ENTRAR            

 


 

R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra- v8n4 2016 84965

 

 
PESQUISA
 

 Ir a sumario  Acceso al texto completo

Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
[
R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-]
2016 oct-dic 8(4):
4965-4971

 Recebido em: 10/09/2014
Revisões requeridas: Não
Aprovado em: 17/09/2015
Publicado em: 01/10/2016

UTI pediátrica: o significado do cuidar na perspectiva da mãe

 

Larissa Gramazio Soares,1 Natalina Maria da Rosa,2 Rosemere Cristina Moretto Molina,3 Ieda Harumi Higarashi,4 Sonia Silva Marcon5

 

(1) Enfermeira, Doutoranda em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná – UFPR, Docente da Universidade Estadual do Centro – Oeste (UNICENTRO), Guarapuava, PR, Brasil (2) Enfermeira, Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, PR, Brasil (3) Enfermeira, Doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos, Professora do Programa de Pós-graduação e do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, PR, Brasil (4) Enfermeira, Doutorado em Filosofia da Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina, Professora do Programa de Pós-graduação e do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá, (UEM), Maringá, PR, Brasil (5) Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Intensivista da UTI–Pediátrica do Hospital Universitário de Maringá (HUM), Maringá, PR, Brasil

 

Cómo citar este documento:
Soares, Larissa Gramazio; Rosa, Natalina Maria da; Molina, Rosemere Cristina Moretto; Higarashi, Ieda Harumi; Marcon, Sonia Silva. UTI pediátrica: o significado do cuidar na perspectiva da mãe. R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-. 2016 oct-dic, 8(4). En: <http://www.index-f.com/pesquisa/2016/84965.php> Consultado el

Resumo

Objetivo: Compreender o significado da participação materna no cuidado ao filho internado em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP). Método: Estudo descritivo, com abordagem qualitativa. Os dados foram coletados no mês de outubro de 2013, por meio de entrevista semiestruturada, junto a oito mães. Os relatos foram submetidos à Análise de conteúdo modalidade temática. Resultados: Apresentados em quatro categorias: “Reconhecimento da função materna”; “Cuidado como recurso de enfrentamento”; “O aprender a cuidar se dá observando e cuidando” e “Papel da equipe de enfermagem”. Conclusão: Torna-se imprescindível que os profissionais se sensibilizem ante as necessidades das mães, decorrentes do processo de hospitalização dos filhos, reforcem os aspectos positivos de sua permanência no contexto assistencial, e ao mesmo tempo, intervenham nos aspectos negativos, proporcionando assim, um cuidado integral, humanizado e qualificado ao binômio no ambiente hospitalar.
Descritores: Enfermagem familiar/ Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica/ Relação mãe-filho.
 

Resumen
UCI pediátrica: el significado de cuidar en la perspectiva de la madre

Objetivo: Comprender la importancia de la participación de la madre en el cuidado de los niños hospitalizados en la Unidad de Cuidados Intensivos Pediátricos (UCIP). Método: Estudio descriptivo, con abordaje cualitativo. Los datos recogidos en octubre de 2013, a través de entrevistas semi-estructuradas con ocho madres. Los informes fueron sometidos a análisis de contenido. Resultados: Presentado en cuatro categorías: “Reconocimiento de la función materna”; “El cuidado como un recurso para hacer frente”; “Aprender a cuidar se produce la observación y el cuidado” y “El papel del personal de enfermería.” Conclusión: Es esencial que los profesionales sean sensibles ante las necesidades de las madres, lo que resulta en el proceso de hospitalización, se refuerzan los aspectos positivos y los aspectos negativos intervienen, proporcionando una atención integral, humana y calificada para el binomio.
Descriptores: Enfermería Familiar/ Unidad de Cuidados Intensivos Pediátricos/ La relación entre padres e hijos.
 

Abstract
Pediatric ICU: the meaning of taking care in the mother’s perspective

Objective: To understand the significance of maternal involvement in the care of hospitalized children in the Pediatric Intensive Care Unit (PICU). Method: Descriptive study with a qualitative approach. Data were collected in October 2013, through semi-structured interviews with eight mothers. The reports were submitted to thematic content analysis. Results: Presented in four categories: “Recognition of maternal function”; “Care as a resource for coping”; “Learning to take care occurs observing and caring” and “Role of nursing staff.” Conclusion: It is essential practitioners to be sensitive before the needs of mothers, resulting in hospitalization of children process, reinforce the positive aspects of their stay in healthcare settings, and at the same time, intervene on the negatives, thus providing a comprehensive, humane and qualified care to the binomial in the hospital environment.
Descriptors: Family Nursing/ Intensive Care Units Pediatric/ Mother-Child Relations.
 

Referências

1. Roecker S, Mai L, Baggio S, Mazzola J, Marcon S. Demandas assistenciais frente à gestação e o nascimento de bebês com malformação. Revista de Enfermagem da UFSM online. 2012. [citado 2013 out 20]; 2(2): 252-263. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/reufsm/article/view/4614>

2. Motta MGC. et al. Familias de crianças e adolescentes no mundo do hospital: Ações de cuidado. In: Elsen I.; Souza AIJ.; Marcon SS.; Enfermagem à família: dimensões e perspectivas. Maringá: Eduem, 2011. p. 73-84.

3. Lima MF, Arruda GO, Vicente JB, Marcon SS, Higarashi IH. Crianças dependentes de tecnologia: desvelando a realidade do cuidador familiar. Rev Rene. 2013; 14(4):665-73. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/977/pdf

4. Angelo M, Moreira PL, Rodrigues LMA. Incertezas diante do câncer infantil: compreendendo as necessidades da mãe. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2010; 14 (2): 301-308.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452010000200013&lng=en

5. Molina RCM, Fonseca EL; Waidman MAP; Marcon SS. A percepção da família sobre sua presença em uma Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal. Rev esc enferm USP. 2009; 43(3): 630-638. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342009000300019&lng=en

6. Facio BC, Matsuda LM, HigarashI IH. Internação conjunta pediátrica: compreendendo a negociação enfermeiro-acompanhante. Rev Eletr. Enf. 2013 v. 15, n. 2, p. 447-53. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/fen_revista/v15/n2/pdf/v15n2a18.pdf

7. Zacarias CC; Silveira RS; Lunardi VL; Cappellaro, J., Pinto SEM; Filho WDL. A implantação de tecnologias de cuidado em Unidade de Terapia Intensiva aos usuários e seus familiares. Revista Cienc Cuid Saúde. 2009; 8(2), 161-168. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/8194/4922

8. Minayo, MCS. Desafio do conhecimento: pesquisa pesquisa qualitativa em saúde. 12. Ed. São Paulo: Hucitec. 2010.

9. Bardin L. Análise do conteúdo. 6ª ed. Lisboa, Portugal: Edições 70; 2011.

10. Santos LM, Oliveira VM, Santana RCB, Fonseca MCC, Neves ES, Santo, MCS. Vivências Maternas na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. R pesq cuid fundam. 2013; 5(1):3432-42. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1992/pdf_703

11. Molina RCM, Marcon SS. Benefícios da permanência de participação da mãe no cuidado do filho hospitalizado. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(4): 856-64. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43n4/a17v43n4.pdf

12. Ocampo MP. El hijo ajeno: vivencia de madres de niños prematuros hospitalizados. Aquichán. 2013; 13(1): 69-80. Disponível em: http://aquichan.unisabana.edu.co/index.php/aquichan/article/view/2104/html

13. Quirino DD, Collet N. “Fácies” do trabalho de Enfermagem na assistência à criança hospitalizada. Rev Eletr Enf. 2009; 11(3):681-7 Disponível em: http://www.fen.ufg.br/fen_revista/v11/n3/pdf/v11n3a28.pdf

14. Andrade, MS. Compreendendo a Aprendizagem da Mãe na Lida Com Seu Filho Num Centro de Terapia Intensiva Pediátrico. Interação Psicol. 2011; 15(1), 81-87. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/psicologia/article/view/12640/16420

15. Lamy ZC, Morsch DS, Deslandes SF, Fernandes RT, Rocha LJLF, Filho FL, Gomes MA, Silva AAM, Moreira ME. Construção do papel materno a partir da vivência de internação em UTI neonatalem dois modelos assistenciais. Rev Pesq Saúde. 2011; 12(1): 14-21. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/revistahuufma/article/view/919/608

16. Girardon-Perlini NMO, Viana AAF, Vand der Sand ICP, Rosa BVC, Beuter M. Percepções e sentimentos da família na interação com a equipe de enfermagem na UTI neonatal. Cienc Cuid Saúde. 2012; 11(1):026-034. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/18855/pdf

17. Sassá AH. Assistência domiciliar de enfermagem ao bebê nascido com muito baixo peso e sua família. 2011. 154 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2011.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-Tesis
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería