ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r231004

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Significados culturais atribuídos por gestantes à vivência da hipertensão arterial na gravidez*

Marialda Martins,1 Marisa Monticelli,2 Eliana Diehl3
1
Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná. Curitiba, Paraná, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Associado do Departamento de Enfermagem e do PEN/UFSC. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 3Doutora em Saúde Publica. Professora Associado do Departamento de Ciências Farmacêuticas e do Programa de Assistência Farmacêutica da UFSC. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Recebido em 04 de junho de 2013
Aprovação final em 26 de setembro de 2013

Texto Contexto Enferm 23(4): 1004-1012
*
Artigo integrante da Tese - Gestantes hipertensas: significados culturais, formas de atenção à saúde e relações com a biomedicina, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PEN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em 2012. A pesquisa recebeu contribuição financeira do Instituto Nacional de Pesquisa Brasil Plural/CNPq/FAPESC

 

 

 

Cómo citar este documento

Martins, Marialda; Monticelli, Marisa; Diehl, Eliana. Significados culturais atribuídos por gestantes à vivência da hipertensão arterial na gravidez. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/231004.php> Consultado el

 

Resumo

Estudo etnográfico realizado em um hospital-escola (Paraná, Brasil), buscando compreender os significados culturais atribuídos por gestantes à vivência da hipertensão arterial na gravidez. Participaram 22 gestantes, por meio de observação participante e entrevistas, tanto no hospital, quanto nos domicílios, entre outubro/2010 e dezembro/2011. Analisou-se segundo os passos da Etnoenfermagem. Os resultados indicaram que os significados culturais atribuídos à hipertensão eram marcados pelo medo da morte do bebê e da própria morte. Elas interpretaram e atribuíram sentidos às suas experiências, tendo por base uma rede de símbolos e significados criada e recriada a partir da interlocução contínua com suas famílias, outros grupos sociais e com profissionais de saúde. A subjetividade dessas mulheres contribuiu à diversidade de percepções e significados. A experiência da doença e as referências socioculturais do contexto das gestantes colaboram para a compreensão dos significados culturais, possibilitando que os profissionais prestem assistência fundamentada nas suas necessidades específicas.
Descritores: Cultura. Hipertensão induzida pela Gravidez. Risco

Resumen
Significados culturales atribuidos por mujeres embarazadas a la vivencia de hipertensión durante el embarazo

Estudio etnográfico hecho en un hospital-escuela (Paraná, Brasil), que buscó comprender los significados culturales atribuidos por mujeres embarazadas a la vivencia de la hipertensión del embarazo. Participaron 22 mujeres embarazadas por medio de la observación participante y entrevistas, tanto en el hospital como en sus domicílios entre octubre/2010 y diciembre/2011. El análisis fue hecho según los pasos de la Etnoenfermería. Los resultados indicaron que los significados culturales atribuidos a la hipertensión eran marcados por el miedo da la muerte, ya sea de su propia muerte o la del bebé. Ellas interpretaron y atribuyeron sentido a sus experiencias, basadas en una red de símbolos y significados, creada e recreada desde la interlocución continua con sus familias, otros grupos sociales y con los profesionales de la salud. La subjetividad de esas mujeres contribuyó para la diversidad de percepciones y significados. La experiencia de la enfermedad y las referencias socioculturales de su contexto colaboran para comprender los significados culturales, permitiendo a los profesionales que las asistan basados en sus necesidades específicas.
Descriptores: Cultura. Hipertensión inducida en el embarazo. Riesgo

Abstract
Cultural meanings of hypertension in pregnancyaccording to pregnant women

Ethnographic study conducted at a teaching hospital (Paraná, Brazil) to understand the cultural meanings pregnant women attribute to the experience of hypertension in pregnancy. The participants were 22 pregnant women, using participant observation and interviews, at the hospital and at their respective homes, between October/2010 and December/2011. The analysis was based on the steps of Ethnonursing. The results showed that the cultural meanings attributed to the hypertension were marked by the fear of the baby's and their own death. They interpreted and gave sense to their experiences based on a net of symbols and meanings created and recreated based on the continuous interlocution with their families, with different social groups and with the health professionals. These women's subjectivity contributed to the diversity of perceptions and meanings. The experience of the illness and the sociocultural references of the pregnant women's context contributed to the comprehension of the cultural meanings, allowing the professionals to attend them based on their specific needs.
Descriptors: Culture. Hypertension, pregnancy-induced. Risk
 

Referências

1. Ministério da Saúde (BR) [página na internet]. Brasília (DF): MS, 2012. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim1 [acesso2012 Dez 18]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm?portal=pagina.visualizarTexto&codConteudo=6403&codModuloArea=783&chamada=boletim-1/2012-_-mortalidade-materna-no-%20%20brasil

2. World Health Organization. Trends in maternal mortality: estimates developed by WHO, UNICEF, UNFPA and The World Bank 1990 to 2008.Geneva (SW): World Health Organization; 2010.

3. Ministério da Saúde (BR) [página da internet]. DATASUS. Sistema de Informação sobre Mortalidade-SIM 2011 [acesso 2011 Out 7]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br

4. Menéndez EL. Modelos de atención de los padecimientos: de exclusiones teóricas y articulaciones prácticas.Ciênc Saúde Coletiva. 2003; 8(1):185-206.

5. Menéndez EL. Estilos de vida, risco e construção social. In: Menéndez EL. Sujeitos, saber e estrutura: uma introdução ao enfoque relacional no estudo da saúde coletiva. São Paulo (SP): Hucitec; 2009. p.71-138.

6. Duarte LFD. Indivíduo e pessoa na experiência da saúde e da doença. Ciênc Saúde Coletiva. 2003;8(1):173-83.

7. Taussing M. The nervous system. New York (US): Routledge; 1992

8. Castiel LD. A medida do possível: saúde, risco e tecnobiociências. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 1999.

9. Geertz C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro (RJ): LTC; 2008.

10. Leininger M, McFarland M. Culture care and diversity: a worldwide nursing theory. 2a ed. Boston (US): Jones and Bartlett Publishers; 2006

11. Shatzman L, Strauss AL. Field research: strategies for a natural sociology. New Jersey (US): Privitive-Hall, 1973

12. Cunha EFC, Carvalho MMSB, Santos CA, Ferreira EL, Barros MMS, Mendonça ACM. Aspectos socioemocionais de mães de bebês prematuros. Psicol Foco. 2009 Jul-Dez; 3(2):35-43.

13. Rodrigues DRS, Franco EL, Kosac KF, Franco LLMM, Silveira MMM, Usevícious PMA. Relatos orais e reflexões sobre a experiência da gestação e construção do bebê imaginário. Indagatio Didactica. 2013; 5(esp):978-88

14. Chaim SRP, Oliveira SMJV, Kimura AF. Hipertensão arterial na gestação e condições neonatais ao nascimento. Acta Paul Enferm. 2008 Jan-Mar; 21(1);53-8.

15. Vettore MV, Dias M, Domingues RMSM, Vettore MV, Leal MC. Cuidados pré-natais e avaliação do manejo da hipertensão arterial em gestantes no SUS no município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública. 2011 Mai; 27(5);1021-34.

16. Neto CN, Souza ASR, Amorim MMR. Tratamento da pré-eclâmpsia baseado em evidências. Rev Bras Ginecol Obstet. 2010 Set; 32(9):459-68.

17. Gualda DMR, Praça NS, Merighi MAB, Hoga LAK, Bergamasco RB, Salim NR, et al. O corpo e a saúde da mulher. Rev Esc Enferm USP [online]. 2009 Dez [acesso 2012 Fev 19]; 43(2):1320-5. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43nspe2/a30v43s2.pdf

18. Odent M. Cientificação do amor. Florianópolis (SC): Saint Germain; 2002.

19. Souza JP, Cecatti JG, Parpinelli MA, Krupa F, Osis MJ. An emerging "maternal near miss syndrome" narratives of women who almost died during pregnancy and childbirth. Birth. 2009 Jun; 36(2):149-57.

20. Martins M, Monticelli M, Brüggemann OM, Costa R.A produção de conhecimento sobre hipertensão gestacional na pós-graduação stricto sensu da enfermagem brasileira. Rev Esc Enferm USP. 2012 Ago; 46(4):802-8.

21. Castiel LD, Guilam MCR, Ferreira MS. Correndo o risco: uma introdução aos riscos em saúde. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2010

22. Alves PCA. Experiência da enfermidade: considerações teóricas. Cad Saúde Pública. 1993Jul-Set; 9(3):263-71.

23. Langdon EJ. A doença como experiência: a construção da doença e seu desafio para a prática médica. Antropol Prim Mão. 1996:1-23.

24. Lupton D. Risk. London (UK): Routlege; 2004.

25. Langdon EJ. Cultura e os processos de saúde e doença. In: Anais do IV Seminário sobre Cultura, Saúde e Doença, 2003, Out 13-16; Londrina, Brasil. Londrina (PR): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento; 2003

26. Siqueira KM, Barbosa MA, Brasil VV, Oliveira LMC, Andraus LMS. Crenças populares referentes à saúde: apropriação de saberes sócio-culturais.Texto Contexto Enferm [online]. 2006 Jan-Mar [acesso 2013 Mar 12]; 15(1):68-73. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n1/a08v15n1.pdf

27. Douglas M. Risk and blame: essays in cultural theory. Londres (UK): Routledge; 1994.

28. Ybarra M, Suman M. Reasons, assessments and actions taken: sem and age differents in uses of internet health information. Health Educ Research [online]. 2008 [acesso2013 Out 31]; 23(3):512-21. Available from: http://her.oxfordjounarls.org/content/23/3/512.full.pdf+html

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería