ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 23639

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Políticas voltadas às DSTs/AIDS e sua integração político-assistencial no contexto do SUS: um estudo sobre o município de Florianópolis-SC

 Isabel Cristina Alves Maliska,1 Maria Itayra Padilha,2 Selma Regina Andrade3
1
Doutora em Enfermagem. Enfermeira assistencial do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Associado do Departamento de Enfermagem da UFSC. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem da UFSC. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Recebido: 17 de setembro de 2012
Aprovado: 20 de dezembro de 2012

Texto Contexto Enferm 23(3): 639-647
 

 

 

 

Cómo citar este documento

Maliska, Isabel Cristina Alves; Padilha, Maria Itayra; Andrade, Selma Regina. Políticas voltadas às DSTs/AIDS e sua integração político-assistencial no contexto do SUS: um estudo sobre o município de Florianópolis-SC. Texto Contexto Enferm, jul-sep 2014, 23(3). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23639.php> Consultado el

 

Resumo

Estudo qualitativo com perspectiva sociohistórica, que objetivou analisar como o processo de descentralização das ações em DST/aids se deu no município de Florianópolis-SC, e suas repercussões no nível assistencial e administrativo. Para coleta de dados foram utilizadas fontes documentais e orais. Foram entrevistados 11 profissionais de saúde que exerceram atividades de assistência e/ou gestão vinculadas às DSTs/aids, no período do estudo (2006-2010). Os resultados foram analisados segundo análise de conteúdo, chegando a duas categorias: A descentralização administrativa do Programa Municipal DST/aids; A descentralização da assistência em DST/aids. A reestruturação do Programa DST/aids fez parte do processo de reordenação do sistema de saúde do município e incorporação do conceito ampliado de Vigilância em Saúde. A descentralização das ações foi percebida como condição necessária para a integração das políticas em DST/aids à macropolítica do SUS, porém requer um monitoramento contínuo sobre os direcionamentos da epidemia a partir da nova conformação desta política assistencial.
Palavras chave: Descentralização/ Sistema Único de Saúde/ Política de saúde.
 

Resumen
Políticas de la política de asistencia de ETS/SIDA y la integración en el contexto del SUS: un estudio en la ciudad de Florianópolis, SC, Brasil

Estudio cualitativo de perspectiva socio-histórica, con el fin de examinar cómo el proceso de descentralización de las ETS/SIDA tuvo lugar en Florianópolis-SC, Brazil, y sus efectos sobre la salud y administrativos. Para recopilar los datos basados en fuentes documentales y orales. Entrevistamos a 11 profesionales de la salud que ejercen actividades de asistencia y/o gestión vinculada ETS/SIDA durante el período de estudio (2006-2010). Los resultados se analizaron mediante análisis de contenido, llegando a dos categorías: Programa de descentralización administrativa municipal de ETS/SIDA, la descentralización de asistencia de ETS/SIDA. La reestructuración del Programa Nacional de ETS/SIDA fue parte del proceso de reorganización del sistema de salud municipal y la incorporación progresiva del concepto de Vigilancia de la Descentralización de la Salud de las acciones que se percibía como una condición necesaria para la integración de las políticas de ETS/SIDA en la macropolítica SUS, pero requiere un control continuo sobre las indicaciones de la epidemia de la nueva conformación de la política de asistencia.
Palabras clave: Descentralización/ Sistema Único de Salud/ Política de salud.
 

Abstract
Policies directed towards STD/AIDS and their political-care integration in the context of the SUS: a study of the city of Florianópolis, SC, Brazil

 This qualitative study, with a socio-historical perspective, aimed to examine how the process of decentralization of STD/AIDS actions took place in Florianópolis, SC, Brazil, and its effects on the level of care and administration. The data collection was based on documentary and oral sources. A total of 11 health professionals were interviewed, who performed care and/or management activities linked to STD/AIDS, during the study period (2006-2010). The results were analyzed using content analysis, resulting in two categories: The administrative decentralization of the Municipal STD/AIDS Program; The decentralization of STD/AIDS care. The restructuring of the STD/AIDS Program was part of the reorganization process of the municipal health system and the progressive incorporation of the concept of Health Surveillance. Decentralization of the actions was perceived as a condition necessary for the integration of STD/AIDS policies into the macropolitics of the SUS, however, continuous monitoring of the directions of the epidemic from the new conformation of this care policy is required.
Key-words: Decentralization/ Unified Health System/ Health policy.
 

Referências

1.  Couto MH. Brasil: a estratégia brasileira de enfrentamento à epidemia de HIV/AIDS e sua integração com o Sistema Único de Saúde [online]. 2009. [acesso 2011 Out]; 02 Disponível em: portalses.saude.sc.gov.br/index.php?option=com_docman&task

2.  Campos CEA. O desafio da integralidade segundo as perspectivas da vigilância da saúde e da saúde da família. Ciênc Saúde Coletiva. 2003 Abr; 8(2):569-84.

3.  Nemes MIB, Souza MFM, Kalichman AO, Granjeiro A, Souza RA, Lopes JF. Prevalência da aderência e fatores associados. In: Noleto D (editor). Aderência ao tratamento por anti-retrovirais em serviços públicos no Estado de São Paulo. Brasília (DF): Ministério da Saúde/Secretaria de Políticas de Saúde/Coordenação Nacional de DST e Aids; 2000.

4.  Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil: artigo 196. Senado Federal, 05 Out 1988 [acesso 2009 set 14]. Disponível em: http://www.senado.gov.br/legislacao/const/con1988/CON1988_05.10.1988/art_196_.shtm

5.  Cherchiglia ML, Acurcio FA, Melo APS. O desafio de construir a integralidade das ações de saúde mental e IST/AIDS no Sistema Único de Saúde. In: Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância à Saúde. Programa Nacional de DST e aids. Prevenção e atenção às IST/aids na saúde mental no Brasil: análises, desafios e perspectivas Projeto PESSOAS. Brasília (DF): ASCOM, 2008. p.19-29.

6.  Borges MJK, Sampaio AS, Gurgel IGD. Trabalho em equipe e interdisciplinaridade: desafios para a efetivação da integralidade na assistência ambulatorial às pessoas vivendo com HIV/aids em Pernambuco. Ciênc Saúde Coletiva. 2012 Jan; 17(1):147-56.

7.  Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Vigilância em Saúde - Parte 1 / Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Brasília (DF): CONASS; 2011.

8. Le Goff, J. A história nova. São Paulo (SP): Martins Fontes; 2005.

9.  Padilha MICS, Borenstein MS. O método de pesquisa histórica na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2005 Out-Dez; 14(4):575-84.

10.  Ferreira MM. História, tempo presente e história oral. Topoi. 2002 Dez; 3(2):314-32.

11.  Alberti V. Manual de história oral. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ): FGV; 2005.

12.  Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70; 2004.

13.  Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. [Acesso 2009 fev 18]. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/susdeaz/legislacao/arquivo/Resolucao_196_de_10_10_1996.pdf

14.  Maliska ICA. A implantação das políticas públicas de saúde em aids no município de Florianópolis-SC: um estudo do período de 1986 a 2010 [tese]. Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2012.

15.  Prefeitura Municipal da Florianópolis. Secretaria Municipal de Saúde. Plano Municipal de Saúde 2007-2010 [documento institucional] Florianópolis (SC); 2007.

16.  Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigilância em Saúde no SUS: fortalecendo a capacidade de resposta aos velhos e novos desafios. Brasília (DF): MS; 2006.

17. Castellanos PL. Epidemiologia y organización de los servicios: la formacion en epidemiología para el desarrollo de los servicios de salud. Organización Panamericana de la Salud; 1990. 131p. (OPS. Serie Desarrollo de Recursos Humanos, 88) [acesso 2013 Mar 25]. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction= lnk&exprSearch=368672&indexSearch=ID

18.  Campos CEA. O desafio da integralidade segundo as perspectivas da vigilância da saúde e da saúde da família. Ciênc Saúde Coletiva. 2003; 8(2):569-84.

19.  Mattos RA. Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. In: Mattos RA, Pinheiro R. (org.) Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro (RJ): IMS/UERJ-CEPESC-ABRASCO; 2006. 39-64.

20.  Barboza R. Gestão do Programa Estadual DST/aids de São Paulo: uma análise do processo de descentralização das ações no período de 1994 a 2003 [dissertação]. São Paulo (SP): Programa de Pós-Graduação em Ciências da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; 2006.

21.  Reis AC, Santos EM, Cruz MM. A mortalidade por aids no Brasil: um estudo exploratório de sua evolução temporal. Epidemiol Serv Saúde. 2007 Jul-Set; 16(3):195-205.

22.  Nemes MIB, Castanheira ERL, Melchior R, Alves MTSSB, Basso CR. Avaliação da qualidade da assistência no programa de AIDS: questões para a investigação em serviços de saúde no Brasil. Cad Saúde Pública. 2004; 20(2):310-21. [acesso 2011 Out 14]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2004000800024&lng=en

23.  Reis RK, Santos CB, Dantas RAS, Gir E. Qualidade de vida, aspectos sociodemográficos e de sexualidade de pessoas vivendo com HIV/aids. Texto Contexto Enferm. 2011 Jul-Set; 20(3):565-75.

24.  Ferraz DAS, Nemes MIB. Avaliação da implantação de atividades de prevenção das DST/AIDS na atenção básica: um estudo de caso na região Metropolitana de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2009; 25(Sup 2):240-50.

25.  Sadala MLA, Marques SL. Vinte anos de assistência a pessoas vivendo com HIV/AIDS no Brasil: a perspectiva de profissionais da saúde. Cad Saúde Pública. 2006; 22(11):2369-78.

26.  Martins SS, Martins TSS. Adesão ao tratamento antirretroviral: vivências de escolares. Texto Contexto Enferm. 2011 Jan-Mar; 20(1):111-8.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería