ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r24112

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Apoio matricial, projeto terapêutico singular e produção do cuidado em saúde mental*

Maria Salete Bessa Jorge,1 Alexandre Melo Diniz,2 Leilson Lira de Lima,3 Jardeliny Corrêa da Penha4
1Doutora em Enfermagem. Professora Titular dos Cursos de Graduação em Enfermagem e Medicina da UECE. Fortaleza, Ceará, Brasil. 2Mestrando do Programa de Mestrado Acadêmico em Saúde Pública da UECE. Fortaleza,Ceará, Brasil. 3Doutorando do Programa de Pós-Graduação Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde da UECE. Professor Substituto do Curso de Graduação em Medicina da UECE. Fortaleza, Ceará, Brasil. 4Mestranda do Programa de Pós-graduação Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde da UECE. Fortaleza, Ceará, Brasil

Recebido em 28 de agosto de 2013
Aprovação final em 27 de janeiro de 2014

Texto Contexto Enferm 24(1): 112-120
*
Pesquisa relacionada à dissertação - Projeto terapêutico singular de usuários da atenção básica: resolubilidade, corresponsabilização, autonomia e cuidados, apresentada ao Programa de Mestrado Acadêmico em Saúde Pública da Universidade Estadual do Ceará (UECE), em 2012

 

 

 

Cómo citar este documento

Jorge, Maria Salete Bessa; Diniz, Alexandre Melo; Lima, Leilson Lira de; Penha, Jardeliny Corrêa da. Apoio matricial, projeto terapêutico singular e produção do cuidado em saúde mental. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2015, 24(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2015/24112.php> Consultado el

 

Resumo

O estudo objetivou compreender como se conformam o apoio matricial, projeto terapêutico singular, e sua interface com a produção do cuidado em saúde mental. Trata-se de uma investigação qualitativa, realizada em Fortaleza-CE, no Centro de Atenção Psicossocial e no Centro de Saúde da Família. Participaram 17 sujeitos, entre profissionais e usuários. Utilizou-se a entrevista semiestruturada e a observação sistemática. A análise envolveu compreensão de narrativas, embasada pela teoria de Ricoeur. Os resultados evidenciaram o acolhimento, o vínculo e a corresponsabilização no cotidiano assistencial, promovendo cuidado. Desvelaram-se, contudo, excessivos encaminhamentos, atendimento médico-centrado, dependência do Centro de Saúde ao suporte da atenção especializada, deficiência de espaço físico, desarticulação da rede, terceirização e despreparo dos profissionais do Centro de Saúde, como dificuldades com a produção do cuidado. O apoio matricial e o projeto terapêutico singular, portanto, acontecem no cotidiano dos serviços, porém com dificuldades que incidem na organização e produção do cuidado
Descritores: Saúde mental; Atenção primária à saúde; Serviços de saúde mental

 

Resumen
Apoyo matricial, plan terapéutico singular y producción del cuidado en salud mental

La investigación objetivó comprender el Apoyo Matricial y Plan Terapéutico Singular y su relación con la producción del cuidado en salud mental. Se trata de investigación cualitativa, en la ciudad de Fortaleza-CE, Centro de Atención Psicosocial y el Centro de Salud de la Familia. 17 sujetos participaron, profesionales y usuarios. Se utilizó como técnica a la entrevista semiestructurada y observación sistemática. Los datos se analizaron por análisis de narrativas, basada en la teoría de Ricoeur. Los resultados revelaron remisiones excesivas, atención centrada en médico, dependencia del Centro de Salud al apoyo de la atención especializada, desconexión de la red, vínculos de empleo frágil y falta de preparo de los profesionales del CSF como dificultades a la producción del cuidado. El Apoyo Matricial y el Plan Terapéutico Singular ocurren en el cotidiano de los servicios con dificultades que afectan a la organización y producción del cuidado
Descriptores: Salud mental; Atención primaria de salud; Servicios de salud mental

 

Abstract
Matrix support, individual therapeutic project and prodution in mental health care

The study aimed to understand how to conform the Support Matrix and Individual Therapeutic Project and its relation with the production of mental health care. This is qualitative research conducted in Fortaleza-CE, Center for Psychosocial Care and Center for Family Health. 17 people participated, between professionals and patients. It was used as for dates collecting semi-structured and systematic observation. The findings were analyzed by narrative analysis, grounded theory by Ricoeur. The results reveal themselves excessive referrals, medical-centered, dependence Health Center to support the specialized care, deficiency of physical space, network disconnection, outsourcing and professional unpreparedness of the Health Center as the production difficulties of care. The Support Matrix and Individual Therapeutic Project therefore happen in everyday services, but with difficulties that affect the organization and production of care
Descriptors: Health mental; Primary health care; Mental health services
 

Referências

1.  Lancetti A, Amarante PDC. Saúde mental e saúde coletiva. In: Akerman M, Drumond Jr M, Campos GWS, Carvalho YM, Minayo MCS, organizadores. Tratado de saúde coletiva. 2ª ed. São Paulo (SP): Hucitec Editora; 2012. p. 615-67.

2.  Vecchia MD, Martins STF. Desinstitucionalização dos cuidados a pessoas com transtornos mentais na atenção básica: aportes para implementação das ações. Interface Comunic Saúde Educ. 2009 Jan-Mar; 13(28):151-64.

3.  Cunha GT, Campos GWS. Apoio matricial e atenção primária em saúde. Saúde Soc. 2011 Out-Dez; 20(4):961-70.

4.  Miranda L, Onocko-Campos RT. Análise do trabalho de referência em Centros de Atenção Psicossocial. Rev Saúde Pública. 2008 Set-Out; 42(5):907-13.

5.  Campos GWS. Clínica e saúde coletiva compartilhadas: teoria paideia e reformulação ampliada do trabalho em saúde. In: Akerman M, Drumond Jr M, Campos GWS, Carvalho YM, Minayo MCS, organizadores. Tratado de saúde coletiva. 2ª ed. São Paulo (SP): Hucitec Editora; 2012. p. 41-79.

6.  Pinto DM, Jorge MSB, Pinto AGA, Vasconcelos MGF, Cavalcante CM, Flores AZT, et al. Projeto terapêutico singular na produção do cuidado integral: uma construção coletiva. Texto Contexto Enferm. 2011 Jul-Set; 20(3):293-302.

7.  Koekkoek B, Van Meijel B, Schene A, Smit A, Kaasenbrood A, Hutschemaekers G. Interpersonal community psychiatric treatment for non-psychotic chronic patients and nurses in outpatient mental health care: a controlled pilot study on feasibility and effects. International Journal of Nursing Studies. 2012 Set-Out; 49(5):549-59.

8.  Shim R, Rust G. Primary care, behavioral health, and public health: partners in reducing mental health stigma. American J Public Health. 2013 May; 103(5):774-6.

9.  Delfini PSS, Reis AOA. Articulação entre serviços públicos de saúde nos cuidados voltados à saúde mental infantojuvenil. Cad Saúde Pública. 2012 Fev; 28(2):357-66.

10.  Bezerra E, Dimenstein M. Os CAPS e o trabalho em rede: tecendo o apoio matricial na atenção básica. Psicol Cienc Prof. 2008 Set; 28(3):632-45.

11.  Figueredo MD, Onoko-Campos RT. Saúde mental na atenção básica à saúde de Campinas, SP: uma rede ou um emaranhado?. Ciênc Saúde Coletiva. 2009 Jan-Fev; 14(1):129-38.

12.  Pinto AGA, Jorge MSB, Vasconcelos MGF, Sampaio JJC, Lima GP, Bastos CC, et al. Apoio matricial como dispositivo do cuidado em saúde mental na atenção primária: olhares múltiplos e dispositivos para resolubilidade. Ciênc Saúde Coletiva. 2012 Jan-Mar; 17(3):653-60.

13.  Santos AM, Assis MMA, Rodrigues AAAO, Nascimento MAA, Jorge MSB. Linhas de tensões no processo de acolhimento das equipes de saúde bucal do Programa Saúde da Família: o caso de Alagoinhas, Bahia, Brasil. Cad Saúde Pública. 2007 Jan; 23(1):75-85.

14.  Ricoeur P. Do texto à ação: ensaios de hermenêutica II. Porto (PT): Rés-Editora, 1989.

15.  Fortaleza. Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza. Relatório de gestão do ano de 2007: saúde, qualidade de vida e a ética do cuidado. Fortaleza (CE): imprensa municipal; 2007.

16.  Caprara A, Veras MSC. Hermenêutica e narrativa: a experiência de mães de crianças com epidermólise bolhosa congênita. Interface - Comunic Saúde Educ. 2004-2005 Set-Fev; 9(16):131-46.

17.  Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução n. 196 de 10 de outubro de 1996: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): MS; 1996.

18.  Geanellos R. Exploring Ricouer´s hermeneutic theory of interpretation as a method of analysing research texts. Nursing Inquiry. 2000 Jul; 7(2):112-9.

19.  Campos GWS. Reflexões sobre a clínica ampliada em equipes de saúde da família. In: Campos GWS. Saúde Paidéia. 3ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2007. p. 68-75

20.  Jorge MSB, Pinto DM, Quinderé PHD, Pinto AGA, Sousa FSP, Cavalcante CM. Promoção da saúde mental - tecnologias do cuidado: vínculo, acolhimento, co-responsabilização e autonomia. Cien Saude Colet. 2011 Abr-Jun; 16(7):3051-60.

21.  Amarante P. Saúde mental e atenção psicossocial. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2011.

22.  Reuter C, Peixoto PTCP. Psiquiatria, saúde mental e biopoder: vida, controle, e modulação no contemporâneo. Psicol Estudo. 2009 Abr-Jun; 14(2):267-75.

23.  Dimenstein M, Severo AK, Brito M, Pimenta AL, Medeiros V, Bezerra E. O apoio matricial em Unidades de Saúde da Família: experimentando inovações em saúde mental. Saúde Soc. 2009 Jan-Mar; 18(1):63-74.

24.  Amarante AL, Lepre AS, Gomes JLD, Pereira AV, Dutra VFD. As estratégias dos enfermeiros para o cuidado em saúde mental no Programa Saúde da Família. Texto Contexto Enferm. 2011 Jan-Mar; 20(1):85-93.

25.  Rodrigues AAAO, Santos AM, Assis MMA. Agente comunitário de saúde: sujeito da prática em saúde bucal em Alagoinhas, Bahia. Ciên Saude Colet. 2010 Jul-Set; 15(3):907-15.

26.  Onocko-Campos RT, Campos GWS, Ferrer AL, Corrêa CRS, Madureira PR, Gama CAP, et al. Avaliação de estratégias inovadoras na organização da atenção primária à saúde. Rev Saúde Pública. 2012 Jan; 46(1):43-50

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería