ENTRAR            

 


 

 

 
Reporte de caso
 

 Ir a sumario    Acceso al texto completo

Avances en Enfermería
[av.enferm. -Col-]
2013 ene-jun; 31(1): 170-176

 Manuscrito recibido: 24.06.10
Aceptado: 15.02.13

Adolescente e Sexualidade: as possibilidades de um projeto de extensão na busca de uma adolescência saudável

 

Christine Baccarat De Godoy Martins,* Solange Pires Salomé De Souza**

 

*Enfermeira. Pós-Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP-São Paulo)-Faculdade de Saúde Pública. Docente da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá-MT, Brasil. Área saúde da criança e do adolescente. E-mail: leocris2001@terra.com.br **Enfermeira. Doutora em Enfermagem em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USPľRibeirão Preto)ľEscola de Enfermagem. Docente da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá-MT, Brasil. Área saúde da criança e do adolescente. E-mail: solps2@gmail.com

Cómo citar este documento:
Martins, Christine Baccarat De Godoy; Souza, Solange Pires Salomé De. Adolescente e Sexualidade: as possibilidades de um projeto de extensão na busca de uma adolescência saudável. Avances en Enfermería. 2013 ene-jun, 31(1). En: <http://www.index-f.com/rae/311/170176.php> Consultado el

Resumo

Introdução: Devido ao conjunto de transformações sofridas na adolescência, que se traduz em um campo de descobertas e experimentações, essa fase está frequentemente ligada a uma maior vulnerabilidade, vinculada ao fenômeno da descoberta da sexualidade, da gravidez não planejada, da Aids e das doenças sexualmente transmissíveis, da exposição a drogas, da violência, da marginalidade, entre outros eventos negativos. Frente a esta nova demanda, a área da saúde precisa desenvolver um referencial específico para abordar as questões da sexualidade na adolescência.
Objetivo: Neste sentido, o presente artigo relata a experiência de um projeto de extensão de educação sexual para adolescentes em Cuiabá-MT.
Considerações finais: Destaca-se a importância de se articular extensão, ensino e pesquisa, em que a Universidade e a comunidade compartilhem esforços para a redução de riscos e promoção de uma adolescência saudável. A experiência abre novas perspectivas de produção científica num novo campo de pesquisa que ainda necessita ser melhor compreendido.
Palavras chave: Adolescente/ Sexualidade/ Educação em saúde/ Oficinas de prevenção/ Vulnerabilidade. (Fonte: DeCS, BIREME).
 

Abstract
The Adolescent and Sexuality: the possibilities for an extension project in seeking healthy adolescence

Introduction: Due to the set of changes undergone in adolescence, which renders it a field of discoveries and experimentation, this period is often linked to a greater vulnerability related to the phenomenon of discovery of sexuality, unwanted pregnancy, AIDS and sexually transmitted diseases, the exposure to drugs, violence, marginality, among other negative events. In order to face this new demand, the health area needs to develop its own referential to approach the issues of sexuality in adolescence.
Aim: This article reports the experience of an extension project in sexual education for adolescents in Cuiabá-MT.
Final considerations: It underlines the importance of articulating extension, teaching and research, in which the University and the community share efforts to reduce risks and further healthy adolescence. The experience opens up new prospects for scientific production in a new research field that still needs to be better understood.
Key-words: Adolescence/ Sexuality/ Health education/ Prevention workshops/ Vulnerability. (Source: DeCS, BIREME)
 

Resumen
Adolescente y Sexualidad: las posibilidades de un proyecto de extensión en busca de una adolescencia saludable

Introducción: Debido al conjunto de transformaciones sufridas en la adolescencia, traducidas en un campo de descubrimientos y experimentaciones, dicha fase frecuentemente está ligada a una mayor vulnerabilidad, vinculada al fenómeno de descubrimiento de la sexualidad, del embarazo no planeado, del SIDA y de las enfermedades de transmisión sexual, así como a la exposición a sustancias psicoactivas, a la violencia, la marginalidad, entre otros hechos negativos. Frente a esta nueva demanda, el área de la salud necesita desarrollar un referencial propio para abordar las cuestiones de la sexualidad en la adolescencia.
Objetivo: En este sentido, este artículo relata la experiencia de un proyecto de extensión de educación sexual para adolescentes en Cuiabá-MT.
Consideraciones Finales: Se destaca la importancia de la vinculación y articulación de las acciones en extensión, enseñanza e investigación, de manera que la Universidad y la comunidad compartan los esfuerzos para reducir los riesgos y promover una adolescencia saludable. La experiencia abre nuevas perspectivas de producción científica en un nuevo campo de investigación.
Palabras clave: Adolescente/ Sexualidad/ Educación en salud/ Vulnerabilidad en salud. (Fuente: DeCS, BIREME)
 

Referências

(1) Ximenes FR, Diaz M, Rocha J, Cunha, I. Gravidez na adolescência: motivos e percepções de adolescentes. Revista Brasileira de Enfermagem 2007; 60 (3): 279-85.

(2) Soares SM, Amaral MA, Silva LB, Silva PAB. Oficinas sobre sexualidade na adolescência: revelando vozes, desvelando olhares de estudantes do ensino médio. Esc Anna Nery Rev Enferm 2008; 12 (3): 485-491.

(3) Saito MI, Leal MM. Adolescência e contracepção de emergência: Fórum 2005. Revista Paulista de Pediatria 2007; 25(2): 180-186.

(4) Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Marco teórico e referencial: saúde sexual e saúde reprodutiva de adolescentes e jovens. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

(5) Amaral MA, Fonseca RM. Entre o desejo e o medo: as representações sociais das adolescentes acerca da iniciação sexual. Rev. esc. Enferm. USP 2006; 40(4): 469-76.

(6) Pantoja ALN. ôSer alguém na vidaö: uma análise sócioantropológica da gravidez / maternidade na adolescência, em Belém do Pará, Brasil. Cad Saúde Publica 2006; 19 (supl.2):14-25.

(7) Jeolás LS, Ferrari RAP. Oficinas de prevenção em um serviço de saúde para adolescentes: espaço de reflexão e de conhecimento compartilhado. Ciência e Saúde Coletiva 2003; 8 (2): 611-20.

(8) Ferrari RA, Thomson Z, Melchior R. Adolescência: ações e percepção dos médicos e enfermeiros do Programa Saúde da Família. InterfaceľComunic., Saúde, Educ. 2008; 12 (25): 387-400.

(9) Secretaria Nacional de Programas Especiais de Saúde. Divisão Nacional de Saúde Materno-Infantil. Programa de Saúde do Adolescente: bases programáticas. Brasília: Ministério da Saúde; 1989.

(10) Ministério da Justiça, Departamento da Criança e do Adolescente. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília: Ministério da Justiça; 1991.

(11) Brasil. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação, 1995.

(12) Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Projetos Educacionais Especiais. Diretrizes para uma política educacional em sexualidade. Brasília: MEC/SEPESPE/ PRONAICA; 1994. p. 44.

(13) Ministério da Saúde/ABEn. Projeto Acolher. Um encontro da enfermagem com o adolescente brasileiro. Brasília: Ministério da Saúde/Associação Brasileira de Enfermagem; 2000.

(14) Bretas J, Silva C. Orientação Sexual para adolescentes: relato de experiência. Acta Paulista de Enfermagem 2005; 18 (3): 326-33.

(15) Campos J, Zuanon A. Educação em saúde: aspectos relevantes apontados por adolescentes. Cienc Odontol Bras 2004; 7 (2): 55-60.

(16) Rena L. Sexualidade e adolescência. As oficinas como prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica (Coleção Trajetória); 2001.p.246.

(17) Taquette S, Vilhena M, Paula M. Doenças sexualmente transmissíveis e gênero: um estudo transversal entre adolescentes no Rio de Janeiro. Cadernos de Saúde Pública 2004; 20(1): 282-90.

(18) Moore M, Rienzo B. Utilizing the SICUS Guidelines to assess Sexuality Educaion in One State: Content Scope and Importance. Journal of School Heath 2000; 70 (2): 15-23.

(19) Mandú E, Corrêa A, Vieira M. Conhecimentos, valores e vivências de adolescentes acerca das doenças de transmissão sexual e Aids. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano 2000; 10 (1): 74-90.

(20) Damiani F. Gravidez na adolescência: a quem cabe prevenir. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2003; 24 (2): 161-68.

(21) Abramovay M, Castro M, Silva L. Juventude e sexualidade. Brasília: UNESCO Brasil; 2004.p.428.

(22) Fernandez F, Bustos L, Gonzáles L, Palma D, Villagrán J, Muñoz S. Creencias, actitudes y conocimientos en educación sexual. Rev. Médica do Chile 2000; 125(6): 574-83.

(23) Borges A, Schor N. Trajetórias afetivo-amorosas e perfil reprodutivo de mulheres adolescentes residentes no Município de São Paulo. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil 2005; 5 (2):163-70.

(24) Dittus P, Jaccard J. Adolescentsĺ perceptions of maternal disapproval of sex: Relationship to sexual outcomes. Journal of Adolescent Health 2000; 26: 268-78.

(25) Romo L, Lefkowitz E, Sigman M, K Au T. A longitudinal study of maternal messages about dating and sexuality and their influence on latino adolescents. Journal of Adolescent Health 2002; 31: 59-69.

(26) Figueiro A. Condições de vida e saúde reprodutiva de adolescentes residentes na comunidade de Roda de Fogo, Recife. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil 2002:2(3): 291- 302.

(27) Taquette S, Vilhena M. Uma contribuição ao entendimento da iniciação sexual feminina na adolescência. Psicologia em Estudo 2008; 13 (1): 105-14.

(28) Klosinski G. A adolescência hoje. Situações, conflitos e desafios. Petrópolis: Vozes; 2006.p.200.

(29) Bayley S, Pollock M, Martin C, Lynch K. Risky sexual behaviors among adolescents with alcohol use disorders. Journal of Adolescent Health 2002; 25(3): 179-81.

(30) Moraes L, Braga V. Oficinas de sensibilidade e criatividade com um grupo de adolescentes institucionalizados. REME - Rev. Min. Enf 2005; 9(1):77-83.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería