ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r231041

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Situações que precipitam conflitos na relação conjugal: o discurso de mulheres

Gilvânia Patrícia do Nascimento Paixão,1 Nadirlene Pereira Gomes,2 Normélia Maria Freire Diniz,3 Telmara Menezes Couto,4 Lucila Amaral Carneiro Vianna,5 Sheila Milena Pessoa dos Santos6
1Mestre em Enfermagem. Professora Auxiliar da Universidade do Estado da Bahia. Senhor do Bonfim, Bahia, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Salvador, Bahia, Brasil. 3Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da UFBA. Salvador, Bahia, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto da UFBA. Salvador, Bahia, Brasil. 5Doutora em Saúde Pública. Professora Adjunto da Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, São Paulo, Brasil. 6Mestre em Educação. Professora Assistente da Universidade Federal de Campina Grande. Campina Grande, Paraíba, Brasil

Recebido em 12 de outubro de 2013
Aprovação final em 20 de março de 2014

Texto Contexto Enferm 23(4): 1041-1049

 

 

 

Cómo citar este documento

Paixão, Gilvânia Patrícia do Nascimento; Gomes, Nadirlene Pereira; Diniz, Normélia Maria Freire; Couto, Telmara Menezes; Vianna, Lucila Amaral Carneiro; Santos, Sheila Milena Pessoa dos. Situações que precipitam conflitos na relação conjugal: o discurso de mulheres. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/231041.php> Consultado el

 

Resumo

A pesquisa objetivou analisar as situações que precipitam e/ou intensificam conflitos na relação conjugal. Foram entrevistadas 19 mulheres em vivência de violência conjugal. Utilizou-se o Discurso do Sujeito Coletivo como método de organização, que possibilitou encontrar as ideias centrais e gênero como referencial analítico. Síntese: relação de controle e dominação do homem para com a mulher, os ciúmes, a infidelidade do companheiro, a paternidade e maternidade sem planejamento e o uso de álcool e drogas. Tais situações guardam relação com a construção da violência conjugal e/ou permanência da mulher na relação, sendo essenciais as ações de prevenção, a fim de evitar tal fenômeno, bem como suas repercussões para a saúde da mulher e da família. A atuação do profissional enfermeiro é indispensável nos programas de prevenção de agravos, promoção e assistência à saúde das mulheres e famílias, por meio dos equipamentos de saúde e sociais existentes na comunidade.
Descritores: Violência contra a mulher. Relações familiares. Conflito familiar. Violência de gênero. Enfermagem

Resumen
Situaciones que causan conflictos en la relación conyugal: el discurso de las mujeres

La investigación tiene como objetivo el análisis de las situaciones que precipitan y/o intensifican los conflictos en la relación conyugal. Fueran entrevistadas 19 mujeres que viven la violencia conyugal. Se utilizó el Discurso de Sujeto Colectivo, que posibilitó encontrar las ideas centrales y el género como un marco analítico. Síntesis: relación de control y dominación del hombre para con la mujer, celos, la infidelidad de la pareja, la paternidad y maternidad sin plan y el uso de alcohol y drogas. Estas situaciones tienen relación con la construcción de la violencia conyugal y/o la permanencia de la mujer en la relación, así, son esenciales acciones de prevención para evitar tal fenómeno y las consecuencias para la salud de la mujer y de la familia. La función del profesional enfermero es indispensable en los programas de prevención de agravios, promoción y de asistencia a la salud de las mujeres y familias, a través de los equipos de salud existentes en la comunidad.
Descriptores: Violencia contra la mujer. Relaciones familiares. Conflicto familiar. Violencia de género. Enfermería

Abstract
Situations which precipitate conflicts in the conjugal relationship: the women's discourse

This study aimed to analyze the situations that precipitate and/or intensify conflicts in the conjugal relationship. Interviews were held with 19 women experiencing conjugal violence. The Discourse of the Collective Subject was used as the method of organization, making it possible to find the central ideas, and gender was used as the analytical framework. Summary: the women report the man's control and domination of the woman, jealousy, the male partner's infidelity, unplanned fatherhood and motherhood, and the use of alcohol and drugs. These situations are related to the construction of the conjugal violence and/or the woman's remaining in the relationship, with preventive actions being essential so as to avoid this phenomenon and its repercussions on the health of the woman and the family. The work of the professional nurse is indispensable in the programs for harm prevention and for the promotion and assistance of the health of women and families, through social and health service means and facilities existing in the community.
Descriptors: Violence against women. Family relationships. Familial conflict. Gender violence. Nursing
 

Referências

1. Melman J, Ciliverti ME, Aoki M, Figueira Junior N. Tecendo redes de paz. Saúde Socied [online]. 2009 Mar [acesso 2011 Set 06]; 18(1):66-72. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902009000500012.

2. Ministério da Justiça (BR). Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Direitos Humanos e Mediação de conflitos. ITS Brasil: 2008 [acesso 2011 Mai 21]. Disponível em: http://www.unmp.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=127:curso-qdireitos-humanos-e-mediacao-de-conflitosq &catid=36:noticias&Itemid=61

3. Watts N. Screening for domestic violence: a team approach for maternal/newborn nurses. AWHONN Lifelines. 2004 Dec; 8(3):210-9.

4. Miranda MPM, Paula CS, Bordin IA. Violência conjugal física contra a mulher na vida: prevalência e impacto imediato na saúde, trabalho e família. Rev Panam Salud Publica. 2010 Abr; 27 (4):300-8.

5. Thomazine AM, Oliveira BRG, Vieira CS. Atenção a crianças e adolescentes vítimas de violência intrafamiliar por enfermeiros em serviços de pronto-atendimento. Rev Eletr Enf [online] 2009 Dez; [acesso 2012 Out 19] 11(4):830-40. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n4/v11n4a08.htm

6. França MRC, Moreno JL. Criativo pioneiro na história da terapia familiar. In: Vitale MAF, organizadora. Laços amorosos: terapia de casal e psicodrama. São Paulo (SP): Ágora; 2004. p.15-28.

7. Braz MP, Dessen MA, Silva NLP. Relações conjugais e parentais: uma comparação entre famílias de classes sociais baixa e média. Psicol Reflex Crit. 2005 Jul; 18(2):151-61

8. Rosa AG, Boing AF, Büchele F, Oliveira WF, Coelho EBS. A violência conjugal contra a mulher a partir da ótica do homem autor da violência. Rev Saude Soc [online]. 2008 Set [acesso 2012 Set 18]; 17(3):152-60. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902008000300015&script=sci_arttext

9. Brasil. Lei No 11.340, de 7 de agosto de 2006. Lei Maria da Penha. Diário Oficial da União, 08 de agosto de 2006. p. 1.

10. Brasil. Constituição Federal, 05 de outubro de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado; 1988.

11. Pope C, Mays N. Pesquisa qualitativa na atenção à saúde. Porto Alegre (RS): Artmed; 2008.

12. Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB). Diretoria de inovação. Coordenação de tecnologias sociais e ambientais Enfrentamento da violência conjugal: estratégias para a garantia da segurança e saúde das famílias. Projeto financiado. Edital Segurança Pública. Pedido nº 709/11.

13. Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde, 10 de outubro de 1996. Resolução n. 196. Dispõe sobre pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): CNS; 1996.

14. Minayo MCS. Introdução à metodologia das ciências sociais. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2010.

15. Lefevre F, Lefevre AMC. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (desdobramentos). 2ª ed. Caxias do Sul (RS): Educs; 2005.

16. Lefevre F, Lefevre AMC, Marques MCC. Discurso do sujeito coletivo, complexidade e auto-organização. Ciênc Saúde Coletiva. 2009 Abr; 14(4):65-72.

17. Monteiro CFS, Souza IEO. Vivência da violência conjugal: fatos do cotidiano. Texto Contexto Enferm. 2007 Jan-Fev;16(1):26-31.

18. Santi LN, Nakano MAS, Lettiere A. A percepção de mulheres em situação de violência sobre o suporte e apoio recebido em seu contexto social. Texto Contexto Enferm [online]. 2010 [acesso 2013 Out 18]; 19(3):417-24. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072010000300002

19. Cizino T, Ruth F, Almeida AM, Rozendo CA. Infidelidade masculina e violência doméstica: vivência de um grupo de mulheres. Cienc Enferm. 2008 Out; 14(2):39-46

20. Melo ZM, Silva DM, Caldas MT. Violência intrafamiliar: crimes contra mulher na área metropolitana de Recife. Psicol Estudo. 2009 Mar; 14(1):111-9.

21. Seo KT, Bervique JÁ, Rondina RC. Principais fatores desencadeantes de ciúme patológico na dinâmica de relacionamento conjugal. Rev Cienc Psicologia. 2001 Mai; 3(5): 124-132.

22. Buss DM. A paixão perigosa: porque o ciúme é tão necessário quanto o amor e o sexo. Rio de Janeiro (RJ): Objetiva; 2000.

23. Moura LBA, Gandolfi L, Vasconcelos AMN, Pratesi R. Violências contra mulheres por parceiro íntimo em área urbana economicamente vulnerável. Rev Saúde Pública. 2009 Dez; 43(6):944-53.

24. Deeke LP, Boing AF, Oliveira WF, Coelho EBS. A dinâmica da violência doméstica: uma análise a partir dos discursos da mulher agredida e de seu parceiro. Saúde Soc [online]. 2009 Jun [acesso 2013 Out 19];18(2):248-58. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902009000200008&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S0104-12902009000200008

25. Santiago RA, Coelho MTAD. O crime passional na perspectiva de infratores presos: um estudo qualitativo. Psicol Estud. 2010 Mar; 15(1):87-95.

26. Figueiredo MAC,Terenzi NM. Relações conjugais de parceiros HIV soropositivos concordantes: uma visão masculina. Psicol Estud. 2008 Dez; 13(4):87-95. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/pe/v15n1/a10v15n1.pdf

27. Ministério da Justiça (BR), Secretaria de Políticas para Mulheres. Balanço semestral do ligue 180 (janeiro à junho/2012). Brasília (DF): MJ; 2012. [acesso 2012 Dez 20]. Disponível em: http://www.sepm.gov.br/publicacoes-teste/publicacoes/2012/balanco-semestral-ligue-180-2012

28. Silva EP, Ludermir AB, Araújo TVB, Valongueiro SA. Frequência e padrão da violência por parceiro íntimo antes, durante e depois da gravidez. Rev Saúde Pública. 2011 Dez; 45(6):1044-53.

29. Moraes CL, Arana FDN, Reichenheim ME. Violência física entre parceiros íntimos na gestação como fator de risco para a má qualidade do pré-natal. Rev Saúde Pública 2010 Ago; 44(4): 667-76.

30. Santana SBF. Representação de casais sobre a violência doméstica na gravidez [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Federal da Bahia, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2005.

31. Teykal CM, Rocha-Coutinho ML. O homem atual e a inserção da mulher no mercado de trabalho. Psico. 2007 Dez; 38(3):262-8.

32. Lima GQ, Werlang BSG. Mulheres que sofrem violência doméstica: contribuições da psicanálise. Psicol Estud. 2011 Dez; 16(4):511-20.

33. Mosmann C, Falcke D. Conflito conjugal: motivos e frequência. Rev SPAGESP. 2011; 12(2):5-16.

34. Rabello PM, Caldas Júnior AF. Violência contra mulher, coesão familiar e drogas. Rev Saúde Pública. 2007 Dez; 46(6):970-8.

35. Oliveira MM, Teixeira KMD, Santana MM, Oliveira PRC, Lélis CT, Freitas MCP, et al. Marcas Psicológicas da violência doméstica: análise de história de vida de mulheres de comunidades populares urbanas. Texto Contexto Enferm. 2009 Jan-Mar; 8(1):123-9.

36. Carvalho MFA, Menandro PRM. Expectativas manifestadas por esposas de alcoolistas no Centro Psicossocial Álcool e Drogas. Rev Bras Promoç Saúde. 2012 Out-Dez; 25(4):492-500.

37. Lamoglia CVA, Minayo MCS. Violência conjugal, um problema social e de saúde pública: estudo em uma delegacia do interior do Estado do Rio de Janeiro. Ciênc Saúde Coletiva. 2009  Fev; 14(2):595-604.

38. Vieira EM, Perdona GSC, Santos MA. Fatores associados a violência física por parceiro íntimo em usuárias de serviço de saúde. Rev Saúde Pública. 2011 Dez; 45(4):730-7

39. Reichenheim ME, Dias AS, Moraes CL. Co-ocorrência de violência física conjugal e contra filhos em serviços de saúde. Rev Saúde Pública. 2006 Dez; 40(4):595-603.

40. Figlie N, Fontes A, Moraes E, Payá Roberta. Filhos de dependentes químicos com fatores de risco bio-psicossociais: necessitam de um olhar especial? Rev Psiquiatr Clín. 2004 Jul; 31(2):53-62.

41. Souza KOJ. A pouca visibilidade da mulher brasileira no tráfico de drogas. Psicol Estud. 2009 Dez; 14(4):649-57.

42. Ministério da Saúde (BR), Secretaria Nacional de Enfretamento à Violência contra as Mulheres, Secretaria de Políticas para as Mulheres. Política nacional de enfrentamento à violência  contra a mulher. Brasília (DF): Presidência da República; 2011

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería