ENTRAR            

 


 

PARANINFO DIGITAL 2015;22:525

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar este texto

Ir a Sumario

Documento anterior

Documento siguiente

Enviar correo al autor

Sin Ttulo


Modalidad de presentación:
póster

 

REF.: 525p

O cuidado do enfermeiro ao idoso suicida nas emergências dos hospitais gerais
Aline Furtado, Ann Mary Machado Tinoco Feitosa Rosas, Ermelinda Maria Bernardo Gonçalves Marques, Renata Jabour Saraiva
Escola de Enfermagem Anna Nery, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil

Rev Paraninfo digital, 2015: 22

Cómo citar este documento
Furtado, Aline; Rosas, Ann Mary Machado Tinoco Feitosa; Marques, Ermelinda Maria Bernardo Gonçalves; Saraiva, Renata Jabour. O cuidado do enfermeiro ao idoso suicida nas emergências dos hospitais gerais. Rev Paraninfo Digital, 2015; 22. Disponible en: <https://www.index-f.com/para/n22/525.php> Consultado el

O suicídio nos idosos é considerado um problema de saúde pública reconhecido pela Organização Mundial de Saúde1. Estatísticas de mortes e agravos por violência no Brasil mostram que os homens são as maiores vítimas e os maiores perpetradores, levando-se em conta as circunstâncias físicas e psicológicas, inclusive nos grupos acima de 60 anos. Segundo a pesquisa os homens chegam a um coeficiente duas a cinco vezes maiores que as mulheres 2,3,4 . Para ocorrer o risco de suicidio é necessário levar em conta a gravidade da tentativa, a letalidade do método e sua visibilidade. A avaliação da intenção suicida pode ser considerada: (a) inexistente, sem plano ou ideia de se matar; (b) leve, sem plano específico ou concreto e poucos fatores de risco; (c) moderada, com existência de um plano geral, embora [seguir leyendo].
 

Bibliografía

1. Organização Mundial de Saúde (OMS). Violência autoinfligida. In: Organização Mundial de Saúde (OMS).Relatório Mundial sobre Violência e Saúde. Genebra: OMS; 2002. p. 182-210.
2. Souza ER, Lima MLC. Panorama da violência urbana no Brasil e suas capitais. Cien Saude Colet. [periódico na Internet]. 2006; 11(Supl.):1211-1226. [capturado 2015 Set 11]. Disponível em:  https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232006000500011&script=sci_arttext
3. Guerrero R, Lozano R, Espinoza R, Minayo MCS, Gutierres MI, Ward E. Violencia en la región de las Américas, cap. XIV. Finkelman J, organizador. In: Determinantes Ambientales y Sociales de la Salud. Washington: OPAS. [periódico na Internet]. 2010. p. 195-210. [capturado 2015 Set 11]. Disponível em:  https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232012001000016&script=sci_arttext
4. Marín-León L, Barros MBA. Mortes por suicídio: diferenças de gênero e nível socioeconômico. Rev Saude Publica. [periódico na Internet]. 2003; 37(3):357-363.[capturado 2015 Set 11]. Disponível em:https://www.scielosp.org/pdf/rsp/v37n3/15865.pdf
5. Cavalcante FG, Minayo MCS, Meneghel SN, Silva RM, Gutierrez DDM, Conte M, Figueiredo AEB, Grubtis S, Cavalcante ACS, Mangas RMN, Vieira LJES, Moreira GAR. Autópsia psicológica e psicossocial sobre suicídio de idosos: abordagem metodológica. Cien Saude Colet. [periódico na Internet]. 2012; 17(8):2039-2052. [capturado 2015 Out 16]. Disponível em:  https://www.scielosp.org/pdf/csc/v20n6/1413-8123-csc-20-06-1655.pdf
6.  Fundação Oswaldo Cruz - Suicídio: pesquisadores comentam relatório da OMS, que apontou altos índices no mundo. [periódico na Internet].  12/09/2014. [capturado 2015 Set 11]. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/suicidio-brasil-e-8o-pais-das-americas-com-maior-indice
7. SCHUTZ, A. Bases da fenomenologia. In: WAGNER, H. (Org). (2012) Fenomenologia e relações sociais: textos escolhidos de Alfred Schutz. Rio de janeiro: Zahar, 2012.
8. CAPALBO, C. Metodologia das ciências sociais: a fenomenologia de Alfred Schutz. Londrina (PR): UEL; 1998, 15-131).
9. CAPALBO, C. Fenomenologia e Ciências Humanas. São Paulo (SP): Idéias & Letras; 2008.

Principio de p�gina
error on connection