ENTRAR            

 


 

R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra- v8n4 2016 85087

 

 
PESQUISA
 

 Ir a sumario  Acceso al texto completo

Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
[
R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-]
2016 oct-dic 8(4):
5087-5094

 Recebido em: 04/11/2014
Revisões requeridas: Não
Aprovado em: 17/09/2015
Publicado em: 01/10/2016

O banho no leito na óptica de estudantes de graduação em enfermagem

 

Joana Angélica Andrade Dias,1 Deusélia Moreira de Souza,2 Bruno Del Sarto Azevedo,3 Isis Souza Andrade,4 Pablo Ian Gonçalves Nery5

 

(1) Enfermeira. Mestre. Professora Assistente do Departamento de Saúde II da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) (2) Enfermeira. Mestre. Professora Assistente do Departamento de Saúde II da UESB. Jequié (BA). Brasil (3) Enfermeiro. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da UESB. Jequié (BA). Brasil (4) Enfermeira graduada pela UESB. Jequié (BA) (5) Enfermeiro. Especialista em Saúde Coletiva. Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães/HBLEM. Jequié (BA). Brasil

 

Cómo citar este documento:
Dias, Joana Angélica Andrade; Souza, Deusélia Moreira de; Azevedo, Bruno Del Sarto; Andrade, Isis Souza; Nery, Pablo Ian Gonçalves. O banho no leito na óptica de estudantes de graduação em enfermagem. R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-. 2016 oct-dic, 8(4). En: <http://www.index-f.com/pesquisa/2016/85087.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: Identificar os significados do banho no leito para estudantes de enfermagem, assim como seus sentimentos ao realizá-lo. Método: Estudo descritivo, de abordagem qualitativa, que teve como cenários um hospital público e uma universidade estadual e como informantes 14 discentes. As informações foram coletadas por meio de um questionário e tratadas conforme a Técnica de Análise de Conteúdo, modalidade Temática. Resultados: Diversos foram os significados do banho no leito para os informantes, tais como: “cuidado”, “relacionamento interpessoal”, “avaliação do estado geral”, “invasão de privacidade” e “identificação/atendimento das necessidades humanas básicas”, causando sentimentos/sensações tanto positivos, quanto negativos. Conclusão: O banho no leito necessita ser realizado por pessoas capacitadas e dotadas de sensibilidade, não se caracterizando em uma prática mecanicista, mas em uma ação terapêutica que promove bem estar e uma mais rápida recuperação do cliente.
Descritores: Banhos/ Higiene/ Estudantes de enfermagem/ Cuidados de enfermagem.
 

Resumen
El baño en la cama desde la perspectiva de los estudiantes de graduación en enfermería

Objetivo: Identificar el significado de baño en la cama para los estudiantes de enfermería, así como sus sentimientos para lograrlo. Método: Estudio descriptivo, cualitativo. El escenario era un hospital público y una universidad estatal. Los participantes fueron 14 estudiantes. La información se recogió mediante un cuestionario y fue tratada de acuerdo con el Análisis de Contenido Temático. Resultados: Muchos eran los significados de baño en la cama para los informantes, tales como “cuidado”, “relaciones interpersonales”, “evaluación de la condición general”, “invasión de privacidad” y “la identificación/satisfacción las necesidades humanas básicas”, causando sentimientos/sensaciones tanto positivos cuánto negativos. Conclusión: El baño en la cama tiene que ser hecho por personas capacitadas y con sensibilidad, no se representa en una práctica mecanicista, pero en una acción terapéutica que promueve bienestar y la recuperación más rápido del paciente.
Descriptores: Baños/ Higiene/ Estudiantes de Enfermería/ Atención de Enfermería.
 

Abstract
The bed bath according to the undergraduate nursing students’ perspective

Objective: The aim was to identify the meaning of bed bath for undergraduate nursing students as well their feelings towards it. Method: This is a descriptive study, with qualitative approach. The scenarios were a public hospital and a state university. The participants were 14 nursing students. Data was collected through a questionnaire and treated according to the Thematic Content Analysis. Results: Several meanings of the bed bath for the participants were identified, such as “care”, “interpersonal relationship”, “assessment of the general state”, “privacy invasion” and “identification/fulfillment of human basic needs”, provoking both positive and negative feelings/sensations. Conclusion: Bed bath needs to be done by trained personnel with a therapeutic approach through the use of sensitivity, avoiding a mechanistic practice and aiming wellness and faster recovery of the patient.
Descriptors: Baths/ Hygiene/ Students/ Nursing/ Nursing care.
 

Referências

1. Dias Júnior NJL, Dias GAR, Maciel JP, Santos MS, Coutinho APBB. Relatos de experiências vivenciados durante o banho no leito em um hospital metropolitano de Belém, PA. EFDeportes.com, Revista Digital [periódico na Internet]. 2011 abr [acesso em 2014 Mar8];16(155):[aproximadamente 1 p.]. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd155/relatos-de-experiencias-durante-o-banho-noleito.htm

2. Larson EL, Ciliberti T, Chantler C, Abraham J, Lazaro EM, Venturanza M, et al. Comparison of traditional and disposable bed baths in critically ill patients. Am J Crit Care. 2004 May;13(3):235-41.

3. Taylor C, Lillis C, Lemone P. Fundamentos de enfermagem: a arte e a ciência do cuidado de enfermagem. 5ª ed. Porto Alegre (RS): Artmed; 2007.

4. Figueiredo NMA, Carvalho V, Tyrrell MAR. (Re)lembrando Elvira De Felice: gestos e falas de enfermeiras sobre o banho no leito, uma técnica/tecnologia de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2006 abr;10(1):18-28.

5. Lima, TC. Revelando o processo de recriação do banho no leito no cenário da terapia intensiva: produto da suscetibilidade da enfermagem em incorporar o conhecimento êmico a sua práxis [dissertação]. Botucatu (SP): Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista; 2008.

6. Maciel SSA, Bocchi SCM. Compreendendo a lacuna entre a prática e a evolução técnico-científica do banho no leito. Rev Latinoam Enferm. 2006 mar-abr;14(2):233-42.

7. Nakatani AYK, Souza ACS, Gomes IV, Sousa MM. O banho no leito em unidade de terapia intensiva: uma visão de quem recebe. Ciênc Cuid Saúde. 2004 jan-abr;3(1):13-21.

8. Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo (SP): Edições 70; 2011.

9. Waldow VR. Cuidar: expressão humanizadora da enfermagem. Petrópolis (RJ): Vozes; 2006.

10. Colliére MF. Cuidar... A primeira arte da vida. 2ª ed. Lisboa (Portugal): Lusociência; 2003.

11. Machado MFAS, Monteiro EMLM, Queiroz DT, Vieira NFC; Barroso MGT. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS: uma revisão conceitual. Ciênc Saúde Coletiva. 2007 mar-abr;12(2):335-42.

12. Soares RJO, Zeitone RCGZ. O Cuidado e suas dimensões: subsídios para o cuidar de si e de docentes de enfermagem. Rev Pesqui Cuid Fundam (Online) [periódico na Internet]. 2012 jan-mar [acesso em 2014 Ago 26];(Ed. Supl.):41-4. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1667/pdf_552

13. Nóbrega SS, Silva LWS. Banho no leito, complexidade ou simplicidade: a óptica do olhar científico. In: Anais do 61º Congresso Brasileiro de Enfermagem [CD-ROM]; 2009 mai 07-10; Fortaleza (CE), Brasil. Fortaleza (CE): ABEN; 2009. p 3702-19.

14. Deslandes SF. Análise do discurso oficial sobre a humanização da assistência hospitalar. Ciênc Saúde Coletiva. 2004;9(1):7-14.

15. Ribeiro MILC, Pedrão LJ. Relacionamento interpessoal no nível médio de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2005 maio-jun;58(3):311-5.

16. Oriá MOB, Moraes LMP, Victor JF. A comunicação como instrumento do enfermeiro para o cuidado emocional do cliente hospitalizado. Rev Eletrônica Enferm [periódico na Internet]. 2004 [acesso em 2011 Jul 20];6(2):292-7. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/808/921

17. Waldow VR. Reflexões sobre educação em enfermagem: ênfase em um ensino centrado no cuidado. Mundo Saúde. 2009;33(2):182-8.

18. Craven RF, Hirnle CJ. Fundamentos de enfermagem: saúde e função humanas. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2006.

19. Barros ALBL, Michel JLM, Lopes RS. Avaliação clínica e técnicas instrumentais para o exame físico. In: Barros ALBL, organizadora. Anamnese e exame físico – avaliação diagnóstica de enfermagem no adulto. 2ª ed. Porto Alegre (RS): Artmed; 2010.

20. Souza ABG, Zavarezza LG. Entrevista e exame físico. In: Souza ABG, organizadora. Exame físico no adulto. São Paulo (SP): Martinari; 2009.

21. Bax AMC, Araújo STC. Expressão não verbal do paciente no cuidado: percepção do enfermeiro em unidade cardiointensiva. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2012 out-dez;16(4):728-33.

22. Pupulim JSL, Sawada NO. O cuidado de enfermagem e a invasão da privacidade do doente: uma questão ético-moral. Rev Latinoam Enferm. 2002 maio-jun;10(3):433-8.

23. Oliveira ML, organizador. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Goiânia (GO): AB Editora; 2010.

24. Horta WA, Castellanos BEP, colaboradora. Processo de Enfermagem. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2011.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-Tesis
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería