ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r231130

 

 

 

REFLEXÃO

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Exequibilidade da atenção integral em genética clínica no sistema único de saúde: ampliando o debate

Luís Carlos Lopes-Júnior,1 Milena Flória-Santos,2 Victor Evangelista de Faria Ferraz,3 Tereza Cristina Scatena Villa,4 Pedro Fredemir Palha,5 Emiliana de Omena Bomfim,6 Camila Aparecida Abrahão,7 Sara da Silva8
1Mestrando do Programa de Enfermagem em Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 2Doutora em Ciências. Professora Doutora do Departamento Materno-Infantil e Saúde Pública (DEMISP) da EERP/USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 3Doutor em Ciências. Professor Doutor do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Professora Titular do DEMISP/EERP/USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 5Doutor em Enfermagem. Professor Livre Docente Associado do DEMISP/EERP/USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 6Mestranda em Enfermagem do Programa de Enfermagem em Saúde Pública da EERP/USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 7Mestranda em Enfermagem do Programa de Enfermagem em Saúde Pública da EERP/USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 8Enfermeira. Estudante do Curso de Prática Profissionalizante da EERP/USP. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil

Recebido em 13 de junho de 2013
Aprovação final em 19 de agosto de 2013

Texto Contexto Enferm 23(4): 1130-1135

 

 

 

Cómo citar este documento

Lopes-Júnior, Luís Carlos; Flória-Santos, Milena; Ferraz, Victor Evangelista de Faria; Villa, Tereza Cristina Scatena; Palha, Pedro Fredemir; Bomfim, Emiliana de Omena; Abrahão, Camila Aparecida; Silva, Sara da. Exequibilidade da atenção integral em genética clínica no sistema único de saúde: ampliando o debate. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/231130.php> Consultado el

 

Resumo

Este artigo tem por objetivo tornar proeminentes as discussões acerca da Política Nacional de Atenção Integral em Genética Clínica e refletir sobre sua pendente regulamentação, quando descobertas genômicas transformam o modelo de atenção à saúde. Nove dentre dez causas de morbimortalidade mundiais apresentam predisposição genética/genômica. Essa Política, fundamentada no planejamento estratégico, propõe a estruturação de uma rede de serviços de referência e centros especializados em genética, com capacidade para responder às necessidades da população. Sua regulamentação pressupõe capacitação e qualificação dos profissionais de saúde para oferecer atenção integral, otimizar o acesso, identificar e diagnosticar precocemente indivíduos com risco aumentado para agravos com predisposição genética. Na atenção básica à saúde, o cuidado em pauta não deve ser interpretado enquanto especialidade, mas como especializado. Esse modelo apresenta perspectivas inovadoras em consonância com os princípios e diretrizes modeladores do Sistema Único de Saúde.
Descritores: Genética. Genômica. Saúde pública. Política de saúde

Resumen
Ejecutabilidad del cuidado integral en genética clínica en sistema único de salud: la ampliación del debate

Este estudio objetivó tornar prominentes discusiones acerca de la Política Nacional de Cuidado Integral en Genética Clínica y reflexionar sobre su regulación pendiente cuando descubrimientos genómicos transforman el modelo de atención a salud. Nueve entre diez causas de morbilidad y mortalidad en todo mundo presentan predisposición genética/genómica. La Política, fundamentada en la planificación estratégica, propone ofrecimiento de asesoramiento genético, mediante estructuración de una red de servicios de referencia y centros especializados, para satisfacer las necesidades de la población. Su regulación requiere capacitación y cualificación de profesionales de salud para ofrecer el cuidado integral, optimizar el acceso, identificar y diagnosticar precozmente individuos con mayor riesgo de enfermedades con predisposición genética. En atención primaria a salud, el cuidado en cuestión no debe ser interpretado como una especialidad, pero sí como especializado. Este modelo presenta perspectivas innovadoras en consonancia con principios y directrices de los modeladores del Sistema Único de Salud.
Descriptores: Genética. Genómica. Salud pública. Política de salud

Abstract
Practicability of comprehensive care in clinical genetics in the brazilian unified health system: expanding the debate

This article aims to highlight the discussions on the National Policy for Comprehensive Care in Clinical Genetics and reflect on its pending regulation when genomic discoveries change the model of health care. Nine of the ten causes of morbidity and mortality worldwide presents genetic/genomic predisposition. Based on strategic planning, this Policy proposes the organization of a network of referral services and specialized centers in genetics, with capacity to meet the needs of the population. Its regulation requires training and qualification of the health care professionals to provide comprehensive care, to optimize access, to identify and diagnose individuals with increased risk for injuries with genetic predisposition early. In primary health care, the care in question should not be interpreted as a specialty, but as specialized. This model presents innovative perspectives, in line with the principles and guidelines of the Unified Health System.
Descriptors: Genetics. Genomics. Public health. Health policy
 

Referências

1. Syurina EV, Brankovic I, Probst-Hensch N, Brand A. Genome based health literacy: a new challenge for public health genomics. Public Health Genomics. 2011 Jan; 14(4-5):201-10.

2. Lea DH, Skirton H, Read CY, Willams JK. Implications for educating the next generation of nurses on genetics and genomics in the 21st century. J Nurs Scholarsh. 2011 Mar; 43(1):3-12

3. Calzone KA, Cashion A, Feetham S, Jenkins J, Prows CA, Williams JK, et al. Nurses transforming health care using genetics and genomics. Nurs Outlook. 2010 Jan; 58(1):26-35.

4. Ministério da Saúde. DATASUS [página na internet]. Informações de Saúde. Óbitos infantis - Brasil: malformações congênitas deformidades e anomalias cromossômicas [acesso 2011 Jul. 21]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/inf10uf.def

5. Horovitz DDG, Cardoso MHC A, Lierena Jr. JC, Mattos RA. Atenção aos defeitos congênitos no Brasil: características do atendimento e propostas para formulação de políticas públicas em genética clínica. Cad Saúde Pública. 2006 Dez; 22(12):2599-609.

6. Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM) [página na internet]. Pela atenção à saúde em genética. 2008. [acesso 2011 jul.3]. Disponível em: http://www.sbgm.org.br/artigos/Artigo_JT_Gen%C3%A9tica_no_SUS_17ago08.pdf

7. Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 81, de 20 de janeiro de 2009. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A Política Nacional de Atenção Integral em Genética Clínica. Brasília (DF): MS, 2009

8. Lucchese PTR, Aguiar DS, Wargas T, Dias-de-Lima L, Magalhães R, Monerat GL. Informação para tomadores de decisão em saúde pública: políticas públicas em saúde. São Paulo (SP): BIREME/OPAS/OMS; 2002.

9. Righi LB, Pasche DF, Akermam M. Saúde e desenvolvimento: interconexões, re-orientação dos serviços de saúde e desenvolvimento regional [página na internet]. Ijuí (RS) - Santo André (SP); 2006. [acesso 2011 jul. 17]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/avaliacao_saude_desenvolvimento.pdf

10. Cohn A. O estudo das políticas de saúde: implicações e fatos. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Júnior M, Carvalho YM. Tratado de saúde coletiva. Rio de Janeiro (RJ): Ed. Fiocruz; 2006. p.231-58.

11. Machado CV, Baptista TWF, Nogueira CO. Políticas de saúde no Brasil nos anos 2000: a agenda federal de prioridades. Cad Saúde Pública [online]. 2011 [acesso 2011 Jul 21]; 27(3):521-32. Disponível em http://www.scielosp.org/pdf/csp/v27n3/12.pdf

12. Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios. Lancet. 2011 Maio; 6(11)54-8

13. Ministério da Saúde (BR), Sistema Único de Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Coleção progestores: para entender a gestão do SUS. Brasília (DF): CONASS; 2011. p.165-180

14. Cavalcanti BS, Peci A. Além da reforma do aparelho do Estado: para uma nova política de gestão pública. In: Cavalcanti BS, Ruediger MA, Sobreira R. Desenvolvimento e construção nacional: políticas públicas. Rio de Janeiro (RJ): Editora FGV; 2003. p.33-56.

15. Feetham SL, Williams JK. Genetics in nursing. Geneva (CH): International Council of Nurses; 2004.

16. Mckusick VA, Ruddle FH. Toward a complete map of the human genome. Genomics. 1987 Nov; 1(2):103-6.

17. International Society of Nurses in Genetics (ISONG). Genetics genomics nursing: scope & standarts of practice. Silver Spring (US): American Nurses Association; 2007

18. Guttmacher AE, Collins FS. Genomic medicine: a primer. N Engl J Med. 2002 Mar; 34(19):1512-20.

19. Jenkins J, Bednash G, Malone B. Bridging the gap between genomics discoveries and clinical care: nurse faculty are key. J Nurs Scholarsh. 2011 Mar; 43(1):1-2.

20. Silva KL, Sena RR. Integralidade do cuidado na saúde: indicações a partir da formação do enfermeiro. Rev Esc Enferm USP [online]. 2008 Mar [acesso 2011 Jul 17]; 42(1):48-56. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n1/07.pdf

21. Cecílio LCO. As necessidades de saúde como conceito estruturante na luta pela integralidade e equidade na atenção em saúde. In: Pinheiro R, Mattos RA, organizadores. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro (RJ): Ims, Abrasco; 2001. p.113-26.

22. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Nota Técnica sobre a Política de Atenção Integral em Genética Clínica. Brasília (DF): CONASS; 2008. p.1-7.

23. Constituição da República Federativa do Brasil de 05 de outubro de 1988. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado; 1988. Título VIII. Da Ordem Social. Capítulo II. Seção II. Da Saúde. Art. 196

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería