ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS - PESQUISA

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Conhecimento sobre a Lei 11.108/2005 e a experiência dos acompanhantes junto à mulher no centro obstétrico*

Letícia Demarche Frutuoso,1 Odaléa Maria Brüggemann2
1
Mestre em Enfermagem. Enfermeira da Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina. Santa Catarina, Brasil. E-mail: leticiademarche@hotmail.com 2Doutora em Tocoginecologia. Docente do Departamento de Enfermagem e do PEN/UFSC. Pesquisadora CNPq. Santa Catarina, Brasil. E-mail: odalea@ccs.ufsc.br

Recebido em 19 de julho de 2012
Aprovação final em 24 de agosto de 2013

Texto Contexto Enferm 22(4): 909-917
*Extraído da dissertação - Percepções do acompanhante acerca da experiência e dos aspectos organizacionais relacionados à sua permanência no centro obstétrico, apresentada ao Programa de Pós-graduação em Enfermagem (PEN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em 2011

 

 

 

Cómo citar este documento

Frutuoso, Letícia Demarche; Brüggemann, Odaléa Maria. Conhecimento sobre a Lei 11.108/2005 e a experiência dos acompanhantes junto à mulher no centro obstétrico. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2013, 22(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2013/22-909.php> Consultado el

 

Resumo

Pesquisa exploratório-descritiva, com abordagem qualitativa, realizada em uma maternidade pública de Santa Catarina, que objetivou conhecer quais informações os acompanhantes possuem acerca da Lei 11.108/2005, as suas percepções sobre a experiência no centro obstétrico e as ações de apoio junto à mulher. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, de novembro/2010 a maio/2011, com 16 acompanhantes que permaneceram com parturiente durante todos os períodos clínicos do parto. A análise dos dados, utilizando o Discurso do Sujeito Coletivo, indicou pouco conhecimento sobre a Lei, os acompanhantes consideraram a experiência positiva, avaliaram como satisfatório o atendimento prestado à mulher e desenvolveram ações de apoio físico e emocional. Apesar das adversidades do centro obstétrico e das situações de estresse inerentes ao processo de parturição, constatou-se ser possível que o acompanhante tenha uma experiência positiva e atue como provedor de apoio à mulher.
Palavras chave: Parto humanizado/ Apoio social/ Direitos do paciente/ Enfermagem obstétrica.
 

Abstract
Parturient women's companions' knowledge of Law 11.108/2005 and their experience with the woman in the obstetric center

This exploratory, descriptive, and qualitative study carried out in a public maternity in southern Brazil sought to know what information companions possess concerning Brazilian Law 11.108/2005 based on perspectives concerning their obstetrics center experiences and the support provided to delivering women. Data was collected through semi-structured interviews from November, 2010, to May, 2011, with 16 pregnant women's companions during every clinical period of their deliveries. Data analysis used the Collective Subject Discourse proposal and indicated little knowledge concerning the Law, that companions consider the experience as positive, evaluated the care given pregnant women as satisfactory, and developed actions for emotional and physical support. Even with the obstetrics center adversities and its inherently stressful delivery process, this study demonstrates that delivering women's companions can have positive experiences and act as support for women during their delivery process.
Key-words: Humanizing delivery/ Social support/ Patient rights/ Obstetrical nursing.
 

Resumen
Conocimiento acerca de la Ley 11.108/2005 y la experiencia de los acompañantes de las mujeres en el centro de obstetricia

Estudio exploratorio descriptivo, cualitativo, realizado en una maternidad pública en Santa Catarina, para conocer las informaciones que los acompañantes tienen sobre la Ley 11.108/2005, sus percepciones acerca de la experiencia en el centro de obstetricia y las acciones de apoyo a la mujer. La recolección de los datos se hizo a través de entrevistas semiestructuradas, de noviembre/2010 a mayo/2011, con dieciséis acompañantes de las madres durante los períodos clínicos del parto. El análisis de datos, según la propuesta del Discurso del Sujeto Colectivo, mostró poco conocimiento sobre la Ley, los acompañantes consideran la experiencia positiva, evaluaron como satisfactoria la atención prestada a las mujeres y desarrollaron acciones de apoyo físico y emocional. A pesar de las adversidades del centro de obstetricia y las situaciones de estrés inherentes al proceso del parto, es posible que el acompañante tenga una experiencia positiva como proveedor de apoyo a la mujer.
Palabras clave: Parto humanizado/ Apoyo social/ Derechos del paciente/ Enfermería obstétrica.
 

Referências

1. Hodnett ED, Gates S, Hofmeyr GJ, Sakala C. Continuous support for women during childbirth. (Cochrane Review) [online]. 2011 [acessed 2013 Abr 20134]. Avaible at: http://apps.who.int/rhl/reviews/CD003766.pdf

2. Organização Mundial da Saúde. Maternidade segura, assistência ao parto normal: um guia prático. Genebra (CH): OMS; 1996.

3. Brüggemann OM, Parpinelli MA, Osis MJD. Evidências sobre o suporte durante o trabalho de parto/parto: uma revisão de literatura. Cad Saúde Pública. 2005 Set-Out; 21(5):1316-27.

4. Brasil. Lei n 11.108, de 7 de abril de 2005. Altera a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Diário Oficial da União [internet]. Brasilia; 2005 [citado 4 Abr 2011]. Disponível em: http://www3.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/2005/11108.htm

5. Hoga LAK, Pinto CMS. Assistência ao parto com a presença do acompanhante: experiências de profissionais. Invest Educ Enferm. 2007 Jan-Jun; 25(1):74-81.

6. Mabuchi AS, Fustinoni SM. O significado dado pelo profissional de saúde para o trabalho de parto e parto humanizado. Acta Paul Enferm. 2008; 21(3):420-2

7. Carvalho MLM. Participação dos pais no nascimento em maternidade pública: dificuldades institucionais e motivações dos casais. Cad Saúde Pública. 2003; 19(sup 2):389-98.

8. Nassif AA. O acompanhante na maternidade: concepções dos profissionais de saúde. 2009 [dissertação]. Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós- Graduação em Enfermagem; 2009.

9. Brüggemann OM, Osis MJD, Parpinelli MA. Apoio no nascimento: percepções de profissionais e acompanhantes escolhidos pela mulher. Rev Saúde Pública. 2007 Fev; 41(1):44-52.

10. Pinto CMS, Basile ALO, Silva SF, Hoga LAK. O acompanhante no parto: atividades desenvolvidas e avaliação da experiência. Rev Min Enferm. 2003 Jan-Jul; 7(1):41-7.

11. Fontanella BJB, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saúde Pública. 2008 Jan; 24(1):17-27.

12. Lefèvre F, Lefèvre AMC. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (Desdobramentos). Caxias do Sul (RS): EDUCS; 2003.

13. Tomeleri KR, Pieri FM, Violin MR, Serafim D, Marcon SS. "Eu vi meu filho nascer": vivência dos pais na sala de parto. Rev Gaúcha Enferm. 2007 Dez; 28(4):497-504.

14. Instrução Normativa n. 001/2009/SES, de 06 de abril de 2009 (SC). Estabelece diretrizes para os serviços de saúde efetivar a inserção do acompanhante de livre escolha da mulher durante o pré-parto, parto e pós- parto imediato. Diário Oficial do Estado n 18.667, Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, 12 ago 2009.

15. Espirito Santo LC, Bonilha ALL. Expectativas, sentimentos e vivências do pai durante o parto e nascimento de seu filho. Rev Gaúcha Enferm. 2000 Jul; 21(2):87-109.

16. Motta CCL, Crepaldi MA. O pai no parto e apoio emocional. A perspectiva da parturiente. Rev Paidéia. 2005 Jan-Abr; 15(30):105-18.

17. Nakano AMS, Silva LA, Beleza ACS, Stefanello J, Gomes FA. O suporte durante o processo de parturição: a visão do acompanhante. Acta Paul Enferm. 2007 Abr-Jun; 20(2):131-7.

18. Carvalho VF, Kerber NPC, Busanello J, Gonçalves BG, Rodrigues EF, Azambuja EP. Como os trabalhadores de um centro obstétrico justificam a utilização de práticas prejudiciais ao parto normal. Rev Esc Enferm USP. 2012 Fev; 46(1):30-7.

19. Gayeski ME, Brüggemann, OM. Métodos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: uma revisão sistemática. Texto Contexto Enferm. 2010 Out-Dez; 19(4):774-82.

20. Smith CA, Collins CT, Cyna AM, Crowther CA. Complementary and alternative therapies for pain management in labour (Cochrane Review). In: The Cochrane Library, Issue 1, 2006. Oxford: Update Software.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería