ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS - PESQUISA

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Vivências de uma equipe de enfermagem com a morte de criança indígena hospitalizada

Pâmela Roberta de Oliveira,1 Tane Miquieli Elicker Schirmbeck,2 Rosaline Rocha Lunardi3
1
Mestre em Educação. Professora Assistente I do Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Mato Grosso, Brasil. E-mail: pamela_veira@yahoo.com.br 2Enfermeira. Graduanda de Psicologia do Centro Universitário de Várzea Grande. Mato Grosso, Brasil. E-mail: tanefreire@gmail.com 3 Mestre em Ciências da Saúde. Professora Assistente II do Curso de Enfermagem da UFMT. Mato Grosso, Brasil. E-mail: rosaline@terra.com.br

Recebido em 05 de abril de 2012
Aprovação final em 03 de outubro de 2013

Texto Contexto Enferm 22(4): 1072-1080

 

 

 

Cómo citar este documento

Oliveira, Pâmela Roberta de; Schirmbeck, Tane Miquieli Elicker; Lunardi, Rosaline Rocha. Vivências de uma equipe de enfermagem com a morte de criança indígena hospitalizada. Texto Contexto Enferm, oct-dic 2013, 22(4). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2013/22-1072.php> Consultado el

 

Resumo

Estudo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa. Buscou-se conhecer as experiências da equipe de enfermagem, com a morte de uma criança indígena hospitalizada e os sentimentos que emergiram dessa vivência. Participaram da pesquisa 11 profissionais. A coleta de dados foi realizada na Unidade Pediátrica de um hospital público municipal do interior do Estado de Mato Grosso. Após análise, as entrevistas foram agrupadas nos seguintes eixos temáticos: sentimentos manifestados pelo cuidador; estratégias de enfrentamento da morte; acolhimento à família perante a morte; o vivenciar da morte indígena versus não indígena; vivências com a negligência e o preconceito; impacto da morte na vida e saúde do profissional; impacto na vida do profissional; e apoio psicológico ao profissional. A equipe de enfermagem sofre frente à morte da criança indígena, o que acaba influenciando sua vida e suas atitudes, tanto no ambiente hospitalar como fora dele.
Palavras chave: Morte/ Saúde de populações indígenas/ Equipe de enfermagem/ Criança.
 

Abstract
Experiences of a nursing team with the death of a hospitalized indigenous child

Descriptive, exploratory study, using a qualitative approach. The aim of this study was to learn the experiences of the nursing team in face of the death of a hospitalized indigenous child and the feelings that emerged from this experience. Participants were 11 professionals. Data were collected in the pediatric unit of a municipal public hospital in the interior of Mato Grosso state, Brazil. After analysis, the interviews were grouped into the following themes: feelings expressed by the caregiver; strategies for coping with death; support to the family in face of death; the experience of an indigenous versus a non-indigenous death; experiences with prejudice and negligence; the impact of death on the life and health of the professional; impact on the life of the professional; and psychological support to the professional. The nursing team suffers in face of the death of an indigenous child, which influences their lives and attitudes both in and outside the hospital environment.
Key-words: Death/ Health of indigenous peoples/ Nursing team/ Child.
 

Resumen
Vivencias de un equipo de enfermería con la muerte del niño indígena hospitalizado

Un enfoque cualitativo descriptivo, exploratorio. Tuvo como objetivo investigar la experiencia del personal de enfermería con la muerte de niños indígenas hospitalizados y los sentimientos que surgieron de esta experiencia. Participaron en la encuesta 11 profesionales. La recolección de datos se llevó a cabo en la Unidad Pediátrica de un hospital público municipal en el estado de Mato Grosso, Brasil. Tras el análisis, las entrevistas fueron agrupados en los siguientes temas: los sentimientos expresados por el cuidador; estrategias de afrontamiento; el apoyo a la muerte de la familia antes de la muerte; la experiencia de la muerte indígenas versus no indígenas; experiencias de abandono y perjuicio; el impacto de la muerte, de la vida y de la salud profesional; impacto en la vida de los profesionales; y el apoyo psicológico profesional. El personal de enfermería sufre antes de la muerte del niño indígena que influye en sus vidas y actitudes tanto dentro como fuera del entorno hospitalario.
Palabras clave: Muerte/ Salud de los pueblos indígenas/ Grupo de enfermería/ Niño.
 

Referências

1. Norouziehák HM. Case management of the dying child. Case Manager [online]. 2005 [acesso 2012 Mar 21]; 16(1):54-7. Disponível em: http://www.hawaii.edu/hivandaids/Case_Management_of_the_Dying_Child.pdf

2. Hoffmann L. A morte na infância e sua representação para o médico - reflexões sobre a prática pediátrica em diferentes contextos. Cad Saúde Pública. 1993 Jul-Set; 9(3):364-74.

3. Smeltzer SC, Bare BG. Brunner/Suddarth - Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 11ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2009.

4. Lima VR, Buys R. Educação para a morte na formação de profissionais de saúde. Arq Bras Psicol [online]. 2008; [acesso 2011 Set 21] 60(3):52-63. Disponível em: http://seer.psicologia.ufrj.br/index.php/abp/article/view/220

5. Boff L. Ética da vida: morte e ressurreição na nova antropologia. Brasília (DF): Letraviva; 1999.

6. Ariès P. A história da morte no ocidente: da idade média aos nossos dias. Rio de Janeiro (RJ): Ediouro; 2003.

7. Melo LL, Valle ERM. Vivências de uma criança com câncer hospitalizada em iminência de morte. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo, 2001.

8. Bosco AG. Perda e luto na equipe de enfermagem do centro cirúrgico de urgência e emergência. [tese na Internet]. Ribeirão Preto (SP): Universidade Federal de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; 2008 [acesso 2011 Ago 14]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-03092008-105509/pt-br.php

9. Costa JC, Lima RAG. Luto da equipe: revelações dos profissionais de enfermagem sobre o cuidado à criança/adolescente no processo de morte e morrer. Rev Latino-Am Enferm. 2005 Mar-Abr; 13(2):151-7.

10. Santos J L, Bueno SMV. A questão da morte e os profissionais de enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2010 Jul-Set; 18(3):484-7.

11. Coimbra Júnior CEA, Santos RV, Cardoso AM. Processo saúde-doença. In: Barros DC, Silva DO, Gugelmin AS, organizadores. Vigilância alimentar e nutricional para a saúde indígena. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2007.

12. Lorenz CFG. Desafios para uma bioética clínica interétnica: reflexões a partir da política nacional de saúde indígena. Rev Bioét. 2011; 19(2):329-42.

13. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 9ª ed. São Paulo (SP): Hucitec, 2006.

14. Mota MS, Gomes GC, Coelho MF, Lunardi Filho WD, Sousa LD. Reações e sentimentos de profissionais daenfermagem frente à morte dos pacientes sob seus cuidados. Rev Gaúcha Enferm, 2011 Mar; [acesso 2011 Set 20]; 32(1):129-135. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v32n1/a17v32n1.pdf

15. Haddad DRS. A morte e o processo de morrer de crianças em terapia intensiva pediátrica: vivência do enfermeiro [dissertação online]. Belo Horizonte (MG): Universidade Federal de Minas Gerais. Programa de Pós-graduação em Enfermagem; 2006 [acesso 2011 Ago 14]. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/GCPA-6VZQAP/daniele_haddad.pdf?sequence=1

16. Aguiar IR, Veloso TMC, Pinheiro AKB, Ximenes LB. O envolvimento do enfermeiro no processo de morrer de bebês internados em unidade neonatal. Acta Paul Enferm, 2006 [acesso 2011 Ago 14]; 19(2):131-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v19n2/a02v19n2.pdf

17. Françoso LPC. Reflexões sobre o preparo do enfermeiro na área de oncologia pediátrica. Rev Latino-Am Enferm [online]. 1996 Dez [acesso 2011 Ago 18]; 4(3):41-8 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v4n3/v4n3a04.pdf

18. Gargiulo CA, Melo MCSC, Salimena AMO, Bara VMF, Souza IEO. Vivenciando o cotidiano do cuidado na percepção de enfermeiras oncológicas. Texto Contexto Enferm [online]. 2007 Out-Dez [acesso 2011 Set 19]; 16(4):696-702. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v16n4/a14v16n4.pdf

19. Rockembach JV, Casarin ST, Siqueira HCH. Morte pediátrica no cotidiano de trabalho do enfermeiro: sentimentos e estratégias de enfrentamento. Rev Rene [online]. 2010 Abr-Jun; [acesso 2011 Set 19]; 11(2):63-71 Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/vol11n2_pdf/a07v11n2.pdf

20. Ministério da Saúde (BR). Fundação Nacional de Saúde. Construindo um jeito diferente de olhar a saúde. Organização Nossa Tribo. Brasília (DF): MS; 2006.

21. Ferreira NMLA. A difícil convivência com o câncer: um estudo das emoções na enfermagem oncológica. Rev Esc Enferm USP [online]. 1996 Ago [acesso 2011 Set 9] 30(2):229-53 Disponível em: http://www.ee.usp.br/reeusp/upload/pdf/343.pdf

22. Lima júnior JHV, Brigato EA. Transições, prazer e dor no trabalho de enfermagem. RAE - Rev Adm Empresas FGV [online]. 2001 Jul-Set; [acesso 2011 Set 3] 41(3):20-30 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v41n3/v41n3a03.pdf

23. Elias MA, Navarro VL. A relação entre o trabalho, a saúde e as condições de vida: negatividade e positividade no trabalho das profissionais de enfermagem de um hospital escola. Rev Latino-Am Enferm [online]. 2006 Jul-Ago [acesso em 2011 Set 3]; 14(4):517-25 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v14n4/v14n4a08.pdf.

24. Silva MJP. O amor é o caminho: maneiras de cuidar. 4 ed. São Paulo (SP): Edições Loyola; 2002.

25. Cassorla RMS. Para a morte ser vista com naturalidade. Jornal Unicamp [online]. 2004 Nov 1-15; Edição 272. [acesso 07 set 2011] Disponível em: http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/novembro2004/capa272.html

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería