ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Concepções e práticas dos profissionais da estratégia saúde da família sobre educação em saúde

Mayara de Melo Pereira,1 Thiffany Pestana da Penha,2 Elenice Maria Cecchetti Vaz,3 Neusa Collet,4 Altamira Pereira da Silva Reichert5
1
Graduanda de Enfermagem pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Paraíba, Brasil. E-mail: may_melo1520@hotmail.com 2Graduanda de Enfermagem pela UFPB. Paraíba, Brasil. E-mail: thiffanypestana@hotmail.com 3Mestre em Enfermagem. Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica da Universidade Federal Fluminense (UFF), cedida como Colaboração Técnica à UFPB. Paraíba, Brasil. E-mail: elececchetti@ig.com.br 4Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem de Saúde Pública e Psiquiatria do Centro de Ciências da Saúde e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFPB. Paraíba, Brasil. E-mail: neucollet@gmail.com 5Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente. Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem de Saúde Pública e Psiquiatria do Centro de Ciências da Saúde e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFPB. Paraíba, Brasil. E-mail: altareichert@gmail.com

Recebido em 13 de dezembro de 2012
Aprovação final em 03 de junho de 2013

Texto Contexto Enferm 23(1): 167-175

 

 

 

Cómo citar este documento

Pereira, Mayara de Melo; Penha, Thiffany Pestana da; Vaz, Elenice Maria Cecchetti; Collet, Neusa; Reichert, Altamira Pereira da Silva. Concepções e práticas dos profissionais da estratégia saúde da família sobre educação em saúde. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2014, 23(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23-167.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa qualitativa, objetivando identificar as concepções de educação em saúde que norteiam a prática dos profissionais que atuam na Estratégia de Saúde da Família junto às famílias das crianças/adolescentes com doença crônica. Os dados foram coletados de agosto a dezembro de 2011, por meio de entrevista semiestruturada, realizada com 21 profissionais em duas Unidades Integradas de Saúde da Família de João Pessoa-PB. A análise temática evidenciou que alguns profissionais desconhecem a essência das atividades de educação em saúde e outros não desenvolvem prática educativa voltada para esse grupo, não reconhecendo crianças/adolescentes com doença crônica em sua área de abrangência. Salienta-se a necessidade de os profissionais de saúde adotarem novos modos de fazer saúde, pautados em relações dialógicas e que contemplem a educação em saúde.
Palavras chave: Educação em saúde/ Atenção primária à saúde/ Doença crônica/ Saúde da criança.
 

Abstract
Conceptions and practices of professional family health strategy for health education

Qualitative research in order to identify the conceptions of health education that guide the practice of professionals working in the Family Health Strategy with families of children/ adolescents with chronic disease. Data were collected from August to December 2011, through semi-structured interviews conducted with 21 professionals in two Integrated Family Health Units in João Pessoa-PB. Thematic analysis revealed that some professionals do the essence of health education activities and others do not develop targeted educational practice for this group, not recognizing children/adolescents with chronic illness in their coverage area. We emphasize the need for health professionals to adopt new ways of doing health and guided by dialogic relations that include health education.
Key-words: Health education/ Primary health care/ Chronic disease/ Child health.
 

Resumen
Concepciones y prácticas de los profesionales de la estrategia salud de la familia sobre educación en salud

El trabajo se dio por medio de una investigación cualitativa que buscó identificar las concepciones de educación en salud que conducen la práctica de los profesionales que trabajan en la Estrategia de Salud de la Familia con el apoyo de las familias de los niños-adolescentes con enfermedad crónica. Los datos recolectados del mes de agosto a diciembre de 2011 se realizó a través de encuestas semiestructuradas, que contó con la participación de 21 profesionales de dos Unidades Integradas de Salud de la Familia de João Pessoa-PB. El análisis temático mostró que algunos profesionales desconocen la esencia de las actividades de educación en salud y otros no desarrollan práctica educativa que involucre ese grupo, y llega a desconocer niños-adolescentes con enfermedad crónica en el área en la cual abarca. Se observa que los profesionales de salud deben adoptar nuevos modelos de hacer salud, teniendo en cuenta la relaciones dialógicas que contemplen la educación en salud.
Palabras clave: Educación en salud/ Atención primaria a la salud/ Enfermedad crónica/ Salud de los niños.
 

Referências

1. Nascimento LC, Rocha SMM, Hayes VH, Lima RAG. Crianças com câncer e suas famílias. Rev Esc Enferm USP [online]. 2005 [acesso 2011 Nov 15]; 39(4):469-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v39n4/13.pdf

2. Góes FGB, Cava AMLA. A concepção de educação em saúde do enfermeiro no cuidado à criança hospitalizada. Rev Eletr Enferm [online]. 2009 Dez [acesso 2012 Fev 20]; 11(4):932-41. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n4/pdf/v11n4a19.pdf

3. Ayres JRCM. Cuidado: trabalho e interação nas práticas de saúde. Rio de Janeiro (RJ): Abrasco; 2009.

4. Leite SAO, Zanim LM, Granzotto PCD, Heupa S, Lamounier RN. Pontos básicos de um programa de educação ao paciente com Diabetes Mellitos tipo 1. Arq Bras de Endocrinol Metab. 2008 Mai; 52(2):233-42.

5. Favareto CAO, Cabral CC. Narrativas sobre o processo saúde-doença: experiências em grupos operativos de educação em saúde. Interface Comunic Saúde Educ. 2009 Jan-Mar; 13(28):7-18.

6. Rodrigues D, Santos VE. A educação em saúde na Estratégia Saúde da Família: uma revisão bibliográfica das publicações científicas no Brasil. J Health Sci Inst. 2010; 28(4):321-4.

7. Backs VMS, Lino MM, Prado ML, Reibnitz KS, Canaver BP. Competência dos enfermeiros na atuação como educador em saúde. Rev Bras Enferm. 2008 Nov-Dez; 61(6):858-65.

8. Vieira CS, Mello DF, Oliveira BRG, Furtado MCC. Rede e apoio social familiar no seguimento do recém-nascido pré-termo e baixo peso ao nascer. Rev Eletr Enferm [online]. 2010 Mar [acesso 2011 Nov 22]; 12(1):11-9. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n1/v12n1a02.htm

9. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11ª ed. São Paulo (SP): Hucitec- Abrasco; 2008.

10. Pinafo E, Nunes EFPA, González AD, Garanhani ML. Relações entre concepções e práticas de educação em saúde na visão de uma equipe de saúde da família. Trab Educ Saúde. 2011 Jul-Out; 9(2):201-21.

11. Buss PM. Uma introdução ao conceito de promoção da saúde. In: Czeresnia D, organizador. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. 2ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2009. p.19-42.

12. Alves GG, Aerts D. As práticas educativas em saúde e a Estratégia Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2011 Jan; 16(1):319-25.

13. Oliveira CB, Frechiani JM, Silva FM, Maciel ELN. As ações de educação em saúde para crianças e adolescentes nas unidades básicas da região de Maruípe no município de Vitória. Ciênc Saúde Coletiva. 2009 Mar-Abr; 14(2):635-44.

14. Colomé JS, Oliveira DLLC. Educação em saúde: por quem e para quem? A visão de estudantes de graduação em enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2012 Jan-Mar; 21(1):177-84.

15. Santos RV, Penna CMM. A educação em saúde como estratégia para o cuidado à gestante, puérpera e recém-nascido. Texto Contexto Enferm. 2009 Out- Dez; 18(4):652-60.

16. Carvalho MF, Lira PIC, Romani SAM, Santos IS, Veras AACA, Filho MB. Acompanhamento do crescimento em crianças menores de um ano: situação nos serviços de saúde em Pernambuco, Brasil. Cad Saude Publica. 2008 Mar; 24(3):675-85.

17. Giovanella L, Mendonça MHM, Almeida PF, Escorel S, Senna MCM, Fausto MCR et al. Saúde da família: limites e possibilidades para uma abordagem integral de atenção primária à saúde no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2009 Mai-Jun; 14(3):783-94.

18. Costa GD, Cotta RMM, Ferreira MLSM, Reis JR, Franceschini SCC. Saúde da família: desafios no processo de reorientação do modelo assistencial. Rev Bras Enferm. 2009 Jan-Fev; 62(1):113-8.

19. Holanda ER, Collet N. As dificuldades da escolarização da criança com doença crônica no contexto hospitalar. Rev Esc Enferm USP [online]. 2011 Abr [acesso 2012 Out 01]; 45(2):381-89. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n2/v45n2a11.pdf

20. Araújo YB, Collet N, Gomes IP, Amador DD. Saberes e experiências de adolescentes hospitalizados com doença crônica. Rev Enferm UERJ. 2011 Abr-Jun; 19(2):274-9.

21. Torres HC, Roque C, Nunes C. Visita domiciliar: estratégia educativa para o autocuidado de clientes diabéticos na atenção básica. Rev Enferm UERJ. 2011 Jan-Mar; 19(1):89-93.

22. Campos RM, Ribeiro CA, Silva CV, Saparolli ECL. Consulta de enfermagem em puericultura: a vivência do enfermeiro na Estratégia de Saúde da Família. Rev Esc Enferm USP [online]. 2011 Jun [acesso 2012 Ago 14]; 45(3):566-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n3/v45n3a03.pdf

23. Oliveira RG, Marcon SS. Trabalhar com famílias no Programa de Saúde da Família: a prática do enfermeiro em Maringá-Paraná. Rev Esc Enferm USP [online]. 2007 Mar [acesso 2012 Jun 18]; 41(1):65-72. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v41n1/v41n1a08.pdf

24. Roecker S, Marcon SS. Educação em saúde: relatos das vivências de enfermeiros com a Estratégia da Saúde Familiar. Invest Educ Enferm. 2011 Nov; 29(3):381-90.

25. Nóbrega VM, Collet N, Silva KL, Coutinho SED. Rede e apoio social das famílias de crianças em condição crônica. Rev Eletr Enferm. 2010 Set [acesso 2012 Abr 30]; 12(3):431-40. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/7566/7859

26. Ministério da Saúde (BR). A vigilância, o controle e a prevenção das doenças crônicas não-transmissíveis: DCNT no contexto do Sistema Único de Saúde brasileiro. Brasília (DF): MS, Organização Pan- Americana da Saúde; 2005.

27. Rodrigues CC, Ribeiro KSQS. Promoção da saúde: a concepção dos profissionais de uma Unidade de Saúde da Família. Trab Educ Saúde. 2012 Jul-Out; 10(2):235-55.

28. Nespoli G, Ribeiro VMB. Discursos que formam saberes: uma análise das concepções teóricas e metodológicas que orientam o material educativo de formação de facilitadores de educação permanente em saúde. Interface (Botucatu) [online]. 2011 [acesso 2013 Jul 03]; 15(39): 985-996. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v15n39/aop2911.pdf

29. Ministério da Saúde (BR). Portaria n. 198/GM/ MS, de 13 de fevereiro de 2004: Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Brasília (DF): MS, 2004.

30. Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da Estratégia da Saúde da Família. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde; 2012.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería