ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Práticas de cuidado dos enfermeiros intensivistas face às tecnologias: análise à luz das representações sociais1

Rafael Celestino da Silva,2 Márcia de Assunção Ferreira,3 Thémis Apostolidis4
2Doutor em Enfermagem. Professor Adjunto do Departamento de Enfermagem Fundamental (DEF), EEAN/UFRJ. Rio de Janeiro, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Professora Titular do DEF/EEAN/UFRJ. Pesquisadora do CNPq. Rio de Janeiro, Brasil. 4Professor da Aix-Marseille Université. Diretor do Laboratório de Psicologia Social da Aix-Marseille Université. Aix-en-Provence, France

Recebido: 20 de Novembro de 2012
Aprovado: 23 de Março de 2014

Texto Contexto Enferm 23(2): 328-337
1Recorte da tese - Estilos de cuidar na terapia intensiva em face das tecnologias: uma contribuição à clínica do cuidado de enfermagem, defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 2012

 

 

 

Cómo citar este documento

Silva, Rafael Celestino da; Ferreira, Márcia de Assunção; Apostolidis, Thémis. Práticas de cuidado dos enfermeiros intensivistas face às tecnologias: análise à luz das representações sociais. Texto Contexto Enferm, abr-jun 2014, 23(2). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23212.php> Consultado el

 

Resumo

Objetivou-se analisar as representações sociais das práticas de cuidado dos enfermeiros em face das tecnologias aplicadas ao cliente hospitalizado na terapia intensiva. Pesquisa de campo, qualitativa, cujo referencial foi a teoria das representações sociais. Realizou-se entrevista semiestruturada com 21 enfermeiros de uma unidade de terapia intensiva, de um hospital público do Rio de Janeiro. Aplicouse análise de conteúdo temática, que evidenciou as tecnologias como dispositivos tradutores dos sinais do corpo do cliente, nas quais os enfermeiros se apoiam para cuidar. As formas de assistir denotam ações burocráticas e de cuidado, demandadas pelas tecnologias, que implicam o distanciamento e a proximidade do cliente. Concluiu-se que há uma imagem idealizada do cliente de terapia intensiva ligada às tecnologias, organizada na formação profissional e sustentada na prática clínica da unidade de terapia intensiva.
Palavras chave: Enfermagem/ Psicologia social/ Cuidados de enfermagem/ Tecnologia biomédica/ Unidades de Terapia Intensiva.


Abstract
Practices of intensive care nurses in the face of technologies: analysis in the light of social representations

The aim was to analyze the social representations of nurses´ care practices in the face of the technologies applied to the clients hospitalized in intensive therapy. Qualitative field research in the framework of the social representations theory. Semistructured interviews were held with 21 nurses of an intensive therapy unit at a public hospital in Rio de Janeiro. Thematic content analyses were applied, which showed that the technologies are devices that translate the signs from the client's body, which nurses base themselves on for care. The ways of assisting indicate bureaucratic and care actions demanded by the technologies, which imply detachment from and proximity to the client. It was concluded that there is an idealized image of the intensive therapy client linked to the technologies, organized in the professional training and supported by the clinic practice of the intensive therapy unit.
Key-words: Nursing/ Psychology, social/ Nursing care/ Biomedical technology/ Intensive Care Units.


Resumen
Prácticas de atención de los enfermeros de terapia intensiva frente a las tecnologías: análisis a la luz de las representaciones sociales

Se objetivó analizar las representaciones sociales de las prácticas de atención de los enfermeros frente a las tecnologías aplicadas al cliente hospitalizado en la terapia intensiva. Investigación de campo, cualitativa, cuyo referencial fue la teoría de las representaciones sociales. Se realizó entrevista semi-estructurada con 21 enfermeros de una unidad de terapia intensiva, de un hospital público de Río de Janeiro. Se aplicó análisis de contenido temático, la cual evidenció que las tecnologías son dispositivos traductores de los señales del cuerpo del cliente, en las cuales los enfermeros se apoyan para cuidar. Las maneras de asistir denotan acciones burocráticas y de atención demandadas por las tecnologías, que implican en el distanciamiento y en la proximidad del cliente. Se concluye que hay una imagen idealizada del cliente de la terapia intensiva que se relaciona a las tecnologías, organizada en la formación profesional y sustentada en la práctica clínica de la unidad de terapia intensiva.
Palabras clave: Enfermería/ Psicología social/ Atención de enfermería/ Tecnología biomédica/ Unidades de Terapia Intensiva.
 

Referências

1. Silva RCL, Kaczmarkiewicz CC, Cunha JJSA, Meira IC, Figueiredo NMA, Porto IS. O significado da tecnologia no pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca. Rev SOCERJ. 2009 Jul-Ago; 22(4):210-8.

2. Pols J, Moser I. Cold technologies versus warm care? On affective and social relations with and through care technologies. Alter. 2009 Mar; (3):159-78.

3. Vargas MAO, Ramos FRS. Tecnobiomedicina: implicações naquilo e daquilo que a enfermagem faz em terapia intensiva. Texto Contexto Enferm [online]. 2008 Jan-Mar [acesso 2008 Jun 13]; 17(1): Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000100019&lng=pt.

4. Silva RC, Ferreira MA. A dimensão da ação nas representações sociais da tecnologia no cuidado de enfermagem. Esc Anna Nery. 2011 Jan-Mar; 15(1):140-8.

5. Jodelet D. Representações Sociais: um domínio em expansão. Tradução Lilian Ulup. In: Jodelet D, organizadora. As representações sociais. Rio de Janeiro (RJ): EdUERJ; 2001. p. 17-44.

6. Jovchelovitch S. Os contextos do saberrepresentações, comunidade e cultura. Petrópolis (RJ): Vozes; 2008.

7. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70; 2007.

8. Silva LF, Damasceno MMC. Modos de dizer e fazer o cuidado de enfermagem em terapia intensiva cardiológica: reflexões para a prática. Texto Contexto Enferm. 2005 Abr-Jun; 14(2):258-65.

9. Pinho LB, Santos SMA. Dialética do cuidado humanizado na Unidade de Terapia Intensiva: contradições entre o discurso e a prática profissional do enfermeiro. Rev Esc Enferm USP. 2008 Mar; 42(1):66-72.

10. Oliveira BRG, Lopes TA, Vieira CS, Collet N. O processo de trabalho da equipe de enfermagem na UTI neonatal e o cuidar humanizado. Texto Contexto Enferm. 2006; 15(Esp):105-13.

11. Terraneo F, Seferdjeli L, Diby M. Le tour de lit aux soins intensifs: representations et prise d'information. Trav Humain. 2010 Oct; 73(4):339-59.

12. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n. 21, de 27 de abril de 2006- Anexo. Minuta de Resolução que define o regulamento técnico para funcionamento de serviços de atenção ao paciente crítico e potencialmente crítico. [acesso 28 Ago 2012]. Disponível em: http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B14558-1-0%5D.PDF.

13. Lino MM, Calil AM. O ensino de cuidados críticos/ intensivos na formação do enfermeiro: momento para reflexão. Rev Esc Enferm USP. 2008 Dez; 42(4):777-83.

14. Camelo SHH. Competência profissional do enfermeiro para atuar em Unidades de Terapia Intensiva: uma revisão integrativa. Rev Latino-Am Enferm. 2012 Jan-Fev; 20(1):192-200.

15. Campos PHF. As representações sociais como forma de resistência ao conhecimento científico. In: Oliveira DC, Campos PHF, organizadores. Representações sociais: uma teoria sem fronteiras. Rio de Janeiro (RJ): Museu da República; 2005. p.85-98.

16. Abric-JC. Pratiques sociales et représentations. Paris (FR): Presses Universitaires de France; 2011.

17. Arruda A. Meandros da teoria: a dimensão afetiva das representações sociais. In: Almeida AMO, Jodelet D, organizadores. Interdisciplinaridade e diversidade de paradigmas. Brasília (DF): Thesaurus; 2009. p. 83-102.

18. O'Keefe-McCarthy S. Technologically mediated nursing care: the impact on moral agency. Nurs Ethics. 2009 Nov; 16(6):786-96.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería