ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r24121

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Violência contra a mulher por parceiro íntimo: (in)visibilidade do problema

Daniele Ferreira Acosta,1 Vera Lúcia de Oliveira Gomes,2 Adriana Dora da Fonseca,3 Giovana Calcagno Gomes4
1
Doutoranda em Enfermagem. Bolsista FAPERGS. Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Titular da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Professora Associado da Escola de Enfermagem, FURG. Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Diretora da Escola de Enfermagem, FURG. Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil

Recebido em 13 de junho de 2013
Aprovação final em 04 de novembro de 2013

Texto Contexto Enferm 24(1): 121-127

 

 

 

Cómo citar este documento

Acosta, Daniele Ferreira; Gomes, Vera Lúcia de Oliveira; Fonseca, Adriana Dora da; Gomes, Giovana Calcagno. Violência contra a mulher por parceiro íntimo: (in)visibilidade do problema. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2015, 24(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2015/24121.php> Consultado el

 

Resumo

Objetiva-se identificar os motivos que desencadeiam a violência contra mulher e descrever os atos perpetrados pelo parceiro íntimo. Pesquisa documental, qualitativa, realizada numa Delegacia Especializada de Atendimento às Mulheres. Analisaram-se 902 ocorrências registradas entre agosto/2009 e dezembro/2011, cujas vítimas tinham, no mínimo, dezoito anos. Colheram-se os dados das ocorrências, transcrevendo-se literalmente, os relatos das vítimas e tratando-os através da análise de conteúdo. Apreenderam como desencadeadores de violência: supremacia masculina como geradora de sofrimento e submissão; problemas decorrentes do uso de drogas; problemas relacionados aos(às) filhos(as); e problemas com divisão de bens. A gravidade foi dimensionada pelas consequências à vítima e família. A equipe de enfermagem, como integrante da rede de apoio, precisa compreender esse fenômeno como problema de saúde e empenhar-se para romper os obstáculos que impedem o efetivo e eficaz atendimento, auxiliando no fortalecimento da autonomia feminina e incluindo os homens nas ações de combate e prevenção à violência contra a mulher
Descritores: Violência doméstica; Violência contra a mulher; Gênero e saúde; Enfermagem; Saúde pública

 

Resumen
Violencia contra las mujeres en la pareja: (in)visibilidad del problema

El objetivo del estudio fue identificar las razones que llevan a la violencia contra la mujer y describir los actos perpetrados por su pareja. Investigación documental, cualitativa realizada en el Servicio de Policía Especializada en Atención a Mujeres. Se analizaron 902 informes registrados entre Agosto/2009 y Diciembre/2011, cuyas víctimas tenían al menos dieciocho años. Se recolectaron los datos de las ocurrencias, describiendo literalmente, las historias de las víctimas y su tratamiento fue a través del análisis de contenido. Fue identificados como factores desencadenantes de la violencia: la supremacía masculina como generadora de sufrimiento y sumisión, los problemas derivados del uso de drogas, los problemas relacionados con los niños y la división de los bienes. La gravedad fue escalada por las consecuencias a la víctima y su familia. El personal de enfermería como parte de la red de apoyo, debe entender este fenómeno como un problema de salud y esforzarse por romper las barreras que impidan el servicio eficaz y eficiente, auxiliando en el fortalecimiento de la autonomía de las mujeres, incluyendo a los hombres en acciones de combate y prevención de la violencia contra las mujeres
Descriptores: Violencia doméstica; Violencia contra la mujer; Género y salud; Enfermería; Salud pública

 

Abstract
Violence against women commited by intimate partners: (in)visibility of the problem

The objective is to identify the reasons behind violence against women and describe the acts perpetrated by an intimate partner. Documentary study, qualitative conducted at the Special Police Service to Women. We analyzed 902 occurrences between August/2009 and December/2011, whose victims had at least eighteen years old. We collected the data of occurrences, transcribing literally, stories of the victims and treating it them through the content analysis. It was observed as triggers of violence: male supremacy as a generator of suffering and submission; problems arising from drug use, problems related to children and division of assets. The severity was scaled for the consequences to the victim and their family. The nursing staff as part of the support network , need to understand this phenomenon as a health problem and strive to break through the barriers that impede effective and efficient service , assisting in the strengthening of women's autonomy and including men in combat actions and prevention of violence against women
Descriptors: Domestic violence; Violence against women; Gender and health; Nursing; Public health
 

Referências

1.  Schraiber L, Oliveira AF, Hanada H, Figueiredo W, Couto M, Kiss L, et al. Violência vivida: a dor que não tem nome. Comunic Saúde Educ. 2003 Fev; 7(12):41-54.

2.  Krug EG, Dahlberg LL, Mercy JA, Zwi AB, Lozano R, organizadores. World report on violence and health. Geneva (SW): World Health Organization; 2002.

3.  Duvvury N, Grown C, Jennifer Redner. Estimating the costs and impacts of intimate partner violence in developing countries: a methodological resource guide. Washington: International Center for Research on Women; 2009 [acesso 2012 Abr 29]. Available at: http://www.icrw.org/files/publications/Estimating-the-Costs-and-Impacts-of-Intimate-Partner-Violence-in-Developing-Countries-A-Methodological-Resource-Guide.pdf

4.  Scott J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educ Realidade. 1995 Jul-Dez; 20(2):71-99.

5.  Meyer DE. Corpo, violência e educação: uma abordagem de gênero. In: Junqueira RD, organizador. Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília (DF): MEC; 2009. p. 213-34.

6.  Brasil. Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher "Convenção de Belém do Pará". Adotada em Belém do Pará, Brasil, em 9 de junho de 1994, no Vigésimo Quarto Período Ordinário de Sessões da Assembléia Geral. Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Belém (PA); 1994

7.  Pasinato W, Santos CMD. Mapeamento das Delegacias da Mulher no Brasil. São Paulo (SP): Universidade de Campinas; 2008.

8.  Brasil. Lei n. 11.340 de 7 de agosto de 2006. Lei Maria da Penha. Dispõe sobre mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília (DF): Câmara dos deputados, Coordenação de Publicações; 2007.

9.  Narvaz MG, Koller SH. Mulheres vítimas de violência doméstica: compreendendo subjetividades assujeitadas. PSICO. 2006 Jan-Abr; 37(1):7-13.

10.  Carvalho C, Destro JR, Faust SB, Coelho EBS, Boing AF. Dinâmica da violência entre casais a partir da ótica da mulher agredida no bairro Trindade, Florianópolis/SC. Cogitare Enfer. 2010 Out-Dez; 15(4):603-8.

11.  Guedes RN, Silva ATMC, Fonseca RMGS. A violência de gênero e o processo saúde-doença das mulheres. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2009 Jul-Set; 13(3):625-31

12.  Yee A. Reforms urged to tackle violence against women in India. Lancet [online]. 2013 [acesso 2012 Abr 29]; 381(19876):1445-6. Available at: http://www.lancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736%2813%2960912-5/fulltext

13.  Schraiber LB, Oliveira AFPL, Couto MT. Violência e saúde: contribuições teóricas, metodológicas e éticas de estudos da violência contra a mulher. Cad Saúde Pública. 2009; 25(sup2): 205-16.

14.  Morais SCRV, Monteiro CFS, Rocha SS. O cuidar em enfermagem à mulher vítima de violência sexual. Texto Contexto Enferm. 2010 Jan-Mar; 19(1):155-60.

15.  Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70; 2011.

16.  Vieira LB, Padoin SMM, Souza IEO. Perspectivas para o cuidado de enfermagem às mulheres que denunciam a violência vivida. Esc Anna Nery. 2011 Out-Dez; 15(4):678-85.

17.  Minayo MCS , organizadora Caminhos do pensamento: epistemologia e método. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2002

18.  Ribeiro DKL, Duarte JM, Lino KC, Fonseca MRCC. Caracterização das mulheres que sofrem violência doméstica na cidade de São Paulo. Saúde Colet. 2009; 6(35):264-68.

19.  Santi LN, Nakano MAS, Lettiere A. Percepção de mulheres em situação de violência sobre o suporte e apoio recebido em seu contexto social. Texto Contexto Enferm. 2010 Jul-Set; 19(3):417-24.

20.  Lamoglia CVA, Minayo MCS. Violência conjugal, um problema social e de saúde pública: estudo em uma delegacia do interior do Estado do Rio de Janeiro. Ciên Saúde Coletiva. 2009; 14(2):595-604.

21.  Gomes NP, Diniz NMF. Homens desvelando as formas da violência conjugal. Acta Paul Enferm. 2008; 21(2):262-7.

22.  Deeke LP, Boing AF, Oliveira WF, Coelho EBS. A dinâmica da violência doméstica: uma análise a partir dos discursos da mulher agredida e de seu parceiro. Saúde Soc. 2009; 18(2):248-58.

23.  Trigueiro TH, Labronici LM. Chemical dependency as a risk factor for domestic violence against women. Online Braz J Nurs [online]. 2011 [acesso 2012 Abr 29]; 10(2):1-9. Available at: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3266/html

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería