ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Perfil do enfermeiro de terapia intensiva em diferentes regiões do Brasil

Renata Andrea Pietro Pereira Viana,1 Mara Ambrosina de Oliveira Vargas,2 Maria Isabel Sampaio Carmagnani,3 Luiza Hiromi Tanaka,4 Kely Regina da Luz,5 Pablo Henrique Schmitt6
1
Doutora em Enfermagem pela Escola Paulista de Enfermagem (EPE) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Enfermeira-Chefe do Serviço de Terapia Intensiva do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE-SP). São Paulo, Brasil. E-mail: renata_pietro@yahoo.com.br 2Doutora em Filosofia em Enfermagem. Professora do Departamento e Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Santa Catarina, Brasil. E-mail: mara@ccs.ufsc.br 3Doutora em Distúrbios da Comunicação Humana. Professora Associado e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação da EPE/UNIFESP. São Paulo, Brasil. E-mail: carmagnani@unifesp.br 4Doutora em Enfermagem. Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação da EPE/UNIFESP. São Paulo, Brasil. E-mail: simplesmenteluizinha@yahoo.com.br 5Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSC. Santa Catarina, Brasil. E-mail: kelydaluz@yahoo.com.br 6Enfermeiro. MBA Auditoria em Saúde pela Escola Superior de Gestão e Ciências da Saúde. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: enf.pablo@yahoo.com.br

Recebido em 18 de dezembro de 2012
Aprovação final em 03 de maio de 2013

Texto Contexto Enferm 23(1): 151-159

 

 

 

Cómo citar este documento

Viana, Renata Andrea Pietro Pereira; Vargas, Mara Ambrosina de Oliveira; Carmagnani, Maria Isabel Sampaio; Tanaka, Luiza Hiromi; Luz, Kely Regina da; Schmitt, Pablo Henrique. Perfil do enfermeiro de terapia intensiva em diferentes regiões do Brasil. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2014, 23(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23-151.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa quantitativa cujo objetivo foi identificar o perfil sociodemográfico e acadêmico dos enfermeiros intensivistas associados e participantes de eventos promovidos pelo Departamento de Enfermagem da Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Coleta de dados efetivada por meio da distribuição de 400 questionários, no período de janeiro a julho de 2010. Retornaram 324 questionários, e considerou-se para análise 295 questionários. Os dados foram analisados com recursos da estatística descritiva com a frequência absoluta relativa e a média simples, apresentados em tabelas. Os resultados evidenciam o predomínio do sexo feminino, com formação em curso de Pós-Graduação Lato Sensu específico na área. Dentre as competências, valoriza-se o conhecimento técnicocientífico e a liderança. Estes profissionais buscam atuar na terapia intensiva pela alta complexidade tecnológica. Admite-se a existência de um perfil profissional para trabalhar em unidade de terapia intensiva. A qualificação profissional deve priorizar o domínio da linguagem tecnológica e a assistência integral e segura.
Palavras chave: Enfermagem/ Unidades de Terapia Intensiva/ Competência profissional/ Pesquisa em enfermagem/ Educação em enfermagem.
 

Abstract
Profile of an intensive care nurse in different regions of Brazil

The aim of this quantitative study was to identify the socio-demographic and academic profile of intensive care registered nurses and participants of the events organized by the Department of Nursing of the Brazilian Association of Intensive Care Medicine. Data were collected by means of 400 questionnaires applied between January and July of 2010, however only 324 questionnaires were returned and 295 questionnaires were considered for the analysis. Data were analyzed with descriptive statistics resources with absolute relative frequency and simple mean, presented in tables. Results show the predominance of women, with specific graduate degrees. The skills and values highlighted include technical and scientific knowledge, and leadership. These professionals seek work in intensive care because of the high technological complexity. The study emphasized the existence of the professional profile required to work in the intensive care unit. The qualification of these professionals must prioritize the mastering of the technological language and the comprehensive and safe care.
Key-words: Nursing/ Intensive Care Units/ Professional competence/ Nursing research/ Nursing education.
 

Resumen
Perfil del enfermero de terapia intensiva en diferentes regiones de Brasil

Investigación cuantitativa cuyo objetivo fue identificar el perfil sociodemográfico y académico de los enfermeros intensivistas asociados y participantes en eventos promovidos por el Departamento de Enfermería de la Asociación de Medicina Intensiva Brasileña. La recolección de datos se dio por medio de la distribución de 400 cuestionarios, en el período de enero a julio de 2010. Retornaron 324 cuestionarios y solo se consideraron para el análisis 295. Los datos fueron analizados con recursos de estadística descriptiva de frecuencia absoluta relativa y medias simples presentadas en tablas. Los resultados evidencian el predominio de sexo femenino, con formación de Post-Grado Lato Sensu, específico en el área. Dentro de las competencias se valorizan el conocimiento técnico científico y liderazgo. Estos profesionales buscan actuar en la terapia intensiva por la alta complejidad tecnológica. Se admite la existencia de un perfil profesional para trabajar en la unidad de terapia intensiva. La calificación profesional debe priorizar el dominio del lenguaje tecnológico y la asistencia integral y segura.
Palabras clave: Enfermería/ Unidad de Terapia Intensiva/ Competencia profesional/ Investigación en enfermería/ Educación en enfermería.
 

Referências

1. Vargas MAO, Ramos FRS. Tecnobiomedicina: implicações naquilo e daquilo que a enfermagem faz em terapia intensiva. Texto Contexto Enferm. 2008 Jan-Mar; 17(1):168-76.

2. Fulbrook P. Developing best practice in critical care nursing: knowledge, evidence and practice. Nurs Crit Care. 2003 Mai-Jun; 8(3):96-102.

3. Nóbrega MFB, Matos MG, Silva LMS, Jorge MSB. Perfil gerencial de enfermeiros que atuam em um hospital público federal de ensino. Rev Enferm UERJ. 2008; 16(3):333-38.

4. Rabaglio MO. Gestão por competências: ferramentas para atração e captação de talentos humanos. Rio de Janeiro (RJ): Qualitymark; 2012.

5. Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução n. 196 de 10 de outubro de 1996: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): MS; 1996.

6. Guerrer FJL, Bianchi ERF. Caracterização do estresse nos enfermeiros de unidades de terapia intensiva. Rev Esc Enferm USP. 2008 Jun; 42(2):355-62.

7. Conselho Federal de Enfermagem [página na Internet]. Brasília (DF): COFEN; 2011. [acesso 2012 Ago 10]. Disponível em: http://www.portalcofen.gov.br/sitenovo/sites/default/files/pesquisaprofissionais.pdf

8. Brito AMR, Brito MJM, Gazzinelli MFC, Montenegro LC. Representações sociais de discentes de graduação em enfermagem sobre "ser enfermeiro". Rev Bras Enferm. 2011 Maio-Jun; 64(3):527-35.

9. Koizumi MS, Kimura M, Miyadahira AMK, Lopes DA, Cruz M, Padilha KG et al. Educação continuada da equipe de enfermagem nas UTIs do município de São Paulo. Rev Latino-Am Enferm [online]. 1998 [acesso 2013 Mai 29]; Jul; 6(3):33-41. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v6n3/13889.pdf

10. Silva RC, Ferreira MA. Características dos enfermeiros de uma unidade tecnológica: implicações para o cuidado de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2011 Jan-Fev; 64(1):94-105.

11. Vargas MAO, Ramos FRS. Responsabilidade no cuidar: do tempo que nos toca viver como enfermeiros/as intensivistas. Rev Esc Enferm USP. 2011 Ago; 45(4):876-83.

12. Pires D, Lopes MGD, Silva MCN, Lorenzetti J, Peruzzo SA, Bresciani HR. Jornada de 30 horas semanais: condição necessária para assistência de enfermagem segura e de qualidade. Enfermagem em Foco. 2010; 1(3):114-18.

13. Baggio MA, Formaggio FM. Trabalho, cotidiano e o profissional de enfermagem: o significado do descuidado de si. Cogitare Enferm. 2008 Jan-Mar; 13(1):67-74.

14. Gelbeck FL, Sousa LA, Dal Sasso G, Nascimento E, Bub MBC. Liderança em ambientes de cuidados críticos: reflexões e desafios à enfermagem brasileira. Rev Bras Enferm. 2009 Jan-Fev; 62(1):136-9.

15. Balsanelli AP, Cunha ICKO. Liderança no contexto da enfermagem. Rev Esc Enferm. USP. 2006 Jan-Mar; 40(1):117-22.

16. Sporrong SK, B Arnetz B, Hansson MG, Westerholm P, Höglund AT. Developing ethical competence in health care organizations. Nurs Ethics. 2007 Nov; 14 (6):825-37.

17. Silva RC, Ferreira MA. Representações sociais dos enfermeiros sobre a tecnologia no ambiente da terapia intensiva. Texto Contexto Enferm. 2009 Jul-Set; 18 (3):489-97.

18. Azambuja EP, Pires D, Vaz MRC, Marziale MH. É possível produzir saúde no trabalho da enfermagem? Texto Contexto Enferm. 2010 Out-Dez; 19(4):658-66.

19. Paschoal AS, Mantovani MF, Méier MJ. Percepção da educação permanente, continuada e em serviço para enfermeiros de um hospital de ensino. Rev Esc Enferm USP. 2007 Set; 41(3):478-84.

20. Silva RCL, Kaczmarkiewicz CC, Cunha JJSA, Meira IC, Figueiredo NMA, Porto IS. O significado da tecnologia no pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca. Rev SOCERJ. 2009 Jul-Ago; 22(4):210-18.

21. Cavalheiro AM, Moura Junior DF, Lopes AC. Stress in nurses working in intensive care units. Rev Latino-Am Enferm. 2008 Jan-Fev; 16(1):29-35.

22. Moraes EL, Pereira EA, Reimão RNAA. Evaluation of the sleep pattern of nursing professionals working night shifts at the intensive care units. Einstein. 2008 Jul-Set; 6(3):296-301.

23. Versa GLGS, Murassaki ACY, Inoue KC, Melo WA, Faller JW, Matsuda LM. Estresse ocupacional: avaliação de enfermeiros intensivistas que atuam no período noturno. Rev Gaúcha Enferm. 2012 Jun; 33(2):78-85.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería