ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r231077

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Práticas da equipe de saúde da famÍlia: orientadoras do acesso aos serviços de saúde?*

Anne Caroline Coelho Leal Árias Amorim,1 Marluce Maria Araújo Assis,2 Adriano Maia dos Santos,3 Maria Salete Bessa Jorge,4 Maria Lúcia Silva Servo5
1
Mestre em Saúde Coletiva. Professora Assistente II dos Cursos de Graduação em Enfermagem e Medicina do Programa de Residência em Área Profissional da Saúde - Enfermagem em Urgência e da Residência Multiprofissional em Saúde da Família da Fundação Universidade Federal do Vale de São Francisco. Petrolina, Pernambuco, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Titular do Departamento de Saúde da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Pesquisadora CNPq. Feira de Santana, Bahia, Brasil. 3Doutor em Saúde Pública. Professor Adjunto do Instituto Multidisciplinar em Saúde da Universidade Federal da Bahia, Campus Anísio Teixeira. Vitória da Conquista, Bahia. Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Professora Titular dos Cursos de Graduação em Enfermagem e Medicina do Programa Saúde Coletiva e do Programa de Pós-Graduação Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Ceará. Pesquisadora do CNPq. Fortaleza, Ceará. Brasil. 5Doutora em Enfermagem. Professor Pleno do Curso de Graduação em Enfermagem do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva e do Mestrado Profissional em Enfermagem da UEFS. Feira de Santana, Bahia, Brasil

Recebido em 27 de março de 2013
Aprovação final em 11 de setembro de 2013

Texto Contexto Enferm 23(4): 1077-1086
*
Artigo resultado de estudo que recebeu auxílio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) - Processo n. 307314/2007-3

 

 

 

Cómo citar este documento

Amorim, Anne Caroline Coelho Leal Árias; Assis, Marluce Maria Araújo; Santos, Adriano Maia dos; Jorge, Maria Salete Bessa; Servo, Maria Lúcia Silva. Práticas da equipe de saúde da famÍlia: orientadoras do acesso aos serviços de saúde?. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/231077.php> Consultado el

 

Resumo

O estudo teve por objetivo a análise das práticas da equipe na Estratégia Saúde da Família e como estas orientam o acesso aos serviços de saúde, o qual foi realizado em pesquisa qualitativa, com a observação sistemática da prática em três Unidades de Saúde da Família, como técnica de coleta de dados. O fluxograma analisador orientou a análise dos dados. Os resultados revelaram que o acesso ocorre, preferencialmente, por meio do cadastramento familiar e de ações programáticas voltadas para grupos específicos. A prática procedimento-centrada orienta a atenção na Estratégia Saúde da Família, priorizando o pronto-atendimento, retratado nas urgências/emergências. Algumas atividades, realizadas pelo enfermeiro, mostraram-se mais susceptíveis a novas posturas terapêuticas, manifestadas pela satisfação dos usuários. O estudo sinaliza para a necessidade de avançar na ressignificação das práticas para potencializar a melhoria do acesso na "porta de entrada" do sistema.
Descritores: Acesso aos serviços de saúde. Programa Saúde da Família. Equipe de assistência ao paciente. Sistema Único de Saúde

Resumen
Las prácticas del equipo de salud de la familia: directrices de acceso a servicios de salud?

El estudio pretende revisar las prácticas del equipo en la estrategia de salud de la familia y como estos rigen el accesoa servicios de salud, que fue logrado en la investigación cualitativa con la observación sistemática de la práctica en tres unidades de salud de la familia como técnica de recogida de datos. El analizador de diagrama de flujo guiado el análisis de datos. Los resultados revelaron que el acceso realiza preferentemente a través del nombre de la familia y las acciones programáticas orientadas a grupos específicos. La práctica centrada en procedimiento Guía del estrategia de salud de la familia, priorizando la listo-habitación en urgências/emergências. Algunas actividades llevadas a cabo por la enfermera eran más susceptibles a nuevos enfoques terapéuticos, que se manifiesta por la satisfacción de los usuarios. El estudio señala la necesidad de avanzar en la (re)significación de las prácticas para mejorar el acceso mejorado en la "puerta" del sistema.
Descriptores: Accesibilidade a los servicios de salud. Programa de Salud Familiar. Equipo de aténcion al paciente. Sistema Único de Salud

Abstract
Practices of the family health team: advisors of the access to the health services?

The study aimed to analyze the practices of the team in the Family Health Strategy, and how these guide the access to the health services. This was undertaken through qualitative research with systematic observation of the practice in three Family Health Centers as the data collection technique. The analyzing flowchart guided the analysis of the data. The results revealed that the access occurs, preferentially, through the family registration and the program actions directed towards specific groups. The procedure-centered practice guides the care in the Family Health Strategy, prioritizing the Emergency Room, depicted in emergency care. Some activities undertaken by the nurse were shown to be more susceptible to new therapeutic positions, shown by the service users' satisfaction. The study points to the need to advance in the re-signification of the practices, so as to strengthen improvement of access in the system's "gateway".
Descriptors: Health services accessibility. Family Health Pogram. Patient care team. Unified Health System
 

Referências

1. Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2010 Ago; 15(5):2297-305.

2. Merhy EE. Saúde e direitos: tensões de um SUS em disputa, molecularidades. Saúde Soc. 2012 Abr-Jun; 21(2):267-79.

3. Assis MMA, Nascimento MAA, Franco TB, Jorge MSB, organizadores. Produção do cuidado no Programa Saúde da Família: olhares analisadores em diferentes cenários. Salvador (BA): Edufba; 2010.

4. Baremblit G. Compêndio de análise institucional e outras correntes. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ): ABDR; 1996.

5. Peduzzi M. Equipe multiprofissional de saúde: conceito e tipologia. Rev de Saúde Pública. 2001 Fev; 5(1):103-9.

6. Assis MMA, Abreu-de-Jesus WL. Acesso aos serviços de saúde: abordagens, conceitos, políticas e modelo de análise. Ciênc Saúde Coletiva. 2012 Nov; 17(11):2865-75.

7. Abreu-de-Jesus WL, Assis MMA. Revisão sistemática sobre o conceito de acesso nos serviços de saúde: contribuições do planejamento. Ciênc Saúde Coletiva. 2010 Jan; 15(1):161-70.

8. Barata RB. Social inequalities in access to dental care. Rev Saúde Pública. 2012 Abr; 46(2):207-8.

9. Oliveira LS, Almeida LGN, Oliveira MAS, Gil GB, Cunha ABO, Medina MG et al. Acessibilidade a atenção básica em um distrito sanitário de Salvador. Ciênc Saúde Coletiva. 2012 Nov; 17(11):3047-56.

10. Santos AM, Giovanella L, Mendonça MHM, Andrade CLT, Martins MIC, Cunha MS. Práticas assistenciais das Equipes de Saúde da Família em quatro grandes centros urbanos. Ciênc Saúde Coletiva. 2012 Out; 17(10):2687-702.

11. Santos AM, Assis MMA. Saúde bucal: da fragmentação à integralidade. Feira de Santana (BA): UEFS; 2010.

12. Santos IMV, Santos AM. Acolhimento no Programa Saúde da Família: revisão das abordagens em periódicos brasileiros. Rev Salud Pública. 2011 Ago; 13(4):703-16.

13. Conill EM, Giovanella L, Almeida PF. Listas de espera em sistemas públicos: da expansão da oferta para um acesso oportuno? Considerações a partir do Sistema Nacional espanhol. Ciênc Saúde Coletiva. 2011 Jun; 16(6):2783-94.

14. Franco TB. Transição tecnológica e inclusão social na saúde. In: Franco TB, Andrade CS, Ferreira VSC, organizadores. A produção subjetiva do cuidado: cartografias da Estratégia Saúde da Família. São Paulo (SP): Hucitec; 2009. p.147-62.

15. Feira de Santana (BA). www.feiradesantana.ba.gov.brhttp://www.feiradesantana.ba.gov.br. Feira de Santana; 2010. [acesso 2010 Abr 18]: Disponível em: http://www.feiradesantana.ba.gov.br.

16. Bahia. Plano Estadual de Saúde 2008-2011. Rev Baiana Saúde Pública. 2009 Nov; 33(Supl.1):13-87.

17. Merhy EE, Chakkour M, Stéfano E, Stéfano ME, Santos CM, Rodrigues RA et al. Em busca de ferramentas analisadoras das tecnologias em saúde: a informação e o dia a dia de um serviço, interrogando e gerindo trabalho em saúde. In: Merhy EE, Onocko R, organizadores. Agir em saúde: um desafio para o público. 3 ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2007. p.113-150.

18. Rodrigues AAAO, Assis MMA. Saúde bucal no Programa de Saúde da Família: sujeitos, saberes e práticas. Vitória da Conquista (BA): UESB; 2009.

19. Lima WCMB, Assis MMA. Acesso restrito e focalizado ao Programa Saúde da Família em Alagoinhas-Bahia, Brasil: demanda organizada para grupos populacionais específicos x demanda espontânea. Rev Baiana Saúde Pública. 2010 Jul-Set; 34(3):439-49.

20. Castro RCL, Knauth DR, Harzheim E, Hauser L, Duncan BB. Avaliação da qualidade da atenção primária pelos profissionais de saúde: comparação entre diferentes tipos de serviço. Cad Saúde Pública. 2012 Set; 28(9):1772-84.

21. Giovanella L, Mendonça MHM, Almeida PF, Escorel S, Senna MCM, Fausto MCR et al. Saúde da família: limites e possibilidades para uma abordagem integral de atenção primária à saúde no Brasil. Cienc Saúde Coletiva. 2009 Maio-Jun; 14(3):783-94.

22. Santos AM. Gestão do cuidado na microrregião de saúde de Vitória da Conquista (Bahia): desafios para constituição de rede regionalizada com cuidados coordenados pela Atenção Primária à Saúde [tese]. Rio de Janeiro (RJ): Fundação Oswaldo Cruz. Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública; 2013.

23. Mendonça MHM, Martins MIC, Giovanella L, Escorel S. Desafios para gestão do trabalho a partir de experiências exitosas de expansão da Estratégia de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2010 Ago; 15(5):2355-65

24. Assis MMA, Alves JS, Santos AM. Políticas de recursos humanos e a (re)significação das práticas dos trabalhadores no Sistema Único de Saúde (SUS): apontamentos para o debate. Rev. Baiana de Saúde Pública. 2008 Out; 32(1):7-15.

25. Almeida PF, Giovanella L, Mendonça MHM, Escorel S. Desafios à coordenação dos cuidados em saúde: estratégias de integração entre níveis assistenciais em grandes centros urbanos. Cad Saúde Pública. 2010 Fev; 26(2):286-98.

26. Ayres JRCM. Cuidado: trabalho e interação nas práticas de saúde. Rio de Janeiro (RJ): Abrasco; 2009.

27. Matumoto M, Fortuna CM, Kawata LS, Mishima SM, Pereira MJB. Cartografia das dores do cuidado no trabalho clínico do enfermeiro na atenção básica. Texto Contexto Enferm. 2013 Abr-Jun [acesso 2013 Ago 10]; 22(2):318-26. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n2/v22n2a07.pdf

28. Gomes R, Moreira MCN, Nascimento EF, Rebello LEFS, Couto MT, Schraiber LB. O homem não vem! Ausência e/ou invisibilidade masculina na atenção primária. Ciênc Saúde Coletiva. 2011 Mar; 16(Supl.1):983-92.

29. Santos AM, Assis MMA; Nascimento MAA, Jorge MSB. Vínculo e autonomia na prática de saúde bucal no Programa de Saúde da Família. Rev Saúde Pública. 2008 Jun; 42(3):464-70.

30. Araujo IB, Nascimento MAA, Assis MMA. Modelos de atenção à saúde no PSF: práticas e relações. Saúde em Debate. 2010 Jan-Mar; 34(84):119-28.

31. Franco TB, Andrade CS, Ferreira VSC. A produção subjetiva do cuidado: cartografia da Estratégia Saúde da Família. São Paulo (SP): Hucitec; 2009.

32. Cecílio LCO. A morte de Ivan Ilitch, de Leon Tolstói: elementos para se pensar as múltiplas dimensões da gestão do cuidado. Interface: Comunic, Saúde, Educ. 2009; 13(Suppl.1):545-55.

33. Jorge MSB, Sousa FSP, Franco TB. Apoio matricial: dispositivo para resolução de casos clínicos de saúde mental na Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Enferm. 2013 Set-Out; 66 (5):738-44

34. Massuda A, Campos GWS. El método de soporte Paideia en el hospital: la experiência del Hospital de Clínicas de la Universidade Estadual de Campinas (HC-Unicamp). Salud Colectiva.  2010 Maio-Ago; 6(2):163-80.

35. Kawata LS, Mishima SM, Chirelli MQ, Pereira MJB. O trabalho cotidiano da Enfermeira na Saúde da Família: utilização de ferramentas da gestão. Texto Contexto Enferm. 2009 Abr-Jun;  18(2):313-20

36. Gawryszewski ARB, Oliveira DC, Gomes AMT. Acesso ao SUS: representações e práticas de profissionais desenvolvidas nas Centrais de Regulação. Physis: Rev Saúde Coletiva. 2012;  22(1):119-40.

37. Bispo Jr JP, Martins PC. Envolvimento comunitário na Estratégia de Saúde da Família: dilemas entre institucionalização e efetiva participação. Physis: Rev Saúde Coletiva. 2012; 22 (4):1313-32.

 38. Campos GWS. Cogestão e neoartesanato: elementos conceituais para repensar o trabalho em saúde combinando responsabilidade e autonomia. Ciênc Saúde Coletiva. 2010 Ago; 15 (5):2337-44

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería