ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r24064

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Climatério: a intensidade dos sintomas e o desempenho sexual*

Estela Rodrigues Paiva Alves,1 Aurélio Molina da Costa,2 Simone Maria Muniz da Silva Bezerra,3 Ana Marcia Spano Nakano,4 Ana Márcia Tenório de Souza Cavalcanti, 5 Maria Djair Dias6
1Doutoranda do PPGEnf/UFPB. João Pessoa, Paraíba, Brasil. 2Médico. Doutor em Planejamento Familiar. Docente da Faculdade de Ciências Médicas da UPE e do PPGEnf/UPE/UEPB. Recife, Pernambuco, Brasil. 3Pós-doutorado pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Docente do PPGEnf/UPE/UEPB. Recife, Pernambuco, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem em Saúde Pública. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 5Enfermeira. Docente do PPGEnf/UFPE. Recife, Pernambuco, Brasil. 6Doutora em Enfermagem. Docente do PPGEnf/UFPB. João Pessoa, Paraíba, Brasill

Recebido em 26 de fevereiro de 2014
Aprovação final em 02 de outubro de 2014

Texto Contexto Enferm 24(1): 64-71
*
Artigo extraído da dissertação - O padrão de desempenho sexual e a intensidade da síndrome do climatério em um grupo de mulheres que realizam atividade física, apresentada ao Programa Associado de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGEnf) da Universidade de Pernambuco (UPE) e da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em 2012

 

 

 

Cómo citar este documento

Alves, Estela Rodrigues Paiva; Costa, Aurélio Molina da; Bezerra, Simone Maria Muniz da Silva; Nakano, Ana Marcia Spano; Cavalcanti, Ana Márcia Tenório de Souza; Dias, Maria Djair. Climatério: a intensidade dos sintomas e o desempenho sexual. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2015, 24(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2015/24064.php> Consultado el

 

Resumo

O presente estudo objetivou verificar a associação entre a intensidade dos sintomas no climatério e o padrão de desempenho sexual de mulheres neste período do ciclo vital. Estudo transversal, realizado de julho a setembro de 2011, envolvendo 260 mulheres no climatério, de um programa de atividade física. As mulheres foram avaliadas por meio do Índice Menopausal de Kupperman e do Quociente Sexual. Para análise estatística utilizou-se: média, desvio-padrão, porcentagens e Teste Exato de Fisher. As mulheres com padrão de desempenho sexual bom/excelente, em sua maioria, referiram apresentar sintomas leves na escala menopausal, e as que apresentaram um padrão ruim/desfavorável, tinham altos percentuais de manifestações moderadas e intensas. Os sintomas de intensidade leve estiveram associados a um melhor padrão de desempenho sexual, presumindo-se que alterações neste padrão tem forte relação com a intensidade dos sintomas
Descritores: Climatério; Sexualidade; Atividade motora; Promoção da saúde; Enfermagem

 

Resumen
Climaterio: la gravedad de los síntomas y el desempeño sexual

El presente estudio tuvo como objetivo investigar la asociación entre la intensidad de los síntomas del climaterio y el patrón de la actividad sexual de mujeres durante este período del ciclo vital. Estudio transversal realizado entre julio y septiembre de 2011 con la participación 260 mujeres de un programa de actividad física que se encontraban en el climaterio. Se evaluaron las mujeres con el índice menopáusico Kupperman y Cociente Sexual. Para el análisis estadístico se utilizó: el promedio, la desviación estándar, los porcentajes y la Prueba Exacta de Fisher. Las mujeres con estándar de desempeño sexual bueno/excelente, mayoritariamente, reportaron síntomas leves en el índice menopáusico, y las que tenían un patrón malo/desfavorable tuvieron tasas altas de manifestaciones moderadas y graves. Los síntomas de intensidad leve se asociaron con un mejor patrón de rendimiento sexual, demostrando que los cambios en este índice tienen fuerte relación con la intensidad de los síntomas
Descriptores: Climaterio; Sexualidad; Actividad motora; Promoción de la salud; Enfermería

 

Abstract
Climacteric: intensity of symptoms and sexual performance

This paper had the aim to checking the association between the intensity of climacteric symptoms and the pattern of sexual performance of women in this period of the life cycle. A transversal study conducted from July to September 2011 involving 260 climateric women of a physical exercise program. The women were evaluated using the Kupperman Menopausal Index and of the Sexual Quotient. For statistical analysis, there were used: average, standard deviation, percentages and Fisher Exact Test. The women with sexual performance standard good/excellent, mostly, reported mild symptoms in Menopausal Index, and those who had a bad pattern/unfavorable, had high percentages of moderate and severe manifestations. Symptoms of mild intensity were associated with a higher standard of sexual performance, showing that changes in this pattern have strong relationship with the intensity of symptoms
Descriptors: Climacteric; Sexuality; Motor activity; Health promotion; Nursing
 

Referências

1.  Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas . Manual de atenção à mulher no climatério/menopausa. Brasília (DF): MS; 2008.

2.  Fernandes ALRV, Pinto-Neto AM, Osis MJ, Conde DM, Sousa MH, Costa-Paiva L. Sexuality in Brasilian women age 40 to 65 years or more of formal education: associated factors. Menopause. 2008; 15(2):264-9.

3.  Serrão C. (Re)pensar o climatério feminino. Aná Psicológica [online]. 2008 [acesso 2013 Ago 12]; 26(1):15-23. Disponível em: http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/pdf/aps/v26n1/v26n1a02.pdf

4.  Pereira Q, Silva C, Siqueira H. Processo de viver de mulheres climatérias usuárias do Sistema Único de Saúde. Ciênc Cuid Saúde [online]. 2008 [acesso 2013 Ago 10];7(2):224-31. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/5006/3245

5.  Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas . Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília (DF): MS; 2009

6.  Berni NIO, Luz MH, Kohlrausch SC. Conhecimento, percepções e assistência à saúde da mulher no climatério. Rev Bras Enferm [online]. 2007 [acesso 2013 Set 23]; 60(3):299-306. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v60n3/a10.pdf

7.  Rampanele A. A prática de atividade física entre mulheres frequentadoras de academia no climatério e menopausa [monografia]. Novo Hamburgo (RS): Universidade Feevale; 2010.

8.  Silva Filho EA, Costa AM. Avaliação da qualidade de vida de mulheres no climatério atendidas em hospital-escola na cidade do Recife, Brasil. Rev Bras Ginecol Obstet [online]. 2008 [acesso 2013 Ago 12]; 30(3):113-20. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v30n3/3099.pdf

9.  Maron L, Leal A, Bandeira D, Macedo PS, Garcia SS, Silva EB. A assistência às mulheres no climatério: um estudo bibliográfico. Rev Contexto Saúde [online]. 2011 [acesso 2014 Out 27]; 10(20):545-50. Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoesaude/article/view/1576/1331

10.  Hallal PC, Carvalho YM, Tassitan RM, Tenório MCM, Warschauer M, Reis RS, et al. Avaliação quali-quantitativa do programa academia da cidade, Recife (PE): concepções dos professores. Rev Bras Ativ Fís Saúde [online]. 2009 [acesso 2013 Ago 6];4(1):9-13. Disponível em: http://www.sbafs.org.br/_artigos/87.pdf

11.  Abdo CHN. Quociente sexual feminino: um questionário brasileiro para avaliar a atividade sexual da mulher. Diagn Tratamento [online]. 2009 [acesso 2013 Set 10]; 14(2):89-1. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2009/v14n2/a0013.pdf

12.  De Lorenzi DRS, Catan LB, Moreira K, Ártico GR. Assistência à mulher climatérica: novos paradigmas. Rev Bras Enferm [online]. 2009 [acesso 2013 Set 10]; 62(2):287-93. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n2/a19v62n2.pdf

13.  Sousa RL, Sousa ESS, Silva JCB, Filizola RG. Fidedignidade do Teste-reteste na aplicação do Índice Menopausal de Blatt e Kupperman. Rev Bras Ginecol Obstet [online]. 2000 [acesso 2013 Set 08]; 22(8):481-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v22n8/12063

14.  Díaz-Yamal I, Munévar-Veja L. Fitoestrógenos: revisión de tema. Rev Colomb Obstet Ginecol [online]. 2009 [acesso 2013 Set 08]; 60(3):274-80. Disponível em: http://www.fecolsog.org/userfiles/file/revista/Revista_Vol60No3_Julio_Septiembre_2009/v60n3a08.pdf

15.  Abdo CHN. Elaboração e validação do quociente sexual - versão feminina: uma escala para avaliar a função sexual da mulher. Rev Bras Med [online]. 2006 [acesso 2013 Set 18];63(9):477-82. Disponível em: http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3404

16.  Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Resolução 196, de 10 de outubro 1996: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília (DF); 1996.

17.  Gonçalves AKS, Canário ACG, Cabral PUL, Silva RAH, Spyrides MHC, Giraldo PC, et al. Impacto da atividade física na qualidade de vida de mulheres de meia idade: estudo de base populacional. Rev Bras Ginecol Obstet [online]. 2011 [acesso 2014 Out 27]; 33(12):408-13. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v33n12/v33n12a06.pdf

18.  Canario ACG. Avaliação dos efeitos da atividade física sobre a qualidade de vida de mulheres de meia idade: estudo de base populacional [dissertação]. Natal (RN): Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Programa Pós-Graduação em Ciências da Saúde; 2011.

19.  Tairova OS, De Lorenzi DRS. Influência do exercício físico na qualidade de vida de mulheres na pós-menopausa: um estudo caso-controle. Rev Bras Geriatr Gerontol [online]. 2011 [acesso 2013 Ago 16]; 14(1):135-45. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v14n1/a14v14n1.pdf

20.  Silva AR, Ferreira TF, Tanaka ACD. História ginecológica e sintomatologia climatérica de mulheres pertencentes a uma unidade de saúde pública do Estado do Acre. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum [online]. 2010 [acesso 2013 Set 18]; 20(3):778-86. Disponível em: http://www.journals.usp.br/jhgd/article/download/19986/22072

21.  Aderne FO, Araújo RT. Influência da menopausa no padrão sexual: opinião de mulheres. Rev Saúde Com [online]. 2007 [acesso 2013 Out 05]; 3(2):48-60. Disponível em: http://www.uesb.br/revista/rsc/v3/v3n2a06.pdf

22.  Dennerstein L. Sexuality, midlife, and menopause. Menopause. 2008; 15(2):221-2.

23.  Basson R. Sexual desire and arousal disorders in women. N Engl J Med. 2006; 354(4):1497-506.

24.  Zanesco A, Antunes E. Effects of exercise training on the cardiovascular system: pharmacological approaches. Pharmacol Ther. 2007; 114(3):307-17.

25.  Silva LD, Beck CLC, Dissen CM, Tavares JP, Budó MLD, Silva HS. O enfermeiro e a educação em saúde: um estudo bibliográfico. Rev Enferm UFSM [online]. 2012 Mai-Ago [acesso 2013 Set 10];2(2):412-9. Disponível em: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/reufsm/article/view/2676/3769

26.  Souza LM, Wegner W, Gorini MIPC. Educação em saúde: uma estratégia de cuidado ao cuidador leigo. Rev Latino-am Enferm [online]. 2007 [acesso 2013 Dez 04]; 15(2):337-43. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v15n2/pt_v15n2a22.pdf

27.  Rigon AG, Neves ET. Educação em saúde e a atuação de enfermagem no contexto de unidades de internação hospitalares o que tem sido ou há para ser dito?. Texto Contexto Enferm [online]. 2011 [acesso 2014 Mar 24]; 20(4):812-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v20n4/22.pdf

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería