ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r231068

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Condições sociodemográficas e padrões de consumo de crack entre mulheres*

Vania Dias Cruz,1 Michele Mandagará de Oliveira,2 Leandro Barbosa de Pinho,3 Valéria Cristina Christello Coimbra,4 Luciane Prado Kantorski5, Jeane Freitas de Oliveira6
1
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande. Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. 2Doutora em Enfermagem em Saúde Pública. Professora do Departamento de Enfermagem da UFPel. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. 3Doutor em Enfermagem Psiquiátrica. Professor do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. 4Doutora em Enfermagem Psiquiátrica. Professora do Departamento de Enfermagem da UFPel. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. 5Doutora em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da UFPel. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. 6Doutora em Saúde Pública. Professora da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil

Recebido em 11 de março de 2013
Aprovação final em 19 de agosto de 2013

Texto Contexto Enferm 23(4): 1068-1076
*
Extraído da dissertação - Vivências de mulheres que consomem crack em Pelotas-RS, apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Enfermagem (PPGEnf) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), em 2012

 

 

 

Cómo citar este documento

Cruz, Vania Dias; Oliveira, Michele Mandagará de; Pinho, Leandro Barbosa; Coimbra, Valéria Cristina Christello; Kantorski, Luciane Prado; Oliveira, Jeane Freitas de. Condições sociodemográficas e padrões de consumo de crack entre mulheres. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/231068.php> Consultado el

 

Resumo

O objetivo deste estudo foi caracterizar as condições sociodemográficas e os padrões de consumo de crack entre mulheres. Realizou-se um estudo exploratório-descritivo, de abordagem qualitativa, por meio de entrevista semiestruturada com 16 mulheres que consomem ou consumiam crack cadastradas na Estratégia de Redução de Danos de Pelotas-RS, no mês de janeiro de 2012. Para a análise dos resultados, utilizou-se a análise de conteúdo, na modalidade análise temática. Identificou-se um grupo de mulheres jovens, com baixa escolaridade e renda, exercendo atividades ocupacionais informais e com pelo menos um filho. O consumo de crack era do tipo "binge" e interferia nas atividades diárias preexistentes, caracterizando o grupo de mulheres como usuárias abusivas. A partir do padrão de consumo de crack entre as mulheres e sua relação com questões de gênero, constatou-se a produção de novas inserções e discursos, pondo em discussão os comportamentos predefinidos na sociedade.
Descritores: Usuários de drogas. Crack. Mulheres. Identidade de gênero

Resumen
Condiciones sociodemográficas y patrones de consumo de crack entre mujeres

El objetivo de este estudio fue caracterizar las condiciones sociodemográficas y los patrones de consumo de crack entre mujeres. Se realizó un estudio exploratorio y descriptivo de abordaje cualitativo, por medio de una entrevista semiestructurada con 16 mujeres que consumían crack, registradas en la Estrategia de Reducción de Daños de Pelotas-RS, en el mes de enero de 2012. Para el análisis de los resultados se utilizó el análisis de contenido, en la modalidad análisis temático. Se identificó un grupo de mujeres jóvenes, con baja escolaridad y renta, ejerciendo actividades ocupacionales informales y con por lo menos 1 hijo. El consumo de crack era del tipo "binge" e interfería en las actividades diarias pre-existentes, caracterizando el grupo de mujeres como usuarias abusivas. El patrón de consumo de crack entre las mujeres y su relación con cuestiones de género constató la producción de nuevas inserciones y discursos poniendo en discusión los comportamientos predefinidos en la sociedad.
Descriptores: Consumidores de drogas. Cocaína crack. Mujeres. Identidad de género

Abstract
Sociodemographic conditions and patterns of crack use among women

The aim of this study was to characterize the sociodemographic conditions and patterns of crack use among women. A descriptive-exploratory study with a qualitative approach was performed in January 2012, using semi-structured interviews with 16 women who use or used crack, and were enrolled in the Damage Reduction Strategy of the municipality of Pelotas, in the state of Rio Grande do Sul, Brazil. Data were analyzed using the thematic content analysis. A group of young women was identified with low levels of education and income, which perform informal labor activities and have at least one child. The pattern of crack use among these women was identified as the "binge" type, interfering with daily activities, and characterizing the group of women as abusive users. The pattern of crack use among the women, and its relation to issues of gender, pointed to the production of new insertions and discourses, bringing into question pre-defined behaviors in society.
Descriptors: Drug users. Crack cocaine. Women. Gender identity
 

Referências

1. Malheiro LSB. Rituais sociais e o acesso a atenção básica em saúde entre pessoas que usam crack no centro histórico de Salvador: uma pesquisa com fins a intervenção social em redução de danos [trabalho de conclusão de curso]. Salvador (BA): UFBA; 2010.

2. Spricigo JS, Carraro TE, Cartana MHF, Reibnitz KS. Atenção ao usuário de drogas - Um espaço para o enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2004 Abr-Jun; 13(2):296-302.

3. Zinberg N. Drug, set and setting, New Haven (US): Yale University Press, 1984.

4. Oliveira LG, Nappo SA. Caracterização da cultura de crack na cidade de São Paulo: padrão de uso controlado. Rev Saude Pública. 2008 Ago; 42(4):664-71.

5. Pardo LS. Género y drogas: guía informativa: drogas y género: Plan de Atención Integral a la Salud de la Mujer de Galicia. Galacia (TR): Subdirección Xeral de Saúde Mental e Drogodependencias; 2009.

6. Carlini EA, Galduróz JC, Noto AR, Nappo AS. I levantamento domiciliar sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil: estudo envolvendo as 107 maiores cidades do país. São Paulo (SP): UNIFESP; 2002.

7. Severine D. The specificities of female drug addiction. [online] 2004 Ago [acesso 2012 Dec 10]; [about 03 p.]. Disaponível em: http://www.drugtext.org/Gender-issues/the-specifities-of-female-drug-addiction.html

8. Oliveira JF, McCallum CA, Costa HOlG. Social representations of community health agents regarding drug use. Rev Esc Enferm USP. 2010 Set; 44(3): 611-8.

9. Moraes M. Gênero e usos de drogas: porque é importante articular esses temas? In: Moraes M, Castro R, Petuco D. Gênero e drogas: contribuições para uma atenção integral a saúde. Recife (PE): Instituto PAPAI/Gema/UFPE; 2011.

10. Scott JW. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educ Real. 1990; 16(2):5-22.

11. Cruz VD. Vivências de mulheres que consomem crack em Pelotas-RS [dissertação]. Pelotas (RS): Universidade Federal de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2012.

12. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo (SP): Hucitec, 2010.

13. Elbreder MF, Laranjeira R, Siqueira MM, Barbosa DA. Perfil de mulheres usuárias de álcool em ambulatório especializado em dependência química. J Bras Psiquiatr. 2008 Jan; 57(1):9-15.

14. Cabral FB, Oliveira DLLC. Women's vulnerability in the puerperium from the view of Family Health Teams: emphasis on generational aspects and adolescence. Rev Esc Enferm USP. 2010 Jun; 44(2): 368-75.

15. Ribeiro LA, Sanchez ZM, Nappo SA. Estratégias desenvolvidas por usuários de crack para lidar com os riscos decorrentes do consumo da droga. J Bras Psiquiatr. 2010 Ago; 59(3):210-8.

16. Oliveira JF, Paiva MS. Vulnerabilidade de mulheres usuárias de drogas ao hiv/aids em uma perspectiva de gênero. Esc Anna Nery. 2007 Dez; 11(4):625-31.

17. Raupp L, Adorno RCF. Jovens em situação de rua e usos de crack: um estudo etnográfico em duas cidades. RBAC. 2011; (4):52-67.

18. Chaves TV, Sanchez ZM, Ribeiro LA, Nappo SA. Fissura por crack: comportamentos e estratégias de controle de usuários e ex-usuários. Rev Saúde Pública. 2011 Dez; 45(6):1168-75.

19. Zeni TC, Araújo RB. Relação entre o craving por tabaco e o craving por crack em pacientes internados para desintoxicação. J Bras Psiquiatr. 2011 Jan; 60(1):28-33

20. Zalaf MRR, Fonseca RMGS. Abusing alcohol and other drugs in students' dormitories: knowing it in order to face it. Rev Esc Enferm USP. 2009 Mar; 43(1):132-8

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería