data were generated by semi-structured interviews and assessed by Michel Pechêux's discourse analysis. The research identified that the listening process is devoid of its therapeutic potential. It is only conceived as a means to obtain information on the subject in psychological distress, a practice that, in summary, is specifically correlated to objectified signs and symptoms at the patient's body. Occasionally, such practice is guided by a psychosocial framework. The listening practice is not in harmony with the principles of the psychiatric reform, as it does not allow for the inclusion of the subject in the care process, and even disregards the patient's speech as an expression of his existence-suffering. Although it contains elements of the psychosocial framework, the listening practice is actually limited to addressing the mental suffering, with no recognition whatsoever of the suffering individual
Descriptors: Nursing; Mental health; Mental health services
 

Referências

1.  Guimarães AN, Borba LO, Larocca LM, Maftum M. Tratamento em saúde mental no modelo manicomial (1960 a 2000): histórias narradas por profissionais de enfermagem. Texto Contexto Enferm [online]. 2013 Abr-Jun [acesso 2014 Set 18]; 22(2):361-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n2/v22n2a12.pdf

2.  Amarante AL, Lepre AS, Gomes JLD, Pereira AV, Dutra VFD. As estratégias dos enfermeiros para o cuidado em saúde mental no programa saúde da família. Texto Contexto Enferm. 2011 Jan-Mar; 20(1):85-93

3.  Lima DWC, Silveira LC. A escuta no cuidado clínico de enfermagem ao sujeito em sofrimento psíquico: discursos e rupturas [dissertação]. Fortaleza (CE): UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde; 2012.

4.  Lima DWC, Silveira LC, Vieira AN. Listening in the treatment of psychological stress: an integrative review. J Nurs UFPE. 2012 Set; 6(9):2273-80

5.  Orlandi EP. Análise do Discurso: princípios e procedimentos. 6ª ed. Campinas (SP): Pontes; 2005.

6.  Amarante P, coordenador. Saúde mental, políticas e instituições: programa de educação à distância. Rio de Janeiro (RJ): FIOCRUZ; 2003.

7.  Nicácio MFS. Utopia da realidade: contribuições da desinstitucionalização para a invenção de serviços de saúde mental [tese]. Campinas (SP): UNICAMP, Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva; 2003.

8.  Kantorski LP, Pinho LB, Saeki T, Souza MCBM. Relacionamento terapêutico e ensino de enfermagem psiquiátrica e saúde mental: tendências no estado de São Paulo. Rev Esc Enferm USP. 2005 Mar; 39(3):17-24

9.  Aguiar DT, Silveira LC, Dourado SMN. A mãe em sofrimento psíquico: objeto da ciência ou sujeito da clínica?. Esc Anna Nery. 2011 Jul-Set; 15(3):622-8.

10.  Püschel VAA, Ide CAC, Chaves EC. Modelos clínicos e psicossocial de atenção ao indivíduo e à família na assistência domiciliar - bases conceituais. Rev Esc Enferm USP. 2006 Jun; 40(2):261-8.

11.  Brito TRJC. O trabalho em saúde mental: uma análise preliminar relativa à saúde dos trabalhadores dos serviços públicos. Rev Bras Saúde Ocup. 2008 Mai; 33(117):36-49

12.  Almeida PF, Santos NS. Notas sobre as concepções de clínica e ética na reforma psiquiátrica brasileira: impasses e perspectivas de uma prática em construção. Psicol Cienc Prof. 2001 Set; 21(3):20-9

13.  Bessa JB, Waidman MAP. Família da pessoa com transtorno mental e suas necessidades na assistência psiquiátrica. Texto Contexto Enferm [online]. 2013 Mar [acesso 2014 Set 18]; 22(1):61-70. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072013000100008&script=sci_arttext&tlng=pt

14.  Mielke FB, Olschowsky A. Ações de saúde mental na estratégia saúde da família e as tecnologias em saúde. Esc Anna Nery. 2011 Out-Dez; 15(4):762-8.

15.  Lacan J. O seminário livro 7: a ética da psicanálise. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar; 1997.

16.  Lacan, J. Outros escritos. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar; 2003.

17.  Dockhorn CNBF, Kother MMM, Werlang BSG. Desamparo e dor psíquica na escuta da psicanálise. Barbarói. 2007 Jul-Dez; 27(2):25-42

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería