ENTRAR            

 


 

Referencia ISSN:0874-0283 2018 serie IV numero 16 r416139

 

 

 

ARTIGOS ORIGINAIS

 

Ir a Sumario

  

 

English version

 

 

Representações sociais da sistematização da assistência de enfermagem sob a ótica de enfermeiros

Ana Caroline da Costa,* José Vitor da Silva**
*RN., Enfermeira Especialista, Professora, Faculdade Wenceslau Braz, 84950-000, Itajubá, MG, Brasil [carolinea16@yahoo.com.br]. Contribuição no artigo: pesquisa bibliográfica, recolheu dados, análise e avaliações dos dados, discussão e escrita do artigo. Morada para correspondência: Rua Nossa Senhora - casa 33 B - Bairro São Vicente, 37502-074, Itajubá, Brasil. **Ph.D., Professor, Faculdade Wenceslau Braz, 84950-000, Itajubá, MG, Brasil [enfjvitorsilva@ oi.com.br]. Contribuição no artigo pesquisa bibliográfica, análise e avaliações dos dados, discussão e escrita do artigo

Recebido para publicação: 04.09.17
Aceite para publicação: 16.01.18

Referencia 2018 IV(16): 139-146

 

 

 

Cómo citar este documento

Costa, Ana Caroline da; Silva, José Vitor da. Representações sociais da sistematização da assistência de enfermagem sob a ótica de enfermeiros. Referencia 2018; IV(16). Disponible en <http://www.index-f.com/referencia/2018/416139.php> Consultado el

 

Resumo

Enquadramento: A sistematização da assistência de enfermagem (SAE) é uma metodologia com sólida estrutura teórica e científica, para planear, organizar e sistematizar os cuidados. Objetivos: Conhecer os significados da SAE sob a ótica dos enfermeiros de uma instituição hospitalar da cidade de Itajubá, Minas Gerais - Brasil. Metodologia: Estudo de abordagem qualitativa, do tipo exploratório e descritivo. Amostra intencional de 30 enfermeiros. Para a análise dos dados, utilizou-se o método do discurso do sujeito coletivo. Resultados: Do tema, significados da SAE, emergiram as seguintes representações sociais: estratégia que norteia o cuidado; atividade exclusiva do enfermeiro; e é algo que não funciona na prática. Conclusão: Apesar da SAE ser amplamente discutida no âmbito da formação e exercício profissional, ainda existe a representação de ser um procedimento desacreditado na sua prática, embora seja reconhecida como norteadora dos cuidados e exclusiva do enfermeiro.
Palavras chave: Enfermagem/ Metodologia/ Cuidados de enfermagem.
 

Resumen
Representaciones sociales de la sistematización de la asistencia de enfermería desde la perspectiva de los enfermeros

Marco contextual: La sistematización de la asistencia de enfermería (SAE) es una metodología con una estructura teórica y científica sólida para planear, organizar y sistematizar los cuidados. Objetivos: Conocer los significados de la SAE desde la perspectiva de los enfermeros de una institución hospitalaria de la ciudad de Itajubá, Minas Gerais - Brasil. Metodología: Estudio de enfoque cualitativo, exploratorio y descriptivo. Muestra intencional de 30 enfermeros. Para el análisis de los datos, se utilizó el método del discurso del sujeto colectivo. Resultados: Del tema significados de la SAE surgieron las siguientes representaciones sociales: estrategia que orienta los cuidados; actividad exclusiva del enfermero; y es algo que no funciona en la práctica. Conclusión: Aunque la SAE se discute bastante en el ámbito de la formación y el desempeño profesional, todavía existe la representación de que es un procedimiento desacreditado en su práctica, aunque se la reconoce como orientadora de los cuidados y exclusiva del enfermero.
Palabras clave: Enfermería/ Metodología/ Atención de enfermería.
 

Abstract
Nurses' social representations of nursing care systematization

Background: Nursing care systematization (NCS) is a methodology based on a solid theoretical and scientific framework that allows planning, organizing, and systematizing care. Objectives: To identify the meanings that nurses assign to NCS in a hospital located in the city of Itajubá, Minas Gerais - Brazil. Methodology: This was an exploratory and descriptive study with a qualitative approach using a purposive sample of 30 nurses. Data were analyzed using the discourse of the collective subject method. Results: The following central ideas emerged as meanings assigned to NCS: it is a care guiding strategy; it is an activity that is carried out exclusively by nurses; and it does not work in practice. Conclusion: Although NCS is a widely discussed topic in professional training and practice, its implementation in clinical practice is still questioned. However, NCS is recognized as a care guiding strategy and a nursing activity.
Key-words: Nursing/ Methodology/ Nursing care.
 

Referências

Benedet, S. A., Gelbcke, F. L., Amante, L. N., Padilha, M. I., & Pires, D. P. (2016). Processo de enfermagem: Instrumento da sistematização da assistência de enfermagem na percepção dos enfermeiros. Revista Online de Pesquisa Cuidado é Fundamental, 8(3), 4780-4788. doi: 10.9789/2175-5361.2016.v8i3.4780-4788
Carvalho, F. S., & Barcelos, K. L. (2017). Sistematização da assistência de enfermagem: Vivências e desafios de enfermeiros de uma unidade de terapia intensiva adulto. Revista Brasileira de Ciências da Vida, 5(2), 21-25. Recuperado de
http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/170/81
Cavalcante, R. B., Otoni, A., Bernardes, M. F., Cunha, S. G., Santos, C. S., & Silva, P., C. (2011). Experiências de sistematização da assistência de enfermagem no Brasil: Um estudo bibliográfico. Revista Enfermagem da UFSM, 1(3), 461-471. doi: 10.5902/217976922832
Chaves, R. R., Silva, C. F., Motta, E., Ribeiro, E. D., & Andrade, Y, N. (2016). Sistematização da assistência de enfermagem: Visão geral dos enfermeiros. Revista Enfermagem UFPE On Line, 10(4), 1280-1285. Recuperado de
https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11114/12589
Cogo, E., Gehlen, M. H., Ilha, S., Zamberlan, C., Freitas, H. M., & Backes, D. S. (2012). Sistematização da assistência de enfermagem no cenário hospitalar: Percepção dos enfermeiros. Cogitare Enfermagem, 17(3), 513-518. doi: 10.5380/ce.v17i3.29293
Garcia, T. R. (2016). Sistematização da assistência de enfermagem: Aspecto substantivo da prática profissional. Escola Anna Nery, 20(1), 5-10. doi: 10.5935/1414-8145.20160001
Lefèvre, F., & Lefèvre, A. M. (2010). Pesquisa de representação social: O enfoque qualiquantitativo: Metodologia do discurso do sujeito coletivo. Brasília, Brasil: Liber Livro.
Massaroli, R., Martini, J. G., Massaroli, A., Lazzari, D. D., Oliveira, S. N., & Canever Pedroso, B. P. (2015). Trabalho de enfermagem em unidade de terapia intensiva e sua interface com a sistematização da assistência. Escola Anna Nery, 19(2), 252-258. doi: 10.5935/1414-8145.20150033
Medeiros, A. L., Santos, S. R., & Cabral, R. W. (2012). Sistematização da assistência de enfermagem na perspectiva dos enfermeiros: Uma abordagem metodológica na teoria fundamentada. Revista Gaúcha de Enfermagem, 33(3), 174-181. doi: 10.1590/ S1983-14472012000300023
Menezes, S. R., Priel, M. R., & Pereira, L. L. (2011). Nurses' autonomy and vulnerability in the Nursing Assistance Systematization practice. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(4), 953-958. doi: 10.1590/S0080-62342011000400023
Monteiro, A. K., Monteiro, A. K., Araújo, P. R., Gouveia, M. T., & Alencar, A. A. (2013). Relato de experiência: Implantação da prescrição de enfermagem em uma unidade de terapia intensiva. Revista Interdisciplinar, 6(3), 174-177. Recuperado de
https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/24/pdf_50
Moreira, V., Santos, C. S., Oliveira, J. C., Reis, L. A., & Lima, E. F. (2013). Sistematização da assistência de enfermagem: Desafios na sua implantação. Revista InterScientia, 1(3), 60-79. Recuperado de
https://periodicos.unipe.br/index.php/interscientia/article/view/48/45
Nery, I. S., Santos, A. G., & Sampaio, M. R. (2013). Dificuldades para a implantação sistematização da assistência de enfermagem em maternidades. Enfermagem em Foco, 4(1), 11-14. Recuperado de
http://revista.portalcofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/494/184
Oliveira, A. P., Coelho, M. E., Almeida, V. C., Lisboa, K. W., & Macêdo, A. L. (2012). Sistematização da assistência de enfermagem: Implementação em uma unidade de terapia intensiva. Revista Rene, 13(3), 601-612. Recuperado de
http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/727/pdf
Pains, K. C, Oliveira, L. P., Moreira, M. T, & Malta, T. R. (2009). Sistematização da assistência de enfermagem na prevenção de úlceras por pressão: Uma revisão literária. Recuperado de
http://www.pergamum.univale.br/pergamum/tcc/Sistematizacaodaassistenciadeenfermagemnaprevencaodeulcerasporpressaoumarevisaoliteraria.pdf
Santos, Y. C., & Silva, M. C. (2013). Implementation of the systematization of nursing care in a health institution: Experience report. Revista Enfermagem da UFPI, 2(4), 88-91. doi: 10.26694/reufpi.v2i4.1094
Silva, E. G., Oliveira, V. C., Neves, G. B., & Guimarães, T. M. (2011). Nurses' knowledge about Nursing Care Systematization: From theory to practice. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(6), 1380- 1386. doi: 10.1590/S0080-62342011000600015
Silva, F. S., & Carvalho Filha, F. S. (2017). Sistematização da assistência de enfermagem a pacientes dialíticos: Dificuldades, desafios e perspectivas. Arquivos de Ciências da Saúde, 24(2), 33-37. Recuperado de
http://www.cienciasdasaude.famerp.br/index.php/racs/article/view/599/687
Truppel, T. C., Meier, M. J., Calixto, R. C., Peruzzo, S. A., & Crozeta, K. (2009). Sistematização da assistência de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Enfermagem, 62(2), 221-227. doi: 10.1590/S0034-71672009000200008
Varela, G. C., & Fernandes, S. C. (2013). Conhecimentos e práticas sobre a sistematização da assistência de enfermagem na estratégia saúde da família. Cogitare Enfermagem, 18(1), 124-130. doi: 10.5380/ce.v18i1.31317

Principio de p�gina 

 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería