ENTRAR            

 


 

 

 
Artículo de Investigación
 

 Ir a sumario    Acceso al texto completo

Avances en Enfermería
[av.enferm. -Col-]
2013 ene-jun; 31(1): 72-86

 Manuscrito recibido: 24.01.11
Aceptado: 10.04.13

Determinantes Sociais & Hipertensão Arterial: um desafio na saúde coletiva

 

Dora Mariela Salcedo-Barrientos,* Elienai de Farias Gama Siqueira,** Emiko Yoshikawa Egry***

 

*Enfermeira. Psicodramatista - Sócio Educacional. Doutora em Enfermagem. Docente do Curso de Obstetrícia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH- USP). E-mail: dorabarrientos@usp.br. **Enfermeira. Especialista em Educação em Saúde e Enfermagem em Saúde Coletiva com ênfase em PSF-UNASP. Educação em Saúde e Enfermagem em Saúde Coletiva com ênfase em PSF- UNASP. Coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial Social Boituva/SP. Brasil. E-mail: elienaifgama@gmail.com ***Enfermeira. Doutora em Saúde Pública. Professora Titular do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Pesquisadora CNPq1A. E-mail: emiyegry@usp.br

Cómo citar este documento:
Salcedo-Barrientos, Dora Mariela; Siqueira, Elienai de Farias Gama; Egry, Emiko Yoshikawa. Determinantes Sociais & Hipertensão Arterial: um desafio na saúde coletiva. Avances en Enfermería. 2013 ene-jun, 31(1). En: <http://www.index-f.com/rae/311/072086.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: Este estudo pretendeu identificar as necessidades em saúde relacionadas com a hipertensão arterial dos usuários de um restaurante popular em São Paulo.
Metodologia: Realizou-se um estudo exploratório, descritivo, ancorado na Teoria de Intervenção Práxica da Enfermagem em Saúde Coletiva, com abordagem quantitativa mediante um estudo de corte-transversal, aplicando amostragem aleatória simples. Os dados empíricos foram coletados por meio de entrevistas com questões abertas e fechadas. Os critérios de elegibilidade dos entrevistados foram: adultos de ambos os sexos, com idade entre 18 a 80 anos e frequentar o restaurante.
Resultados: 166 pessoas foram entrevistadas dos quais 14,46% informaram ser hipertensos e 10,84% tomavam anti-hipertensivos. De uma maneira geral, seus hábitos de vida e de alimentação desfavorecem a manutenção dos índices pressóricos adequados, além de não promover a prevenção destas e de outras enfermidades crônicas.
Conclusão: É possível verificar que existem determinantes sociais que contribuem para o aparecimento e prevalência de enfermidades cardiovasculares nesta população que apresenta necessidades em saúde específicas, retratadas pelo alto potencial de desgaste na reprodução social, consequente à precária inserção na produção.
Palavras chave: Hipertensão/ Perfil de saúde/ Saúde coletiva/ Necessidades e demandas de serviços de saúde. (Fonte: DeCS, BIREME)
 

Abstract
Social Determinants & Hypertension: a challenge in public health

Objective: The study goals to identify the health needs related to arterial hypertension of consumers of a popular restaurant in São Paulo.
Methodology: An exploratory descriptive study was carried out, based on the Theory of Praxis Intervention in Public Health Nursing, with quantitative approach through a study of cross-section was applied a simple random simpling. Empirical data were collected through interviews with open and closed questions. The eligibility criteria for respondents were: adult of either gender, aged 18-80 years old.
Results: 166 people were interviewed of which 14.46% reported being hypertensive and 10.84% currently taking antihypertensive medication. In general, their life styles and eating habits impoverished the maintenance of an adequate arterial pressure rate, and havent prevented these and other chronic ailments.
Conclusion: There are social determinants that contribute to the outbreak and prevalence of cardiovascular diseases in this population with specific health needs, portrayed by the high potential of weariness in social reproduction as a consequence of poor integration into production.
Key-words: Hypertension/ Profile of health/ Collective health/ Health services needs and demand. (Source: DeCS, BIREME)
 

Resumen
Determinantes Sociales & Hipertensión Arterial: un desafío en la Salud Colectiva

Objetivo: El objetivo del estudio fue identificar las necesidades en salud relacionadas con la hipertensión arterial de los usuarios que frecuentan un restaurante popular en Sao Paulo.
Metodología: Se realizó un estudio exploratorio, descriptivo, basado en la Teoría de Intervención Práxica de Enfermería en Salud Colectiva, con un abordaje cuantitativo transversal, se aplicó muestreo aleatorio simple. Los datos empíricos fueron recolectados por medio de entrevistas con preguntas abiertas y cerradas. Los criterios de inclusión fueron: tener edades entre 18 y 80 años.
Resultados: 166 usuarios fueron entrevistados, de los cuales 14,46% se declararon hipertensos y 10,84% hacían uso de anti-hipertensivos. De forma general, los hábitos de vida y alimentación, son desfavorables para el mantenimiento de los niveles presóricos adecuados y para la prevención de esta u otras enfermedades crónicas.
Conclusión: Existen determinantes sociales, que contribuyen al aumento de casos y de la prevalencia de enfermedades cardiovasculares en esta población, que presentan necesidades específicas de salud, manifestadas por el alto potencial de desgaste en la reproducción social, como consecuencia de la precaria inserción en los procesos de producción.
Palabras clave: Hipertensión/ Perfil de salud/ Salud pública/ Necesidades y demandas de servicios de salud. (Fuente: DeCS, BIREME)
 

Referências

(1) Ministério da Saúde. Plano de reorganização da atenção a hipertensão arterial e o diabetes mellitus. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

(2) Rede Interagencial de informações para a saúde. Indicadores de fatores de risco e de proteção [sede web]. Brasil: tabnet.datasus.gov; [citado 2009 set 15]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/dh.exe?idb2009/g02.def

(3) Ministério da Saúde. Plano Nacional de Saúde/PNS 2008/2009-2011. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

(4) Simonetti JP, Batista L, Carvalho LR. Hábitos de saúde e fatores de risco em pacientes hipertensos. Rev. Latino- Am. Enfermagem 2002 ; 10(3):415-22.

(5) Schraibr LB, Gonçalves MRB. Necessidades de saúde e atenção primária. Revista Ciência e Saúde Coletiva 2000; 10(1):105-9.

(6) Egry EY, Oliveira MAC. Marcos teóricos e conceituais de necessidades. In: Egry EY, organizadora. Necessidades em saúde na perspectiva da atenção básica: guia para pesquisadores. São Paulo: Dedone; 2008. p.33-38.

(7) Institui o Restaurante Popular dentro do Programa Estadual de Alimentação e Nutrição para populações carentes e dá providências correlatas. Decreto nº 45.547. (26 de dezembro de 2000). Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/130882/decreto-45547-00-saopaulo-sp.

(8) Secretaria da Agricultura e Abastecimento. Projeto de Restaurantes Populares Bom Prato [na Internet]. São Paulo: desenvolvimentosocial.sp.gov; [citado 2009 set 15]. Disponível em: http://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/portal.php/bomprato

(9) Egry EY. Saúde Coletiva construindo um novo método em enfermagem. São Paulo: Ícone; 1996.

(10) Fonseca RM, Bertolozzi MR, Egry EY. A epidemiologia social e a assistência à saúde da população. In: Associação Brasileira de Enfermagem (org). A classificação das práticas de Enfermagem em Saúde Coletiva e o uso da epidemiologia social. Brasília: ABEn - Série Enfermagem em Saúde Coletiva; 1997. p. 1-60.

(11) Medronho RA, Bloch KV, Luiz RR, Werneck GL. Epidemiologia. São Paulo: Editora Atheneu, 2008.

(12) Pereira MG. Epidemiologia - Teoria e Prática. São Paulo:Guanabara Koogan; 1995.

(13) Martins IS, Coelho LT, Mazzilli RN. Doenças cardiovasculares ateroscleróticas, dislipidemias, hipertensão, obesidade e diabetes mellitus em população da área metropolitana da região sudeste do Brasil. Revista Saúde Pública 1993; 27(4): 250-61.

(14) Teixeira ER, Lamas AR, Costa SJ, Matos RM. O estilo de vida do cliente com hipertensão arterial e o cuidado com a saúde. Esc. Anna Nery 2006; 10(3): 378-84.

(15) Figueiredo W. Assistência à saúde dos homens: um desafio para os serviços de atenção primária. Ciênc. Saúde Coletiva 2005; 10(1): 105-9.

(16) Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem Plano de Ação Nacional (2009-2011). Brasília: Ministério da Saúde; 2009. p.1-6.

(17) Apoia a implantação e a implementação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem por meio de repasse de incentivo financeiro único. Portaria No 2.708 de 2011.Diario Oficial da União, N° 211, (17 de Novembro de 2011). Disponível em: http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=86&data=18/11/2011

(18) Pinheiro RJ, Viacava F, Travassos C, Brito AS. Gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil. Ciência Saúde Coletiva 2005; 10(1): 97-104.

(19) Figueiredo IC, Jaime PC, Monteiro CA. Fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras em adultos da Cidade de São Paulo. Rev Saúde Pública 2008; 42(5): 777-85.

(20) Noblat AC, Lopes MB, Lopes GB. Complicações da hipertensão arterial em homens e mulheres atendidos em um ambulatório de referência. Arq Bras Cardiol 2004; 83(4): 308-13.

(21) Sarno F. Claro RM, Levy RB, Bardoni DH, Ferreira SRG, Monteiro CA. Estimativa de consumo de sódio pela população brasileira, 2002-2003. Rev Saúde Pública 2009; 43(2): 219-25.

(22) Car MR, Egry EY. Dialética do processo de trabalho da liga de hipertensão arterial. Rev. Esc. Enferm. USP 1996; 30(2):297-309.

(23) Westphal MF. The Healthy Cities Movement: a commitement with quality of life. Ciênc. Saúde Coletiva. 2000; 5(1): 39-51.

(24) Campos CMS, Mishima SM. Necessidades de saúde pela voz da sociedade civil e do Estado. Cad Saúde Pública. 2005; 21(4): 1260-68.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería