ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS - PESQUISA

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

O Teatro Espontâneo do Cotidiano como um instrumento terapêutico nas ressignificações de ser um portador de transtorno mental

Francine Baltazar Assad,1 Luiz Jorge Pedrão2
1
Doutoranda em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Psiquiátrica da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, Brasil. E-mail: franassad@hotmail.com 2Doutor em Saúde Mental. Professor do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da EERP/USP. São Paulo, Brasil. E-mail: lujope@eerp.usp.br

Recebido em 13 de junho de 2012
Aprovação final em 04 de outubro de 2013

Texto Contexto Enferm 22(4): 1089-1097
*Apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

 

 

 

Cómo citar este documento

Assad, Francine Baltazar; Pedrão, Luiz Jorge. O Teatro Espontâneo do Cotidiano como um instrumento terapêutico nas ressignificações de ser um portador de transtorno mental. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2013, 22(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2013/22-1089.php> Consultado el

 

Resumo

O teatro espontâneo do cotidiano constitui-se em importante ferramenta na assistência à saúde mental. Este estudo objetivou compreender o significado de ser um portador de transtorno mental e oferecer um instrumento para ressignificações. Para isso, cinco usuários de um Centro de Atenção Psicossocial participaram de 12 encontros, utilizando-se a técnica do Teatro Espontâneo do Cotidiano, que foram filmados, e os usuários, submetidos a entrevistas, cujos conteúdos foram transcritos e analisados de forma qualitativa, na ótica do Interacionismo Simbólico. Identificaram-se sete categorias com temas relativos aos significados de ser um portador de transtorno mental, que revelaram percepções acerca de questões normativas e do sofrimento pelas perdas cotidianas. Foram indicados caminhos de possibilidades, renovação, superação e de expectativas, sendo o teatro espontâneo do cotidiano um facilitador da interação e expressão, propiciando uma construção criativa em busca de soluções para problemáticas da vida cotidiana, constituindo-se, assim, em uma ferramenta significativa na reabilitação psicossocial.
Palavras chave: Transtornos mentais/ Saúde mental/ Reabilitação/ Terapia ocupacional.
 

Abstract
The Spontaneous Theatre of everyday life as a therapeutic instrument in the resignification of being a carrier of a mental disorder

The spontaneous theater of everyday life is an important tool for mental health care. This study aimed to understand the meaning of being a carrier of a mental disorder and to create possibilities for resignification. To this end, five individuals of a Psychosocial Care Center participated in 12 meetings, during which the technique of Spontaneous Theater of Everyday Life was used; they were filmed and interviewed and the content was transcribed and analyzed qualitatively, from a Symbolic Interactionism approach. Seven categories were created, whose themes were related to the meaning of being a carrier of a mental disorder, and they provided insights into the normative issues and the suffering that results from daily losses. Paths of possibilities, renovation, overcoming and expectations were presented, with the spontaneous theater of everyday life as a facilitator of interaction and expression, which provides a creative construction that searches for solutions for the challenges of everyday life, thus being an important tool in psychosocial rehabilitation.
Key-words: Mental disorders/ Mental health/ Rehabilitation/ Occupational therapy.
 

Resumen
El Teatro Espontáneo del cotidiano como un instrumento terapéutico nas resignificaciones de ser un portador de trastorno mental

El teatro espontáneo del cotidiano constituye una herramienta importante en el cuidado de salud mental. Este estudio objetivó comprender el significado de ser un portador de trastorno mental y ofrecer un instrumento de resignificaciones. Para esto, cinco usuarios de un Centro de Atención Psicosocial participaron de 12 reuniones en las cuales la técnica de Teatro Espontáneo del Cotidiano fue usada; ellos fueron filmados y entrevistados y los contenidos fueron transcritos y analizados de forma cualitativa desde la perspectiva del interaccionismo simbólico. Siete categorías de temas relacionados con el significado de ser portador de trastorno mental fueron identificadas, revelando percepciones acerca de cuestiones normativas y sufrimiento de pérdidas diarias. Caminos de posibilidades, renovación, superación y expectativas fueron indicados; siendo el teatro espontáneo del cotidiano un facilitador de la interacción y expresión, propiciando una construcción creativa de soluciones para problemas de la vida cotidiana, convirtiéndose así en una herramienta significativa en rehabilitación psicosocial.
Palabras clave: Trastornos mentales/ Salud mental/ Rehabilitación/ Terapia ocupacional.
 

Referências

1. Foucault M. História da loucura na idade clássica. 7ª ed. São Paulo (SP): Perspectiva; 2003.

2. Benetton MJ. Trilhas associativas: ampliando recursos na clínica da terapia ocupacional. São Paulo (SP): Centro de Estudos de Terapia Ocupacional; 1999.

3. Mângia EF. Contribuições da abordagem canadense "prática de terapia ocupacional centrada no cliente" e dos autores da desinstitucionalização italiana para a terapia ocupacional em saúde mental. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. 2002 Dez; 13(3):127-34.

4. Almeida DT, Trevisan ER. Estratégias de intervenção da terapia ocupacional em consonância com as transformações da assistência em saúde mental no Brasil. Interface - Comunic, Saúde Educ. 2011 Jan- Mar; 15(36):299-307.

5. Liberman F. Trabalho corporal, música, teatro e dança em terapia ocupacional: clínica e formação. Cad Centro Univ São Camilo. 2002 Jul-Set; 8(3):39-43.

6. Mendonça MP. O sentido da vida no envelhecer: o Teatro Espontâneo do Cotidiano como um recurso em terapia ocupacional [tese]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; 2003.

7. Assad FB, Pedrão LJ. O significado de ser portador de transtorno mental: contribuições do Teatro Espontâneo do Cotidiano. SMAD. Rev Eletr Saúde Mental Álcool Drog. [online] 2011 Ago [acesso 2012 Set 25]; 7(2):92-7. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S180669762011000200007&lng=pt&nrm=iso

8. Saraceno BA. Libertando identidades: da reabilitação psicossocial à cidadania possível. Belo Horizonte (MG): Te Corá; 1999.

9. Blumer H. Symbolic interacionism: perspective and method. Berkeley (US): University of Califórnia; 1969.

10. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11ª ed. São Paulo (SP): Hucitec; 2008.

11. Ewald AP, Moura MTC, Goulart SMS. Contemporaneidade e sofrimento psíquico: relações entre modos de vida e demandas psicoterapêuticas. Psicol Argum. 2012 Jan-Mar, 30(68):119-29.

12. Soares JCRS, Camargo Junior KR. A autonomia do paciente no processo terapêutico como valor para a saúde. Interface - Comunic, Saúde, Educ. 2007 Jan-Abr, 11(21):65-78.

13. Millani HFB, Valente MLLC. O caminho da loucura e a transformação da assistência aos portadores de sofrimento mental. SMAD, Rev Eletr Saúde Mental Álcool Drog [online] 2008 Ago [acesso 2012 Set 26]; 4(2). Disponível em: http://www.revistasusp.sibi.usp.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-69762008000200009&lng=pt

14. Bock AMB, Furtado O, Teixeira MLT. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. São Paulo (SP): Saraiva; 2005.

15. Cardoso L, Galera SAF. Adesão ao tratamento psicofarmacológico. Acta Paul Enferm. 2006 Jul-Set; 19(3):343-8.

16. Cardoso L, Miasso AI, Galera SAF, Maia BM, Esteves RB. Grau de adesão e conhecimento sobre tratamento psicofarmacológico entre pacientes egressos de internação psiquiátrica. Rev Latino Am Enferm [online] 2011 Set-Out [acesso 2012 Fev 08]; 19(5):1146-54. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010411692011000500012&lng=pt

17. Soares SRR, Saeki T. O Centro de Atenção Psicossocial sob a ótica dos usuários. Rev Latino- Am Enferm [online]. 2006 Nov-Dez [acesso 2011 Mai 20]; 14(6). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0104-11692006000600014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

18. Heller A. La revolución de la vida cotidiana. 2ª ed. Barcelona (ES): Península; 1994.

19. Francisco BR. Terapia ocupacional. 2ª ed. Campinas (SP): Papirus; 2001.

20. Frazão IS, Arcoverde ACB. Reinserção social pelo trabalho no campo da saúde mental: com a palavra, o usuário. Saúde Debate. 2009 Mai-Ago; 33(82):290-7.

21. Salles MM, Barros S. Vida cotidiana após adoecimento mental: desafio para atenção em saúde mental. Acta Paul Enferm. 2009 Jan-Fev 22(1):11-6.

22. Jorge MSB, Bezerra MLMR. Inclusão e exclusão social do doente mental no trabalho: representações sociais. Texto Contexto Enferm. 2004 Out-Dez; 13(4):551-8

23. Ribeiro MBS, Martins STF, Oliveira LR. Familiares de usuários vivenciando a transformação do modelo assistencial psiquiátrico. Estud Psicol. 2009 Mai-Ago; 14(2):133-40.

24. Medeiros SM, Guimarães J. Cidadania e saúde mental no Brasil: contribuição ao debate. Ciênc Saúde Coletiva [online]. 2002 [acesso 2012 Set 25]; 7(3):571-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232002000300014&lng=pt

25. Masten AS. Resilience in developing systems: progress and promise as the fourth wave rises. Development and Psychopathology 2007 Jun; 19(3): 921-930.

26. Perkins R, Repper J. Social inclusion and recovery: a model for mental health practice. London (UK): Baillière Tindall; 2003.

27. Barros MMM. Atuação da terapia ocupacional no Centro de Atenção Psicossocial - CAPS de Sobral - Ceará. Rev Ceto. 2010 Out 12(12):62-75.

28. Boal A. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro (RJ): Civilização Brasileira; 2001.

29. Santos RS. Interacionismo Simbólico: uma abordagem teórica de análise na saúde. Rev Enferm Bras. 2008 Jul-Ago; 7(4):233-7.

30. Benetton MJ. O encontro do sentido do cotidiano na terapia ocupacional para a construção de significados. Rev Ceto. 2010 Out; 12(12):32-9.

31. Almeida DT, Trevisan ER. Estratégias de intervenção da terapia ocupacional em consonância com as transformações da assistência em saúde mental no Brasil. Interface - Comun Saúde Educ. 2011 Jan-Mar; 15(36):299-307.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería