ENTRAR            

 


 

Texto & Contexto. ISSN:0104-0707

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS - PESQUISA

 

Ir a Sumario

 

 

Full text - English version

 

 

Participação e controle social: percepção dos trabalhadores da saúde da família*

Jacks Soratto,1 Regina Rigatto Witt2
1
Doutorando do Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina. Santa Catarina, Brasil. E-mail: jackssoratto@gmail.com 2Doutora em Enfermagem em Saúde Pública. Professora da Graduação em Enfermagem e do Programa de Pós-graduação em Enfermagem da UFRGS. Rio Grande do Sul, Brasil. E-mail: witt@adufrgs.ufrgs.br

Recebido em 17 de novembro de 2011
Aprovação final em 18 de junho de 2012

Texto Contexto Enferm 22(1): 89-96
*Este trabalho é um fragmento da dissertação intitulada - A participação e o controle social na percepção da equipe de saúde da família, apresentada ao Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 2011

 

 

 

Cómo citar este documento

Soratto, Jacks; Witt, Regina Rigatto. Participação e controle social: percepção dos trabalhadores da saúde da família. Texto Contexto Enferm, ene-mar 2013, 22(1). Disponible en <http://www.index-f.com/textocontexto/2013/22-089.php> Consultado el

 

Resumo

Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratório-descritiva, que teve como objetivo analisar as percepções da equipe de saúde da família sobre participação e controle social em saúde. O estudo foi realizado com trabalhadores de uma Equipe de Saúde da Família do sul de Santa Catarina. As informações foram coletadas com o Método Criativo Sensível e analisadas segundo análise de conteúdo temática. Na participação em saúde foram identificadas duas categorias empíricas: a passividade da participação em saúde e o processo dialógico como participação na Equipe de Saúde da Família. Para o controle social em saúde as categorias foram: o espaço institucionalizado como controle social em saúde e o monitoramento da doença como controle social em saúde. Os resultados mostraram percepções relacionadas aos reflexos do modelo de saúde e outras que sinalizam a possibilidade do avanço das discussões com contribuição do nível local para a participação e o controle social em saúde.
Palavras chave: Participação social/ Políticas de controle social/ Saúde da família/ Sistema Único de Saúde/ Direito à saúde.
 

Abstract
Participation and social control: perception of family health workers

This is a qualitative, exploratory-descriptive study that aimed at analyzing the perceptions of a family health team regarding participation and social control in health. The study was developed with workers of a Family Health Team in southern Santa Catarina. Data were collected using the Sensitive Creative Method and analyzed through the process of thematic content analysis. Regarding participation in health, two empirical categories were identified: passive participant in health; and dialogical process as participation in the Family Health Team. As for social control in health, the categories identified were: institutionalized space as a social control in health; and disease monitoring as social control in health. The results showed perceptions related to the reflections on the health model and others that indicate the possibility of advancements in the discussions with local contribution for participation and social control in health.
Key-words: Social participation/ Policies of social control/ Family health/ Unified Health System/ Right to health.
 

Resumen
Participación y control social: percepción de los trabajadores de salud de la familia

Esto es un estudio cualitativo, exploratorio-descriptivo, con el objetivo de analizar las percepciones del equipo de salud de la familia sobre la participación y control social en salud. Se trata de un estudio realizado con trabajadores en un Equipo de Salud de la Familia en el sur de Santa Catarina. Los datos fueron recogidos con el Método Creativo Sensible y se analizaron mediante análisis de contenido temático. Sobre la participación en salud se identificaron dos categorías empíricas: la pasividad de la participación en salud y el proceso dialógico como participación en el Equipo de Salud de la Familia. Para el control social en salud, las categorías fueron: el espacio institucionalizado como control social en salud y el monitoreo de la enfermedad como control social en salud. Los resultados mostraron percepciones relacionadas con las reflexiones del modelo de salud y otros que indican la posibilidad de avance de las conversaciones con el aporte local para la participación y control social en salud.
Palabras clave: Participación social/ Políticas de control social/ Salud de la familia/ Sistema Único de Salud/ Derecho a la salud.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería