ENTRAR            

 


 

Referencia ISSN:0874-0283

 

 

 

ARTIGO DE INVESTIGAÇAO

 

 

Ir a Sumario

 

 

 

Prevalência das perturbações músculo-esqueléticas vertebrais na adolescência

Florbela Maria Marques Caniceiro Paiva,* Águeda da Assunção Gonçalves Marques,** Luís António Rodrigues Paiva***
*Licenciada em Enfermagem, Enfermeira Graduada do Centro de Saúde de Soure, ARS do Centro. E-mail: flor.paiva@gmail.com **PhD, Professora Coordenadora da ESEnfC. E-mail: agueda@esenfc.pt ***Licenciado em Enfermagem, Mestre, Assistente 2º Triénio da ESEnfC. E-mail: luispaiva@esenfc.pt

Recebido para publicação em 28.11.08
Aceite para publicação em 16.12.09

Referencia 2009 mar II(9):93-104

 

 

 

Cómo citar este documento

Paiva, Florbela Maria Marques Caniceiro; Marques, Águeda da Assunção Gonçalves; Paiva, Luís António Rodrigues. Prevalência das perturbações músculo-esqueléticas vertebrais na adolescência. Referencia 2009 dic;II(11). Disponible en <http://www.index-f.com/referencia/2009/11-93104.php> Consultado el

 

Resumo

As condições músculo-esqueléticas são a causa mais frequente de problemas ao nível da coluna vertebral causando grande impacto na saúde dos indivíduos. Estudos epidemiológicos realizados em adolescentes, sugerem que a prevalência e a incidência têm aumentado nos últimos anos podendo evoluir para a cronicidade.
Este estudo procurou identificar a prevalência das perturbações músculo-esqueléticos ao nível da coluna vertebral e identificar a sua relação com determinadas variáveis (idade, o género sexual, o estado ponderal, o número de horas a ver televisão, ao computador e o método de transporte do material escolar).
A investigação foi orientada por um estudo descritivo correlacional, utilizando-se os Standardized Nordic Questionaires for the Analysis of Musculoskeletal Symptoms, a uma amostra de 160 adolescentes de uma Escola Secundária.
Ao nível do pescoço foi determinada uma prevalência de 71.3% e a nível lombar de 62.5%. Os adolescentes com idade superior apresentam mais queixas a nível cervical. Verifica-se ainda que o sexo masculino também é mais acometido nessa região anatómica, enquanto que a nível lombar a relação estabelece-se com o sexo feminino. O transporte do material escolar em mochila nos dois ombros ou mochila com rodas, determina menor prevalência de perturbações músculo-esqueléticas.
Palavras chave: Anormalidades musculosqueléticas/ Plexo cervical/ Região lombar/ Adolescente.


Abstract
Prevalence of spinal musculoskeletal disorders among adolescents

Musculoskeletal conditions are the most common cause of spinal problems, having a profound impact on the health of individuals. Epidemiological studies carried out among adolescents suggest that the prevalence and incidence have been increasing in the last few years and may progress to chronicity.
The aim of this study was to identify the prevalence of spinal musculoskeletal disorders, and to identify their relationship to specific variables (age, gender, weight, number of hours watching television at the computer and the method used to carry school materials).
This was a descriptive correlational study in which the Standardized Nordic Questionnaires for the Analysis of Musculoskeletal Symptoms were used with a sample of 160 adolescents from a secondary school.
Prevalences of 71.3% at the level of the neck and 62.5% at the level of the lumbar area were recorded. Older adolescents presented more complaints at the cervical level. Males were more affected in this anatomical area, whereas females had problems in the lumbar area. Carrying school materials in a backpack on both shoulders or in a backpack with wheels leads to a lower prevalence of musculoskeletal disorders.
Key-words: Musculoskeletal abnormalities/ Cervical plexus/ Lumbar region/ Adolescent.
 

Principio de pgina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería