ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r24072

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Percepção dos trabalhadores da saúde acerca da prevenção da epidemia da AIDS em Florianópolis-SC, Brasil (1986-2006)

Mariana Vieira Villarinho,1 Maria Itayra Padilha,2 Isabel Cristina Alves Maliska,3 Maria Ligia dos Reis Bellaguarda,4 Camila Sell,5 Aline Coelho Ferreira6
1Doutora em Enfermagem. Enfermeira do Trabalho na Secretaria de Estado da Administração de Santa Catarina. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pesquisadora do CNPq. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Enfermeira Assistencial do Hospital Universitário da UFSC. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Professora na Faculdade de Enfermagem do Centro Universitário Estácio de Sá. São José, Santa Catarina, Brazil. 5Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSC. Enfermeira. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 6Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSC. Enfermeira do Hospital SOS Cárdio. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Recebido em 05 de setembro de 2013
Aprovação final em 13 de dezembro de 2013

Texto Contexto Enferm 24(1): 72-79

 

 

 

Cómo citar este documento

Villarinho, Mariana Vieira; Maliska, Isabel Cristina Alves; Bellaguarda, Maria Ligia dos Reis; Sell, Camila; Ferreira, Aline Coelho. Percepção dos trabalhadores da saúde acerca da prevenção da epidemia da AIDS em Florianópolis-SC, Brasil (1986-2006). Texto Contexto Enferm, ene-mar 2015, 24(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2015/24072.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa sociohistórica que objetivou conhecer a percepção dos trabalhadores da saúde de um hospital referência em doenças infectocontagiosas acerca da prevenção da epidemia da aids, 1986 a 2006. Os dados foram coletados de março a outubro de 2011, utilizando a técnica da história oral, com vinte e três trabalhadores da saúde que cuidaram de pessoas com aids, no período do estudo. Utilizou-se a análise de conteúdo, na qual emergiram duas categorias: necessidade de estratégias de prevenção e não uso do preservativo. Os resultados mostram que a percepção dos trabalhadores da saúde acerca da prevenção da aids ao longo da epidemia foi ruim, relacionado as fragilidades da mídia, dos profissionais da saúde nas ações de prevenção e a banalização da prevenção pela própria sociedade, ao não usar o preservativo nas relações sexuais. Concluímos que desconhecer a doença resultou na lentidão de esclarecimentos e prevenção acerca do HIV/aids
Descritores: Síndrome da Imunodeficiência Adquirida; Pessoal de saúde; História

 

Resumen
Percepción de los profesionales de salud acerca de la prevención de la epidemia del SIDA, en Florianópolis-SC, Brasil (1986-2006)

Investigación socio-histórica cuyo objetivo fue conocer la percepción de los profesionales de salud de un hospital referencia en enfermedades infecto-contagiosas acerca de la prevención de la epidemia del SIDA de 1986 hasta 2006. Los datos fueron recopilados de marzo a octubre de 2011, utilizando la técnica de historia oral, con veintitrés profesionales de la salud que estuvieron a cargo del cuidado de personas con el síndrome de inmunodeficiencia adquirida durante el período del estudio. Fue utilizado el análisis de contenido descrito por Bardin, del cual surgieron dos categorías: necesidad de estrategias de prevención y falta de uso de preservativos (condones). Los resultados muestran que la percepción de los profesionales de la salud sobre la prevención del SIDA a lo largo de la epidemia fue mala, lo que está relacionado a las fragilidades de los medios de comunicación, a los profesionales de la salud en las acciones de prevención y a la banalización de la prevención por la misma sociedad, al no usar condones en las relaciones sexuales. Concluimos que desconocer la enfermedad tuvo como resultado la lentitud en las aclaraciones y prevención sobre el HIV/SIDA
Descriptores: Síndrome de Inmunodeficiencia Adquirida; Personal de salud; Historia

 

Abstract
Perception of health professionals about the prevention of the AIDS epidemic in Florianópolis, Santa Catarina, Brazil (1986-2006)

Socio-historical research whose aim was to know the perception of health professionals about AIDS epidemic prevention from 1986 to 2006. They worked in a reference hospital for infectious and contagious diseases. The data was collected from March to October 2011, using the oral story technique, and the subjects were twenty-three health professionals who looked after people suffering from Acquired Immune Deficiency Syndrome during the above mentioned period. The content analysis described by Bardin was used and two categories came up: the need for preventive strategies and the lack of using condoms. The results showed that the health professionals' perception about AIDS prevention was bad due to: the media fragility, the health professionals' actions regarding preventive strategies and the trivialization of the preventive measures by the society, by not using condoms in sexual intercourse. We concluded that ignoring the disease led to slowing down the process of clarifying and preventing HIV/AIDS
Descriptors: Acquired Immunodeficiency Syndrome; Health personnel History
 

Referências

1.  Oliveira DC, Oliveira EG, Gomes AMT, Teotônio MC, Wolter RMCP. O Significado do HIV/aids no processo de envelhecimento. Rev Enferm UERJ. 2011 Jul-Set; 19(3):353-8.

2.  Souza BMB, Vasconcelos CC, Tenório DM, Lucena MGA, Holanda RLT. A política de aids no Brasil: uma abordagem histórica. J Manag Prim Health Care. 2010; 1(1):23-6.

3.  Maliska ICA. A implantação das políticas públicas de saúde em aids no município de Florianópolis-SC: um estudo do período de 1986 a 2010 [Tese]. Florianópolis (SC): Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Universidade Federal de Santa Catarina; 2012.

4.  Padilha MS, Borenstein MS. O método de pesquisa histórica na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2005 Out-Dez; 14(4):575-84.

5.  Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70; 2004.

6.  Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa . Resolução n.196 de 10 de outubro de 1996: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): MS; 1996.

7.  Girondi JBR, Backes MTS, Argenta MI, Meirelles BHS, Santos SMA. Risco, vulnerabilidade e incapacidade: reflexões com um grupo de enfermeiras. Rev Eletr Enferm [online]. 2010 [acesso 2012 Abr 18]; 12(1):20-7. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n1/pdf/v12n1a03.pdf

8.  Buchalla CM, Paiva V. Da compreensão da vulnerabilidade social ao enfoque multidisciplinar. Rev Saúde Pública. 2002 Ago; 36(4):117-9.

9.  Camargo BV, Giacomozzi AI, Wachelke JFR, Aguiar A. Relações amorosas, comportamento sexual e vulnerabilidade de adolescentes afrodescendentes e brancos em relação ao HIV/aids. Saúde Soc. 2010 Dez; 19(supl 2):36-50.

10.  Villarinho MV. Evolução das práticas de cuidado dos trabalhadores da saúde às pessoas com HIV/aids, em um hospital referência em doenças infecto contagiosas de Santa Catarina: no período de 1986 a 2006 [tese]. Florianópolis (SC): Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Universidade Federal de Santa Catarina; 2012.

11.  Ministério da Saúde (BR). Lei n. 9.313, de 13 de novembro de 1996: dispõe sobre a distribuição gratuita de medicamentos aos portadores do HIV e doentes de AIDS. Brasília (DF): MS; 1996.

12.  Geocze L, Mucci AS, Marco MA, Nogueira-Martins LA, Citero VA. Qualidade de vida e adesão ao tratamento anti-retroviral de pacientes portadores de HIV. Rev Saúde Pública. 2010 Ago; 44(4):743-9.

13.  Ministério da Saúde [página na Internet]. Aids vinte anos: esboço histórico para entender o Programa brasileiro História do Programa Nacional. Brasília (DF): MS; 2006 [atualizado 2012 Mar 04; acesso 2012 Abr 18]. Disponível em: http://www2.aids.gov.br/data/Pages/LUMISBD1B398DPTBRIE.htm

14.  Villarinho MV, Padilha MI, Berartinelli LM, Borenstein MS, Meirelles BH, Andrade SR. Políticas públicas de saúde face a epidemia da aids e a assistencia às pessoas com a doença. Rev Bras Enferm. 2013 Mar-Abr; 66(2):271-7.

15.  Schaurich D, Coelho DF, Motta MGC. A cronicidade no processo saúde-doença: repensando a epidemia da aids após os anti-retrovirais. Rev Enferm UERJ. 2006 Jul-Set; 14(3):455-62.

16.  Reis RK, Gir E. Convivendo com a diferença: o impacto da sorodiscordância na vida afetivo-sexual de portadores do HIV/aids. Rev Esc Enferm USP. 2010 Set; 44(3):759-65.

17.  Maliska ICA, Padilha MIC, Vieira M, Bastiani J. Percepções e significados do diagnóstico e convívio com o HIV/aids. Rev Gaucha Enferm. 2009 Mar; 30(1):85-91.

18.  Vieira M, Padilha MIC, Santos EKA. Histórias de vida - mãe e filho soropositivo para o HIV. Texto Contexto Enferm. 2009 Jan-Mar; 18(1):33-40.

19.  Oliveira DC, Costa TL, Gomes AMT, Acioli S, Formozo GA, Heringer A, et al. Análise da produção de conhecimento sobre o HIV/aids em resumos de artigos em periódicos brasileiros de enfermagem, no período de 1980 a 2005. Texto Contexto Enferm. 2006 Out-Dez; 15(4):654-62.

20.  Monteiro S, Villela WV, Knauth D. Discrimination, stigma, and AIDS: a review of academic literature produced in Brazil (2005-2010). Cad Saúde Pública. 2012 Jan; 28(1):170-6.

21.  Rodrigues LSA, Paiva MS, Oliveira JF, Nobrega SM. Vulnerabilidade de mulheres em união heterossexual estável à infecção pelo HIV/aids: estudo de representações sociais. Rev Esc Enferm USP. 2012 Abr; 46(2):349-55.

22.  Ministério da Saúde [página na Internet]. Boletim Epidemiológico AIDS/DST, ano IX, n. 01, até semana epidemiológica 26º - junho de 2012. Brasília (DF): MS; 2012 [atualizado 2012 Jun 24; acesso 2012 Ago 28]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/sites/default/files/anexos/publicacao/2012/52654/boletim_jornalistas_pdf_22172.pdf

23.  Secretaria de Estado da Saúde, Diretoria de Vigilância Epidemiológica, Gerência de Vigilância das DST/HIV/AIDS. 27 anos da epidemia de aids: Uma história de lutas, desafios e avanços. Florianópolis (SC): SES; 2011.

24.  Seffner F. Com vírus, sem vírus: afeto, amor, amizade, vida sexual e aids. In: Padoin SMM, Paula CC, Shaurich D. Aids: o que ainda há para ser dito? Santa Maria (RS): ed. UFSM; 2007. p. 29-45.

25.  Paiva V. Sem mágicas soluções: a prevenção e o cuidado em HIV/AIDS e o processo de emancipação psicossocial. Interface Comunic Saúde Educ. 2002 Ago; 6(11):25-38

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería