ENTRAR            

 


 

Referencia ISSN:0874-0283

 

 

 

ARTIGO DE INVESTIGAÇAO

 

 

Ir a Sumario

 

 

 

Investimento corporal do portador de polineuropatia amiloidótica familiar

Rui Filipe Lopes Gonçalves*
*Licenciado em Enfermagem, Pós-Licenciado em Enfermagem Médico-Cirúrgica, Mestre em Toxicodependência e Patologias Psicossociais. Docente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, rgoncalves@esenfc.pt

Recebido para publicação em 14.04.07
Aceite para publicação em 29.06.09

Referencia 2009 mar II(9):47-60

 

 

 

Cómo citar este documento

Gonçalves, Rui Filipe Lopes. Investimento corporal do portador de polineuropatia amiloidótica familiar. Referencia 2009 dic;II(11). Disponible en <http://www.index-f.com/referencia/2009/11-4760.php> Consultado el

 

Resumo

Este é um estudo sobre as vivências corporais dos Portadores de Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF), mensurando o seu grau de investimento corporal e o modo como, as variáveis sócio-demográficas e clínicas da amostra em estudo, o influenciam. Para tal, foi conduzido um estudo descritivo-correlacional com uma amostra de 34 indivíduos portadores de PAF, transplantados ou não, que responderam ao instrumento de colheita de dados, constituído por um Questionário Sócio-Demográfico e Clínico e a Escala de Investimento Corporal (EIC). A amostra em estudo evidenciou um grau de investimento corporal global razoável contudo, apresentou scores mais baixos na dimensão sentimentos e atitudes em relação ao corpo e dimensão bem-estar no contacto físico. Quanto às variáveis sócio-demográficas/clínicas a transplantação hepática, o género, a idade, a situação profissional e o grau de incapacidade física revelaram correlações estatisticamente significativas com o grau de investimento corporal global e as suas quatro dimensões. Conclui-se assim que, os indivíduos mais velhos, os não transplantados, os profissionalmente inactivos, os que apresentam maior grau de incapacidade física e as mulheres, apresentando scores mais baixos de investimento corporal, poderão considerar-se grupos de risco no que concerne ao processo de adaptação às alterações da imagem corporal.
Palavras chave: Polineuropatia amiloidótica familiar/ Imagem corporal/ Enfermagem.


Abstract
Body investment of the bearer of familial amyloidotic polyneuropathy

This paper reports a study of the bodily experiences of carriers of Familial Amyloidotic Polyneuropathy (FAP), measuring the degree to which the body was affected and how this was influenced by social-demographic/clinical factors. A descriptive-correlational survey was conducted with a sample of 34 patients with FAP who either had or had not had a transplant. Participants completed the Social-Demographic/Clinical Questionnaire and Body Investment Scale. The study sample revealed a moderate global body investment; however, there were lower scores for feelings and attitudes about the body and well-being in respect of physical contact. It also revealed that global body investment and all four dimensions of this were statistically significantly influenced by liver transplant, gender, age, professional situation and physical disability. We therefore concluded that older patients, non-transplanted, and those who were professionally inactive, had greater physical disability and women showed lower scores for body investment, and can be considered risk groups in terms of the process of adaptation to changes in body image.
Key-words: Familial Amyloidotic Polyneuropathy/ Body image/ Body investment/ Nursing.
 

Principio de pgina 

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería