ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS - PESQUISA

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Indicativos para o dimensionamento de pessoal de enfermagem em emergência*

Roseli Schmoeller,1 Francine Lima Gelbcke2
1
Mestre em Enfermagem. Enfermeira do Hospital Universitário da UFSC. Santa Catariana, Brasil. E-mail: roseli@hu.ufsc.br 2Doutora em Enfermagem. Professora Associado do Departamento de Enfermagem e do PEN/UFSC. Diretora de Enfermagem do Hospital Universitário da UFSC. Santa Catariana, Brasil. E-mail: fgelbcke@ccs.ufsc.br

Recebido em 11 de novembro de 2011
Aprovação final em 23 de agosto de 2013

Texto Contexto Enferm 22(4): 971-979
*Recorte da dissertação - Construindo indicativos para o dimensionamento de pessoal de Enfermagem em emergência, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PEN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 2011

 

 

 

Cómo citar este documento

Schmoeller, Roseli; Gelbcke, Francine Lima. Indicativos para o dimensionamento de pessoal de enfermagem em emergência. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2013, 22(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2013/22-971.php> Consultado el

 

Resumo

Trata-se de um estudo exploratório-descritivo qualitativo, com o objetivo de levantar indicativos para o dimensionamento de pessoal de enfermagem em serviços de emergência. Os dados foram coletados utilizando-se observação do trabalho de enfermagem e entrevista semiestruturada com enfermeiros, sendo analisados à luz da teoria do processo de trabalho, originando as categorias: processo de trabalho e dimensionamento de pessoal de enfermagem e indicativos para o dimensionamento de pessoal de enfermagem em emergência. O estudo aponta indicativos quantitativos e qualitativos para subsidiar o dimensionamento de pessoal, entre os quais, a necessidade de se avaliar a organização do trabalho, o grau de cuidado dos usuários para além dos aspectos biológicos e a própria característica do serviço de emergência, que congrega internação e atendimento das urgências.
Palavras chave: Enfermagem em emergência/ Downsizing organizacional/ Administração de recursos humanos em hospitais.
 

Abstract
Indicators for the measurement of emergency nursing personnel

This exploratory-descriptive study was performed with a qualitative approach, aiming at finding indicators for the measurement of nursing personnel in adult emergency services. Data were collected using nursing work observation and a semistructured interview with nurses; data were analyzed based upon the theory of working process, originating the following categories: working process and nursing personnel measurement, and indicators for the measurement of nursing personnel in emergency. The study presents both quantitative and qualitative indicators to ground personnel measurement, amongst which the need to evaluate the working organization, the degree of users' care besides biological aspects and the emergency service characteristic itself, which encompasses hospitalization and urgency care.
Key-words: Emergency nursing/ Personnel downsizing/ Personnel administration, Hospital.
 

Resumen
Indicativos para el dimensionamiento de personal de enfermería en urgencia

Estudio exploratorio-descriptivo con abordaje cualitativa, con el objetivo de obtener indicativos para el dimensionamiento de personal de enfermería en urgencia adulto. Los datos fueron colectados utilizando-se la observación del trabajo de enfermería y entrevista semiestructurada con enfermeros, y analizados de acuerdo con la teoría del trabajo, originando las categorías: proceso de trabajo y dimensionamiento de personal de enfermería, e indicativos para el dimensionamiento de personal de enfermería en urgencia. Apunta indicativos cuantitativos y cualitativos para subsidiar el dimensionamiento de personal, entre los cuales la necesidad de evaluarse la organización del trabajo, el grado de cuidado de los usuarios bien como de los aspectos biológicos e la propia característica del servicio de urgencia, que congrega internación y atendimiento de las urgencias.
Palabras clave: Enfermería de urgencia/ Reducción de personal/ Administración de personal en hospitales.
 

Referências

1. Ministério da Saúde (BR). Manual operacional do projeto de investimento para a qualificação do Sistema Único de Saúde. Brasília (DF): MS; 2009.

2. Gaidzinski R, Fugulin FMT. Condições de trabalho e segurança profissional: a influência do dimensionamento de pessoal dos trabalhadores de enfermagem. In: Anais do 62º Congresso Brasileiro de Enfermagem [CD-ROM], 2010 Out 11-15, Florianópolis (SC), Brasil. Florianópolis (SC): ABEn; 2010.

3. Organização Pan-Americana da Saúde (BR). Rede Interagencial de Informação para a Saúde. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. 2º ed. Brasília (DF): Organização Pan- Americana da Saúde; 2008.

4. Malik AM, Schiesari LMC. Qualidade na gestão local de serviços e ações de saúde. Secretaria Estado Saúde (SC), 2009. [acesso 2009 Set 17]. Disponível em: http://www.saude.sc.gov.br/gestores/sala_de_leitura/saude_e_cidadania/ed_03/01_01_01.htm5

5. Vieira APM, Kurcgant P. Indicadores de qualidade no gerenciamento de recursos humanos em enfermagem: elementos constitutivos segundo percepção de enfermeiros. Acta Paul Enferm [online]. 2010 [acesso 2012 Jun 26]; 23(1):11-5. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v23n1/02.pdf

6. Garcia EA, Fugulin FMT. Distribuição do tempo de trabalho das enfermeiras em unidade de emergência. Rev Esc Enferm USP [online]. 2010 [acesso 2012 Jun 26]; 44(4):1032-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n4/25.pdf

7. Santos JLG. A dimensão gerencial do trabalho do enfermeiro em um serviço hospitalar de emergência [dissertação]. Porto Alegre (RS): Universidade Federal do Rio grande do Sul. Programa de Pós- Graduação em Enfermagem; 2010.

8. Marx K. O capital. V. I. São Paulo (SP): Abril Cultural; 1983.

9. Pires D. Reestruturação produtiva e trabalho em saúde no Brasil. 2ª ed. São Paulo (SP): AnnaBlume/ CNTSS; 2008.

10. Gil AC. Como elaborar um projeto de pesquisa. 4a ed. São Paulo (SP): Atlas; 2009.

11. Creswell JW. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. 2a ed. Porto Alegre (RS): Artemed; 2007.

12. Pires D, Lorenzetti J, Gelbcke FL. Enfermagem: condições de trabalho para um fazer responsável. In: Anais do 62º. Congresso Brasileiro de Enfermagem [CD-ROM]; 2010 Out 11-15; Florianópolis (SC), Brasil. Florianópolis: ABEn; 2010.

13. Organization for Economic Co-operation and Development (FR). OCDE. Health at a Glance 2009 OECD indicators. [acesso 2010 Set 10]. Disponível em: http://www.oecd.orghealth/healttaglance

14. Gonçalves L. Processo de trabalho da enfermagem: bases qualitativas para o dimensionamento da força de trabalho de enfermagem nas unidades de internação [tese]. Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós- Graduação em Enfermagem; 2007.

15. Gelbcke FL, Tavares CMA, Matos E, Fertonani HP, Silvestrim ANS, Shiroma LMB, et al. Trabalho, saúde, cidadania e enfermagem: produção do conhecimento do Grupo Práxis. Texto Contexto Enferm. 2008 Out-Dez; 17(4):727-33.

16. Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (SC). Lei n. 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da enfermagem e dá outras providências. In: Pires DEP, Bellaquarda MLR, Zago AT, Matos E, organizadores. Consolidação da legislação e ética profissional. Série Cadernos Enfermagem. Florianópolis (SC): Quorum Comunicação; 2010. p. 59-4.

17. Gaidzinski RR. O dimensionamento do pessoal de enfermagem em instituições hospitalares [tese]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem; 1998.

18. Coelho MF, Chaves LDP, Anselmi ML, Hayashida M, Santos CB. Análise dos aspectos organizacionais de um serviço de urgências clínicas: estudo em um hospital geral do município de Ribeirão Preto, SP, Brasil. Rev Latino-Am Enferm. 2010 Jul-Ago; 18(4):770-7.

19. Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução n. 293/2004. Fixa e estabelece parâmetros para o dimensionamento do quadro de profissionais de enfermagem. [acesso 2010 Jun 10]. Disponível em: www.portalcofen.gov.br

20. Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (SP). Parecer n. 44/2011. Dimensionamento de pessoal de enfermagem para unidades de pronto socorro. [acesso 2012 Jun 26]. Disponível em: http://inter.corensp.gov.br/sites/default/files/044_2011_dimensionamento_pronto_socorro.pdf

21. Perroca MG. Instrumento de classificação de pacientes de perroca: validação clínica [tese]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem; 2000.

22. Gelbcke FL, Matos E, Schmoeller R, Mesquita MPL, Benedet SA. Instrumento para classificação do grau de dependência de usuários: um estudo para contribuir no dimensionamento de pessoal. Enferm Foco. 2012 Fev; 3(1):25-8.

23. Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. Apostila serviço de atendimento médico de urgência. Núcleo de educação em urgência. Escola de Saúde Pública de Santa Catarina 2006. [acesso 2010 Set 20]. Disponível em: http://neu.saude.sc.gov.br/arquivos/apostila_do_samu_santa_catarina.pdf

24. Ministério da Saúde (BR). Portaria GM n. 1.020 de 13 de maio de 2009. Estabelece diretrizes para a implantação do componente pré-hospitalar fixo para a organização de redes locorregionais de atenção integral às urgências em conformidade com a Política Nacional de Atenção às Urgências. Ministério da Saúde. Brasília (DF): 2009. [acesso 2010 Dez 22]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt1020_13_05_2009.html

25. Ministério da Saúde (BR). Portaria GM n. 1.600 de 07 de julho de 2011. Reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde. Ministério da Saúde. Brasília (DF): 2011. [acesso 2012 Jun 26]. Disponível em: http://brasilsus.com.br/legislacoes/gm/108708-1600.html

26. Lima AFC, Kurganct P. Indicadores de qualidade no gerenciamento de recursos humanos em enfermagem. Rev Bras Enferm. 2009 Mar-Abr; 62(2):234-9.

27. Mazur CS. Aspectos quali-quantitativos do dimensionamento de pessoal de enfermagem em uma realidade cirúrgica de um hospital de ensino [dissertação]. Curitiba (PR): Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2007.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería