ENTRAR            

 


 

R de Pesq: cuidado fundamental Online -Bra- v8n4 2016 84972

 

 
PESQUISA
 

 Ir a sumario  Acceso al texto completo

Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
[
R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-]
2016 oct-dic 8(4):
4972-4979

 Recebido em: 01/09/2014
Revisões requeridas: Não
Aprovado em: 17/09/2015
Publicado em: 01/10/2016

Análise de partos acompanhados por enfermeiras obstétricas na perspectiva da humanização do parto e nascimento

 

Carlos Sérgio Corrêa dos Reis,1 Danielle de Oliveira Miranda de Souza,2 Maria de Fátima Hasek Nogueira,3 Jane Márcia Progianti,4 Octavio Muniz da Costa Vargens5

 

(1) Enfermeiro Obstetra; Douto em Enfermagem; Professor Adjunto da Faculdade de Enfermagem da UERJ; Pesquisador do Grupo de Pesquisas sobre Gênero e Violência na Saúde e na Enfermagem (2) Enfermeira Obstétrica; Mestre em Enfermagem; Pesquisadora do Grupo de Pesquisas sobre Gênero e Violência na Saúde e na Enfermagem (3) Enfermeira Obstétrica. Doutora em Ciências. Professora Adjunta da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil (4) Enfermeira Obstétrica; Doutora em Enfermagem; Professora Associada da Faculdade de Enfermagem da UERJ; Vice-líder do Grupo de Pesquisas sobre Gênero e Violência na Saúde e na Enfermagem (5) Enfermeiro Obstetra; Doutor em Enfermagem; Professor Titular da Faculdade de Enfermagem da UERJ; Coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas de Enfermagem, Mulher, Saúde e Sociedade (NEPEN _ MUSAS); Líder do Grupo de Pesquisas sobre Gênero e Violência na Saúde e na Enfermagem

 

Cómo citar este documento:
Reis, Carlos Sérgio Corrêa dos; Souza, Danielle de Oliveira Miranda de; Nogueira, Maria de Fátima Hasek; Progianti, Jane Márcia; Vargens, Octavio Muniz da Costa. Análise de partos acompanhados por enfermeiras obstétricas na perspectiva da humanização do parto e nascimento. R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-. 2016 oct-dic, 8(4). En: <http://www.index-f.com/pesquisa/2016/84972.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: Analisar partos acompanhados pelas enfermeiras obstétricas relacionando sua prática com a política de humanização do parto e nascimento. Métodos: Estudo descritivo, retrospectivo, quantitativo, baseado na análise documental de 745 partos acompanhados por enfermeiras obstétricas no ano de 2011 em uma maternidade municipal do Rio de Janeiro. Resultados: As primigestas representaram 44,16% das parturientes. As intervenções mais recorrentes foram a administração de ocitocina e a amniotomia. A posição horizontal dorsal ocorreu em 12,89% dos partos. A incidência de episiotomia foi de 15,52%. Das que não foram submetidas a episiotomia, 36,42% permaneceram com períneo íntegro, havendo apenas um caso de laceração perineal grave. A asfixia neonatal (Apgar < 7) ocorreu em 0,55% dos partos. Conclusão: Evidenciou-se a importância do acompanhamento do trabalho do parto pela enfermeira obstétrica, que valoriza e põe em prática o que é preconizado pelo Ministério da Saúde no que se refere à humanização do parto e nascimento.
Descritores: Parto humanizado/ Humanização da assistência/ Prática profissional/ Enfermagem obstétrica.
 

Resumen
Análisis de partos atendidos por enfermeras obstétricas bajo la perspectiva de la humanización del parto y nacimiento

Objetivo: Analizar los partos atendidos por enfermeras obstétricas relacionando su práctica a la política de humanización del parto. Métodos: Estudio descriptivo, retrospectivo, cuantitativo basado en el análisis documental de 745 partos atendidos por enfermeras obstétricas durante el año de 2011 en una maternidad municipal de Río de Janeiro, Brasil. Resultados: Las madres primerizas representan 44,16% de las mujeres en trabajo de parto. Las intervenciones recurrentes fueron la administración de oxitocina y la amniotomía. La posición horizontal dorsal ocurrió en 12,89% de los partos. La incidencia de episiotomía fue 15,52%. Entre las mujeres no sometidas a episiotomía, 36,42% se quedó con el perineo intacto. Sólo un caso de laceración perineal severo ocurrió. La asfixia neonatal (Apgar <7) ocurrió en 0,55% de los partos. Conclusión: Se evidenció la importancia, en el monitoreo del trabajo de parto, de enfermeras obstétricas que valoran y ponen en práctica las recomendaciones del Ministerio de Salud para la humanización del parto.
Descriptores: Parto Humanizado/ Humanización de la atención/ Práctica profesional/ Enfermería Obstétrica.
 

Abstract
Analysis of births attended by nurse midwives under the perspective of humanization of childbirth

Objective: Analyze births attended by nurse midwives relating their practice to the policy of humanization of childbirth. Methods: Descriptive, retrospective, quantitative study based on documentary analysis of 745 births attended by nurse midwives during the year of 2011 in a municipal maternity from Rio de Janeiro, Brazil. Results: The first-time mothers represent 44,16% of the women in labor. The recurrent interventions were the administration of oxytocin and the amniotomy. The dorsal horizontal position occurred in 12,89% of childbirths. The incidence of episiotomy was 15,52%. Among those women not submitted to episiotomy, 36,42% remained with intact perineum. Only one case of severe perineal laceration occurred. The neonatal asphyxia (Apgar < 7) occurred in 0,55% of childbirths. Conclusion It was highlighted the importance of monitoring the labor by nurse midwifes that values and put into practice the recommendations of the Health Ministry regarding the humanization of childbirth.
Descriptors: Humanized delivery/ Humanization of assistance/ Professional practice/ Obstetrical nursing.
 

Referências

1. World Health Organization. Care in normal birth: a practical guide (Maternal and Newborn Health/Safe Motherhood. Department of reproductive health e research. Geneva: WHO, 1996.

2. Amorim MMR, Porto AMF, Souza ASR. Assistência ao segundo e terceiro períodos do trabalho de parto baseada em evidências. Femina. 2010; 38(11):583-91.

3. Davis-Floyd R. The technocratic, humanistic and holistic paradigms of childbirth. Austin (Tex): Int j gynecol obstet. 2001; 75:5-23.

4. Brasil. Ministério da Saúde. Programa de Humanização do Parto: Humanização no pré-natal e no nascimento. Brasília, 2002.

5. Torres JA, Santos I, Vargens OMC. Construindo uma concepção de tecnologia de cuidado de enfermagem obstétrica: estudo sociopoético. Texto & contexto enferm. 2008; 17(4):656-74.

6. Vargens OMC, Silva ACV, Progianti JM. Non-invasive nursing technologies for pain relief during childbirthThe Brazilian nurse midwivesview. Midwifery. London, 2013; 29(2013): e99-e106.

7. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticos de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Área Técnica da Mulher. Brasília: Ministério da Saúde, 2001. 199 p.: il.

8. Progianti JM, Lopes AS, Gomes RCP. A participação da enfermeira no processo de desmedicalização do parto. Rev enferm UERJ. 2003; 11:273-7.

9. Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 1996/96 de 10 se outubro de 1996.

10. Mouta, RJO, Pilotto DTS, Vargens OMCV, Progianti JM. Relação entre posição adotada pela mulher no parto, integridade perineal e vitalidade do recém-nascido. Rev enferm UERJ. Rio de Janeiro, 2008; 16(4):472-6.

11. Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes nacionais para a atenção integral à saúde de adolescentes e jovens na promoção, proteção e recuperação da saúde. Área Técnica de Saúde do Adolescente e do Jovem. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.132 p.

12. Ferreira RAF, Ferriane MGC, Mello DF, Carvalho IP, Cano MA. Análise espacial da vulnerabilidade social da gravidez na adolescência. Cad saúde pública. 2012; 28(2):313-23

13. Souza DOM. Partos assistidos por enfermeiras: práticas obstétricas realizadas no ambiente hospitalar no período de 2004 a 2008. [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2011.

14. Busanello J, Kerber NPC, Filho WDL, Lunardi VL, Mendoza-Sassi RA, Azambuja EP. Parto humanizado de adolescentes: concepção dos trabalhadores da saúde. Rev enferm UERJ. 2011; 19(2):218-23.

15. Schneck CAS, Riesco MLG, Bonadio IC, Diniz CSG, Junqueira SM, Oliveira V. Resultados maternos e neonatais em centro de parto normal peri-hospitalar e hospital. Rev saúde pública. 2012; 46(1):77-86.

16. Figueiredo GS, Santos TTR, Reis CSC, Progianti JM, Vargens OMC. Ocorrência de episiotomia em partos acompanhados por enfermeiros obstetras em ambiente hospitalar. Rev enferm UERJ. 2011; 19(2):181-5.

17. Trinh A, Khambalia A, Ampt A, Morris JM, Roberts C. Episiotomy rate in Vietnamese-born women in Austrália: support for a change in practice in Viet Nam. Bull World Health Organ. 2013; 91: 350-6 / doi: http://dx.doi.org/10.2471/BLT.12.114314

18. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012. 318 p.: il. (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n° 32)

19. Narchi NZ. Anaálise do exercício de competências dos não médicos para a atenção à maternidade. Saúde Soc. São Paulo, 2010; 19(1):147-58.

20. Rocha CR, Fonseca LC. Assistencia do enfermeiro obstetra à mulher parturiente: em busca do respeito à natureza. Rev pesqui cuid fundam (Online), 2010; 2(2):807-16.

21. Lurie S, Kedar D, Boaz M, Golan A, Sadan O. Need for episiotomy in a subsequent delivery following previous delivery with episiotomy. Arch gynecol obstet. 2013; 287:2014. DOI 10.1007/s00404-012-2551-8

22. Dietz HP, Shek KL, Chantarasorn V, Langer SEM. Do women notice the effect of childbirth-related pelvic floor trauma? Aust N Z j obstet gynaecol. 2012; 52:27781 DOI: 10.1111/j.1479-828X.2012.01432.x

23. Pereira ALF, Azevedo LGF, Medina ET, Lima TRL, Schroeter MS. Maternal and neonatal care in David Capistrano Filho Birth Center, Rio de Janeiro, Brazil. Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online), 2012; 4(2):2905-13.

24. Oliveira TG, Freire PV, Moreira FT, Moraes JSB, Arrelaro RC, Rossi S, et al. Escore de Apgar e mortalidade neonatal em um hospital localizado na zona sul do município de São Paulo. Einstein. 2012; 10(1):22-8.

25. Enkin MW, Keirse MJNC, Neilson JP, Crowther CA, Duley L. Guia para atenção efetiva na gravidez e no parto. 3ª edição. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2005.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-Tesis
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería