ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707 2014 v23n4 r230907

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Associação das malformações congênitas com variáveis neonatais e maternas em unidades neonatais numa ciudade do nordeste brasileiro*

Fabíola Chaves Fontoura,1 Maria Vera Lúcia Moreira Leitão Cardoso2
1Doutoranda em Enfermagem Programa de Pós Graduação em Enfermagem da UFC. Fortaleza, Ceará, Brasil. 2Doutora em Enfermagem. Professora Titular do Departamento de Enfermagem da UFC. Fortaleza, Ceará, Brasil

Recebido em 06 de setembro de 2013
Aprovação final em 27 de fevereiro de 2014

Texto Contexto Enferm 23(4): 907-914
*
Recorte de uma dissertação - Recém-nascidos com malformações congênitas: prevalência e cuidados de enfermagem na unidade neonatal, apresentada ao Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Ceará (UFC), em 2012

 

 

 

Cómo citar este documento

Fontoura, Fabíola Chaves; Cardoso, Maria Vera Lúcia Moreira Leitão. O cuidado à saúde á pessoa com amputação: na perspectiva da bioética. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2014, 23(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/230907.php> Consultado el

 

Resumo

Malformações congênitas ocorrem devido a fatores genéticos, ambientais, mistos ou causas desconhecidas. Objetivouse investigar a existência de relação entre tipo de malformação congênita e variáveis neonatais e maternas. Estudo prospectivo, quantitativo, realizado em três unidades neonatais públicas em Fortaleza-CE, Brasil. Os dados foram colhidos dos prontuários de 159 neonatos malformados, analisados por meio do teste de Qui-quadrado (X2), nível de significância de 5% (p<0,05). Prevaleceram 85 (53%) recém-nascidos do sexo masculino, 91 (57%) a termo e 82 (52%) com peso entre 2500g e 3999g. Sobressaíram malformações do sistema nervoso central e osteomuscular. Variáveis como sexo, idade gestacional, peso ao nascer, uso de drogas, idade materna, renda familiar, grau de instrução e número de filhos demonstraram significância estatística quando associada às categorias de malformações, com p<0,05. Fatores maternos e neonatais apresentam relação com o tipo de malformações, dados estes relevantes para subsidiar o cuidado de enfermagem junto aos neonatos.
Descritores: Recém-nascido. Anormalidades congênitas. Enfermagem neonatal

 

Resumen
Associación de las malformaciones congénitas con variables neonatais y maternas en unidades neonatales de una ciudad del nordeste brasileño

Malformaciones congénitas ocurrir debido a factores genéticos, ambientales, mistos o por causas desconocidas. Se objetivó investigar la relación entre tipo de malformación congénita, variables neonatales y maternas. Estudio prospectivo, cuantitativo, realizado en tres unidades neonatales públicas en Fortaleza-CE, Brasil. Los datos fueron recolectados del sistema de registro de 159 recién nacidos malformados y analizados por medio del test Chi cuadrado (X2), nivel de significancia de 5% (p<0,05). Prevalecieron 85 (53%) recién nacidos del sexo masculino, 91 (57%) a término y 82 (52%) con peso entre 2500g y 3999g. Sobresalieron malformaciones del sistema nervoso central y óseo muscular. Variables como sexo, edad gestacional, peso al nascer, uso de drogas, edad materna, renta familiar, nivel de instrucción y cantidad de hijos demostraron significancia estadística, cuando asociadas a las categorías de malformaciones (p<0,05). Factores maternos y neonatales presentaron relación con el tipo de malformaciones, datos relevantes para el cuidado de enfermería junto al neonato.
Descriptores: Recién nacido. Anomalías congénitas. Enfermería neonatal

 

Abstract
Association between congenital malformation and neonatal and maternal variables in neonatal units of a northeast brazilian city

Congenital malformations occur due to genetic, environmental, and mixed factors or unknown causes. This study aimed to investigate the existence of a relationship between the type of congenital malformation and maternal and neonatal variables. This prospective, quantitative study was conducted in three public neonatal units in Fortaleza, Ceará, Brazil. Data were collected from the medical records of 159 malformed neonates and analyzed using the Chi-square test (X2), significance level of 5% (p<0.05). The majority of the newborns were male, 85 (53%), 91 (57%) born full-term, and 82 (52%) weighed between 2500g and 3999g. Malformations of the central nervous and musculoskeletal systems exceeded the other categories. Variables such as gender, gestational age, birth weight, drug use, maternal age, family income, education level, and number of children showed statistically significant associations with the categories of malformations (p<0.05). Maternal and neonatal factors have close relationships with the type of malformation, with these data providing support for neonatal nursing care.
Descriptors: Infant, newborn. Congenital abnormalities. Neonatal nursing
 

Referências

1. Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Prevenção e controle de enfermidades genéticas e os defeitos congênitos: relatório de um grupo de consulta. Washington (US): OPAS;  1984.

2. Garne E, Dolk H, Loane M, Wellesley D, Barisic I, Calzolari E, et al. Paper 5: surveillance of multiple congenital anomalies: implementation of a computer algorithm in European registers for  classi?cation of cases. Birth Defects Res A Clin Mol Teratol. 2011 Mar; 91(suppl.1):44-50.

3. Camelier V, Ramos R, Pereira VF, Reis T, Amorim G, Cerqueira E, et al. Estudo do campo 34 na Bahia e em Salvador: impacto na notificação das malformações congênitas. Gaz Méd  Bahia. 2007; 77(supl.1):55-9.

4. Reis LLAS, Ferrari R. Congenital malformations: demographic profile of mothers and pregnancy conditions. J Nurs UFPE online [Internet]. 2013 Jan [cited 2014 Apr 09]; 8(1):98-106.  Available from: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/5349/pdf_4428

5. Gilbert-Barness E. Teratogenic causes of malformations. Ann Clin Lab Sci. 2010; 40(2):99-114.

6. Campaña H, Pawluk MS, López JS. Prevalencia ao nacimiento de 27 anomalías congênitas seleccionadas, em 7 regiones geográficas de la Argentina. Arch Argent Pediatr. 2010 Set-Out;  108(5):409-17.

7. Lumley J, Watson L, Watson M, Bower C. Periconceptional supplementation with folate and/or multivitamins for preventing neural tube defects (Review). Cochrane Database Syst Rev. 2007;  (4):1-24.

8. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Resolução RDC n. 344, de 13 de dezembro de 2002. Aprova o regulamento técnico para a fortificação das farinhas de trigo e das farinhas de  milho com ferro e ácido fólico, constante do anexo desta Resolução [online]. 2002 [acesso 2013 Jul 15]. Disponível em:  http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/f851a500474580668c83dc3fbc4c6735/RDC_344_2002.pdf?MOD=AJPERES

9. Ribeiro EM. Prevenção das doenças genéticas, malformações congênitas e programas de saúde pública no Ceará. Pró-Fono. 2008; 20(supl):66-9.

10. Costa R, Padilha MI. Children's hospital as a reference for at-risk newborn care in Santa Catarina, Brazil (1987-2009). Texto Contexto Enferm. 2010 Jul-Set; 19(3):469-78.

11. Obu HA, Chinawa JM, Uleanya ND, Adimora GN, Obi IE. Congenital malformations among newborns admitted in the neonatal unit of a tertiary hospital in Enugu, South-East Nigeria - a  retrospective study. BMC Res Notes [online]. 2012 [acesso 2013 Jul 02]; 5:177. Disponível em: http://www.biomedcentral.com/1756-0500/5/177

12. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação de Saúde . Saúde Brasil 2011: uma análise da situação de saúde e a vigilância da  saúde da mulher. Brasília (DF): MS; 2012.

13. Fontoura FC. Recém-nascidos com malformações congênitas: prevalência e cuidados de enfermagem na unidade neonatal [dissertação]. Fortaleza (CE): Universidade Federal do Ceará.  Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2012.

14. Organização Mundial da Saúde. Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde. São Paulo (SP): EDUSP; 2008

15. Melo WA, Zurita RCM, Uchimura TT, Marcon SS. Anomalias congênitas: fatores associados à idade materna em município sul brasileiro, 2000 a 2007. Rev Eletr Enferm [online]. 2010  [acesso 2012 Out 20]; 12(1):73-82. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/fen_revista/v12/n1/pdf/v12n1a09.pdf

16. Pante FR, Madi JM, Araújo BF, Zatti H, Madi SRC, Rombaldi RL. Malformações congênitas do sistema nervoso central: prevalência e impacto perinatal. Rev AMRIGS. 2011 Out-Dez; 55 (4):339-44.

17. Pinto CO, Nascimento LFC. Estudo de prevalência de defeitos congênitos no Vale do Paraíba Paulista. Rev Paul Pediatr. 2007 Set; 25(3):233-9

18. Xavier RB, Jannotti CB, Silva KS, Martins AC. Risco reprodutivo e renda familiar: análise do perfil de gestantes. Ciênc Saúde Coletiva. 2013 Abr; 18(4):1161-71.

19. Brito VRS, Sousa FS, Gadelha FH, Souto RQ, Rego ARF, França ISX. Malformações congênitas e fatores de risco materno em Campina Grande-Paraíba. Rev Rene. 2010 Abr-Jun; 11 (2):27-36

20. Wang D, Shi Y, Donald S, Chang C, Li C. Factors associated with the utilization and quality of prenatal care in western rural regions of China. Health Educ. 2012; 112(1):4-14.

21. Souza ASR, Amorim MMR, Porto AMF. Conditions often associated with caesarean section, with no scientific support. Femina. 2010 Out; 38(10):505-16

22. Pachajoa H, Urrea MF, Torres J. Gastrosquisis en la unidad de cuidados intensivos neonatal es del Hospital Universitario del Valle, Cali, Colombia, 2000-2004. Iatreia. 2009 Jul-Set; 22 (3):213-8.

23. Collins JS, Atkinson KK, Dean JH, Best RG, Stevenson RE. Long term maintenance of neural tube defects prevention in a high prevalence state. J Pediatr. 2011 Jul; 159(1):143-9.

24. Mesquita MA, Segre CAM. Congenital malformations in newborns of alcoholic mothers. Einstein. 2010 Out-Dez; 8(4):461-6

25. Mateja WA, Nelson DB, Kroelinger CD, Ruzek S, Segal J. The association between maternal alcohol use and smoking in early pregnancy and congenital cardiac defects. J Womens Health. 2012 Jan; 21(1):26-34.

26. Ramos JLAM, Carvalho MHB, Zugaib M. Caracterização sócio demográfica e resultados perinatais das gestações com diagnóstico ultrassonográfico de malformação fetal. Rev Assoc Med Bras. 2009; 55(4):447-51.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería