ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS - PESQUISA

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Fatores de risco para doenças cardiovasculares em idosos de um município do interior de Minas Gerais*

Marina Aleixo Diniz,1 Darlene Mara dos Santos Tavares2
1
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Enfermagem Fundamental da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil. E-mail:mafmtm@yahoo.com.br 2Doutora em Enfermagem. Professora Associado do Curso de Graduação em Enfermagem da UFTM. Uberaba, MG, Brasil. E-mail: darlenetavares@enfermagem.uftm.edu.br

Recebido em 04 de abril de 2012
Aprovação final em 12 de setembro de 2013

Texto Contexto Enferm 22(4): 885-892
*Artigo extraído da dissertação - Prevalência de fatores de risco para doenças cardiovasculares em idosos, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Atenção à Saúde da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), 2009

 

 

 

Cómo citar este documento

Diniz, Marina Aleixo; Tavares, Darlene Mara dos Santos. Fatores de risco para doenças cardiovasculares em idosos de um município do interior de Minas Gerais. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2013, 22(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2013/22-885.php> Consultado el

 

Resumo

Esta pesquisa objetivou descrever as características sociodemográficas dos idosos de um município de pequeno porte, identificar a prevalência dos fatores de risco cardiovascular e compará-los entre os sexos e as faixas etárias. Tratou-se de um estudo de prevalência, constituído por 134 idosos. A coleta de dados foi realizada de abril a junho/2009 por meio de entrevista e aferição de dados antropométricos. Para análise utilizou-se frequência simples e teste de qui-quadrado (p<0,05). Entre os idosos, 50% tinham de 60-70 anos, 57,5% sexo feminino e 58,2% casados. Os fatores de risco cardiovascular mais prevalentes foram: circunferência abdominal aumentada (77,6%), hipertensão arterial (67,2%) e sedentarismo (59,7%). O sedentarismo (p=0,012) e a circunferência abdominal aumentada (p<0,001) apresentaram maior proporção entre as mulheres idosas.
Palavras chave: Doenças cardiovasculares/ Fatores de risco/ Idoso/ Enfermagem.
 

Abstract
Risk factors for cardiovascular diseases in aged individuals in a city in the state of Minas Gerais

This study had the aim to describe the sociodemographic characteristics of aged individuals in a small city, to identify the prevalence of cardiovascular risk factors and to compare them between genders and age ranges. It consisted of a prevalence study with 134 aged individuals. Data were collected between April and June of 2009 by means of interviews and anthropometric data survey. Simple frequencies and the chi-square test (p<0.05) were used for analysis. Among the aged individuals, 50% were between 60 and 70 years, 57.5% were female, 58.2% were married. The most prevalent risk factors were: increased abdominal circumference (77.6%), hypertension (67.2%) and sedentary lifestyle (59.7%). Sedentary lifestyle (p=0.012) and increased abdominal circumference (p<0.001) presented a higher proportion among older women.
Key-words: Cardiovascular disease/ Risk factors/ Aged/ Nursing.
 

Resumen
Factores de riesgo para enfermedades cardiovasculares en adultos mayores en un municipio en el interior de Minas Gerais

Este estudio tuvo como objetivo describir las características sociodemográficas de los adultos mayores en una ciudad pequeña, identificar la prevalencia de factores de riesgo cardiovascular y compararlos entre el sexo y edad. Fue un estudio de prevalencia, transversal, que consta de 134 adultos mayores. La recolección de datos se llevó a cabo entre abril y junio/2009 a través de entrevistas y de prospección de los datos antropométricos. Para el análisis se utilizaron frecuencias simples y la prueba de chi-cuadrado (p<0,05). Entre los adultos mayores el 50% tenían 60-70 años, el 57,5% eran mujeres, y el 58,2% estaban casados. Los factores de riesgo más prevalentes fueron: la circunferencia abdominal aumentada (77,6%), hipertensión (67,2%) y sedentarismo (59,7%). El sedentarismo (p=0,012) y el aumento de circunferencia abdominal (p<0,001) presentaron una mayor proporción entre las mujeres ancianas.
Palabras clave: Enfermedad cardiovasculares/ Factores de riesgo/ Anciano/ Enfermería.
 

Referências

1. Yazdanyar A, Newman AB. The burden of cardiovascular disease in the elderly: morbidity, mortality, and costs. Clin Geriatr Med. 2009; 25(4):563-84.

2. DATASUS. Caderno de informações de saúde [online]. Brasília (DF): MS; 2009 [acesso 2009 Jul 25]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/tabdata/cadernos/cadernosmap.htm?saude=http%3A%2F%2Ftabnet.datasus.gov.br%2Ftabdata%2Fcadernos%2Fcadernosmap.htm&botaook=OK&obj=http%3A%2F%2Ftabnet.datasus.gov.br%2Ftabdata%2Fcadernos%2Fcadernosmap.htm

3. Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Hipertensão, Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010; 95(1 supl 1):1-51.

4. Caetano JA, Costa AC, Santos ZMSA, Soares E. Descrição dos fatores de risco para alterações cardiovasculares em um grupo de idosos. Texto Contexto Enferm. 2008; 17(2):327-35.

5. Pereira JC, Barreto SM, Passos VMA. O perfil de saúde cardiovascular dos idosos brasileiros precisa melhorar: estudo de base populacional. Arq Bras Cardiol. 2008; 91(1):1-10.

6. Ferreira CCC, Peixoto MRG, Barbosa MA, Silveira EA. Prevalence of cardiovascular risk factors in elderly individuals treated in the Brazilian public health system in Goiânia. Arq Bras Cardiol. 2010; 95(5):621-8.

7. Brasil. Lei n. 10.741, de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 3 Out 2003. Seção 1.

8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contagem da População - Censo 2007 [online]. 2007 [acesso 2009 Ago 2]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/contagem2007/MG.pdf

9. Bertolucci PHF, Brucki SM, Campacci SR, Juliano Y. O mini-exame do estado mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arq Neuro-Psiquiatr. 1994; 52(1):1-7.

10. World Health Organization. Anales da 36ª Reunión del Comité Asesor de Investigaciones en salud. Encuesta multicentrica: salud, bien estar y envejecimiento (SABE) en América Latina y el Caribe. Washington (US): World Health Organization; 2001.

11. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia. IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. Arq Bras Cardiol. 2007; 88 (supl. I):1-18.

12. Méndez EB. Uma versão brasileira do AUDIT - Alcohol Use Disorders Identification Test [dissertação]. Pelotas (RS): Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Medicina; 1999.

13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010 [online]. 2010 [acesso 2012 Mar 25]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatística/população/censo2010/default.shtm

14. Silveira EA, Kac G, Barbosa LS. Prevalência e fatores associados à obesidade em idosos residentes em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil: classi?cação da obesidade segundo dois pontos de corte do índice de massa corporal. Cad Saúde Pública. 2009; 25(7):1569-77.

15. Kumpel DA, Sodre AC, Pomatti DM, Scortegagna HM, Filippi J, Portella MR, et al. Obesidade em idosos acompanhados pela Estratégia de Saúde da Família. Texto Contexto Enferm. 2011 Jul-Set; 20(3):271-7.

16. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual de atenção à mulher no climatério/menopausa. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2008.

17. Rigo JC, Vieira JL, Dalacorte RR, Reichert CL. Prevalência de Síndrome Metabólica em idosos de uma comunidade: comparação entre três métodos diagnósticos. Arq Bras Cardiol. 2009; 93(2):85-91.

18. Firmo JOA, Uchôa E, Lima-Costa MF. Projeto Bambuí: fatores associados ao conhecimento da condição de hipertenso entre idosos. Cad Saúde Pública. 2004; 20(2):512-21.

19. Oliveira JCA, Tavares DMS. Elderly attention to health strategy in the family: action of nurses. Rev Esc Enferm USP. 2010; 44(3):763-70.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería