ENTRAR            

 


 

R de Pesq: cuidado fundamental Online -Bra- v8n2 2016 r84347

 

 
PESQUISA
 

 Ir a sumario  Acceso al texto completo

Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
[
R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-]
2016 abr-jun; 8(2):
4347-4364

 Recebido em: 20/01/2015
Revisões requeridas: Não
Aprovado em: 08/01/2016
Publicado em: 03/04/2016

O cuidado aos dependentes químicos: com a palavra profissionais de saúde de centros de atenção psicossocial em álcool e drogas

 

Edilene Aparecida Araújo Silveira,1 Patricia Peres Oliveira,2 Patricia Moreira Correio,3 Walquíria Jesusmara Santos,4 Andrea Bezerra Rodrigues,5 Danyella Augusto Rosendo da Silva Costa6

 

(1) Enfermeira. Professor Associado de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de São João del Rei - UFSJ - Campus Centro-Oeste. Divinópolis-MG; Doutor em Ciências, enfermagem psiquiátrica. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / USP. Ribeirão Preto, Brasil. (2) Nurse. Associado Professor de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de São João del Rei - UFSJ - Campus Centro-Oeste. Divinópolis-MG; Doutor em Educação: Currículo e Mestre em Gerontologia da Pontifícia Universidade Católica. São Paulo-SP, Brasil. (3) Nurse - pós-graduação em Enfermagem da Universidade Paulista. Campus Alphaville. Santana de Parnaíba-SP, Brasil. (4) A enfermeira. Professor Assistente de Pós-Graduação em Enfermagem da Federal Universidade de São João del Rei - UFSJ - Campus Centro-Oeste. Divinópolis-MG. (5) Assistant professor da Universidade Federal do Ceará - UFC - Fortaleza / CE; Doutor e Mestre em Enfermagem da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, Brasil. Associado Professor de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Brasil

 

Cómo citar este documento:
Silveira, Edilene Aparecida Araújo; Oliveira, Patricia Peres; Correio, Patricia Moreira; Santos, Walquíria Jesusmara; Rodrigues, Andrea Bezerra; Costa, Danyella Augusto Rosendo da Silva. O cuidado aos dependentes químicos: com a palavra profissionais de saúde de centros de atenção psicossocial em álcool e drogas. R de Pesq: cuidado é fundamental Online -Bra-. 2016 abr-jun, 8(2). En: <http://www.index-f.com/pesquisa/2016/84347.php> Consultado el

 

Resumo

Objetivo: conhecer a vivência dos profissionais de saúde frente à assistência aos dependentes de substâncias psicoativas. Método: Estudo qualitativo, realizado com 26 profissionais de três Centros de Atenção Psicossocial, na modalidade álcool e drogas, localizados no estado de São Paulo, de agosto de 2012 a fevereiro de 2013. Resultados: A média de idade foi de 33,7 anos, onde 15 eram mulheres e 11 homens. O tempo de trabalho médio na instituição foi de 3,1 anos. Emergiram-se as categorias: 1. O processo de trabalho e suas repercussões no cuidado aos dependentes de substâncias psicoativas e; 2. Impotência diante do abandono do tratamento. 3. O relacionamento do profissional com os dependentes de substâncias psicoativas e a família. Conclusão: Os profissionais convivem com a falta de condições de trabalho, mas há a possibilidade da produção de vínculo com os usuários e familiares, como instrumento para atingir a integralidade e a humanização do cuidado.
Descritores: Pessoal de saúde/ Serviços comunitários de saúde mental/ Saúde mental.
 

Resumen
El cuidado de los toxicómanos: con la salud profesional palabra servicios de salud mental sobre el alcohol y las drogas

Objetivo: Conocer las experiencias de los profesionales de la salud a través de la asistencia a las personas dependientes de sustancias. Método: Estudio cualitativo realizado con 26 profesionales de tres Centros de Atención Psicosocial (CAPS) de la comunidad en la modalidad alcohol y drogas, en el estado de São Paulo, a partir de agosto de 2012 hasta febrero de 2013. Resultados: La edad media fue de 33,7 años donde 15 eran mujeres y 11 hombres. El tiempo medio de trabajo en la institución fue de 3,1 años. Emergieron las categorías: 1. El proceso de trabajo y su impacto en la atención a personas dependientes de sustancias y; 2. Impotencia de abandono del tratamiento; 3. La relación profesional con las personas dependientes de sustancias y familiares. Conclusión: Los profesionales viven con la falta de condiciones de trabajo, pero existe la posibilidad de la producción de enlace con los usuarios y miembros de la familia, como una herramienta para lograr la integralidad y la humanización de la atención.
Descriptores: Personal de la salud/ Relaciones profesional-paciente/ Salud mental.
 

Abstract
The care for chemically dependent: with words from health professional of centers of psychosocial on alcohol and drugs

Objective: To know the experiences of health professionals across the assistance to substance dependents. Method: Qualitative study conducted with 26 professionals from three Centers for Psychosocial Care (CAPS) in alcohol and drug modality, in the state of São Paulo, from August 2012 to February 2013. Results: The mean age was 33.7 years-old where 15 participants are women and 11 men. The average working time in the institution was 3.1 years. The following categories emerged: 1. The work process and its impact on care for substance dependents and; 2. Powerlessness of abandonment of treatment; 3. The professional relationship with the substance dependents and their family. Conclusion: The professionals live with the lack of working conditions, but there is the possibility of link production with users and family members, as a tool to achieve comprehensiveness and humanization of care.
Descriptors: Health personnel/ Professional-patient relations/ Mental health.
 

Referências

1.Organização Mundial da Saúde - OMS. Neurociências: consumo e dependência de substâncias psicoativas. Genebra, 2004.

2.Cogollo-Milanés Z, Arrieta-Vergara KM, Blanco-Bayuelo S, Ramos-Martínez L, Zapata K, Rodríguez-Berrio Y. Factores psicosociales asociados al consumo de sustâncias em estudiantes de una universidad pública. Rev Salud Pública. 2011;13(3):470-79.

3.Ministério da Saúde (BR). Portaria GM n. 336, de 19 de fevereiro de 2002. Dispõe sobre a constituição dos Centros de Atenção Psicossocial. 4ª ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2004.

4.Ministério da Saúde (BR). A Política do Ministério da Saúde para a Atenção Integral a Usuários de Álcool e outras Drogas. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2003.

5.Didonet ACH, Fontana RT. O trabalho com dependentes químicos: satisfações e insatisfações. Rev Rene. 2011; 12(1):41-8.

6.Silva AA, Terra MG, Freitas FF, Ely GZ, Mostardeiro SCTS. Self care under the perception of the mental health nursing professionals. Rev Rene. 2013; 14(6):1092-102.

7.Vargas D, Oliveira MAF, Duarte FAB. Psychosocial care Center for Alcohol and Drugs (CAPS ad): nursing insertion and practices in São Paulo City, Brazil. Rev Latino-Am Enfermagem. 2011; 19(1):115-22.

8.Neves HG, Lucchese R, Munari DB. Saúde mental na atenção primária: necessária constituição de competências. Rev Bras Enferm. 2010; 63(4):666-70.

9.Oliveira LG, Ponce JC, Nappo SA. Crack cocaine use in Barcelona: a reason of worry. Subst Use Misuse. 2010; 45(1):2291-300.

10.Alves VS. Modelos de atenção à saúde de usuários de álcool e outras drogas: discursos políticos, saberes e práticas. Cad Saúde Pública. 2009; 25(11):2309-19.

11.Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo: Hucitec; 2010.

12.Bardin LM. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

13.Soares NA, Silveira BV, Reinaldo MAS. Serviços de saúde mental e sua relação com a formação do enfermeiro. Rev Rene. 2010; 11(3):47-56.

14.Ribeiro LM, Medeiros SM, Albuquerque JS, Fernandes SMB. A. Mental health nursing and the family health strategy: how the nurse is working? Rev Esc Enferm USP. 2010; 44(2):376-82.

15.Toussaint J, Gerard RA. On the Mend: Revolutionizing Healthcare to Save Lives and Transform the Industry. Cambridge: Lean Interprise Institute; 2010.

16.Almeida PF, Fausto MCR, Giovanella L. Fortalecimento da atenção primária à saúde: estratégias para potencializar a coordenação dos cuidados. Rev Panam Salud Publica. 2011; 29(2):84-95

17. Pereira MO, Vargas D, Oliveira MAF. Reflexão acerca da política do Ministério da Saúde brasileiro para a atenção aos usuários de álcool e outras drogas sob a óptica da Sociologia das Ausências e das Emergências. SMAD. Revista eletrônica saúde mental álcool e drogas. 2012 [acesso em 2014Aug 12;8(1):[aproximadamente 7 p.].Disponível em:http://pepsic.bvsalud.org/pdf/smad/v8n1/03.pdf

18. Correia VR, Barros S, ColveroLA. Saúde mental na atenção básica: prática da equipe de saúde da família. RevEsc Enferm USP. 2011; 45(6):1501-06.

19. Kessler FH, Barbosa TM, Faller S, Ravy SA, Carolina-Peuker A, Benzano D, et al. Crack users show high rates of antisocial personality disorder, engagement in illegal activities and other psychosocial problems. Am J Addict. 2012; 21:370-80.

20.Pinho LB, Kantorski LP, Bañon Hernández AM. A concepção de clientela: análise do discurso da benevolência no contexto da reforma psiquiátrica brasileira. Rev Bras Enferm 2010; 63(3):377-84.

21.United Nations Office for Drug Control and Crime Prevention (UNODCCP). Global illicit drug trends 2010 [online]. Vienna: UNODCCP; 2010. [cited 2012 Nov 21]. Available from: http://www.undcp.org/adhoc/report_2001-06-26_1/report_2001-06-26_1.pdf.

22.Dias CB, Aranha AL. The profile and professional practice of nurses in a psychosocial care services. Rev Esc Enferm. USP. 2010; 44(2):469-75.

23. Narvaez JC, Magalhães PV, Trindade EK, Vieira DC, Kauer-Santanna M, Gama CS, et al. Childhood trauma, impulsivity, and executive functioning in crack cocaine users. Compr Psychiatry. 2012; 53:238-44.

24.Jorge MSB, Pinto DM, Quinderé PHD, Pinto AGA, Souza FSP, Cavalcante CM. Promoção da saúde mental - tecnologias do cuidado: vínculo, acolhimento, co-responsabilização e autonomia. Ciênc Saúde Coletiva. 2011; 16(7):3051-60.

25.Arce VAR, Sousa MF, Lima MG. A práxis da saúde mental no âmbito da Estratégia Saúde da Família: contribuições para a construção de um cuidado integrado. Physis. 2011; 21(2):541-60.

26.Cruz TA, Cunha GN, Moraes VP, Massarini R, Yoshida CM, Tenguam PT, et al. ICD-10 mental and behavioural disorders due to use of crack and powder cocaine as treated at a public psychiatric emergency service: An analysis of visit predictors. Int Rev Psychiatry. 2014; 26(4):508-14.

27.Vargas D, Oliveira MAF, Vilar-Luis M. Care of alcoholic persons in primary care services: perceptions and actions of registered nurses. Acta Paul Enferm. 2010; 23(1):73-9.

28. Coimbra VCC, Nunes CK, Kantorski LP, Oliveira MM, Eslabão AD, Cruz VD.THE Technologies used in the working process of the psychosocial care unit with sights to reach the comprehensiveness. Rev Pesq Cuid Fundam. [online]. 2013 [citado 20 fev 2014]; 5(2):3876-83. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2007/pdf_788

29. Veloso TMC, Mello e Souza MCB. Concepções de profissionais da Estratégia Saúde da Família sobre saúde mental. Rev Gaúcha Enferm. 2013;34(1):79-85.

30. Waidman MAP, Marcon SS, Pandini A, Bessa JB, Paiano M. Assistência de enfermagem às pessoas com transtornos mentais e às famílias na Atenção Básica. Acta Paul Enferm. 2012;25(3):346-51.

Pie Doc

 

RECURSOS CUIDEN

 

RECURSOS CIBERINDEX

 

FUNDACION INDEX

 

GRUPOS DE INVESTIGACION

 

CUIDEN
CUIDEN citación

REHIC Revistas incluidas
Como incluir documentos
Glosario de documentos periódicos
Glosario de documentos no periódicos
Certificar producción
 

 

Hemeroteca Cantárida
El Rincón del Investigador
Otras BDB
Campus FINDEX
Florence
Pro-AKADEMIA
Instrúye-T

 

¿Quiénes somos?
RICO Red de Centros Colaboradores
Convenios
Casa de Mágina
MINERVA Jóvenes investigadores
Publicaciones
Consultoría

 

INVESCOM Salud Comunitaria
LIC Laboratorio de Investigación Cualitativa
OEBE Observatorio de Enfermería Basada en la Evidencia
GED Investigación bibliométrica y documental
Grupo Aurora Mas de Investigación en Cuidados e Historia
FORESTOMA Living Lab Enfermería en Estomaterapia
CIBERE Consejo Iberoamericano de Editores de Revistas de Enfermería