ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r230915

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Estratégias de coping utilizadas por familiares de indivíduos em tratamento hemodialítico

Fernanda Ribeiro Baptista Marques,1 Marina Raduy Botelho,2 Sonia Silva Marcon,3 Jussara Simone Lenzi Pupulim4
1
Doutoranda em Enfermagem na Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, São Paulo, Brasil. 2Mestre em Enfermagem. Maringá, Paraná, Brasil. 3Doutora em Filosofia da Enfermagem. Professora da Graduação e Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Maringá, Paraná, Brasil. 4Doutora em Enfermagem. Professora do Curso de Enfermagem da UEM. Maringá, Paraná, Brasil

Recebido em 15 de junho de 2012
Aprovação final em 13 de março de 2013

Texto Contexto Enferm 23(4): 915-924

 

 

 

Cómo citar este documento

Marques, Fernanda Ribeiro Baptista; Botelho, Marina Raduy; Marcon, Sonia Silvia; Pupulim, Jussara Simone Lenzi. Estratégias de coping utilizadas por familiares de indivíduos em tratamento hemodialítico. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/230915.php> Consultado el

 

Resumo

Estudo descritivo, de natureza quali-quantitativa, que objetivou identificar as estratégias de enfrentamento mais utilizadas por familiares de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Os dados foram coletados por meio de entrevista, com aplicação do Inventário de Estratégias de Coping a dez familiares, e submetidos à estatística descritiva e à análise de conteúdo temática. A estratégia mais utilizada foi fuga e esquiva, demonstrando que os familiares preferiam não enfrentar a situação. A segunda estratégia mais usada foi suporte social, ratificada ao afirmarem que conversaram com outras pessoas e profissionais buscando informações sobre o problema, e por aceitarem positivamente o apoio recebido. A terceira foi resolução de problemas, representada pela atitude em assumir o cuidado, seja pelo forte vínculo afetivo ou pelo sentimento de responsabilidade já estabelecido antes da doença. As famílias empregaram estratégias de enfrentamento com intensidades diferentes, porém indicando envolvimento e grande participação no cuidado ao doente.
Descritores: Diálise renal. Comportamento. Adaptação psicológica. Doença crônica. Relações familiares

 

Resumen
Estrategias de afrontamiento utilizadas por las familias de las personas en tratamiento de hemodiálisis

Estudio cualitativo y cuantitativo, que trató de identificar las estrategias de afrontamiento empleadas por las familias de los pacientes con insuficiencia renal crónica en hemodiálisis. Se aplicó el Inventario de Estrategias de Afrontamiento y una questión abierta con diez familiares. Los datos cuantitativos fueron sometidos a procedimientos estatísticos y análisis de contenido cualitativo. La estrategia de mayor utilización fue el escape y evitación (oito), lo que demuestra que los miembros de las familisa preferían no tener que enfrentar esta situación. La siguiente estrategia fue utilizada más apoyo social, ya hablé con otras personas y profesionales que buscan información sobre el problema, y aceptar el apoyo positivo recibido. A terceira foi resolução de problemas, representada pela atitude em assumir o cuidado, seja pelo forte vínculo afetivo ou pelo sentimento de responsabilidade já estabelecido antes da doença. Familias de las estrategias de afrontamiento empleadas con diferentes intensidades, pero mostrando una gran implicación y la participación en el cuidado del paciente crónico.
Descriptores: Diálisis renal. Conducta. Adaptación psicológica. Enfermedad crônica. Relaciones familiares

 

Abstract
Coping strategies used by family members of individuals receiving hemodialysis

This descriptive, qualitative study aims to identify the coping strategies used most by the family members of patients with chronic kidney disease receiving hemodialysis. The data were collected through interviews, with the Coping Strategies Inventory questionnaire administered to ten family members, and were submitted to descriptive statistics and to thematic content analysis. The strategy used most was escape-avoidance, demonstrating that the family members prefer not to face the situation. The second most-used strategy was social support, ratified by the fact that they stated that they talk with other persons and professionals, seeking information about the problem, and because they accept the support received positively. The third was problem resolution, represented by the attitude of accepting responsibility for the care, either through strong affective bonds or through a feeling of responsibility established prior to the disease. The families use coping strategies of different intensities, while, nevertheless, indicating involvement and major participation in the care for the patient.
Descriptotrs: Renal dialysis. Behavior. Adaptation psychological. Chronic disease. Family relations
 

Referências

1. Schmid MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, Chor D, Menezes PR. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. Lancet. 2011 Jun;  377(9781):1949-61

2. Brito DCS. Cuidando de quem cuida: estudo de caso sobre o cuidador principal de um portador de insuficiência renal crônica. Psicol Estud [online]. 2009 [acesso 2010 Mai 2010] 14(3).  Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v14n3/v14n3a22.pdf

3. Bertolin DC, Pace AE, Kusumota L, Ribeiro RCHM. Modos de enfrentamento dos estressores de pessoas em tratamento hemodialítico: revisão integrativa da literatura. Acta Paul Enferm.  2008; 21(spe):179-86.

4. Paula ES, Nascimento LC, Rocha SMM. The influence of social support on strengthening families of children with chronic renal failure. Rev Latino-Am Enfermagem. 2008 Ago; 16(4):692-9.

5. Santos AL, Cecíclio HPM, Teston EF, Marcon SS. Conhecendo a funcionalidade familiar sob a ótica do doente crônico. Texto Contexto Enferm [online]. 2012 [acesso 2014 Mai 10] 21(4).  Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n4/19.pdf

6. Madeiro AC, Machado PDLC, Bonfim IM, Braqueais AR, Lima FET. Adesão de portadores de insuficiência renal crônica ao tratamento de hemodiálise. Acta Paul Enferm. 2010; 23(4):546- 51.

7. Higa K, Kost M T, Soares DM, Morais MC, Polins BRG. Qualidade de vida de pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento de hemodiálise. Acta Paul Enferm. 2008; 21 (spe):203-6.

8. Rodrigues AB, Chaves EC. Stressing factors and coping strategies used by oncology nurses. Rev. Latino-Am Enferm [online] 2008; [acesso 2010 Mai 12] 16(1). Disponível em:  http://www.scielo.br/pdf/rlae/v16n1/03.pdf

9. Folkman S, Lazarus RS, Dunkel-Schetter C, Delongis A, Gruen RJ. Dynamics of a stressful encounter: cognitive appraisal, coping, and encounter outcomes. J Personality Social Psychology. 1986; 50(5):992-1003

10. Savoia MG, Santana PR, Mejias NP. Adaptação do inventário de estratégias de coping de Folkman e Lazarus para o português. Psicol USP. 1996; 7(1-2):183-201

11. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Editora Setenta, 2008.

12. Simonetti JP, Ferreira JC. Estratégias de coping desenvolvidas por cuidadores de idosos portadores de doença crônica. Rev Esc Enferm USP. 2008 Mar; 42(1):19-25

13. Fraguas G, Soares SM, Silva PAB. A família no contexto do cuidado ao portador de nefropatia diabética: demanda e recursos. Esc Anna Nery. 2008 Jun; 12(2):271-7.

14. Coletto M, Câmara S. Estratégias de coping e percepção da doença em pais de crianças com doença crônica: o contexto do cuidador. Rev Diversitas Perspectivas En Psicología. 2009; 5 (1):97-110.

15. Borges KMK. Famílias de pacientes graves internados em terapia intensiva: descrevendo suas estratégias de enfrentamento [dissertação]. Rio de Janeiro: UFRJ, Faculdade de Medicina; 2008.

16. Dreffs FML, Stumm EMF, Winkelmann ER, Ubessi LD. Mecanismos de coping utilizados por familiares de pacientes em terapia intensiva. Rev Ciência Saúde Porto Alegre. 2013 Jan-Abri; 6(1):52-8.

17. Centenaro GA. A intervenção do serviço social ao paciente renal crônico e sua família. Ciênc Saúde Coletiva. 2010 Mar; 15(1):1881-5.

18. Moreno V. Familiares de pacientes em hemodiálise: convivendo com condição crônica de saúde. Rev Rene. 2008 Out-Dez; 9(4):49-56.

19. Caetano JPM, Fernandes MV, Marcon SS, Decesaro MN. Refletindo sobre as relações familiais e os sentimentos aflorados no enfrentamento da doença crônica. Cienc Cuid Saúde. 2011 Out-Dez; 10(4):845-52

20. Moreno V. Familiares de pacientes em hemodiálise: convivendo com condição crônica de saúde. Rev Rene. 2008 Out-Dez; 9(4):49-56

21. Rocha NS, Fleck MPA. Avaliação de qualidade de vida e importância dada à espiritualidade/religiosidade/crenças pessoais (SRPB) em adultos com e sem problemas crônicos de saúde. Rev Psiq Clín. 2011; 38(1):19-23

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería