ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r231123

 

 

 

REFLEXÃO

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

A reestruturação produtiva na área da saúde e da enfermagem obstétrica

Juliana Amaral Prata,1 Jane Márcia Progianti,2 Helena Scherlowski Leal David3
1
Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Enfermeira da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Associado do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil da Faculdade de Enfermagem da UERJ. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 3Doutora em Saúde Pública. Docente do Departamento de Enfermagem de Saúde Pública da Faculdade de Enfermagem da UERJ. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Recebido em 09 de julho de 2013
Aprovação final em 05 de dezembro de 2013

Texto Contexto Enferm 23(4): 1123-1129

 

 

 

Cómo citar este documento

Prata, Juliana Amaral; Progianti, Jane Márcia; David, Helena Scherlowski Leal. A reestruturação produtiva na área da saúde e da enfermagem obstétrica. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/231123.php> Consultado el

 

Resumo

Esta reflexão objetivou apresentar as dimensões da reestruturação produtiva concretizadas no setor da saúde brasileira, discutindo os nexos entre este fenômeno e o trabalho da enfermagem obstétrica. Sua construção baseou-se em artigos sobre reestruturação produtiva e saúde, disponíveis na Biblioteca Virtual de Saúde, refletindo os desdobramentos sobre o processo de cuidar dessa especialidade. Verificamos que a reestruturação produtiva na saúde pode ser vislumbrada, na ótica da gestão e da organização do processo de trabalho. Apesar dos impactos negativos no campo do trabalho, na obstetrícia houve a valorização do trabalho vivo num contexto favorável às mudanças na assistência ao parto, por meio da inserção da enfermagem obstétrica e da implantação das tecnologias de cuidado. Concluímos que, além do enfoque no trabalho vivo e nas tecnologias leves, essas concepções constituem uma inovação tecnológica, pois modificaram e ressignificaram o modo de cuidar, iniciando o processo de inversão do núcleo tecnológico na obstetrícia.
Descritores: Enfermagem obstétrica. Trabalho. Humanização da assistência. Política. Saúde da mulher

Resumen
La reestructuracion productiva en la salud y enfermería obstétrica

Esta discusión pretende presentar dimensiones de reestructuración productiva en el sector de salud en Brasil, discutiendo la relación con el trabajo de la enfermería obstétrica. Su construcción se basó en artículos sobre reestructuración productiva y salud, disponibles en la Biblioteca Virtual de Salud, reflejando el desarrollo del proceso de cuidar de esta especialidad. Verificamos que reestructuración productiva en salud se puede vislumbrar en la gerencia y la organizacíon del trabajo en salud. A pesar de los impactos negativos en el ámbito del trabajo, en obstetricia hubo apreciación del trabajo vivo en un contexto favorable a cambios en la asistencia al parto, a través de la inserción de la enfermería obstétrica e implementación de tecnologías de cuidado. Concluimos que, además de centrarse en el trabajo vivo y tecnologías livianas, estas concepciones constituyen avance tecnológico, pues modificaron y resignificaron el cuidar, iniciando el proceso de inversión del núcleo tecnológico en obstetricia.
Descriptores: Enfermería obstétrica. Trabajo. Humanización de la atención. Política. Salud de la mujer

Abstract
Productive restructuring in the area of health and obstetric nursing

This reflection aimed to show the productive restructuring dimensions achieved in Brazilian healthcare, discussing the nexuses between this phenomenon and the work in obstetrical nursing. Its construction was based on articles about productive restructuring and health available in the Virtual Health Library, reflecting the consequences on this speciality's caregiving process. We observed that the productive restructuring in health care may be seen under the health system management and work organization viewpoints. Despite the negative impacts in the field of work, there has been an appreciation of living labor in obstetrics in a context favorable to changes in labor care, through the introduction of obstetrical nursing and implementation of health care technologies. We conclude that, besides the focus on living labor and soft technologies, such concepts comprise technological innovation, as they have changed and resignified the way of providing care, thus beginning the process of the inversion of the technological core in obstetrics.
Descriptors: Obstetrical nursing. Work. Humanization of assistance. Politics. Women`s health
 

Referências

1. Filgueiras LAM. Reestruturação produtiva, globalização e neoliberalismo: capitalismo e exclusão social neste final de século. In: Anais do V Encontro Nacional da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho, 1997 Set 10-12, Rio de Janeiro(RJ): ABET, 1997. p. 895-919.

2. Gomes Serafim MT. Debate sobre a reestruturação produtiva no Brasil. RA'EGA. 2011; 21:51-77.

3. Andrade FF. Reestruturação produtiva: dos novos padrões de acumulação capitalista ao novo parâmetro de políticas sociais. Rev Urutágua. 2004 Ago-Nov; (10):1-9.

4. Estrada JHM. La formacíon por competencias y el mundo del trabajo: de la calificación a la empleabilidad. Rev Salud Pública. 2012 Jun; 14 (Suppl 1):98-111.

5. Munhoz DB, Jesus JAL, Costa MA, Souza EM. Neoliberalismo e Estado mínimo: repercussões na atenção à saúde no Distrito Federal. Comun Ciênc Saúde. 2009 Jul-Set; 20(3):271-76

6. Santos TS. Globalização e exclusão: a dialética da mundialização do capital. Sociologias. 2001 Jul-Dez; (6):170-98.

7. Rocha-Vidigal CB. Vidigal VG. Investimento na qualificação profissional: uma abordagem econômica sobre sua importância. Acta Scien Human Social Sci. 2012 Jan-Jun; 34 (1):41-8.

8. Bernardino MTS, Bento PEG. Reestruturação produtiva: condições de trabalho e saúde no Brasil. Cadernos Terap Ocupac UFSCar. 2002 Jan-Jun; 10(1):19-29.

9. Pereira ALF. Moura MAV. Hegemonia e contra-hegemonia no processo de implantação da Casa de Parto no Rio de Janeiro. Rev Esc Enferm USP. 2009 Dez; 43(4):872-9.

10. Mahmood Q. Muntaner C. Politics, class actors, and health sector reform in Brazil and Venezuela. IUHPE - Global Health Promotion. 2013 Mar; 20(1):59-67.

11. Prata JA, Progianti JM, Pereira ALF. O contexto brasileiro de inserção das enfermeiras obstétricas na assistência ao parto humanizado. Rev Enferm UERJ. 2012 Jan-Mar; 20(1):105-10.

12. Garcia AL, Oliveira ERA, Barros EB. Qualidade de vida de professores do ensino superior na área da saúde: discurso e prática cotidiana. Cogitare Enferm. 2008 Jan-Mar; 13(1):18-24.

13. Gomez CM, Thedim-Costa SMF. Precarização do trabalho e desproteção social: desafios para a saúde coletiva. Ciên Saúde Coletiva. 1999 Jan; 4(2):411-21.

14. Flegeler DS, Guerra MA, Espindula KD, Lima RCD. O trabalho dos profissionais de saúde na estratégia saúde da família: relações complexas e laços institucionais frágeis. UFES Rev Odontol. 2008 Out-Dez; 10(4):17-23

15. Mendes RBG. Práticas de Saúde: processos de trabalho e necessidades. São Paulo (SP): Centro de Formação dos Trabalhadores em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde, 1992.

16. Ferreira VSC, Andrade CS, Franco TB, Merhy EE. Processo de trabalho do agente comunitário de saúde e a reestruturação produtiva. Cad Saúde Pública. 2009; 25(4):898-906.

17. Franco TB, Merhy EE. Atenção domiciliar na saúde suplementar: dispositivo da reestruturação produtiva. Ciência Saúde Coletiva. 2008 Set-Out; 13(5):1511-20.

18. Martins AM, Franco TB, Merhy EE, Feuerwerker LCM. A produção do cuidado no Programa de Atenção Domiciliar de uma cooperativa médica. Rev Saúde Coletiva. 2009; 19(2):457-74.

19. Bourdieu P. O poder simbólico. 9ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Bertrand Brasil; 2006.

20. Progianti JM, Vargens OMC. As enfermeiras obstétricas frente ao uso de tecnologias não invasivas de cuidado como estratégias na desmedicalização do parto. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2004 Ago; 8(2):194-7.

21. Scherer-Warren I. Das mobilizações as redes de movimentos sociais. Soc Estado. 2006 Jan-Abr; 21(1):109-30

22. Vargens OMC, Progianti JM, Silveira ACF. O significado de desmedicalização da assistência ao parto no hospital: análise da concepção de enfermeiras obstétricas. Rev Esc Enferm USP.  2008 Jun; 42(2):339-46.

23. Torres JA, Santos I, Vargens OMC. Construindo uma concepção de tecnologia de cuidado de enfermagem obstétrica: estudo sociopoético. Texto Contexto Enferm. 2008 Out-Dez; 17 (4):656-64

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería