ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGO ORIGINAL

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

O cuidado de si de idosos que convivem com câncer em tratamento ambulatorial*

Lucimara Sonaglio Rocha,1 Margrid Beuter,2 Eliane Tatsch Neves,3 Marinês Tambara Leite,4 Cecília Maria Brondani,5 Nara Marilene Oliveira Girardon Perlini6
1
Mestre em Enfermagem. Enfermeira do Hospital Beneficente Dr. César Santos de Passo Fundo. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: lucimarazz@hotmail.com 2Doutora em Enfermagem. Professora Associado do Curso de Enfermagem, do Departamento de Enfermagem e do PPGEnf/ UFSM. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: margridbeuter@gmail.com 3Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto do Curso de Enfermagem, do Departamento de Enfermagem e do PPGEnf/ UFSM. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: elianeves03@gmail.com 4Doutora em Gerontologia Biomédica. Professora Adjunto da UFSM, Campus Palmeira das Missões. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: tambaraleite@yahoo.com.br 5Doutoranda do Doutorado Interinstitucional Novas Fronteiras. Enfermeira do Hospital Universitário de Santa Maria. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: ceciliabrondani@hotmail.com 6Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto do Curso de Enfermagem, do Departamento de Enfermagem e do PPGEnf / UFSM. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: nara.girardon@gmail.com

Recebido em 06 de agosto de 2012
Aprovação final em 08 de fevereiro de 2013

Texto Contexto Enferm 23(1): 29-37
*Artigo extraído da dissertação - Idosos convivendo com câncer: possibilidades para o cuidado de si, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGEnf) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), 2011

 

 

 

Cómo citar este documento

Rocha, Lucimara Sonaglio; Beuter, Margrid; Neves, Eliane Tatsch; Leite, Marinês Tambara; Brondani, Cecília Maria; Perlini, Nara Marilene Oliveira Girardon. O cuidado de si de idosos que convivem com câncer em tratamento ambulatorial. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2014, 23(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2014/23-029.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa qualitativa e descritiva, cujo objetivo foi analisar o cuidado de si de idosos que convivem com o câncer, em tratamento ambulatorial, na perspectiva de sua autonomia. Participaram da pesquisa 15 idosos que realizavam tratamento em um ambulatório de hemato-oncologia de um hospital universitário. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada em 2010. A independência e a capacidade do idoso para o autocuidado foram avaliadas com o uso das escalas de Katz e Lawton. Os dados foram submetidos à análise temática. Foram identificadas quatro categorias: manifestações do cuidado de si de idosos que convivem com câncer; o cuidado em família e sua dinâmica; a adaptação às limitações da doença; e a convivência com a finitude. Conclui-se que a autonomia para o cuidado de si dos idosos manifesta-se na preocupação com a alimentação, no conhecimento dos limites do corpo, nas mudanças impostas pela convivência com o câncer e no apoio da família.
Palavras chave: Enfermagem/ Autocuidado/ Neoplasias/ Saúde do idoso/ Autonomia pessoal.
 

Abstract
Self-care of elderly cancer patients undergoing outpatient treatment

This is a qualitative descriptive study with the aim to analyze the self-care of elderly cancer patients undergoing outpatient treatment, from the perspective of their autonomy. Fifteen elderly individuals undergoing treatment in a blood-oncology outpatient center of a university hospital participated in the research. Data were collected with semi-structured interviews conducted in 2010. Independence and ability for self-care by the elderly patients were evaluated using the Katz and Lawton scales. The data collected were submitted to thematic analysis. Four categories were identified: manifestations of self-care of elderly cancer patients; care in the family and its dynamics; adaptation to the limitations of the disease; and living with finiteness. In conclusion, the autonomy for self-care of the elderly patients is manifested in the concern with diet, knowing their bodies' limits, the changes imposed by living with cancer and family support.
Key-words: Nursing/ Self-care/ Neoplasms/ Health of the elderly/ Personal autonomy.
 

Resumen
El autocuidado de ancianos que conviven con cáncer en el tratamiento ambulatorio

Investigación cualitativa y descriptiva cuyo objetivo fue analizar el autocuidado de ancianos que conviven con cáncer en tratamiento ambulatorio en la perspectiva de su autonomía. Participaron de la investigación 15 ancianos que realizaban tratamiento en un dispensario de hemato-oncología de un hospital universitario. Los datos fueron recolectados a través de entrevista semi-estructurada en 2010. La independencia de las personas mayores y la capacidad para el autocuidado se evaluó a través de las escalas de Katz y Lawton. Los datos fueron sometidos al análisis temático. Se identificaron cuatro categorías: manifestaciones del autocuidado de ancianos que conviven con cáncer; el cuidado en familia y su dinámica; la adaptación a las limitaciones de la enfermedad; la convivencia con la finitud. Se concluye que la autonomía para el autocuidado de los ancianos se manifiesta en: la preocupación con la alimentación, el conocimiento de los límites del cuerpo, los cambios impuestos por la convivencia con el cáncer y apoyo familiar.
Palabras clave: Enfermería/ Autocuidado/ Neoplasias/ Salud del anciano/ Autonomía personal.
 

Referências

1. Organização Mundial da Saúde.Cuidados inovadores para condições crônicas: componentes estruturais de ação. Relatório mundial. Brasília (DF): MS; 2003.

2. Instituto Nacional do Câncer. Estimativa 2008: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro (RJ): INCA; 2007.

3. Secretaria da Saúde (RS). Núcleo de Informações em Saúde. E52. Estatísticas de Saúde: mortalidade 2009. Porto Alegre (RS): Secretaria da Saúde; 2010.

4. Borges ADVS, Silva EF, Toniollo PB, Mazer SM, Valle ERM, Santos MA. Percepção da morte pelo paciente oncológico ao longo do desenvolvimento. Psicol Estud. 2006 Mai-Ago; 11(2):361-9.

5. Machado SM, Sawada NO. Avaliação da qualidade de vida de pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico adjuvante. Texto Contexto Enferm. 2008 Out-Dez; 17(4):750-7.

6. Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43ª ed. São Paulo (SP): Paz e Terra; 2011.

7. Santin JR, Bettinelli LA, organizadores. Bioética e envelhecimento humano: inquietudes e reflexões. Passo Fundo (RS): UPF Editora; 2010.

8. Visentin A, Labronici L, Lenardt MH. Autonomia do paciente idoso com câncer: o direito de saber o diagnóstico. Acta Paul Enferm. 2007 Out-Dez; 20(4):509-13.

9. Oliveira LPBA, Menezes RMP. Representações de fragilidade para idosos no contexto da estratégia saúde da família. Texto Contexto Enferm. 2011 Abr- Jun; 20(2):301-9.

10. Gonçalves LHT, Scheir J. Grupo aqui e agora: uma tecnologia leve de ação sócio-educativa de enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2005 Abr-Jun; 14(2):271-9.

11. Silva IJ, Oliveira MFV, Silva SED, Polaro SHI, Radünz V, Santos EKA, et al. Cuidado, autocuidado e cuidado de si: uma compreensão paradigmática para o cuidado de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2009 Set; 43(3):697-703.

12. Freitas EV, Miranda RD. Parâmetros clínicos do envelhecimento e avaliação geriátrica ampla. In: Freitas EV, Py L, Cançado FAX, Doll J, Gorzoni ML. Tratado de geriatria e gerontologia. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2011.

13. Fontanella BJB, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saúde Pública. 2008 Jan; 24(1):17-7.

14. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2010.

15. Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Resolução 196, de 10 de outubro de 1996: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): MS; 1996.

16. Rodrigues JSM, Ferreira NMLA. Caracterização do perfil epidemiológico do câncer em uma cidade do interior paulista: conhecer para intervir. Rev Bras Cancerol. 2010 Out-Dez; 56(4):431-41.

17. Nakatani AYK, Silva LB, Bachion MM, Nunes DP. Capacidade funcional em idosos na comunidade e propostas de intervenções pela equipe de saúde. Rev Eletr Enf [Internet]. 2009 [acesso 23 Jun 2012]; 11(1):144-50. Disponivel em: http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n1/v11n1a18.htm

18. Foucault M. História da sexualidade III: o cuidado de si. São Paulo (SP): Graal; 2009.

19. Pedreira LC, Oliveira MAS. Cuidadores de idosos dependentes no domicílio: mudanças nas relações familiares. Rev Bras Enferm. 2012 Set-Out; 65(5):730-6.

20. Araújo C, Scalon C. Gênero e a distância entre a intenção e o gesto. Rev Bras Cienc Soc. 2006 Out; 21(62):45-68.

21. Gomes R, Nascimento EF, Araújo FC. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad Saúde Pública. 2007 Mar; 23(3):565-74.

22. Rondini CA, Justo JS, Teixeira Filho FS, Lucca JAC, Oliveira PA. Análise das relações entre qualidade de vida e sobrecarga de cuidadoras de idosos de Assis, SP. Estud Pesq Psicol. 2011; 11(3):796-820.

23. Hoffmann FS, Müller MC, Rubin R. A mulher com câncer de mama: apoio social e espiritualidade. Mudanças Psicol Saúde. 2006 Jul-Dez; 14(2):143-50.

24. Brilhante AC, Lima MDC, Marreiro CM, Sousa BA, Aguiar MFM, Fonseca RC. Prostatectomia radical por via perineal (PRVP) em hospital não universitário: estudo de 13 casos. Rev Para Med. 2007 Dez; 21(4):43-6.

25. Lorencetti A, Simonetti JP. As estratégias de enfrentamento de pacientes durante o tratamento de radioterapia. Rev Latino Am Enfermagem. 2005 Nov-Dez; 13(6):944-50.

26. Jardim VCFS, Medeiros BF, Brito AM. Um olhar sobre o processo do envelhecimento: a percepção de idosos sobre a velhice. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2006 Mai-Ago; 9(2):25-34.

27. Araújo LP, Helmer DS, Gomes L, Fukuda CC, Freitas MH. Medo à morte e ao morrer em idosas institucionalizadas e não institucionalizadas. Acta Sci Human Soc Sciences. 2009; 31(2):213-8.

28. Minayo MCS, Coimbra JR CEA. Antropologia, saúde e envelhecimento. Rio de Janeiro (RJ): Editora Fiocruz; 2002.

29. Xavier BB, Gentilli RML. Afetos e cooperação familiar como coadjuvantes do tratamento de câncer de mama em mulheres. Serv Soc Rev. 2012 Jan-Jun; 14(2):73-95.

30. Ferreira NML, Dupas G, Costa DB, Sanchez KOL. Câncer e família: compreendendo os significados simbólicos. Cienc Cuid Saude. 2010 Abr-Jun; 9(2):269-77.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería