ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 23735

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Prática de trabalhadora(e)s de saúde na atenção às mulheres em situação de violência de gênero

Vanda Palmarella Rodrigues,1 Juliana Costa Machado,2 Aline Vieira Simões,3 Vilara Maria Mesquita Mendes Pires,4 Mirian Santos Paiva,5 Normélia Maria Freire Diniz6
1
Mestre em Saúde Coletiva. Professora Assistente do Departamento de Saúde da Universidade Estadual do Sudeste da Bahia (UESB). Jequié, Bahia, Brasil. 2Mestre em Enfermagem e Saúde. Professora Assistente do Departamento de Saúde da UESB. Jequié, Bahia, Brasil. 3Mestre em Enfermagem e Saúde. Professora Assistente do Departamento de Saúde da UESB. Jequié, Bahia, Brasil. 4Mestre em Saúde Coletiva. Professora Assistente do Departamento de Saúde da UESB. Jequié, Bahia, Brasil. 5Doutora em Enfermagem. Professora Associado da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Salvador, Bahia, Brasil. 6Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da Escola de Enfermagem da UFBA. Salvador, Bahia, Brasil

Recebido: 04 de junho de 2013
Aprovado: 29 de novembro de 2013

Texto Contexto Enferm 23(3): 735-743
 

 

 

 

Cómo citar este documento

Rodrigues, Vanda Palmarella; Machado, Juliana Costa; Simões, Aline Vieira; Pires, Vilara Maria Mesquita Mendes; Paiva, Mirian Santos; Diniz, Normélia Maria Freire. Prática de trabalhadora(e)s de saúde na atenção às mulheres em situação de violência de gênero. Texto Contexto Enferm, jul-sep 2014, 23(3). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23735.php> Consultado el

 

Resumo

Objetiva descrever a prática de trabalhadora(e)s de saúde da Estratégia de Saúde da Família às mulheres em situação de violência de gênero. Pesquisa de abordagem qualitativa, realizada com 25 trabalhadora(e)s de saúde de três unidades da Estratégia de Saúde da Família de um município baiano. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, e analisados com base na técnica de análise do discurso. Dos resultados emergiram duas categorias empíricas: expressão da violência contra a mulher decorrente de questões de gênero, evidenciando violência física e psicológica ocasionada pelo cônjuge e estratégias de enfrentamento mediante a violência de gênero, demonstrando que as ações não contemplam as questões de gênero e o encaminhamento/referência aos serviços assistenciais não recebem a contrarreferência. Ressaltamos a necessidade de qualificação das equipes da Estratégia de Saúde da Família para atuação nas situações de violência de gênero, e fomento pela gestão pública para a estruturação da rede de serviços assistenciais.
Palavras chave: Violência contra a mulher/ Saúde da família/ Gênero e saúde/ Enfermagem.
 

Resumen
Práctica de trabajadores de salud en la atención a mujeres en situación de violencia de género

Objetiva describir la práctica de trabajadores de salud de la Estrategia de Salud de la Familia a mujeres en situación de violencia de género. Investigación cualitativa realizada con 25 trabajadores de salud de tres unidades de Estrategia de Salud de la Familia de una ciudad bahiana. Los datos fueron recolectados, analizados basándose en la técnica de análisis del discurso. De los resultados emergieron dos categorías empíricas: expresión de la violencia contra la mujer por cuestiones de género, evidenciando violencia física y psicológica ocasionada por el cónyuge y estrategias de enfrentamiento mediante la violencia de género, demostrando que las acciones no contemplan cuestiones de género y la referencia a los servicios asistenciales no reciben contrarreferencia. Resaltamos la necesidad de calificación de los equipos de Estrategia de Salud de la Familia para actuación en situaciones de violencia de género y promoción por la gestión pública de la estructuración de la red de servicios asistenciales.
Palabras clave: Violencia contra la mujer/ Salud de la familia/ Género y salud/ Enfermería.
 

 Abstract
The practice of family health strategy workers when caring for women in gender violence situations

The aim of the present study was to describe the practice of Family Health Strategy workers when dealing with women in gender violence situations. It is a qualitative study, conducted with 25 healthcare workers from three Family Health Strategy units in a municipality of the state of Bahia, Brazil. Data were collected through a semi-structured interview and analyzed based on the discourse analysis method. The results yielded two empirical categories: expression of violence against women due to gender issues, with display of physical and psychological violence by a spouse, and strategies to face up gender violence. The second category displayed that the unit's actions that do not contemplate gender issues and that referrals to assistance services do not receive counter-referrals. We emphasize the need for Family Health Strategy staff to receive qualification for acting in gender violence situations, and for public management to promote a network structure for assistance services.
Key-words: Violence against women; Family health; Gender and health; Nursing.
 

Referências

1.  Organização Mundial de Saúde. Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra (CH): OMS; 2002.

2.  Minayo MCS. Violência e saúde. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2010.

3.  Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Políticas de Saúde. Violência intrafamiliar: orientações para a prática em serviço. Brasília (DF): MS; 2002.

4.  Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Temático prevenção de violência e cultura de paz. Brasília (DF): OPAS; 2008.

5.  Brasil. Lei n. 11.340, de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 8 Mai 2006. Seção 1.

6.  Gomes NP, Diniz NMF, Araújo AJS, Coelho TMF. Compreendendo a violência doméstica a partir das categorias gênero e geração. Acta Paul Enferm. 2007 Out-Dez; 20(4):504-8.

7.  Guedes RN, Silva ATMC, Fonseca RMGS. A violência de gênero e o processo saúde-doença das mulheres. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2009 Jul-Set; 13(3):625-31.

8.  Vieira LB, Padoin SMM, Souza IEO, Paula CC, Terra MG. Típico da ação das mulheres que denunciam o vivido da violência: contribuições para a enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2011 Jul-Set; 19(3):410-4.

9.  Gomes NP, Bomfim ANA, Diniz NMF, Souza SS, Couto TM. Percepção dos profissionais da rede de serviços sobre o enfrentamento da violência contra a mulher. Rev Enferm UERJ. 2012 Abr-Jun; 20(2):173-8.

10.  Scott J. Gênero: uma categoria útil para a análise histórica. 2ª ed. Recife (PE): SOS Corpo; 1995.

11. Fiorin JL. Linguagem e ideologia. 6ª ed. São Paulo (SP): Ática; 2003.

12.  Monteiro CFS, Souza IEO. Vivência da violência conjugal: fatos do cotidiano. Texto Contexto Enferm. 2007 Jan-Mar; 16(1):26-31.

13.  Gomes NP, Diniz NMF, Camargo CL, Silva MP. Homens e mulheres em vivência de violência conjugal: características socioeconômicas. Rev Gaúcha Enferm. 2012 Jun; 33(2):109-16.

14.  Pazo CG, Aguiar AC. Sentidos da violência conjugal: análise do banco de dados de um serviço telefônico anônimo. Physis. 2012 Jan-Abr; 22(1):253-73.

15.  Gomes NP, Freire NM. Vivência de violência familiar: homens que violentam suas companheiras. Rev Bras Enferm. 2005 Mar-Abr; 58(2):176-9.

16.  Deeke LP, Boing AF, Oliveira WF, Coelho EBS. A dinâmica da violência doméstica: uma análise a partir dos discursos da mulher agredida e de seu parceiro. Saude Soc. 2009 Abr-Jun; 18(2):248-58.

17.  D'Oliveira AFPL, Schraiber LB, Hanada H, Durand J. Atenção integral à saúde de mulheres em situação de violência de gênero: uma alternativa para a atenção primária em saúde. Ciênc Saúde Colet. 2009 [acesso 2013 Mai 10]. 14(4): [online] Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000400011&lng=pt

18.  Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. Brasília (DF): MS; 2010.

19.  Santi LN, Nakano MAS, Lettiere A. Percepção de mulheres em situação de violência sobre o suporte e apoio recebido em seu contexto social. Texto Contexto Enferm. 2010 Jul-Set; 19(3):417-24.

20.  Villela WV, Vianna LAC, Lima LFP, Sala DCP, Vieira TF, Vieira ML, et al. Ambiguidades e contradições no atendimento de mulheres que sofrem violência. Saúde Soc. 2011 Jan-Mar; 20(1):113-23.

21.  Hanada H, D'oliveira AFPL, Schraiber LB. Os psicólogos na rede de assistência a mulheres em situação de violência. Rev Estud Fem. 2010 Jan-Abr; 18(1):33-60.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería