ENTRAR            

 


 

Referencia ISSN:0874-0283 2015 serie IV numero 7 r47073

 

 

 

ARTIGOS DE INVESTIGAÇÃO

 

Ir a Sumario

  

 

 English version

 

 

Fatores de Proteção sob o Olhar de Adolescentes Vitimizados e Institucionalizados

Bárbara Cristina Rodarte,* Diene Monique Carlos,** Jéssica Totti Leite,*** Maria Aparecida Beserra,**** Vanessa Garcia Oliveira,***** Maria das Graças Carvalho Ferrian******
*Bacharelato, Enfermagem. Enfermeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. CEP 14040-902. Ribeirão Preto - SP, Brasil [barbararodarte14@hotmail.com]. Contribuição no artigo: Pesquisa bibliográfica; recolha e análise dos dados. **Ph.D., Enfermagem. Enfermeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. CEP 14040-902. Ribeirão Preto - SP, Brasil [diene_enf@hotmail.com]. Contribuição no artigo: Discussão e análise dos dados. ***Msc., Enfermagem. Enfermeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. CEP 14040-902. Ribeirão Preto - SP, Brasil [jessicaleite_enf@yahoo.com.br]. Contribuição no artigo: Pesquisa bibliográfica; recolha e analise dos dados. ****Msc., Enfermagem. Enfermeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. CEP 14040-902. Ribeirão Preto - SP, Brasil [mcidabeserra@ig.com.br]. Contribuição no artigo: Discussão e análise dos dados. *****Bacharelato, Enfermagem. Enfermeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. CEP 14040-902. Ribeirão Preto - SP, Brasil [vane.malu@hotmail.com]. Contribuição no artigo: Pesquisa bibliográfica; recolha e analise dos dados. ******Ph.D., Enfermagem. Enfermeira, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. CEP 14040-902. Ribeirão Preto - SP, Brasil [caroline@eerp.usp.br]. Contribuição no artigo: Orientação de todo o estudo, contribuindo substancialmente em todas as fases do artigo

Recebido para publicação em: 06.02.15
Aceite para publicação em: 02.07.15

Referencia 2015 IV(7): 73-80

 

 

 

Cómo citar este documento

Rodarte, Bárbara Cristina; Carlos, Diene Monique; Leite, Jéssica Totti; Beserra, Maria Aparecida; Oliveira, Vanessa Garcia; Ferrian, Maria das Graças Carvalho. Fatores de Proteção sob o Olhar de Adolescentes Vitimizados e Institucionalizados. Referencia 2015; IV(7). Disponible en <http://www.index-f.com/referencia/2015/47073.php> Consultado el

 

Resumo

Enquadramento: A violência está presente em toda a sociedade e causa grande impacto na saúde da população, sendo a principal causa de morte entre crianças e adolescentes no Brasil. Objetivos: Conhecer e analisar os fatores de proteção a que adolescentes vitimizados e institucionalizados estão submetidos ou têm acesso, sob o olhar destes adolescentes. Metodologia: Estudo com abordagem qualitativa, delineando-se como pesquisa social estratégica, realizado com adolescentes vítimas de violência doméstica e acolhidos institucionalmente. Os dados foram coletados por meio da técnica de entrevista semiestruturada, e analisados pelo método de interpretação de sentidos. Resultados: Emergiram dois núcleos de sentidos: (1) Contexto da instituição de acolhimento, onde os adolescentes desenvolveram forte vínculo de confiança com os funcionários; e (2) Apoio social, onde as atividades profissionalizantes oferecidas pela instituição e outros ambientes sociais nos quais os adolescentes conviviam tornaram-se um importante núcleo de apoio a eles. Conclusão: Os resultados obtidos evidenciaram a necessidade dos adolescentes vitimizados e institucionalizados de estabelecer vínculos afetivos com pessoas, símbolos e com um ambiente social externo acolhedor.
Palavras chave: Adolescente/ Violência doméstica/ Proteção/ nstitucionalização.
 

Abstract
Protective Factors from the Perspective of Victimised and Institutionalised Adolescents

Theoretical framework: Violence is present throughout society and has a major impact on the health of the population. It is the leading cause of death among children and adolescents in Brazil. Objectives: To identify and analyse the protective factors to which victimised and institutionalised adolescents are subjected or have access, from the perspective of these adolescents. Methodology: A qualitative study, designed as a strategic social research, was conducted with adolescent victims of domestic violence who were institutionalised. Data were collected using semi-structured interviews and analysed through the meaning interpretation method. Results: Two cores of meaning have emerged: (1) Context of the host institution, where the adolescents developed a strong bond of trust with the staff; and (2) Social Support, where the professionalising activities offered at the institution and in other social environments in which adolescents socialise have become an important source of support for them. Conclusion: The results highlighted the need for victimised and institutionalised adolescents to establish affective bonds with people, symbols, and a welcoming external social environment.
Key-words: Adolescent/ Domestic violence/ Protection/ Institutionalization.
 

Resumen
Factores de Protección desde la Perspectiva de Adolescentes Victimizados e Institucionalizados

Marco contextual: La violencia está presente en todas las sociedades y causa un gran impacto en la salud de la población, por lo que es la principal causa de muerte entre niños y adolescentes en Brasil. Objetivos: Conocer y analizar los factores de protección a los que los adolescentes victimizados e institucionalizados están sometidos o tienen acceso desde su perspectiva. Metodología: Estudio cualitativo que se delinea como una investigación social estratégica desarrollado con adolescentes víctimas de violencia doméstica y acogidos institucionalmente. Los datos se recogieron mediante la técnica de la entrevista semiestructurada y se analizaron por el método de interpretación de sentidos. Resultados: Emergieron dos núcleos de sentidos: (1) contexto de la institución de acogimiento, donde los adolescentes desarrollaron un fuerte vínculo de confianza con los funcionarios; (2) apoyo social, donde las actividades vocacionales ofrecidas por la institución y otros ambientes sociales en los cuales los adolescentes convivían se volvieron una importante fuente de apoyo para estos. Conclusión: Los resultados obtenidos demostraron la necesidad de que los adolescentes victimizados establezcan vínculos afectivos con personas, símbolos y con un ambiente social externo acogedor.
Palabras clave: Adolescente/ Violencia doméstica/ Protección/ Institucionalización.
 

Referências

Benelli, S. J. (2003). Dispositivos disciplinares produtores de subjetividade na instituição total. Psicologia em Estudo, 8(2), 99-114.

Câmara dos Deputados. (2012). Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, e legislação correlata (9ª ed.). Brasília, Brasil.

Carlos, D. M., Ferriani, M. G., Silva, M. A., & Leite, J. T. (2011). Vivências no espaço escolar de adolescentes vítimas de violência doméstica em acolhimento institucional. Ciência, Cuidado e Saúde, 10(2), 298-305.

Carlos, D. M., Ferriani, M. G., Silva, M. A., Roque, E. M., & Vendrúscolo, T. S. (2013). Institutional shelter to protect adolescent victims of domestic violence: Theory or practice? Revista Latino-Americana de Enfermagem, 21(2), 579-585.

Cavalcante, L. I., Magalhães, C. M., & Pontes, F. A. (2007). Abrigo para crianças de 0 a 6 anos: Um olhar sobre as diferentes concepções e suas interfaces. Revista Mal-estar e Subjetividade, 7(2), 329-352.

Goffman, E. (1974). Instituições totais. São Paulo, Brasil: Perspectiva.

Gomes, R., Souza, E. R., Minayo, M. C., & Silva, C. F. (2005). Organização, processamento, análise e interpretação de dados: O desafio da triangulação. In: M. C. Minayo, S. G. Assis & E. R. Souza (Eds.), Avaliação por triangulação de métodos: Abordagem de programas sociais (1ª ed., pp. 185-221). Rio de Janeiro, Brasil: Fiocruz.

Habigzang, L. F., Koller, S. H., Azevedo, G. A., & Machado, P. X. (2005). Abuso sexual infantil e dinâmica familiar: Aspectos observados em processos jurídicos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 21(3), 341-348.

Martins, C. S., Ferriani, M. G., Silva, M. A., Zahr, N. R., Arone, K. M., & Roque, E. M. (2007). A dinâmica familiar na visão de pais e filhos envolvidos na violência doméstica contra crianças e adolescentes. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 15(5), 889-894.

Martins, C. B. (2010). Maus-tratos contra crianças e adolescentes. Revista Brasileira de Enfermagem, 63(4), 660-665.

Minayo, M. C. (2010). O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde (12ª ed.). Rio de Janeiro, Brasil: HUCITEC/ABRSCO.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Secretaria Especial dos Direitos Humanos. (2006). Plano nacional de promoção, proteção e defesa do direito de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária. Brasília, Brasil.

Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. (2007). Marco legal: Saúde, um direito de adolescentes. Brasília, Brasil.

Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. (2010). Linha de cuidado para a atenção integral à saúde de crianças, adolescentes e suas famílias em situação de violências: Orientação para gestores e profissionais de saúde. Brasília, Brasil.

Oliveira, A. P. (2006). O ambiente de abrigo como holding para adolescentes. Anais do I Congresso Internacional de Pedagogia Social. Recuperado de http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000092006000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=pt.

Parreira, S. M., & Justo, J. S. (2005). A criança abrigada: Considerações acerca do sentido da filiação. Psicologia em Estudo, 10(2), 175-180.

Poletto, M., & Koller, S. H. (2008). Contextos ecológicos: Promotores de resiliência, fatores de risco e de proteção. Estudos de Psicologia, 25(3), 405-416.

Rutter, M. (1994). Developing minds: Challenge and continuity across the lifespan. New York, NY: Basic Books.

Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, Fundação para o Desenvolvimento da Educação. (2009). Manual de proteção escolar e promoção da cidadania: Sistema de proteção escolar. São Paulo, Brasil.

Souza, N. J. (2002). Crianças e adolescentes abandonados: Estratégias de sobrevivência (2ª ed.). São Paulo, Brasil: Arte Imprensa.

Principio de p�gina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería