ENTRAR            

 


 

R de Pesq: cuidado fundamental Online -Bra- v8n2 2016 r84435

 

 
PESQUISA
 

 Ir a sumario  Acceso al texto completo

Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
[
R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-]
2016 abr-jun; 8(2):
4435-4446

 Recebido em: 11/03/2015
Revisões requeridas: Não
Aprovado em: 08/01/2016
Publicado em: 03/04/2016

Perfil socioepidemiológico e clínico de idosos afetados por hanseníase: contribuições para a enfermagem

 

Lucian da Silva Viana,1 Maria Isis Freire de Aguiar,2 Dorlene Maria Cardoso de Aquino3

 

(1) Enfermeiro. Oncologista pela Residência Multiprofissional em Oncologia do Instituto Nacional de Câncer (INCA-RJ) e Estomaterapeuta pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ-RJ). Rio de Janeiro (RJ), Brasil. E-mail: lucian_viana@yahoo.com.br (2) Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC). Fortaleza (CE), Brasil.E-mail: isis_aguiar@yahoo.com.br (3) Enfermeira. Especialista em Saúde Pública. Doutora em Patologia. Professora Adjunta da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). São Luís (MA), Brasil. E-mail: dorlene@elo.com.br

 

Cómo citar este documento:
Viana, Lucian da Silva; Aguiar, Maria Isis Freire de; Aquino, Dorlene Maria Cardoso de. Perfil socioepidemiológico e clínico de idosos afetados por hanseníase: contribuições para a enfermagem. R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-. 2016 abr-jun, 8(2). En: <http://www.index-f.com/pesquisa/2016/84435.php> Consultado el

 

Resumo

Objetivo: traçar o perfil socioepidemiológico e clínico de idosos afetados por hanseníase. Método: estudo descritivo de abordagem quantitativa com uma amostra de 60 idosos afetados por hanseníase em dois Centros de Reabilitação em São Luís - MA. Foi utilizado um questionário semiestruturado contendo dados de identificação, aspectos socioepidemiológicos e clínicos, analisados pelo programa EpiInfo versão 7. Resultados: dentre os idosos, a maioria tinha entre 60 a 69 anos (53,3%), sexo masculino (58,3%), cor parda (66,6%), casados (45%) e com até 6 (seis) contatos intradomiciliares (76,6%). Em relação à classificação operacional, 95% eram Multibacilares, com predominância para a forma Dimorfa (60%) e Wirchowiana (25,5%), a maioria em grau 1 de incapacidade (45%) e fazendo uso de Poliquimioterapia/Multibacilar/12 doses (93%). Conclusão: essas informações podem contribuir para diferentes aspectos gerenciais e assistenciais, bem como possibilitarem à prestação do cuidado integral, conforme preconiza os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde.
Descritores: Idoso/ Hanseníase/ Perfil de saúde/ Enfermagem.
 

Resumen
Perfil socio-epidemiológico y clínico de adultos mayores afectados por la lepra: contribuciones para la enfermería

Objetivo: trazar el perfil socio-epidemiológico y clínico de las personas mayores afectadas por la lepra. Método: un estudio descriptivo de un enfoque cuantitativo con una muestra de 60 personas mayores afectadas por la lepra en dos centros de rehabilitación en São Luís (MA). Se utilizó un cuestionario semi-estructurado, que contiene los datos de identificación, socioepidemiológicos y aspectos clínicos, analizados por el programa EpiInfo versión 7. Resultados: entre los ancianos, más tenidos entre 60 y 69 años (53,3%) masculinos (58,3%), color marrón (66,6%) casados (45%) y hasta 6 (seis) contactos intradomiciliares (76,6%). En lo referente a la calificación operativa, 95% eran las formas Multibacilares, con predominio de la forma Dimorfa (60%) y Wirchowiana (25,5%), la mayoría en 1 grado de discapacidad (45%) y haciendo uso de terapia multidrogas/Multibacilares/12 dosis (93%). Conclusión: esta información puede contribuir a diferentes aspectos y asistencia gerencial, así como que permitan brindar atenciones integrales como defensoras de los principios y directrices del sistema unificado de salud.
Descriptores: Anciano/ Lepra/ Perfil de salud/ Enfermería.
 

Abstract
Social-epidemiologic and clinical profile of elderly people affected by leprosy: contributions to nursing

Objective: tracing the social-epidemiologic and clinical profile of old people affected by leprosy. Method: a descriptive study of a quantitative approach, with a sample of 60 elderly people affected by leprosy, in two rehabilitation centers in São Luís (MA). A semi-structured questionnaire was used, containing identification data, social epidemiologic and clinical aspects, analyzed by the program EpiInfo version 7. Results: among the elderly, most were between 60 to 69 years old (53,3%), male (58,3%), brown color (66,6%), married (45%) and up to 6 (six) household contacts (76,6%). In relation to the operational rating, 95% were Multibacillary forms, with predominance to the Dimorphic (60%) and Wirchowiana (25,5%), the majority in 1 degree of disability (45%) and making use of multidrug therapy/Multibacillary/12 doses (93%). Conclusion: this information can contribute to different aspects and managerial assistance, as well as make it possible to provide integral care as advocates the principles and guidelines of the Unified Health System.
Descriptors: Aged/ Leprosy/ Health profile/ Nursing.
 

Referências

1. Organização Mundial da Saúde. Guia global: Cidade amiga do idoso. Genebra: World Health Organization, [Internet]. 2008 [citado em 2013 Nov 04]. Disponível em: http://www.who.int/ageing/GuiaAFCPortuguese.pdf.

2. Brasil. Secretaria de Atenção a Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas, Área Técnica Saúde do Idoso, Ministério da Saúde. Atenção à Saúde da Pessoa Idosa e Envelhecimento [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2010 [citado em 2013 nov 08]. Disponívelem: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_pessoa_idosa_envelhecimento_v12.pdf.

3. Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Ministério da Saúde. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa [Internet]. Cadernos de Atenção Básica, n.19. Brasília: Ministério da Saúde, 2007 [citado em 2013 dez 07]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcad19.pdf.

4. Degani GD. Trauma em idosos: características e evolução [dissertação]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2011.

5. Veras R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev Saúde Públ [Internet]. 2009 mai/jun [citado em 2013 jan 20]; 43(3):548-54. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/rsp/v43n3/224.pdf.

6. Brasil. Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica, Ministério da Saúde. Guia de Vigilância Epidemiológica. 7ª edição. Série A. Normas e manuais técnicos [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2009 [citado em 2013 dez 03]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/gve_7ed_web_atual.pdf.

7. Rodrigues LC, Lockwood DNJ. Leprosy now: epidemiology, progress, challenges, and research gaps. Lancet Infect Dis [periódico na Internet]. 2011 Jun [citado em 2015 Mar 09]; 11(6):464-70. Disponível em: www.thelancet.com/infection

8. Ducatti I. A hanseníase no Brasil na Era Vargas e a profilaxia do isolamento compulsório: estudos sobre o discurso científico legitimador [dissertação]. São Paulo: Departamento de História, Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade de São Paulo; 2009.

9. Souza JFM, Sena TCCB. O envelhecer institucionalizado de sujeitos sequelados pela Hanseníase da U/E Abrigo João Paulo II. Revista Kairós Gerontol [periódico na Internet]. 2014 mar [citado em 2015 mar 09]; 17(1):103-23. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/19879

10. Secretaria de Estado da Saúde, SES. Casos de Hanseníase do Município de São Luís por Faixa Etária em 2012. SINANNET/TABWIN, São Luís: SES, 2012.

11. Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução N. 196/96. Decreto N. 93.933 de janeiro de 1987. Estabelece critérios sobre Pesquisa envolvendo Seres Humanos, Bioética. 1996; 4(2)15-25.

12. Ferreira LO. Qualidade de vida em pacientes idosos portadores de hanseníase [dissertação]. Brasília - DF: Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Stricto Sensu em Gerontologia, Universidade Católica de Brasília; 2012.

13. Cheng SP, Wang TF, Tang FI, Chu NK, Chen IJ. The influence of high-rise residence on physical activity and quality of life among older people with leprosy in a retirement community. Ageing and Society. [periódico na Internet]. 2014 Jan [citado em 2015 Mar 08]; 34(1):90-105. Disponível em: http://journals.cambridge.org/ASO

14. Lustosa AA, Nogueira LT, Pedrosa JIS, Teles JBM, Campelo V. The impact of leprosy on health-related quality of life. Rev Soc Bras Med Trop [periódico na Internet]. 2011 Sept/Oct [citado em 2013 Dez 02]; 44(5):621-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v44n5/19.pdf.

15. Durães SMB, Guedes LS, Cunha MD, Magnanini MMF, Oliveira MLWDR. Estudo epidemiológico de 107 focos familiares de hanseníase no município de Duque de Caxias - Rio de Janeiro, Brasil [periódico na Internet]. An Bras Dermatol. 2010 jan/jun [citado em 2013 nov 10];85:339-45. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v85n3/a07v85n3.pdf.

16. Dessunti EM, Soubhia Z, Alves E, Aranda CM, Barro MPAA. Hanseníase: o controle dos contatos no município de Londrina-PR em um período de dez anos. Rev Bras Enferm [periódico na Internet]. 2008 nov [citado em 2013 dez 03];61(esp):689-93. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v61nspe/a06v61esp.pdf.

17. Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria no 3.125, de 7 de outubro de 2010. Aprova as diretrizes para vigilância, atenção e controle da hanseníase [Internet]. 2010 [citado em 2015 fev 20]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/portaria_n_3125_hanseniase_2010.pdf.

18. Arantes CK, Garcia MLR, Filipe MS, Nardi SMT, Paschoal VDA. Avaliação dos serviços de saúde em relação ao diagnóstico precoce da hanseníase. Epidemiol Serv Saúde [periódico na Internet]. 2010 abr/jun [citado em 2013 dez 02];19(2):155-64. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/ess/v19n2/v19n2a08.pdf.

19. Silva AC, Ferreira RC, Ferreira MAA, Ribeiro MTF. Association between the degree of physical impairment from leprosy and dependence in activities of daily living among the elderly in a health unit in the State of Minas Gerais. Rev Soc Bras Med Trop [periódico na Internet]. 2014 Mar/Apr [citado em 2015 Mar 10]; 47(2):212-17. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0037-86822014000200212&script=sci_arttext

20. Brasil. Secretária de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. Manual de prevenção de incapacidades. 3ª ed [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [citado em 2013 dez 07]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_prevencao_incapacidades.pdf.

21. Nascimento GRC, Barrêto AJR, Brandão GCG, Tavares CM. Ações do enfermeiro no controle da hanseníase. Rev Eletr Enf [periódico na Internet]. 2011 out/dez [citado em 2013 nov 25];13(4):743-50. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v13/n4/v13n4a20.htm

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería