ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Adentrando em um novo mundo: significado do adoecer para a criança com câncer1

Malueska Luacche Xavier Ferreira de Sousa,2 Altamira Pereira da Silva Reichert,3 Lenilde Duarte de Sá,4 Filomena Elaine Paiva Assolini,5 Neusa Collet6
2Mestre em Enfermagem. Professora Substituta da Área Materno-Infantil da Universidade Estadual da Paraíba. Paraíba, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Professora do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem do CCS/UFPB e do Departamento de Enfermagem Saúde Pública e Psiquiatria (DESPP) da UFPB. Paraíba, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Professora do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem do CCS/UFPB e do DESPP/UFPB. Paraíba, Brasil. 5Doutora em Psicologia. Professora da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil. 6Doutora em Enfermagem. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem do CCS/UFPB e do DESPP/UFPB. Paraíba, Brasil

Recebido: 04 de Fevereiro de 2013
Aprovado: 12 de Fevereiro de 2014

Texto Contexto Enferm 23(2): 391-409
1Artigo extraído da dissertação Significados do viver com câncer para a criança, desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), 2013

 

 

 

Cómo citar este documento

Sousa, Malueska Luacche Xavier Ferreira de; Reichert, Altamira Pereira da Silva; Sá, Lenilde Duarte de; Assolini, Filomena Elaine Paiva; Collet, Neusa. Adentrando em um novo mundo: significado do adoecer para a criança com câncer. Texto Contexto Enferm, abr-jun 2014, 23(2). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23219.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa qualitativa, que objetivou compreender o significado de experienciar o adoecimento para a criança com câncer. Utilizou-se o desenho-estória com tema, com oito crianças entre 6-12 anos de idade, de fevereiro a maio/2012. Procedeu-se à análise do material conforme o referencial teórico-analítico da análise de discurso francesa, que pretende compreender os processos sóciohistóricos de produção de sentidos. O estudo apreendeu que, para a criança com câncer, a doença é descoberta de modo repentino e logo é inserida em um contexto novo. Depara-se com barreiras que podem retardar o diagnóstico, e tem sua rotina alterada. A criança apresenta sinais e sintomas que geram desconforto e ansiedade. Ao mesmo tempo, tem esperança de cura com a realização do tratamento. Os resultados poderão contribuir para mudança no cuidado de enfermagem a essa população.
Palavras chave: Criança/ Enfermagem oncológica/ Pediatria.


Abstract
Stepping into a new world: the meaning of sicken for the child with cancer

Qualitative research, which aimed to understand the meaning of the experiencing the illness for the child with cancer. The illustration-story with theme was used, with eight children aged 6-12 years old, from February to May/2012. The material analysis' was carried out according to the theoretical and analytical referential from the French Discourse Analysis line, which seeks to understand the socio-historical processes of meaning production. The study seized that, for the child with cancer, the disease is found out suddenly and he/she is soon inserted into a new context. The child faces barriers that may delay the diagnosis, and he/she has his/her routine changed. The child presents signs and symptoms that cause discomfort and anxiety. At the same time, the child hopes to be healed with the treatment accomplishment. The results may contribute to changes in nursing care for this population.
Key-words: Child/ Oncologic nursing/ Pediatrics.


Resumen

Entrando en un nuevo mundo: el significado de enfermar para el niño con cancer

Investigación cualitativa, que tuvo como objetivo comprender el significado de la experiencia de la enfermedad para los niños con cáncer. Se utilizó el dibujo-historia temático, con ocho niños de 6-12 años de edad, de febrero a mayo/2012. Se procedió a analizar el material conforme el marco teórico y analítico del análisis del discurso francés, cuyo objetivo es comprender los procesos socio-históricos de la producción de significado. El estudio ha entendido que para el niño con cáncer, la enfermedad es descubierta de modo repentino y prontamente es fijada en un nuevo contexto. Se encuentra con algunos obstáculos que pueden retrasar el diagnóstico y cambiar su rutina. El niño presenta señales y síntomas que causan malestar y ansiedad. Al mismo tiempo, hay la esperanza de cura con la finalización del tratamiento. Los resultados pueden contribuir a los cambios en la atención de enfermería para esta población.
Palabras clave: Niño/ Enfermería oncológica/ Pediatría.
 

Referências

1. Mansano-Schlosser TC, Ceolim MF. Qualidade de vida de pacientes com câncer no período de quimioterapia. Texto Contexto Enferm. 2012 Jul-Set; 21(3):600-7.

2. Instituto Nacional de Câncer (BR). Coordenação de Prevenção e Vigilância de Câncer. Câncer da criança e adolescente no Brasil: dados dos registros de base populacional e de mortalidade. Rio de Janeiro (RJ): INCA, 2008.

3. Anders JC, Souza, AIJ. Crianças e adolescentes sobreviventes ao câncer: desafios e possibilidades. Ciênc Cuid Saúde. 2009 Jan-Mar; 8(1):131-7.

4. Silva JMM. O desenho na expressão de sentimentos em crianças hospitalizadas. Fractal: Revista de Psicologia, 2010 Mai-Ago; 22(2):447-56.

5. Lima LM, Bielemann VLM, Schuwartz E, Viegas AC, Santos BP, Lima JF. Adoecer de câncer: o agir e o sentir do grupo familiar. Ciênc Cuid Saúde. 2012 Jan-Mar; 11(1):106-12.

6. Sigaud CHS, Rezende MA, Veríssimo MDLOR, Ribeiro MO, Montes DC, Piccolo J, et al. Aspectos éticos e estratégias para a participação voluntária da criança em pesquisa. Rev Esc Enferm USP. 2009 Dez; 43(esp 2):342-6.

7. Vieira MA, Lima RAG. Crianças e adolescentes com doença crônica: convivendo com mudanças. In: Cruz SHV, organizador. A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo (SP): Cortez; 2008. p. 372-5.

8. Polo LHV, Moraes MW. Performance de Zubrod e índice de Karnofsky na avaliação da qualidade de vida de crianças oncológicas. Einstein. 2009 Jul-Set; 7(3):314-21.

9. Aiello-Vaisberg TMJ. Ser e fazer. Enquadres diferenciados na clínica winnicottiana. Aparecida (SP): Ideias e Letras; 2004.

10. Trinca W. Investigação clínica da personalidade: o desenho livre como estímulo de apercepção temática. 3ª ed. São Paulo (SP): EPU; 2003.

11. Orlandi EP. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 8ª ed. Campinas (SP): Pontes; 2009.

12. Cardoso FT. Câncer infantil: aspectos emocionais e atuação do psicólogo. Rev SBPH. 2007 Jun; 10(1):25-52.

13. Françoso LPC, Valle ERM. Assistência psicológica a crianças com câncer - os grupos de apoio. In: Valle ERM, organizador. Psico-oncologia pediátrica. 2ª ed. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo; 2011. p.75-127.

14. Barbosa LNF, Francisco AL. A subjetividade do câncer na cultura: implicações na clínica contemporânea. Rev SBPH, 2007 Jun; 10(1):9-24.

15. Forsait S, Castellanos MEP, Cordenonssi JT, Vicentini LL, Silva MMB, Miranda MC, et al. Impacto do diagnóstico e do tratamento de câncer e de aids no cotidiano e nas redes sociais de crianças e adolescentes. Arq Bras Ciên Saúde. 2009 Jan-Abr; 34(1):6-14.

16. Silva GM, Teles SS, Valle ERM. Estudo sobre as publicações brasileiras relacionadas a aspectos psicossociais do câncer infantil - período de 1998 a 2004. Rev Bras de Cancerol. 2005 Jul-Set; 51(3):253-61.

17. Souza LPS, Silva RKP, Amaral RG, Souza AAM, Mota ÉC, Silva CSO. Câncer infantil: sentimentos manifestados por crianças em quimioterapia durante sessões de brinquedo terapêutico. Rev Rene. 2012 Jul-Set; 13(3):686-92.

18. Bueno PC, Neves ET, Rigon AG. O manejo da dor em crianças com câncer: contribuições para a enfermagem. Cogitare Enferm. 2011 Abr-Jun; 16(2):226-31.

19. Lopes DPLO, Valle ERM. A organização familiar e o acontecer do tratamento da criança com câncer. In: Valle ERM, organizador. Psico-oncologia pediátrica. 2ª ed. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo; 2011. p.13-74.

20. Cavicchioli AC, Menossi MJ, Lima RAG. Câncer infantil: o itinerário diagnóstico. Rev Latino-am Enfermagem. 2007 Set-Out; 15(5):1025-32.

21. Mesquita DPC, Rosa FI. As heterogeneidades enunciativas como aporte teórico-metodológico para a análise do discurso de linha francesa. Rev Veredas. 2010 Jul-Dez; 14(2):130-41.

22. Ferreira MCL. O quadro atual da análise de discurso no Brasil. Rev Letras. 2003 Jul-Dez; 27(3):39-46.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería